A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Alessandra da Silva Faria (Doutoranda do PEI/UFBA) ANÁLISE MULTICRITERIAL (APLICAÇÃO EM PROCESSOS DECISÓRIOS) GRH-UFBA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Alessandra da Silva Faria (Doutoranda do PEI/UFBA) ANÁLISE MULTICRITERIAL (APLICAÇÃO EM PROCESSOS DECISÓRIOS) GRH-UFBA."— Transcrição da apresentação:

1 Alessandra da Silva Faria (Doutoranda do PEI/UFBA) ANÁLISE MULTICRITERIAL (APLICAÇÃO EM PROCESSOS DECISÓRIOS) GRH-UFBA

2 DECISÃODECISÃO Do ACORDAR ao DORMIR - sequência interminável de decisões, muitas delas tomadas sem perceber e nem sequer conscientes. (Ex.: ao dirigir, ao vestir-se, onde almoçar, o quê almoçar, etc). Ocorre sempre quando nos deparamos com algo que podemos fazer de duas ou mais formas diferentes. Definições de Decisão na internet: exclusão de alternativas até que reste somente uma. geocities.yahoo.com.br/ttp_br/glossario.htm São opções e escolhas feitas para enfrentar problemas e aproveitar oportunidades diante a várias alternativas A alternativa é viável ? Descartar a alternativa A alternativa é satisfatória ? Não Sim A alternativa resolve o problema ? Levar a outras avaliações Não Sim Não Sim Descartar a alternativa

3 TOMADA DE DECISÃO Significa identificar e selecionar um curso de ação entre diversas alternativas existentes, seguindo determinados passos previamente estabelecidos e culminando na resolução de um problema específico, de modo correto ou não, ou extrair vantagens de uma oportunidade. Tipos: VOTAÇÃO GRUPO (CONSENSO) GRUPO (SEM CONSENSO) ????? (OUTROS) FONTE: BOJAN SRDJEVIC INDIVIDUAL Estruturação de um problema de apoio à decisão

4 Tipos de ambientes para tomada de decisão Ambiente de Certeza: quando a informação é suficiente para predizer os resultados de cada alternativa de curso de ação. Ambiente de Risco: quando não se pode predizer os resultados das alternativas com certeza, mas apenas com certa probabilidade (grau de possibilidade de um evento ocorrer). Ambiente de Incerteza: quando se conhece pouco ou nada a respeito das alternativas e seus resultados. Condição para Tomada de Decisão CERTEZA x RISCO CERTEZA RISCO Situação "A" Situação "B" Baixa BaixoAlto Alta Qualidade da Decisão

5 OUTRA VISÃO DE PROCESSO DECISÓRIO Torres (1994) PARTE NÃO ESTRUTURADA DO PROCESSO DECISÓRIO PARTE ESTRUTURADA DO PROCESSO DECISÓRIO Julgamento pessoal Alternativas de ação Critérios de decisão Dados/ variáveis DECISÃO

6 DECISÕES podem ser efetuadas considerando um único critério MONOCRITÉRIO (não levando em consideração a presença e a importância de fatores subjetivos) ou um conjunto de critérios MULTICRITÉRIO ANÁLISE MULTICRITERIAL(AM) Início da história da AM - trabalho de Pareto (1896) - que examinou um problema de agregação de critérios dentro de um critério simples e definiu o conceito da eficiência entre duas alternativas de decisão. Fatores objetivos e subjetivos são incluídos no processo para tomada de decisão mais completa (AM) OBJETIVO: fazer com que o processo seja o mais neutro, objetivo, válido e transparente possível, sem pretender indicar ao decisor uma solução única e verdadeira, mas sim uma lista de ações mais apropriadas, considerando vários fatores relevantes que possibilitam análise mais detalhada das vantagens e desvantagens das estratégias. Na estruturação do processo decisório CENÁRIOS são construídos.

7

8 Dois grandes grupos de métodos de análise multicritério - oriundos da Pesquisa Operacional (PO) tradicional - avaliam as alternativas utilizando um conjunto de critérios; - cada um deles é uma função matemática que mede o desempenho das alternativas com relação a um determinado aspecto. - Objetivo - OTIMIZAÇÃO dessas funções de forma simultânea. Métodos de análise multicritério O segundo grupo de métodos deve ser preferível ao primeiro.

