A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Faculdade de Medicina - FAMED Departamento de Gineco-Obstetrícia Ernesto Antonio Figueiró-Filho Serviço de Medicina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Faculdade de Medicina - FAMED Departamento de Gineco-Obstetrícia Ernesto Antonio Figueiró-Filho Serviço de Medicina."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Faculdade de Medicina - FAMED Departamento de Gineco-Obstetrícia Ernesto Antonio Figueiró-Filho Serviço de Medicina Fetal e Gestação de Alto Risco Ernesto Antonio Figueiró-Filho Serviço de Medicina Fetal e Gestação de Alto Risco Síndrome do Anticorpo Antifosfolípide

2 Definição Alteração na coagulação sanguínea que resultam em maior risco para trombose Divididas em hereditárias e adquiridas Presente 50% indivíduos com trombose venosa Trombofilias Franco R et al., 2002

3 TROMBOFILIAS HereditáriasAdquiridas Deficiência de AT Deficiência de Proteína C Deficiência de Proteína S Mutação do gene da protrombina (G20210A) Fator V de Leiden Desfibrinogenemia Hiperhomocisteinemia SAAF Neoplasia Mieloproliferativas S. Nefrótica Colagenose Doença inflamatória intestinal Doença de Behcet Franco R et al., 2002

4 MÁ HISTÓRIA OBSTÉTRICA ABORTO HABITUAL RCIU – PRÉ-TERMO PRÉ-ECLÂMPSIA HELLP - DPPNI Robertson L et al., 2005

5 Critério clínico Presença de um critério clínico Critério laboratorial Presença de um critério laboratorial Positivo com intervalo de 12 sem SÍNDROME DO ANTICORPO ANTI- FOSFOLÍPIDE Diagnóstico Miyakis S et al, 2005

6 1 episódios clínicos de trombose de vaso arterial, venosa ou de pequeno porte, em qualquer tecido ou órgão Confirmado por exames complementares apropriados ou histopatologia Ausência evidências significativas de inflamação em parede do vaso TROMBOSE VASCULAR Miyakis S et al, 2005

7 1 morte fetal inexplicável além da 10ª semana, com morfologia fetal normal documentado por ultrassom ou pelo exame direto do feto 1 parto pré-termo < 34 sem, devido à pré-eclâmpsia e eclâmpsia grave, ou reconhecida características de insuficiência placentária (RCIU) 3 abortos espontâneos consecutivos antes da 10 ª semana, excluídas causas maternas e fetais MORBIDADE GESTACIONAL Miyakis S et al, 2005

8 Anticoagulante lúpico Detectado de acordo com as diretrizes da Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia Anticorpo anticardiolipina IgG / IgM Título médio ou alto (> 40 GPL ou MPL, ou Percentil> 99) - ELISA Anti-β2 glicoproteína IgG/IgM Título > percentil 99 - ELISA CRITÉRIOS LABORATORIAIS Miyakis S et al, semanas

9 Trombose tecido placentário Inflamação aguda Inibição da diferenciação do sincício trofoblasto Indução de células deciduais fenótipo inflamatório Ativação do complemento Apoptose embrionária e / ou placentária Meroni et al., 2011 MECANISMO MORBIDADE OBSTÉTRICA

10 65% das mulheres com pré-eclâmpsia, RCIU, DPP e óbito fetal inexplicado têm alguma trombofilia Kupferminc et al., 1999 Consensos recomendam tratamento com AAS associado a anticoagulantes TRATAMENTO Miyakis S et al, 2005

11 TERAPIA GESTAÇÃO 36sem AAS Heparina Fouda et al, 2008

12 Pesquisas conduzidas HU- FAMED-UFMS Figueiró-Filho & Oliveira, Rev Bras Ginecol Obstet. 2007; 29(11):561-7 Figueiró-Filho et al., FEMINA | Abril 2008 | vol 36 | nº 4 Figueiró-Filho et al., FEMINA | Janeiro 2007 | vol 35 | nº 1 Figueiró-Filho et al., RBGO | 2011| In press Figueiró-Filho et al., Arch Gyn Obst| 2011 | In press

