A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dr. Fernando M. de Lucas Jr. (MG) Medicina Baseada em Evidências Aplicada à Nefrologia: Terapia PADRÃO OURO: estudos clínicos randomizados DE INTERESSE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dr. Fernando M. de Lucas Jr. (MG) Medicina Baseada em Evidências Aplicada à Nefrologia: Terapia PADRÃO OURO: estudos clínicos randomizados DE INTERESSE."— Transcrição da apresentação:

1

2 Dr. Fernando M. de Lucas Jr. (MG) Medicina Baseada em Evidências Aplicada à Nefrologia: Terapia PADRÃO OURO: estudos clínicos randomizados DE INTERESSE CLÍNICO: - redução risco absoluto (controle – experimental) - redução de risco relativo (controle – experimental/controle) - NNT (custo efetividade da droga) - Lógica inferencial INTERVALO DE CONFIANÇA: se longo ou se cruza a linha do efeito nulo (1) = resultado negativo. - cuidado com os desfechos secundários: GERADORES DE HIPÓTESES. VERIFIQUE O FATOR DE IMPACTO DO PERIÓDICO CREDIBILIDADE OBSERVE SE HÁ CONFLITO DE INTERESSES NUNCA DEIXE DE LER O EDITORIAL LEIA A SEÇÃO DE CARTAS

3 Dr. Niels S. Câmara (USP) Terapia com Células Tronco em Doenças Renais Atividade física induz neurogênese. CT não são imunogênicas. A maioria dos estudos com CT são experimentais. Muitas incertezas DISTANTE DA PRÁTICA CLÍNICA. Em humanos: (8).www.clinicaltrials.gov RESULTADOS EXPERIMENTAIS SÃO SURPREENDENTES: - melhora bioquímica, funcional e histológica em modelos de IRA (nefrotóxico ou isquêmico) - administradas semanalmente retarda a progressão nos modelos de nefrectomia 5/6. PROBLEMA: CT vira fibroblasto, CT vira gordura (GN)

4 Dr. Alvimar Delgado (RJ) Nefropatia Diabética: Estratégias de Tratamento PROTEINÚRIA é o fator mais importante de progressão da doença renal. Principal estratégia de redução : bloqueio de SRAA DOSE MÁXIMA Outros objetivos a serem perseguidos: - controle agressivo da PA (<130/80mmHg): ASSOCIAÇÃO DE DROGAS - restrição de sal - HbA1c < 7% - LDLc < abandonar o tabaco Dr. Abraão Salomão Filho (BH): duplo bloqueio do SRAA condenado no Canadá e em vias de condenação nos Estados Unidos ONTARGET

5 Dr. Sérgio Wynton L. Pinto (MG) Fatores Prognósticos da GN Pós-Infecciosa Excelente histórico da epidemia de GN por Streptococcus zooepidemicus ocorrida a 10 anos em Nova Serrana (MG) associada a utilização de queijo fresco de produção não industrializada. Dos 134 casos inicialmente documentados somente 53 (39,5%) foram incluídos no follow up de 2009: - CCr (MDRD) < 60:4,05% - Cistatina C > 1,5:4,5% - HA:17,35% - Microalbuminúria >20:9,9% DÚVIDA

6 Dr. Eduardo Araújo de Oliveira (HC-UFMG) Fatores Prognósticos na Nefropatia do Refluxo EXPERIÊNCIA NO CUIDADO É O PRINCIPAL FATOR PROGNÓSTICO: 735 crianças em trat o conservador: DRC 10 anos após o diagnóstico - até 1990 = 10% - após 1990 = 2% Atraso no diagnóstico do RVU (principalmente se > 12 meses). Idade no diagnóstico > 24 meses. RVU severo (Grau IV ou V). Dano renal bilateral. Sexo masculino

7 Dr. Antônio Alberto Lopes (BA) Qualidade de Vida e Sobrevida em Pacientes em HD de Manutenção DOPPS e PROHEMO Fatores relacionados ao aumento de mortalidade: - sessão de HD com duração inadequada (< 4 horas). - Uf excessivas. - Anemia. - Desnutrição/inflamação. - Cateter (80%): ENCAMINHAMENTO TARDIO AO NEFRO. - Mau controle do metabolismo mineral (Ca ++ X PO4 = X PTH). - Não utilização de IECA. - Depressão. Dr. Marcus G. Bastos (MG): saúde bucal X inflamação

8 Dr. Pedro Gordan (PR) Controle da Anemia na Fase Dialítica da DRC: Um Programa SOFTWARE DE APOIO À DECISÃO MÉDICA NO CONTROLE DA ANEMIA EM PACIENTES COM DRC5 NOL

9 Dr. Marcus Gomes Bastos (MG) Vitamina D e DRC: Possíveis Associações e Consequências Vitamina D (calcidiol) hormônio (calcitriol). A hipovitaminose D é frequente e precoce na DRC, de etiologia multifatorial e associada a desfechos desfavoráveis: - maior risco de mortalidade na pré e pós diálise. - maior velocidade de progressão. DOSAR (40 e 60g/mL) e REPOR. Estudos epidemiológicos e clínicos têm sugerido uma relação inversa entre calcitriol e pressão arterial e/ou atividade de renina plasmática. Calcitriol oral apresenta efeitos anti-proteinúricos independentemente do trat o com IECA ou BRA. Estudos observacionais têm encontrado efeitos benéficos da vitamina D na DRC independentes dos efeitos ósseos.

10 Dra. Melani Custódio (MG) Tratamento Clínico do Hiperparatireoidismo FOCO NOS TRATAMENTOS DISPONÍVEIS: DIETA: - cuidado com os aditivos alimentares a base de fósforo. - cuidado com a desnutrição proteica. - educação continuada (ADESÃO VARIADA). DIÁLISE: - permite um balanço + de fósforo semanal de ~ 3200g. QUELANTES: - os disponíveis no Brasil apresentam efeitos quelantes semelhantes. - dose total de cálcio elemento não exceder a 2g/dia RISCO DE CALCIFICAÇÃO VASCULAR. VITAMINA D:- E3 ou E4 Vitamina D < 30 = REPOR. - E5 PTH > 300 = CALCITRIOL.

11 Dr. José Augusto de Menezez (MG) Litíase Renal: HIGHLIGHTS do Congresso Mundial Papel da placas de Randall na patogênese da urolitíase. Nutrição e genética na nefrolitíase. Oxalobacter formigenes: reabsorção intestinal de oxalato. Importância da medida do pH urinário no diagnóstico etiológico da litíase. Associações: - nefrolitíase e síndrome metabólica - nefrolitíase e HA PÓ DE LIMA: alcalinizante e anti-oxidante. ATORVASTATINA: anti-oxidante. EXTRATOS PLANTAS LECO perdendo terreno para os procedimentos endoscópicos. TANSULOSINA: reduz tempo de expulsão de cálculos ureterais com menos de 10mm.


Carregar ppt "Dr. Fernando M. de Lucas Jr. (MG) Medicina Baseada em Evidências Aplicada à Nefrologia: Terapia PADRÃO OURO: estudos clínicos randomizados DE INTERESSE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google