A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração de Materiais e Patrimônio apostila 5 FORTIUM – Grupo Educacional Docente: Prof. Iran Nunes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração de Materiais e Patrimônio apostila 5 FORTIUM – Grupo Educacional Docente: Prof. Iran Nunes."— Transcrição da apresentação:

1 Administração de Materiais e Patrimônio apostila 5 FORTIUM – Grupo Educacional Docente: Prof. Iran Nunes

2 Estoques Reguladores do fluxo de produção e de vendas Recurso produtivo que no final da cadeia de suprimentos criará valor para o consumidor final É necessário pois a velocidade com que as mercadorias são recebidas é usualmente diferente da velocidade com que são utilizadas O objetivo e desafio da filosofia just-in-time é ter estoques nulos

3 Tipos de Demanda Dependente Demanda dependente é aquela de um item cuja quantidade a ser utilizada depende da demanda de um item de demanda exemplo: O item pneus em uma montadora é dependente do número de veículos demandados pelo público (5 pneus por automóvel)

4 Tipos de Demanda Independente Demanda independente: são itens que dependem, em sua maioria, dos pedidos de clientes externos, como, por exemplo, produtos acabados em geral. Constituem exceções, itens como peças de reposição para manutenção e materiais de escritório.

5 Tipos de Estoques Materiais: matérias-primas Produtos em processo:já entraram no processo produtivo, mas ainda não estão acabados Produtos acabados: prontos para ser entregues aos consumidores Em trânsito: já foram despachados mas ainda não chegaram a seu destino final Em consignação: continuam sendo propriedade do fornecedor até que sejam vendidos

6 Classificação de materiais Diretos - são os que se agregam ao produto final. –Exemplo: copo de um liquidificador. Indiretos (não produtivos, auxiliares): são utilizados no processo de fabricação, mas não se agregam ao produto final. –Exemplo: óleos de corte das máquinas – ferramentas que são utilizados na usinagem de um material direto.

7 Importância dos Estoques Segundo Ballou(1978): Melhorar o serviço ao cliente Economia de escala Proteção contra mudanças de preço em épocas de inflação alta Proteção contra incertezas na demanda e no tempo de entrega Proteção contra contingências

8 Custo dos Estoques Armazenagem quanto mais estoque mais área necessária mais custo de aluguel. Manuseio quanto mais estoque mais pessoas e equipamentos necessários para manusear os estoques mais custo de mão de obra e de equipamentos. Perdas quanto mais estoque maiores as chances de perdas mais custo decorrente de perdas. Obsolescência quanto mais estoque maiores as chances de materiais tornarem-se obsoletos mais custos decorrentes de materiais que não mais serão utilizados. Furtos e Roubos quanto mais estoques maiores as chances de materiais serem furtados e/ou roubados mais custos decorrentes.

9 Custos Diretamente Proporcionais Custo do capital = i x P I = taxa de juros corrente P= preço de compra unitário do item de estoque Custo de armazenagem = Ca Custo de carregar estoques = Cc Cc = Ca + I x P

10 Custos Inversamente Proporcionais Custos de obtenção (na compra) Custos de reparação(na produção interna) Para uma demanda D no período considerado, com lotes de compra (ou de produção) Q e custo de uma compra (ou de uma preparação) Cp, teremos: C(inversamente proporcionais)= (D/Q) x Cp (no período)

11 Estoque Médio em um Período Em = (E inicial+ E final) / 2

12 Custo Total de Manutenção dos Estoques Onde: CT = custo total (Ca + i x P) x (Q/2) = custos diretamente proporcionais Cp (D/Q) = custos inversamente proporcionais CI = custos independentes da quantidade (p/ex. galpão) D x P = custos do material comprado CT = (Ca + i x P) x (Q/2) + Cp (D/Q) + CI + D x P

13 Pressões para manter BAIXOS níveis de Estoques Os estoques são também uma forma de desperdício, devendo ser eliminados ou reduzidos a um mínimo possível. Medidas: Melhorar a precisão das previsões de vendas Reduzir os ciclos de manufatura Conseguir parcerias com os fornecedores

14 Pressões para manter ALTOS níveis de Estoques Estoque alto = maior probabilidade de atender bem os clientes MAS Estoque alto = certeza de alto custo em carregar estoques

15 Gestão de Estoques Série de ações que permitem ao administrador verificar se os estoques estão sendo bem utilizados, bem localizados em relação aos setores que deles se utilizam, bem manuseados e bem controlados.

