A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Seminário de Treinamento em Resseguro – Rio de Janeiro, Brasil Resseguro – Desenvolvendo Coberturas Agosto 2007 Bryan Fuller - NAIC Senior Reinsurance.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Seminário de Treinamento em Resseguro – Rio de Janeiro, Brasil Resseguro – Desenvolvendo Coberturas Agosto 2007 Bryan Fuller - NAIC Senior Reinsurance."— Transcrição da apresentação:

1 1 Seminário de Treinamento em Resseguro – Rio de Janeiro, Brasil Resseguro – Desenvolvendo Coberturas Agosto 2007 Bryan Fuller - NAIC Senior Reinsurance Manager

2 2 O QUE É RISCO? A refinaria inteira é um risco? Cada unidade do prédio é um risco? O prédio é um risco? Este tanque é um risco?

3 3 Definição de Loss Any One Risk A expressão loss any one risk significa todo e qualquer prejuízo que esteja relacionado a qualquer risco e seja considerado como um sinistro individual independente do número de riscos afetados no mesmo evento. Com relação ao risco, O Ressegurado deve ser o único a julgar o que constitui um risco; Sendo entendido e acordado que um risco deve significar todos os riscos sujeitos a retenção no ressegurado.

4 4 Excesso de Danos – Informação Necessária Retenções líquidas máximas incluindo tabela de limites (Propostas históricas, atuais, & futuras) Informação sobre prejuízos (sinistros) líquidos (com variações as-if (como-se), se necessário) Receitas líquidas retidas (últimos cinco anos no mínimo) Perfil detalhado do risco – base total segurada e/ou base EML

5 5 GRAU/TIPO ABCDE 1 1,000,000700,000500,000350,000200, ,000520,000400,000225,000130, ,000390,000300,000175,00075, ,000260,000200,000100,00030,000

6 6 Perfil da carteira de incêndio Faixas de perfil de riscos Número de Apólices Quantias Seguradas MédiaPrêmioTaxa Média 0 – 200,00014,9622,318,722,393154,9744,798, % 200, ,0001,205438,938,221364,2641,351, % 500,001-1,000, ,278,806691,4791,343, % 1,000,001-2,000, ,399,0861,395,177998, % 2,000,001-3,000, ,150,7412,326,593850, % 3,000,001-4,000, ,603,7773,276,447656, % 10,000,000 Receita de Prêmio $10,00,000 Retenção Máxima: $4,000,000 somado any one risk segurado

7 7 Deduções Quanto o segurador direto pode suportar pagar se um sinistro ocorrer? Como você determina o nível de dedução para um programa de excesso de danos? 2%-5% de receita líquida de prêmio estimada (classe) 1%-3% de capital + reservas livres Mínimo de 10% de retenção bruta - Os prejuízos (sinistros) frequentemente auxiliam na determinação da nível

8 8 Determinando a Retenção O valor adequado de reteção depende de três elementos: (a) O nível atual de aversão a risco do segurador (medido usualmente por uma certa probabilidae de erro, em um periodo determinado, que a direção da seguradora tem como aceitável, como a probabilidade de erro de 0.1 porcento em um ano),

9 9 Determinando a Retenção (b) o total de capital que o segurador está disposto a colocar em risco para suportar sua carteira, e (c) as variações apresentadas na sinistralidade esperada da carteira, em termos de impacto e probabilidade de ocorrência.

10 10 Determinando a Retenção Por outro lado, o nível adequado de retenção deve ser equalizado com (a) o custo da cobertura de resseguro considerada desejável, (b) a disponibilidade da cobertura desejada, (c) ponto práticos para implementação da cobertura desejada, e (d) um critério mínimo de retenção.

11 11 Determinando a Retenção Seguradores e resseguradores devem determinar limites de retenção de riscos por risco e por evento bem como considerar blocos de negócios agregados. Exemplos: Retenção por risco. Não mais de 5% de ativos tangíveis, sendo considerado mais prudentemente um máximo de 3%, especialmente a medida que o segurador cresce.

12 12 Determinando a Retenção Retenção por evento. Não permitir que o valor dos ativos tangíveis líquidos ultrapassem o limite mínimo de solvência do segurador. Buscando assegurar que o segurador pode suportar sinistros vultosos sem ameaçar seus níveis legais de solvência.

