A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMPLANTAÇÃO DO ENSINO POR COMPETÊNCIAS NO EXÉRCITO BRASILEIRO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMPLANTAÇÃO DO ENSINO POR COMPETÊNCIAS NO EXÉRCITO BRASILEIRO."— Transcrição da apresentação:

1 IMPLANTAÇÃO DO ENSINO POR COMPETÊNCIAS NO EXÉRCITO BRASILEIRO

2 OBJETIVOS Conhecer: - o Projeto de Implantação do Ensino por Competências no Exército Brasileiro; e - os trabalhos realizados pelo Comitê Técnico para a Implantação do Ensino por Competências. IMPLANTAÇÃO DO ENSINO POR COMPETÊNCIAS NO EXÉRCITO BRASILEIRO

3 - Introdução - Aperfeiçoamento do Ensino no âmbito do DECEx através da implantação do Ensino por Competências - Estrutura Analítica do Projeto - Princípios de Trabalho do Projeto - Comitê Técnico e missões - Produtos do Projeto - Quadro de demandas do Assessoramento do Comitê Técnico - Conclusão SUMÁRIO

4 POR QUE UMA NOVA ABORDAGEM DE ENSINO? - Demandas atuais decorrentes de um mundo e uma realidade caracterizada por incertezas e complexidade. - Aperfeiçoamento e progresso na modernização do ensino. - Sistematização de práticas escolares não normatizadas pelo DECEx. Ex: Módulo de Ensino. - Criação de instrumentos mais precisos para a determinação do CORE.

5 REFERÊNCIAS - Diretriz Geral do Comandante do Exército Diretriz para o Projeto de Implantação do Ensino por Competências no Exército Brasileiro (Portaria nº 137, de 28 FEV 12). - Projeto de Implantação do Ensino por Competências.

6 O QUE É ENSINO POR OBJETIVOS? É o Ensino que visa promover mudanças comportamentais nos indivíduos, motivando um planejamento de ensino com objetivos pré- fixados. Desta forma, o instrutor atua como um planejador, controlador da aprendizagem e do ensino. A escola é considerada uma agência educacional, que atende aos objetivos de caráter social, sendo assim, deve instalar formas de controle, de acordo com os comportamentos que pretende instalar.

7 É a capacidade de mobilizar, ao mesmo tempo e de maneira inter- relacionada, conhecimentos, habilidades, atitudes, valores e experiências, para decidir e atuar em situações diversas. O QUE É COMPETÊNCIA?

8 O Ensino por Competências não pretende desconsiderar o Ensino do Exército, mas sistematizar e aperfeiçoar práticas vigentes que já se aproximavam do Ensino por Competências, ultrapassando as normas existentes e trazer novas ferramentas pedagógicas. O ENSINO POR COMPETÊNCIAS

9 ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO DECEx CT DESMil DECEx DEPACCFExDETMil

10 - Aproveitamento dos princípios do Processo de Modernização de Ensino (PME). - Adequação à estrutura organizacional dos Estb Ens. - Sistematização das práticas pedagógicas existentes. PRINCÍPIOS DE TRABALHO DO PROJETO

11 - Adequação às normas atuais, quando possível. - Sistemática de ajuste das normas, a partir da realimentação dos Estb Ens. - Continuidade do processo de implantação do Ensino por Competências. PRINCÍPIOS DE TRABALHO DO PROJETO

12 COMITÊ TÉCNICO EsPCEx DETMil AMAN CEP DECEx DESMil

13 COMITÊ TÉCNICO Presidente: Cel BARCELLOS (Cmt CEP) Cap BERREDO (DETMil)Cel R1 RENATO (CEP) 1º Ten ANDRÉA (DECEx)Ten Cel LUCCHEZI (CEP) 1º Ten MAGALHÃES (DESMil)Maj PRATA (CEP) 1º Ten REIS (CEP)Ten DANTAS (CEP) -Ten ALESSANDRA (DECEx)

14 - Criar um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). - Elaborar e revisar os currículos na AMAN, EsPCEx e CEP. - Realizar a capacitação pedagógica dos alunos dos Cursos de Coordenação Pedagógica, Psicopedagogia Escolar e Auxiliar de Ensino, todos do CEP. MISSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO

