A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Projeto de Vigilância Sanitária em Hospitais Davi Rumel Gerência Geral de Segurança Sanitária.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Projeto de Vigilância Sanitária em Hospitais Davi Rumel Gerência Geral de Segurança Sanitária."— Transcrição da apresentação:

1

2 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Vigilância Sanitária em Hospitais Davi Rumel Gerência Geral de Segurança Sanitária de Produtos da Saúde Pós-Comercialização

3 Agência Nacional de Vigilância Sanitária GERÊNCIA-GERALSSPS PÓS - COMERCIALIZAÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE

4 Agência Nacional de Vigilância Sanitária GERÊNCIA-GERAL DE SEGURANÇA SANITÁRIA DE PRODUTOS DE SAÚDE PÓS- COMERCIALIZAÇÃO UNIDADE DE FARMACOVIGIL ÂNCIA UNIDADE DE TECNOVIGILÂNCIA UNIDADE DE HEMOVIGILÂNCIA UNIDADE DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR GERÊNCIA-GERAL DE MEDICAMENTOS GERÊNCIA-GERAL DE TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE SAÚDE GERÊNCIA- GERAL DE TOXICOLOGIA UNIDADE DE VIGILÂNCIA EM HOSPITAIS GG - Pós-Comercialização – Estrutura e relacionamentos

5 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Centro Nacional de Monitoramento de Medicamentos Desenvolver Centros Regionais de Farmacovigilância Desenvolver Farmacovigilã ncia em Programas do MS Uso racional de medicamentos: profissionais e público Artigos para revistas de profissionais de saúde Aulas para estudantes de graduação e pós- graduação de saúde Campanhas educacionais por rádios para o público em geral Treinamento de agentes de saúde Revisão de mercado Propostas para eliminação de substâncias e/ou produtos Estudos fase 4 de medicamentos de doenças tropicais Revisão da informação da indústria para pacientes e profissionais Reduzir erros de administração de medicamentos Integrar o farmacêutico na equipe de saúde Uso racional de medicamentos em hospitais Ampliar a notificação e investigação de eventos adversos Unidade de Farmacovigilância Plano de Trabalho PLANO DE TRABALHO DE FARMACOVIGILÂNCIA

6 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Prevenção Desenvolver `Tecnovigilãncia em Programas do MS Notificação Hospitais Sentinela Estudo de Fase IV de Próteses Envolvimento de indústrias e importadores Treinamento de profissionais de saúde Suporte Traduzir e padronizar nomenclatura Migrar dados SISCOR para DATAVISA Dados sobre próteses no sistema AIH/SAS Investigação de Casos nos Hospitais Sentinelas Análise Unidade de Tecnovigilância Plano de Trabalho PLANO DE TRABALHO DE TECNOVIGILÂNCIA Rever literatura para o Registro ou revalidação Estudos Epidemiológicos Monitorar atividades Internacionais Criar rede de laboratórios acreditados Criar dicionário para evitar erro de codificação Investigação de famílias de produtos

7 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Segurança Sanitária de Produtos da Saúde Pós Comercialização Clarice Petramale Unidade de Vigilância Sanitária em Hospitais Unidade de Vigilância Sanitária em Hospitais

8 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Vigilância Sanitária em Hospitais Rede de Hospitais - Sentinela A criação de uma rede de hospitais de grande porte/ alta complexidade, motivada e capacitada para a notificação de eventos adversos com produtos de saúde se constitui em estratégia poderosa para a vigilância da qualidade e segurança de produtos de saúde comercializados no país.

9 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Constituição da Rede Convite: ANVISA e VISAs Convite: ANVISA e VISAs Adesão voluntária Adesão voluntária Meio de comunicação preferencial: Internet Meio de comunicação preferencial: Internet Sigilo das informações: senhas de acesso Sigilo das informações: senhas de acesso Financiamento dos Hospitais- Sentinela: ANVISA- Convênios e Termo de Referência/ Outros hospitais: VISAs- Termos de Ajuste. Financiamento dos Hospitais- Sentinela: ANVISA- Convênios e Termo de Referência/ Outros hospitais: VISAs- Termos de Ajuste.