9

10 SISTEMAS DE APOIO (SUPORTE) À DECISÕES São sistemas mais complexos que permitem total acesso à base de dados corporativos, modelagem de problemas, simulações e possuem uma interface amigável. Além disso, auxiliam o tomador de decisão em todas as fases do processo, principalmente, nas etapas de desenvolvimento, comparação e classificação dos riscos, além de fornecer subsídios para a escolha de uma boa alternativa. São sistemas mais complexos que permitem total acesso à base de dados corporativos, modelagem de problemas, simulações e possuem uma interface amigável. Além disso, auxiliam o tomador de decisão em todas as fases do processo, principalmente, nas etapas de desenvolvimento, comparação e classificação dos riscos, além de fornecer subsídios para a escolha de uma boa alternativa. São softwares que ajudam o usuário na aplicação de métodos analíticos e científicos para a tomada de decisão. São softwares que ajudam o usuário na aplicação de métodos analíticos e científicos para a tomada de decisão. Auxiliam o tomador de decisão, pois geram alternativas e cenários (o decisor escolhe um dos cenários)

11 QUANDO É NECESSÁRIO O SAD? Número de alternativas é crescente Pressão de tempo é crescente, Necessidade de Análise é crescente, Acesso a distância é crescente. PARALISAÇÃO DA ANÁLISE/SOBRECARGA DE INFORMAÇÕES Mais Informações Informações MelhorDecisão Bom problema menor -> busca encontrar a melhor solução (ótima) problema menor -> busca encontrar a melhor solução (ótima) problemas mais complexos -> busca encontrar uma solução muito boa (mas talvez não a melhor) problemas mais complexos -> busca encontrar uma solução muito boa (mas talvez não a melhor) PROBLEMAS E RESULTADOS

12 PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO Crescimento ECONÔMICO (acelerado e desordenado) DEMANDA pelos RECURSOS NATURAIS USOS MÚLTIPLOS EXPLORAÇÃO INSUSTENTÁVEL (Uso excessivo e retiradas permanentes) e GERAÇÃO DE RESÍDUOS e DEGRADAÇÃO AMBIENTAL CENÁRIOS DE CONFLITOS

13 Quantidade e Qualidade Desequilíbrio Potencialidade hídrica Em relação aos RECURSOS HÍDRICOS IDENTIFICAÇÃO DE ESTRATÉGIAS Adaptação da exploração dos recursos naturais - um dos objetivos da Gestão Ambiental - deve ser feita de acordo com características ambientais, políticas públicas e, considerando aspectos sociais, econômicos e ambientais ATUALMENTE - um dos maiores desafios é compatibilizar a gestão dos recursos com o crescimento econômico.

14

15 Define o caminho a seguir (como fazer), entre onde estamos e onde desejamos estar. ESTRATÉGIAESTRATÉGIA FUTURO PERFORMANCE TEMPO HISTÓRICO HOJE

16 ESTUDO DE CASO

17 Consiste no processo de definição de quantidades de água ou vazões a serem alocadas espacialmente (por regiões) e pelos tipos de usos para atender os consumos de água atuais e futuros, e que estabelece limites e define critérios e prioridades de outorga. Consiste no processo de definição de quantidades de água ou vazões a serem alocadas espacialmente (por regiões) e pelos tipos de usos para atender os consumos de água atuais e futuros, e que estabelece limites e define critérios e prioridades de outorga. Deve ser feita com a participação direta ou indireta de todos os atores que intervêm no processo hídrico da região, de modo a minimizar potenciais conflitos pela água. Deve ser feita com a participação direta ou indireta de todos os atores que intervêm no processo hídrico da região, de modo a minimizar potenciais conflitos pela água. ALOCAÇÃO Um dos instrumentos da Lei n.º 9.433/97 com objetivo de assegurar o controle quali- quantitativo dos usos da água e o efetivo exercício dos direitos de acesso à água. Um dos instrumentos da Lei n.º 9.433/97 com objetivo de assegurar o controle quali- quantitativo dos usos da água e o efetivo exercício dos direitos de acesso à água. OUTORGA DE DIREITO DE USO DE RECURSOS HÍDRICOS Se concretiza através dos Comitês de Bacias, responsáveis pelo gerenciamento dos recursos hídricos. Embora a outorga seja concedida pelo Poder Público, essa concessão está condicionada às diretrizes estabelecidos pelos planos de bacia, aprovados pelos respectivos Comitês de Bacia. Se concretiza através dos Comitês de Bacias, responsáveis pelo gerenciamento dos recursos hídricos. Embora a outorga seja concedida pelo Poder Público, essa concessão está condicionada às diretrizes estabelecidos pelos planos de bacia, aprovados pelos respectivos Comitês de Bacia. PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE

