A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Um Framework para desenvolvimento de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativo na Internet André Neves, Flávia Barros & Geber Ramalho Departamento de Informática.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Um Framework para desenvolvimento de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativo na Internet André Neves, Flávia Barros & Geber Ramalho Departamento de Informática."— Transcrição da apresentação:

1 Um Framework para desenvolvimento de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativo na Internet André Neves, Flávia Barros & Geber Ramalho Departamento de Informática -- Universidade Federal de Pernambuco Caixa Postal 7851 – CEP Recife PE Brazil SEMISH99

2 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Ambientes Virtuais de Estudo na Internet Utilizam a Internet como mediadora nos processos de construção de conhecimento (ensino/aprendizagem) –como complemento aos cursos presenciais, ou –como facilitador de cursos à distância. A Internet é o maior repositório on-line de informação diversificada e atualizada, oferecendo: –consulta a hipertextos –acervo variado e ilimitado –ferramentas para comunicação entre estudantes e professores

3 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Ambientes Virtuais de Estudo na Internet O que queremos? –facilidade na edição do material didático –acesso on-line a este material de forma personalizada –possibilidade de cooperação entre seus usuários –recuperação precisa de material bibliográfico na Internet –notificação personalizada sobre mudanças ocorridas no ambiente –um módulo de FAQs sobre o assunto sendo estudado –exercícios de fixação

4 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Modelos computacionais em Educação: O que temos Modelo Interativo –Sistemas IAC (dec. 70) e Tutores Inteligentes (dec. 80) e.g., SOPHIE e SEI –soluções ad hoc para domínios específicos Modelo Participativo –Ambientes virtuais de estudo (dec. 90) e.g., OLA (Austrália), AulaNet (PUC-Rio), VIRTUS (UFPE) – ferramentas genéricas porém a interação entre sujeitos (estudantes e professores) pode se tornar inviável em comunidades de grande porte

5 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Modelos computacionais em Educação: O que propomos Modelo Cooperativo –Ambientes virtuais de estudo cooperativo (dec. 90) –Entidades de software (agentes inteligentes) cooperam com os sujeitos facilitando o processo de comunicação em comunidades de grande porte otimizando a precisão na recuperação de informação em grandes acervos como a Web

6 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Modelos computacionais em Educação: O que propomos Modelo Cooperativo –Segue as recentes diretrizes pedagógicas abordagem sócio-construtivista-interacionista [Vygostsky 1980] respeita o caráter exploratório, interativo, comunicativo e autônomo da aprendizagem

7 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI Um Framework para desenvolvimento de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativo na Internet: –construído utilizando técnicas de Inteligência Artificial dentro da abordagem de agentes inteligentes [Russel & Norvig 95] –atendendo aos requisitos do modelo cooperativo Por que usar a Internet? –por seu caráter essencialmente interativo e personalizado Por que agentes inteligentes ? –realizam tarefas que requerem racionalidade e autonomia

8 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: Descrição Geral Critérios de Engenharia de Software –modularidade, extensibilidade, reusabilidade, portabilidade e facilidade de uso por parte de professores e alunos Critérios da Inteligência Artificial –racionalidade, autonomia, distribuição de tarefas, comunicação, coordenação Agentes Inteligentes –um paradigma de programação que possibilita criação de sistemas de software com as características citadas acima.

9 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: Arquitetura CGI Browser Entidades Ativas Navegador Consultor Monitor Notificador Editor PERL Entidades Passivas Hipertransparências Glossário Biblioteca virtual Caixa de respostas Mural virtual Sala de reuniões Fichas dos estudantes Exercícios de fixação ASCII e HTML

10 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: entidades passivas Hipertransparências –hipertextos com o conteúdo didático do curso Glossário –base de conhecimento: ontologia do domínio IA Aplicações Regras Prod.LPO AprendizagemRep. Conh.Busca Introdução Sis. Espec....

11 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: entidades passivas Sala de Reuniões –comunicação sincrônica –favorece a cooperação Mural Virtual –comunicação assíncrona –favorece a cooperação Caixa de Respostas –FAQs sobre o conteúdo do curso

12 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: entidades passivas Biblioteca virtual –ponteiros para referências internas e externas ao ambiente que tenham relação com o tema (domínio) do curso Fichas dos estudantes –profile com as preferências de cada estudante –login das sessões de cada estudante Exercícios de Fixação –utilizados pelo estudante na sua auto-avaliação

13 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: entidades ativas Agente Navegador –navegação das hipertransparências –criação das páginas de multi-links –consulta à biblioteca virtual Página multi-link para o termo: planejamento Conceitos básicos: Busca Cega e Heurística Conceitos relacionados: Aplicações Biblioteca Virtual: R4, R6, R9 Busca na Web: deseja consultar a Web?

14 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: entidades ativas Agente Editor Agente Consultor –chatterbot para responder FAQs sobre o domínio do curso Agente Monitor –responsável pelas fichas dos estudantes –acompanha o estudante na sua auto-avaliação Agente Notificador –notifica estudantes e professores, de modo personalizado, sobre modificações no ambiente

15 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: sociedade de agentes Navegador Notificador Consultor Monitor Editor Hipertransparências Glossário Biblioteca virtual Caixa de respostas Mural virtual Sala de reuniões Fichas dos estudantes Exercícios de fixação

16 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho O Protótipo

17 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho FAVECI: Considerações Finais Construído dentro do paradigma de Agentes Inteligentes –modelo cooperativo; O framework é modular e independente de domínio de aplicação –favorece a extensibilidade e a reusabilidade de seus componentes (agentes e bases de conhecimento). Os ambientes gerados podem ser usados como –complemento a aulas expositivas ou –em cursos para o ensino à distância.

18 A. Neves, F. Barros, G. Ramalho Considerações Finais Avaliação preliminar –O FAVECI foi utilizado na criação de ambientes em uso no âmbito da UFPE, como complemento a aulas presenciais –aumentando a motivação e o entrosamento dos alunos, melhorando seu desempenho global no curso na iniciativa privada, como ambiente de ensino à distância –CHESFCHESF Trabalhos futuros –Validação do sistema –Projeto FIACI (Protem-CC) Ferramentas Inteligentes para Aprendizagem Cooperativa na Internet


Carregar ppt "Um Framework para desenvolvimento de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativo na Internet André Neves, Flávia Barros & Geber Ramalho Departamento de Informática."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google