10 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agenda do Projeto : 2001 Sensibilização de 50 hospitais convidados: Sensibilização de 50 hospitais convidados: Oficina de Boas Práticas em Tecnovigilância: ago/01 Oficina de Boas Práticas em Tecnovigilância: ago/01 Uso Racional e Vigilância de Medicamentos em Hospitais: set/ 01 Uso Racional e Vigilância de Medicamentos em Hospitais: set/ 01 Oficina de Hemovigilância: dez/01 Oficina de Hemovigilância: dez/01 Sensibilização das VISAs Estaduais: ago/01 Sensibilização das VISAs Estaduais: ago/01 Sensibilização dos Hemocentros: out-dez/01. Sensibilização dos Hemocentros: out-dez/01.

11 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agenda Criação das Gerências de Risco nos hospitais participantes da 1ª fase Criação das Gerências de Risco nos hospitais participantes da 1ª fase Realização de Capacitação de gerentes de risco de hospitais e VISAs estaduais. Realização de Capacitação de gerentes de risco de hospitais e VISAs estaduais. Avaliação e Acompanhamento das Parcerias firmadas em 2001 Avaliação e Acompanhamento das Parcerias firmadas em 2001 Sensibilização de mais 50 hospitais- 2ª fase Sensibilização de mais 50 hospitais- 2ª fase

12 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agenda: 2002 Treinamento de Gerentes de Risco Hospitalar Treinamento de Gerentes de Risco Hospitalar Acompanhamento e Avaliação de Parcerias Acompanhamento e Avaliação de Parcerias Recebimento/ compilação das notificações, tomada de providências e retorno da informação Recebimento/ compilação das notificações, tomada de providências e retorno da informação Assessoria técnica e científica à rede Assessoria técnica e científica à rede Articulação M.S/SAS para providências complementares pró qualidade da atenção Articulação M.S/SAS para providências complementares pró qualidade da atenção.

13 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Vigilância em Hospitais Objetivos: Incorporação da rede de Hospitais Sentinela ao Sistema Nacional de Vigilância de Produtos de Saúde Incorporação da rede de Hospitais Sentinela ao Sistema Nacional de Vigilância de Produtos de Saúde Criação de rede de hospitais capacitada para a gerência racional de insumos e equipamentos médico hospitalares. Criação de rede de hospitais capacitada para a gerência racional de insumos e equipamentos médico hospitalares.

14 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Desdobramentos Fomento ao desenvolvimento nacional de linhas de produtos de saúde estratégicos para o SUS Fomento ao desenvolvimento nacional de linhas de produtos de saúde estratégicos para o SUS Ampliação do campo de trabalho para a engenharia clínica/ manutenção Ampliação do campo de trabalho para a engenharia clínica/ manutenção Ampliação de campo de trabalho em Farmácia Hospitalar Ampliação de campo de trabalho em Farmácia Hospitalar Regulamentação/ Medidas de valorização da qualidade da Atenção. Regulamentação/ Medidas de valorização da qualidade da Atenção.

15 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Oficina de Tecnovigilância São Paulo 7 a 10 Agosto Palestras : dias 7 e 8 Palestras : dias 7 e 8 Trabalho em grupos: dia 9 Trabalho em grupos: dia 9 Apresentação das conclusões dos grupos: dia 10 Apresentação das conclusões dos grupos: dia 10 Modelo de Ficha de Notificação; Modelo de Ficha de Notificação; Fluxo de Informação; Fluxo de Informação; Perfil e atribuições do gerente de risco hospitalar; Perfil e atribuições do gerente de risco hospitalar; Pontos críticos; Pontos críticos; Moções/ Sugestões. Moções/ Sugestões.