18 O PROBLEMA EM QUESTÃO Extensa ( km² e km) e complexa, drena 7 unidades federadas municípios; População - 13 milhões de pessoas; %da bacia - área de semi-árido (218 municípios); Precipitação média anual 1.036mm (pode variar espacialmente de 600mm (semi-árido nordestino) a 1.400mm (nascente); Evapotranspiração média anual 1.300mm; Acentuados contrastes socioeconômicos; Prática de todo tipo de uso da água, o que representa um grande desafio a tarefa de planejar adequadamente sua gestão. Alocação e outorga das águas da Bacia do Rio São Francisco Alguns dados do Plano da Bacia ( PBHSF (2004) ):

19 Disponibilidade de Águas Superficiais na Bacia Cheias: a m3/s PECULIARIDADE (DEPENDÊNCIA): 93,9% das vazões são geradas em MG e BA (Alto e Médio SF) - quase toda em rios de domínio Estadual % da Vazão de Contribuição Goiás 1,20% Alagoas 0,70% Pernambuco 3,20% Bahia 20,40% Minas Gerais 73,50% DF 0,60% Sergipe 0,40% Fonte: PDRH São Francisco, 2004

20 Demandas Hídricas Fonte: PDRH São Francisco, 2004 PBHSF CONFLITOS ENTRE USOS DA ÁGUA

21 Durante as discussões que ocorreram na fase de elaboração do PBHSF, as atenções do CBHSF voltaram-se para as questões relacionadas a alocação de água na bacia, que incluem a definição de vazões ecológicas. Com a preocupação de atender às demandas ambientais e socioeconômicas do baixo curso e zona costeira, o CBHSF aprovou, em caráter provisório, valores da vazão ecológica, médio e mínimo, no trecho baixo do rio. Maior desafio definido no Plano: Negociação da vazão alocável e das vazões remanescentes PLANO (Versão aprovada na III Plenária): 360 m³/s (condicionada a vazão na foz de m³/s)

22 Então...Como alocar espacialmente a água em uma bacia de domínio da União com afluentes de domínio estadual? Os projetos desenvolvidos objetivam o envolvimento dos decisores no processo de alocação de águas, levando-se em consideração necessidades, objetivos, interesses individuais na busca de soluções negociadas. Justificativa das Abordagens utilizadas nos Projetos Princípios da Lei 9.433/97 - GESTÃO DESCENTRALIZADA E PARTICIPATIVA USO DA TÉCNICA ABORDAGEM MULTICRITERIAL apresenta-se como opção para aumentar a compreensão sobre as diferentes prioridades e preferências auxiliando a comunicação entre os membros do Comitê, auxiliando-os a chegar a soluções mais adequadas à realidade em que se dá o uso dos recursos hídricos na bacia. MÉTODO DE ANALISE MULTICRITERIAL ADOTADO - AHP

23 Experiência do Comitê da Bacia do rio São Francisco Experiência do Comitê da Bacia do rio São Francisco 1.Abordagem multiobjetivo para decisão de outorga – AMODOUTOR Desenvolver um sistema automatizado para suporte à decisão no processo de alocação e de outorga da água em uma bacia hidrográfica. Desenvolver um sistema automatizado para suporte à decisão no processo de alocação e de outorga da água em uma bacia hidrográfica. 2.Estudo do Regime de Vazões Ecológicas para o Baixo Curso do rio São Francisco: uma abordagem multicriterial - REDE ECOVAZÃO Articular iniciativas, no campo da produção do conhecimento, que avance no sentido da construção de um saber mais próximo das múltiplas e complexas determinações naturais e sociais, com vistas à definição de um regime ou hidrograma de vazões ecológicas para o baixo curso do Rio São Francisco 1.Abordagem multiobjetivo para decisão de outorga – AMODOUTOR Desenvolver um sistema automatizado para suporte à decisão no processo de alocação e de outorga da água em uma bacia hidrográfica. Desenvolver um sistema automatizado para suporte à decisão no processo de alocação e de outorga da água em uma bacia hidrográfica. 2.Estudo do Regime de Vazões Ecológicas para o Baixo Curso do rio São Francisco: uma abordagem multicriterial - REDE ECOVAZÃO Articular iniciativas, no campo da produção do conhecimento, que avance no sentido da construção de um saber mais próximo das múltiplas e complexas determinações naturais e sociais, com vistas à definição de um regime ou hidrograma de vazões ecológicas para o baixo curso do Rio São Francisco


Carregar ppt "Alessandra da Silva Faria (Doutoranda do PEI/UFBA) ANÁLISE MULTICRITERIAL (APLICAÇÃO EM PROCESSOS DECISÓRIOS) GRH-UFBA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google