13 13 TEORIA VS. MUNDO REAL Na prática nem sempre é possivel a aplicação de modelos teóricos Dados imprecisos, particularmente no caso de resseguradores. Aproximações, experiência, prática estabelecida, e julgamentos podem ter grande importância na taxação e precificação da cobertura de resseguro.

14 14 TEORIA VS. MUNDO REAL Os preços das cotações de resseguro podem variar por muitas razões, incluindo: A pré-disposição do ressegurador em operar com um segurador em particular A pré-disposição do ressegurador em oferecer uma cobertura específica O mercado usual de operação do ressegurador e aspectos da concorrência A variação dos valores de indenização relativos à operação de resseguro.

15 15 MERCADO BRASILEIRO Que tipos de resseguro são mais utilizados na sua jurisdição, e quais os níveis médios de retenção dos últimos 5 anos? Como as operações de resseguro são registradas na sua jurisdição. Explique por que pode ser desvantajoso para um segurador não contabilizar uma operação de resseguro como tal.

16 16 Taxação do risco de Excesso de Danos Dois métodos principais Perdas Burning Cost Usar experiência da carteira Prêmio de Excesso de Danos Valores segurados ou EMLS Taxa de Exposição Curva de Pareto Usar experiência do mercado

17 17 Burning Cost (1) Burning Cost = Claims to the Layer GNPI A taxa Burning Cost utiliza informações sobre perdas anteriores para prever o futuro

18 18 Burning Cost (2) Cálculo do Burning cost puro: Layer 100,000 XS 100,000

19 19 Efeito da inflação no Resseguro de Excesso de danos Os efeitos inflacionários sobre os sinistros de excesso de danos são normalmente maiores que os mesmos efeitos sobre os gross account claims porque: 1. Mais sinistros estão propensos a atingir a faixas XL (excesso de danos). ex., aumento na freqüência 2.O aumento nos sinistros acima das deduções se enquadram inteiramente no XL (excesso de danos). ex., o valor da dedução é corroído pela inflação Aumento disproporcional na exposição

20 20 Exemplos F.G.U. SinistroSinistro 100,000 10% Por faixa F.G.U. Sinistro Por faixa Sinistro 110,000 Zero Por faixa 10, ,000 10,000 32, ,000 1,000,000% 20% 220%

21 21 Efeito da Inflação no Cálculo do Burning Cost (1) N.B. Layer = 100,000 XS 100,000

22 22 Efeito da Inflação no Cálculo do Burning Cost (2) Logo o aumento no B/C devido a inflação = B/C não inflacionado = 0.17% = 135% 0.40% % 0.17% X

23 23 Fatores que podem afetar a experiência passada e que devem ser levados em consideração 1. Inflação 2.Retenção 3.Exposição Original a.Proteção contra incêndio b.Tipo de Construção 4.Novo negócio É diferente? 5.Condições da apólice 6.Mudança na Carteira (portfolio)

24 24 Burning Cost - Problemas Se os sinistros não são freqüentes Histórico de burning cost ruim A carteira era consistente no período de apuração do histórico? O burning cost Representa a extensão da cobertura requerida? – Cobertura livre.

25 25 Burning Cost - Problemas Quanto maior a dedução do excesso de danos em relação ao tamanho do risco, menor a exposição à cobertura do excesso de danos. Mas quanto menor? A distribuição de perdas de um risco simples em um determinado período irá mostrar: Um número muito maior de pequenas perdas Um número muito menor de grandes perdas A longo prazo perdas pequenas contribuem mais much para os custos totais de sinistros do que grandes perdas.

26 26 Taxas de Exposição – Descontos/Agravamentos Taxas originais Agravamentos ou Descontos dependem da adequacidade da taxa original Custo de Aquisição Original Desconto no Prêmio Bruto para Comissão e despesas de gerenciamento Despesas dos Resseguradores Agravamento de despesas e margem de lucro (100/75 para 100/85) para Property Working XL Reintegração Taxação com base na exposição com escala de cobertura: prêmio para Excesso de Danos com base em reintegração livre de limites (XL Based on Unlimited Free Reinstatements) Riscos não expostos Descontos para riscos que não possam atingir o XL

27 27 Taxas de Exposição – Problemas Dependência na adequacidade das taxas originais Usos da taxa de XS para todo o mercado – A experiência Individual pode variar devido à: Controle de sinistros Natureza da carteira de riscos Baseado na soma individual dos ricos segurados S.I. agregado e Prêmio para apólice S.I. e Prêmio do risoc alvo da apólice Gera super-estimativa de exposição Taxação baseada apenas em risco de incêndio – não considera Perda conseqüênte Riscos Naturais