16 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Oficina de Tecnovigilância Produtos Incorporação das sugestões dos grupos às propostas de: fluxo de informações do sistema, ficha de notificação e ao perfil e atribuições do gerente de risco hospitalar Incorporação das sugestões dos grupos às propostas de: fluxo de informações do sistema, ficha de notificação e ao perfil e atribuições do gerente de risco hospitalar Sensibilização para a criação de uma rede nacional de hospitais com interesse comum em promover a discussão sobre vigilância sanitária de produtos de saúde, visando a qualidade da atenção ao paciente. Sensibilização para a criação de uma rede nacional de hospitais com interesse comum em promover a discussão sobre vigilância sanitária de produtos de saúde, visando a qualidade da atenção ao paciente. Troca de experiências entre serviços brasileiros e canadensesTroca de experiências entre serviços brasileiros e canadenses

17 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Oficina de Tecnovigilância Resultado de avaliação Atendimento às expectativas de conteúdo: 86% de ótimo e bom Atendimento às expectativas de conteúdo: 86% de ótimo e bom Adequação da carga horária à programação: Adequação da carga horária à programação: 83% de ótimo e bom 83% de ótimo e bom Recursos utilizados para as exposições/ grupos: 96% de ótimo e bom Recursos utilizados para as exposições/ grupos: 96% de ótimo e bom Adequação do Material didático distribuído: Adequação do Material didático distribuído: 81% de ótimo e bom 81% de ótimo e bom Adequação dos serviços de apoio : Adequação dos serviços de apoio : 92% de ótimo e bom. 92% de ótimo e bom.

18 Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA A inclusão de novas tecnologias em saúde cresce vertiginosamente nos hospitais do país, portanto, a gerência racional de produtos para a saúde é fator crucial de qualidade e segurança para serviços e usuários A inclusão de novas tecnologias em saúde cresce vertiginosamente nos hospitais do país, portanto, a gerência racional de produtos para a saúde é fator crucial de qualidade e segurança para serviços e usuários A informação qualificada a respeito do desempenho dos produtos de saúde é a base para a atuação da ANVISA na regularização do mercado. A informação qualificada a respeito do desempenho dos produtos de saúde é a base para a atuação da ANVISA na regularização do mercado.

19 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Perfil Hospitais Sentinelas Evelinda Trindade Unidade de Tecnovigilância

20 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Critérios de inclusão de Hospitais Sentinela % ~ Representativo da Região, % da população % ~ Representativo da Região, % da população Número de programas disciplinares credenciados, maior Número de programas disciplinares credenciados, maior Aceitação do convite de participação da ANVISA Aceitação do convite de participação da ANVISA Responder às 2 perguntas da ANVISA Responder às 2 perguntas da ANVISA – Comissões existentes – Produtos que deixaram de ser usados por razões de segurança Presença dos representantes na Oficina Presença dos representantes na Oficina

21 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Residências Médicas nas Regiões REGIÃO DO BRASILNo. INST_RM REGIÃO CENTRO-OESTE 24 REGIÃO NORTE/NORDESTE57 REGIÃO MINAS/ESPIRITO SANTO34 REGIÃO RIO DE JANEIRO 57 REGIÃO SÃO PAULO 69 REGIÃO SUL45 Total de 1973 programas ou projetos em 286 instituições

22 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Representatividade da População nas Regiões REGIÃO DO BRASIL% de População No. Hospitais REGIÃO CENTRO-OESTE 7% 4 REGIÃO NORTE/NORDESTE36%19 REGIÃO SUDESTE43%24 REGIÃO SUL15% 8 Total 100% = 55

23 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Respostas recebidas pela ANVISA REGIÃO DO BRASIL % de Aceitação No. Hospitais REGIÃO CENTRO-OESTE 100% 5 REGIÃO NORTE/NORDESTE 93%13/14 REGIÃO SUDESTE 96%25/26 REGIÃO SUL100% 10 Total 96% = 53/55

24 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Questionários recebidos pela ANVISA REGIÃO DO BRASIL % Completos No. Hospitais REGIÃO CENTRO-OESTE 80% 4/5 REGIÃO NORTE/NORDESTE 85% 11/13 REGIÃO SUDESTE 72% 18/25 REGIÃO SUL 90% 9/10 Total 79% = 42/53

