A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Didática? Didáticas? Qual Didática? In: FARIAS, Isabel M. S. de. (et al.). Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Didática? Didáticas? Qual Didática? In: FARIAS, Isabel M. S. de. (et al.). Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Didática? Didáticas? Qual Didática? In: FARIAS, Isabel M. S. de. (et al.). Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2009.

2 O livro é destinado a professores em processo de formação, com experiência ou não; Trata de questões que permeiam o fazer docente na Educação Básica; Orientação visa propiciar subsídios teóricos e metodológicos sobre o ensino; Pela articulação entre seus pressupostos, seus determinantes sociais e seus modos de realizãção; O Ensino é palavra-ação, palavra-prospectiva, palavra- compartilhada;

3 ENSINAR Como Para que Para quem O que

4 Intenção de assegurar conhecimentos pedagógicos básicos, numa abordagem crítica e contextualizada; O fazer docente é uma atividade que exige rumo e partilha; Necessidade de ruptura com visões fragmentadas do trabalho do professor e de assunção do papel de sujeito em seu desenvolvimento; o professor se constitui, se produz, por meio das relações que estabelece com o mundo físico e social, sua identidade se articula a um dado espaço-tempo; o seu fazer é entendido como prática situada e ética, cujas decisões traduzem uma intencionalidade;

5 CONCEPÇÕES Escola Conheci- mento Sociedade

6 OS PRECURSORES DA DIDÁTICA Didatas do século XVII: se preocuparam em sistematizar princípios de condução do ato educativo; Em especial João Amos Comênio ( ), o pai da Didática: formulou princípios racionalistas, com base na ciência moderna. A principal obra: Didática Magna: a arte de ensinar tudo a todos, foi o pilar da educação para a vitória da reforma protestante.

7 Século XVIII, Jean Jacques Rousseau ( ) revoluciona a Didática. Obras: O Contrato Social e O Emílio (ou da Educação). Apresentou outro conceito de infância – a criança boa por natureza. Defendeu uma educação livre, espontânea e natural. Sem precocidade e pretensões de modelar a criança para fins sociais futuros.

8 Johann Friedrich Herbart ( ) também contribuiu para a Didática, criando um método de ensino fundamentado em cinco passos regulados pelo mestre: preparação, apresentação, comparação- assimilação, generalização e aplicação.

9 A constituição da Didática como Disciplina Brasil: a Didática foi instituída como curso de licenciatura (1939) e transformada em uma disciplina dos cursos de formação de professores (1946). Enfoque prescritivo, normativo e instrumental: momento da afirmação do técnico e o silenciar do político (CANDAU apud FARIAS, p. 17). Reduziu-se ao COMO ensinar;

10 Centrou-se na transmissão de normas e regras do bem fazer, Padronizou-se as ações didáticas, com uma única lógica de ver e estar no mundo: o pensamento liberal sobre a sociedade, a educação, a escola, o aluno e a aprendizagem. Predomínio de práticas pedagógicas tradicionais da Igreja e da Ciência Positivista. Assimilação por repetição passiva da cultura do dominador pelos dominados.

11 Teóricos franceses crítico-reprodutivistas: Bourdieu e Passeron e Althusser, denunciam a educação e a escola como espaços de reprodução e preservação das relações de dominação e transmissão da ideologia e da cultura so sistema social capitalista. Colocaram em questão as ações educativas e a Didática e os cursos de formação de professores.

12 No Brasil, nos anos 70, reina a antididática, a negação do tecnicismo e de tudo que era técnico e a afirmação do político. Aproximação da Didática com a Filosofia e com a Sociologia da Educação. Uma terceira possibilidade teórica: A Didática Crítica, o momento da síntese ou da negação da negação (CANDAU apud FARIAS, p. 19).

13 Anos 80: processo de redemocratização do país e de mudanças na educação e na Didática. Inúmeros encontros, conferências e movimentos da sociedade civil em defesa da democracia também nas institições sociais, principalmente nas escolas, como meio de transformação social. Surge a proposta da Pedagogia Histórico- Crítica e outras Tendências Progressistas.

14 Didática crítica Sobrepõe o que é fundamental no ato educativo: ação pedagógica como prática social; a multidimensionalidade do processo de ensino e de aprendizagem; a subordinação do o que e do como fazer ao para que fazer; a competência técnica a serviço do compromisso político; Uma didática que concebe os professores como sujeitos que aprendem uma profissão e se fazem profissionais à medida que aprendem ensinando.

15 teoria prática conteúdo forma escola sociedade ensino pesquisa

16 Por uma Didática crítica e contextualizada Didática é teoria e prática do ensino, conjugando fins e meios; propósitos e ações; objetivos, conteúdo e forma. Atitude teórica e prática; Processo, movimento e trajetória; Construção individual e coletiva nos cursos de formação e na escola; Reconhece os professores como sujeitos criativos, reflexivos e políticos; autores e produtores e não meros expectadores da história e consumidores de técnicas de última geração.

17 Das relações entre Educação, Pedagogia e Didática Educação Todas as práticas formativas, pe um fenômeno social, histórico, dinâmico e político; processo simbólico, intencional ou não, acontece em diferentes espaços e de variadas formas; pode ocorrer de forma espontânea ou planejada. Pode apresentar duas funções: adaptação ou transformação social

18 Pedagogia Reflexão sistemática, problematizadora da totalidade da prática educativa; Ciência da Educação que busca descrevê-la, explicá-la e compreendê-la; Didática Uma disciplina pedagógica que estuda os múltiplos aspectos do processo de ensino.


Carregar ppt "Didática? Didáticas? Qual Didática? In: FARIAS, Isabel M. S. de. (et al.). Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google