13 Exames Realizados Pesquisa de anticorpos antifosfolípide; –Anticorpo anticardiolipina IgM e IgG; –Anticoagulante lúpico; –Anti- 2 Glicoproteína I; Pesquisa de trombofilias; –Dosagem total de Proteína C; –Dosagem total de Proteína S; –Dosagem total de Antitrombina; –Dosagem total de Homocisteína plasmática; –Pesquisa de Mutação no Fator V Leiden;

14 Critérios Inclusão Perdas fetais, abortos repetição, má história obstétrica; Pré-eclâmpsia grave anterior; LES.

15 Pacientes com trombofilias hereditárias isoladas: Enoxaparina 40-80mg/dia; Pacientes com síndrome anticorpos antifosfolípides; Enoxaparina 40-80mg/dia; AAS 100mg/dia; Prednisona 5-15mg/dia Pacientes com trombofilias hereditárias e/ou hiperhomocisteinemia: Enoxaparina 40-80mg/dia; Ácido fólico 15mg/dia Vitaminas do Complexo B 1 cp/dia

16

17 84 gestantes com histórico de complicações obstétricas, diagnosticadas com trombofilias hereditárias e/ou adquiridas que seguiram o protocolo de tratamento; 37 gestantes com histórico de complicações obstétricas, diagnosticadas com trombofilias hereditárias e/ou adquiridas que não seguiram o protocolo de tratamento; 222 gestações antes do diagnóstico e tratamento e 84 gestações após o diagnóstico e tratamento;

18 Diagnóstico e tratamento Obito fetal/perinatal TotalSIMNÃO n (%) n(%) ANTES 35 (87,5) 187 (70,3) 222 (72,5) DEPOIS 5 (12,5) 79 (29,7) 84 (27,5) TOTAL 40 (100,0) 266 (100,00) 306 (100,0) * Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,03 RR: 2,66 (1,07

19 Diagnóstico e tratamento Nascimentos a termo TotalSIMNÃO n (%) n(%) ANTES 52 (46,0) 180 (88,1) 222 (72,5) DEPOIS 61 (54,0) 23 (11,9) 84 (27,5) TOTAL 113 (100,0) 193 (100,00) 306 (100,0) * Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,00 RR: 0,32 (0,25

20 Diagnóstico e tratamento AbortosTotalSIMNÃO n(%)n(%) ANTES 70 (98,6) 152 (64,7) 222 (72,5) DEPOIS 1 (1,4) 83 (35,3) 84 (27,5) TOTAL 71 (100,0) 235 (100,0) 306 (100,0) * Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,00 RR: 26,49 (3,74

21 Protocolo de tratamento Óbitos fetais/perinatais TotalSimNão n(%)n(%) SIM 2 (28,6) 82 (71,9 ) 84 (69,4) NÃO 5 (71,4) 32 (28,1) 37 (30,6) TOTAL 7 (100,0) 114 (100,0) 121 (100,0) * Teste Exato de Fisher: p=0,02 RR: 0,18 (0,04

22 Protocolo de tratamento Nascimentos a termo TotalSIMNÃO n(%)n(%) SIM 61 (82,4) 23 (48,9) 84 (69,4) NÃO 13 (17,6) 24 (51,1) 37 (30,6) TOTAL 74 (100,0) 47 (100,0) 121 (100,0) * Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,002 RR: 2,07 (1,31

23 Protocolo de tratamento AbortosTotalSIMNÃO n(%)n(%) SIM 1 (6,3) 83 (79,0) 84 (69,4) NÃO 15 (93,8) 22 (21,0) 37 (30,6) TOTAL 16 (100,0) 105 (100,0) 121 (100,0) * Teste Exato de Fisher: p=0,00 RR: 0,03 (0,00

24 Figueiró-Filho et al., 2011, in press

25

26 Conclusões O diagnóstico e tratamento - Enoxaparina associada ou não a AAS/Prednisona/Ác Fólico – de gestantes com trombofilias/SAAF: REDUZ as taxas de óbitos fetais/perinatais REDUZ as taxas de prematuridade REDUZ as taxas de abortos de repetição ELEVA as taxas de nascimentos a termo

27 VIA DE PARTO OBSTÉTRICA AVALIAR ESTADO MATERNO E FETAL

28


Carregar ppt "Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Faculdade de Medicina - FAMED Departamento de Gineco-Obstetrícia Ernesto Antonio Figueiró-Filho Serviço de Medicina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google