A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LOGÍSTICA TEIA DE RELAÇÕES. Diferenciação Relacionada a Velocidade, quantidade e padronização Qualidade Marketing e propaganda Atendimento ao Cliente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LOGÍSTICA TEIA DE RELAÇÕES. Diferenciação Relacionada a Velocidade, quantidade e padronização Qualidade Marketing e propaganda Atendimento ao Cliente."— Transcrição da apresentação:

1 LOGÍSTICA TEIA DE RELAÇÕES

2 Diferenciação Relacionada a Velocidade, quantidade e padronização Qualidade Marketing e propaganda Atendimento ao Cliente Logística

3 A logística é responsável pelo processo que faz com que o produto final ou serviço chegue ao consumidor na hora certa, no lugar certo, na forma correta, ao menor custo possível e mantendo os padrões de qualidade exigidos pelo Cliente.

4 Capitulo 1 - Conceitos

5 Cadeia de Suprimentos Fornecedores Distribuidores Empresa Principal Transportadores Fornecedor do fornecedor Fornecedor Empresa principal Distribuição e Varejo Cliente Final Transportadores

6 Cadeia Produtiva Conjunto de atividades das diversas etapas de transformação de matérias-primas básicas em produtos finais acabados.

7 Canais de Distribuição Formas utilizadas para por uma empresa para escoar seus produtos. Distribuição Direta Distribuição Indireta Indústria Clientes Indústria Distribuidor Varejo Clientes Representantes

8 Capítulo 2 - Fluxos Logísticos Fornecedor Empresa Principal Clientes Suprimentos Distribuição Produção Fluxo de Informação Fluxo de Materiais Fluxo Financeiro Fluxo Reverso

9 Processo Logístico Reverso Logística Reversa Do ponto de Consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recapturar valor ou realizar descarte adequado Coletar Embalar Expedir Retornar ao fornecedor Revender Redirecionar Reciclar Descarte Materiais Secundários

10 Índices de Reciclagem % BrasilMundo Papel de escritório3537 Papel ondulado7773 Plástico Filmes1722 Latas de Alumínio8983 Latas de Aço3986 Vidro4592

11 Capítulo 3 – Logística e Meio Ambiente Empresarial

12 ItemFluxo Matéria - primaDesde ponto de estocagem até o cliente Produtos semi-acabadosCom procedência das unidades ou fábricas/ armazéns/ CDs dos fornecedores Ferramentas ou MáquinasDe uma unidade para outra Produtos AcabadosDeslocamento entre plantas para empresas outras de serv logísticos Itens consumíveisMovimentação de produtos dos armazens Produtos e peças a serem reparadosDa unidade do cliente até o local a ser reparado Equipamento de suporte de vendasTranslado das empresas para os agentes, displays quadros estantes.. Embalagens vazias retornáveisDo ponto de entrega até os pontos de carregamento Produtos vendidosDesde os pontos de entrega até ponto inicial Produtos UsadosReciclados, recauchutados, reutilizados ou postos a disposição

13 Diretor Executivo Finanças Sistema de Inf. Gerencial Planejamento das Instalações Distribuição Física Transporte Processamento de Pedidos Controle de estoque PA Armazenamento de Pa Serviço ao Cliente Marketing Previsão de Vendas Manufatura Programação da Produção Engenharia Ind Adm de Materiais Planej necessidades de material Suprimentos Armazenamento de Matéria prima Controle de estoque de MP Capítulo 4 – Estruturação da Logística Empresarial

14 Diretor Executiv o Executiv o de Logística Planeja mento Controlle r Apoio Logístico Planeja mento de Recursos Logístico s Operaç ões Logística s Suprime ntos Apoio a Manufa tura Distribui ção Física Embalag em Engenha ria de Manusei o de Materiai s Armaze nagem Controle de Estoques Transpor te Processa mento de Pedidos Planej das necessid ades Planej Funciona l Program ação da Produçã o Planej da Capacid ade Planej necessid ades de materiai s

15 Cadeia de Suprimentos A gestão da cadeia de suprimentos representa o esforço de integração dos diversos participantes nos mais variados canais de distribuição, por meio da administração compartilhada de processos-chave de negócio Fornecedores, indústrias, funcionários e clientes precisam estar interligados em um sistema de planejamento de demanda e gerenciamento de inventário A cadeia de suprimentos representa a integração da logística interna com o ambiente externo

16 PCP – Planejamento e Controle da Produção Os gerentes de produção tem a responsabilidade de melhorar cada vez mais o desempenho de suas operações O PCP deve trabalhar de modo a otimizar cada vez mais os processos. Administrar adequadamente tantos os estoques internos quanto os externos, considerando a cadeia de suprimentos em questão.