15 - Elaborar a legislação de ensino (gestão, currículo, didática e avaliação da aprendizagem). - Realizar a capacitação pedagógica em Didática e Avaliação na EsPCEx, AMAN e CEP e dos Agentes Multiplicadores dos Estb Ens. - Organizar e conduzir a parte técnico pedagógica do Estágio de Atualização Pedagógica (ESTAP) Nível 1. MISSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO

16 - Elaborar:. as Normas de Elaboração do Conceito Escolar;. o Plano de Desenvolvimento de Atitudes e Valores; e. os Estressores de Combate. MISSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO

17 PRODUTOS DO PROJETO

18 NORMATIZAÇÃO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ENSINO POR OBJETIVOSENSINO POR COMPETÊNCIAS Normas para Elaboração e Revisão Curricular (NERC) Normas para Construção Curricular (NCC) Normas para Avaliação Educacional (NAE) Normas para Avaliação da Aprendizagem (NAA) Normas para a Elaboração dos Instrumentos de Avaliação Educacional (NEIAE) Normas para Elaboração do Conceito Escolar (NECE) Diretrizes para Gestão EscolarNormas para Gestão do Ensino

19 - Perfil do Concludente -Mapa Funcional - Plano Integradode Disciplinas (PLANID) - Plano de Disciplinas (PLADIS) - Quadro Geral das Atividades Escolares (QGAEs) NORMATIZAÇÃO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

20 Capacitação: - dos agentes diretos do ensino; e - dos agentes indiretos do ensino. CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

21 Atualização: - dos regulamentos dos Estb Ens; - dos regimentos internos dos Estb Ens; e - do Glossário de Termos. Confecção dos projetos pedagógicos dos Estb Ens. ATUALIZAÇÕES DE DOCUMENTOS

22 Análise: - dos aspectos de constitucionalidade; e - dos princípios da legalidade, isonomia e eficiência. ANÁLISES JURÍDICAS

23 - Mudanças ou remanejamentos internos das instalações - Contratação de serviços (elétrico, hidráulico, informática, etc.) - Aquisição de materiais (mobiliário, informática e meios auxiliares de instrução) ADAPTAÇÕES DE LAYOUT

24 Aquisição: - de material não operacional (viaturas, escritório, informática, etc.); e - de material operacional de todas as classes de suprimento. AQUISIÇÃO DE MATERIAL

25 Integração: - com o SIMEB; - com o Sistema de Ensino da Marinha do Brasil; e - com o Sistema de Ensino da Força Aérea Brasileira. INTEGRAÇÃO COM OUTROS SISTEMAS

26 QUADRO DE DEMANDAS DO ASSESSORAMENTO DO COMITÊ TÉCNICO DO DECEX AOS ESTB ENS

27

28

29

30 Diretoria de Educação Preparatória e Assistencial (DEPA) - Por suas peculiaridades e especificidades, a DEPA não foi contemplada nos quadros de demanda.

31 É uma estrutura de organização hierárquica de objetivos educacionais. Foi resultado do trabalho de uma comissão multidisciplinar de especialistas de várias universidades dos EUA, liderada por Benjamin Bloom, na década de A classificação proposta por Bloom dividiu as possibilidades de aprendizagem no domínios cognitivo, afetivo e psicomotor. TAXONOMIA DE BLOON

32 - Categorias de análise (currículo por obj e currículo por competências no EB, que constam nas pag. 2 a 5 do Relatório de Pesquisa) CATEGORIAS DE ANÁLISE

33 CONCLUSÃO - A Implantação do Ensino por Competências iniciou antes da confecção das normas escolares. - Até o momento, o Projeto de Implantação está seguindo o cronograma de atividades planejado. - Reajustes nas normas escolares, certamente, ocorrerão. - Benefício importante do Projeto de Implantação foi a identificação do CORE. - A motivação e participação dos Estb Ens estão sendo decisivos para o êxito da Implantação do Projeto.

34 ENSINO POR COMPETÊNCIAS Assessoria de Desenvolvimento e Avaliação Educacional ADAE/DECEx (21) / DÚVIDAS E/OU SUGESTÕES


Carregar ppt "IMPLANTAÇÃO DO ENSINO POR COMPETÊNCIAS NO EXÉRCITO BRASILEIRO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google