28 28 Burning Cost vs. Exposure Rating Burning Cost Independente da taxa original Experiência anterior não representa um guia para a experiência futura. Pouco volume de perdas proporciona histórico impreciso Adequado para faixas reduzidas de cobertura de freqüência Taxas de exposição Dependencia na adequacidade das taxas originais Portfolio Individual pode ter experiência XS diferente das do mercado devido à: Política de Underwriting Natureza da Carteira Controle de sinistros Adequado para faixas mais elevadas

29 29 Como Calcular a Cobertura necessária? – RE Cobertura de agregado é um momento no tempo Usualmente após um ano Logo, precisa fazer o agregado refletir a exposição atual Como? Aumento da receita de Prêmios Aumento do agregado pelo crescimento da receita de prêmio Aproximação – hipóteses –As taxas de prêmios são iguais –Todos os negócios possem alta exposição (catástrofe) Revisar o total de todas as retenções em um mesmo local, em hipótese da ocorrência de uma catastrofe Inflate Aggregate aumento da receita Calcular a perda máxima possível (PML) em cada área

30 30 Escolhendo a Franquia Quanto o segurador direto pode suportar pagar se um sinistro de catástrofe ocorrer ? O segurador direto pode estar sujeito a mais de uma perda catastrófica durante doze meses e esta possibilidade deve ser levada em conta –Regra atual sugerida 5%-10% de Prêmio retido líquido para a classe (Incêndio) –Entre 2 – 5 Best Risks Perdas ajudam a definir o nível Pode ser definida com um risco Garantia de dois riscos

31 31 Aceitação após a precificação Conhecimento da região (Geografico/Politico/Economico) Conhecimento das condições originais da apólice Riscos naturais considerados como padrão? Conhecimento da precificação Tarifada/Não Tarifada Resseguro básico – Companhia e tamanho do mercado Precificação frequentemente baseada em comparação

32 32 Informação necessária para cotar Cat XL Prêmio Retido Líquido No mínimo os últimos cinco anos e estimativa dos anos futuros Informação sobre sinistros retidos Retenção líquida máxima Risco de Concentração de Catástrofe Taxação da Perda Máxima Possível (PML) Taxas Originais de Catástrofe

33 33 Outros fatores de aceitação Composição da carteira Crescimento da receita de Prêmio Mudanças na carteira e/ou tipo de negócio Últimos resultados - Crescimento

34 34 Probabilidade Baseado em probabilidades de Longo Prazo aplicada a informação atual Se a probabilidade de uma perda total for 1:20 anos, precisará de 1/20 do limite como um breakeven para o prêmio anual As forças de mercado definem se os Resseguradores irão receber mais ou menos

35 35 Taxa de Probabilidade Exemplo Em uma localidade, a maior avaliação de perda catastrofica em termos de hoje seria $ 250M O período de retorno para este evento é de 1 em 50 anos A Companhia A tem market Share de 5% logo, o efeito da repetição deste evento na Companhia A deve ser uma perda segurada de $ 12.5M Companhia A compra um XL de catástrofe de $ 7.5M xs $ 5.0M Nenhuma outra perda deve ocorrer

36 36 Taxa de Probabilidade A probabilidade da ocorrência de um evento causar um prejuízo total a este layer é de 1 in 50, logo o prêmio para XL deve ser: 7,500,000 x 1/50 = $ 150,000 = 2% Rate on Line

37 37 Problemas da Taxa de Probabilidade As bases são experiência passada O que acontece quando um evento de proporções ainda não experimentadas ocorre? …e depois outro destes ocorre 3 anos mais tarde? Empresas Diferentes possuem riscos diferentes O Market share pode não refletir corretamente a composição da carteira de uma companhia e sua vulnerabilidade a perdas catastróficas. Divergências podem surgir na precificação entre layers onde as perdas experimentadas são semelhantes – como resultado, alguns layers são mais atrativos aos resseguradores que outros.

38 38 Case Study Agora vejamos um exemplo de um programa de Excesso de Danos para catástrofe de RE. Alguma pergunta?


Carregar ppt "1 Seminário de Treinamento em Resseguro – Rio de Janeiro, Brasil Resseguro – Desenvolvendo Coberturas Agosto 2007 Bryan Fuller - NAIC Senior Reinsurance."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google