16 Gestão de Estoques Indicadores de produtividade na análise e controle de estoques: Diferenças entre o inventário físico e o contábil. Acurácia dos controles. Nível de serviço(ou nível de atendimento). Giro de estoques. Cobertura dos estoques.

17 Inventário Físico Contagem física dos itens de estoque Dois modos: Periódico:em determinados períodos faz-se a contagem física de todos os itens do estoque Rotativo:permanentemente se contam os itens de estoque

18 Acurácia dos Controles Mede a porcentagem de itens corretos, tanto em quantidade quanto em valor Acurácia = (Número de itens corretos/ Número total de itens) OU Acurácia= (Valor de itens corretos/ Valor total de itens)

19 Nível de Serviço (ou de Atendimento) Indicador de quão eficaz foi o estoque para atender às solicitações dos usuários Quanto mais requisições forem atendidas, nas quantidades e especificações solicitadas, tanto maior será o nível de serviço. Nível de serviço= (Número de requisições atendidas/ Número de requisições efetuadas)

20 Giro de Estoques Mede quantas vezes, por unidade de tempo, o estoques e renovou ou girou Giro de estoques = (Valor consumido no período / Valor do estoque médio no período)

21 Cobertura de Estoques Indica o número de unidades de tempo; por exemplo, dias que o estoque médio será suficiente para cobrir a demanda média Cobertura (em dias) = (Número de dias do período em estudo/ giro)

22 Demanda X Consumo Demanda: representa a vontade do consumidor em comprar ou requisitar um produto necessário na fabricação de um outro componente Essa vontade ou necessidade pode ou não ser atendida plenamente Se atendida plenamente –consumo igual à demanda Se não –demanda reprimida

23 Demanda X Consumo Backlog: cliente concorda em receber em data futura o que solicitara (demanda) hoje - Pode levar a estoque baixo, com giro alto e baixa cobertura Fabricação sob encomenda: make-to- order Demanda perdida: cliente não aceita receber posteriormente aquilo que necessita

24 Localização dos Estoques Forma de endereçamento dos itens estocados para que eles possam ser facilmente localizados Exemplo de endereçamento: AA.B.C.D.E onde: AA = código da área de armazenagem B = número da rua C = número da prateleira ou estante D = Posição vertical E = Posição horizontal dentro da posição vertical

25 Redução de Estoques Tentativa incansável dos gerentes JIT com o uso de cartões Kanban Aplicações amplas e importantes, que acabaram se tornando uma filosofia gerencial

26 Análise ABC Forma usual de examinar estoques Consiste na verificação, em certo espaço de tempo, do consumo (em valor monetário ou quantidade) dos itens de estoque, para que eles possam ser classificados em ordem decrescente de importância –Itens classe A: mais importantes de todos (10 a 20%) –Itens classe B: menos importantes (30 a 40%) –Itens classe C: menos importantes (50%)

27 Análise ABC ITEN Consumo (unidades ano) Custo (R$ / Unidade) , , , , , , ,80

28 Análise ABC ITEN Consumo (unidades mês) Custo (R$ / Unidade) x 2,361534, x 6,502275, x 4,501125, x 2, , x 0,703500, x 1,90950, x 51,805180,00

29 Análise ABC

30 Criticidade dos Itens de Estoque Avaliação dos itens quanto ao impacto que sua falta causará na operação da empresa, na imagem da empresa perante os clientes, na facilidade de substituição do item por outro e na velocidade de obsolescência. Deve-se analisar de forma cruzada a criticidade e o conceito ABC

31 Criticidade dos Itens de Estoque *Classe A- itens cuja falta provoca a interrupção da produção de bens ou serviços e cuja substituição é difícil e sem fornecedor alternativo. * Classe B – itens cuja falta não paralisa a produção de bens ou serviços. * Classe C –os demais itens

32 Método PEPS Primeiro a entrar, primeiro a sair Custo real do material Estoques mantidos com valores aproximados dos preços atuais de mercado

33 Método UEPS Último a entrar, primeiro a sair Saldo do estoque avaliado pelo preço das últimas entradas Uniformiza o preço dos produtos em estoque para a venda no mercado consumidor


Carregar ppt "Administração de Materiais e Patrimônio apostila 5 FORTIUM – Grupo Educacional Docente: Prof. Iran Nunes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google