A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação da Atividade In Vitro de Agentes Antimicrobianos Frente a Cepas de M. massiliense Envolvidas em Surtos de Infecção Hospitalar no Brasil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação da Atividade In Vitro de Agentes Antimicrobianos Frente a Cepas de M. massiliense Envolvidas em Surtos de Infecção Hospitalar no Brasil."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação da Atividade In Vitro de Agentes Antimicrobianos Frente a Cepas de M. massiliense Envolvidas em Surtos de Infecção Hospitalar no Brasil

2 Introdução Surto de infecção por MCR no Brasil PA RJ ES RS GO PR Pacientes 511 Procedimentos: Videocirurgias Mesoterapias Hospitais / Clinicas 19 Plano Amostral: Análise 10% casos / hospital-região

3 LACEN-ES LACEN-RS Instituto Evandro Chagas - PA Isolamento CULTURA Micobactérias de crescimento rápido acromógenas

4 Identificação Molecular pelo Método de PRA- hsp 65 Spp pertencentes ao Grupo Mycobacterium abscessus II (UNIFESP e NDI-UFES) (UNIFESP e NDI-UFES)

5 Identificação Molecular por Sequenciamento dos genes hsp 65 e rpo B Mycobacterium massiliense (UNIFESP) (UNIFESP)

6 Análise de DNA pela Técnica de Eletroforese de Campo Pulsado Perfil Clonal Mycobacterium massiliense (UNIFESP) (UNIFESP)

7 Avaliação da Atividade In Vitro de Agentes Antimicrobianos Frente a Cepas de M. massiliense ,5 Controle contaminação Controle crescimento ,25 Núcleo de Doenças infecciosas - UFES

8 Análise de Sinergismo AntimicrobianoConclusão Etambutol + Amicacina Indiferente Etambutol + Cicloserina Indiferente Etambutol + Claritromicina Indiferente Cicloserina + Claritromicina Indiferente Análise de Checkerboard Índice Fracional de Concentração Inibitória FIC = MIC D1 (combinado) + MIC D2 (combinado) MIC D1 (isolado) MIC D2 (isolado) MIC D1 (isolado) MIC D2 (isolado) FIC > 2: antagonismo FIC > 1.0 2,0: indiferente FIC > 0,5 1,0: aditivo FIC 0,5: sinergismo

9 Metodologia CLSINDI Cultivo em ágarCultivo em Ogawa Suspensão Mc Farland 0,5 Diluição e inoculação em microplacas c/ antibióticos diluídos seriadamente 1:2 em caldo Mueller- Hinton suplementado c/ ions Diluição e inoculação em microplacas c/ antibióticos diluídos seriadamente 1:2 em Middlebrook 7H9 Incubação a 30 ± 2°C (ar ambiente) Incubação a 37°C / 5% CO 2 Leitura visual após 72h (turbidez/crescimento) Adição de Resarzurina após 72h Leitura visual após 24h (coloração)

10 Metodologia adaptada do CLSI

11

12

13 Metodologia Metodologia adaptada do CLSI: – Facilidade de leitura (maior sensibilidade) Interferem na ação dos antimicrobianos ou na leitura e interpretação dos resultados ?

14 Antibióticos (Intervalo)IntervaloMm SCCUG Amicacina Cefoxitina Cicloserina2-256>256 Ciprofloxacina0, Claritromicina0,03-40,125 Etambutol Gatifloxacina0, Levofloxacina0, Linezolida0, Minociclina0, ,5 Moxifloxacino0, Sulfametoxazol1-128> Tigeciclina0,03-40,5 Tobramicina Cepa de referência CCUG M. massiliense Metodologia Recomendada pelo CLSI

15 Moxifloxacino ,5 0,25 0,125 Controle contaminação Controle crescimento Mm (PA)

16

17

18

19 Perspectivas Analisar o perfil de sensibilidade de cepas de M. massiliense frente a fluoroquinolonas em meio de Mueller Hinton sem suplementação de ions Analisar o perfil de sensibilidade de cepas de M. tuberculosis frente a fluoroquinolonas em meio Middlebrook liquido sem suplementação de ions Realizar um estudo multicêntrico para validação do método de microdiluição em placa com revelação por resarzurina

20 Secretaria do Estado da Saúde do Espírito Santo (CECIH) Sylvia Cardoso Leão & Cristina Viana-Niero / UNIFESP Solange A. Vinhas - NDI-UFES Cynthia M.L. Pinheiro - NDI-UFES Maria Luiza - Instituto Evandro Chagas Marta Osório – LACEN-RS Rita Lecco – LACEN-ES Vitória-ES Rafael Duarte – UFRJ Cristina Lourenço- FIOCRUZ


Carregar ppt "Avaliação da Atividade In Vitro de Agentes Antimicrobianos Frente a Cepas de M. massiliense Envolvidas em Surtos de Infecção Hospitalar no Brasil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google