17 Marketing e Logística Desejo: vontade do consumidor Demanda efetiva: desejo + capital financeiro Produto: algo que seja capaz de satisfazer as necessidades ou desejos Valor: O que o cliente dá para determinado produto Satisfação e Qualidade: desempenho percebido pelo cliente. Transação Comercial: Troca de Valores

18 Para que o resultado final seja alcançado pela empresa, o Dep. PCP é um importante dispositivo no desenvolvimento empresarial, deve trabalhar de modo a otimizar os processos produtivos

19 Planejamento Logístico O que separa clientes de fornecedores é a logística O objetivo principal do planejamento logístico é prever o comportamento mercadológico e adaptar- se a possíveis mudanças

20 Operações Logísticas Em um passado não muito remoto, as funções de da logística eram vinculadas por àreas funcionais distintas, como Marketing, produção, compras e materiais.

21 Capítulo 5 – Principais Atividades da Logística Empresarial A logística pode ser um instrumento de lucro Movimentação Interna de Materiais: Levar material certos, no local de operação certo,no instante correto e em condição utilizável ao custo mínimo. Movimentação – Interno Movimentação Externa Levar os produtos certos, para os lugares certos no momento certo e com o nível de serviço desejado, pelo menor custo possível. Transporte – Externo

22 Embalagens A Embalagem tem um impacto relevante sobre o custo e a produtividade dos sistemas logísticos. Funções: utilidade e eficiência de manuseio, proteção contra avarias, bem como identificação.

23 Manutenção de Estoques Produto Certo: Material que atenda as especificações feitas. Local Certo: Entregar na localização correta em função das necessidades dos processos. Tempo Certo: No momento adequado, nem antes, nem depois do necessário. Estado Certo: Forma adequada de acondicionamento. Custo Certo: Com valores adequados dentro dos orçamentos feitos.

24 Capítulo 6 – Controles e Custos Primários Operacionais Distribuição Softwares Manutenção de Clientes e Fornecedores Dados Técnicos Treinamentos e Avaliação Fornecimento de Peças e Componentes Descontinuidade e Sucateamento

25 CustosConceito PrimáriosReferentes a mão-de-obra direta e ao material usado na produção Operacionais de transformaçãoSão as despesas indiretas de fabricação, mais custos fixos e variáveis DistribuiçãoArmazenagem e movimentação SoftwaresSão usados com base na Tecnologia da Informação Manutenção de Clientes e FornecedoresAtendimento a clientes e fornecedores, nos momentos de transação comercial Dados TécnicosUsados para gastos com desenvolvimento do produto Treinamento e AvaliaçãoAtualização tecnológica, via treinamento e verificação Descontinuidade e SucateamentoFuturas perdas relativas a finalização e descontinuidade do bem

26 Capítulo 7 – O Futuro É considerada eficaz (como uma arma competitiva) a logística administrada de forma a possuir características como Maiores expectativas no atendimento e serviços Pedido sempre perfeito (100% conformidade) Conectividade de informações em tempo real, internet, extranet etc... Maior racionalização de Supply Chain por meio de serviços compartilhados, com menos níveis de divisão do trabalho

27 Muito Obrigado. Baseado no Livro Logística Teia de Relações, de Luiz Fernando Rodrigues Campos e Caroline V. de Macedo Brasil. Curitiba, Editora Ibepex, 2007


Carregar ppt "LOGÍSTICA TEIA DE RELAÇÕES. Diferenciação Relacionada a Velocidade, quantidade e padronização Qualidade Marketing e propaganda Atendimento ao Cliente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google