25 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Comissões existentes / responders Comissão de Infecção Hospitalar 98% Comissão de Infecção Hospitalar 98% Comissão de Revisão de Prontuários Comissão de Revisão de Prontuários e Óbitos 79% Comissão de Ética74% Comissão de Ética74% Comissão de Engenharia_Manutenção 64% Comissão de Engenharia_Manutenção 64% Comissão de Meds_Farm. Terap. 40% Comissão de Meds_Farm. Terap. 40% Comissão de Epidemiologia 10% Comissão de Epidemiologia 10%

26 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Relato de produtos inseguros / responders 27 Responderam a esta pergunta 64% 27 Responderam a esta pergunta 64% – 22 Enviaram resposta com exemplos 52% – 3/22 Enviaram lista extensiva 13% – 4 /22 citaram medicamentos 18% Em 11 casos esta informação faltou 36% Em 11 casos esta informação faltou 36% 11 Hospitais não responderam 11 Hospitais não responderam

27 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Critérios de determinar prioridades para o estudo de produtos relatados Classificação de Risco: atual ou potencial Classificação de Risco: atual ou potencial Número de programas relatando o problema Número de programas relatando o problema Epidemiologia da condição, maior prevalência Epidemiologia da condição, maior prevalência Custos elevados Custos elevados – Da tecnologia – Dos serviços de saúde nos quais a tecnologia é utilizada Evidência científica com controvérsia sobre Evidência científica com controvérsia sobre o seu efeito e/ou sua segurança

28 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Principais produtos relatados Lista será enviada pelo Lista será enviada pelo

29 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Programa de Tecnovigilância proposto Documentos previamente submetidos para consultas internas e consenso 1. aos Hospitais: Proposta de sistemaProposta de sistema Instrumento de notificaçãoInstrumento de notificação Fluxo de informaçõesFluxo de informações 2. às VISAs: Proposta de sistemaProposta de sistema Rascunho de Roteiro de inspeçãoRascunho de Roteiro de inspeção

30 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Resumo das Moções 1. Criar Fórum sobre reprocessamento de materiais 2.Regulação de normas de transporte de produtos Rede de Laboratórios Rede de Laboratórios Nomenclatura Nomenclatura Treinamento Treinamento

31 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Documentos consensuados na Oficina para submeter às VISAs e à SAS/MS 1. Proposta de Sistema 2. Fluxos das informações 3. Formulário de Notificações Tomem as Cópias disponíveis aqui!

32 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Documentos submetidos às VISA s 1. Proposta de Sistema Discussão por correio eletrônico até 15 de Setembro 2. Proposta Roteiro de Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância Discussão por TÓPICOS e VOTAÇÃO

33 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Exemplos de trabalho integrado: VISAs, ANVISA/ Serviços e Tecnovigilância, SAS e REFORSUS 1. Roteiro Experimental de Inspeção _ Radiodiagnóstico Médico e Odontológico 453_ Dez Hemodiálise Em discussão contínua

34 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Exemplos de trabalho integrado: VISAs, ANVISA / Serviços e Tecnovigilância, SAS e Sociedades Profissionais Brasileiras 3. Proposta de fazer Roteiro Experimental de Cardiologia de Intervenção 1o.) Rastreamento e Seguimento Clínico Sistemático de Marcapassos e Desfibriladores Implantáveis – proposta mencionada à SAS e à Sociedade Bras. de Cardiologia 2o.) Stents Coronarianos e após os periféricos 4. Estudo sobre Próteses Implantáveis Revisão da Literatura e Registro: 1o.) Implante de Quadril Revisão da Literatura e Registro: 1o.) Implante de Quadril Revisão retrospectiva das AIHs de implantados com a SAS Revisão retrospectiva das AIHs de implantados com a SAS proposta à SAS e à Sociedade Brasileira de Ortopedia proposta à SAS e à Sociedade Brasileira de Ortopedia

35 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Documentos submetidos às VISA s 1. Proposta de Sistema Discussão por correio eletrônico até 15 de Setembro 2. Proposta Roteiro de Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância Discussão por TÓPICOS e VOTAçÃO

36 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Proposta Roteiro de Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância ViSAs: TÓPICOS em VOTAçÃO 1. Identificação – sugestões de conteúdo? de forma? 2. Existência do Setor de Manutenção – debate sobre se Próprio, Terceirizado ou Ambos – qualidade e quantidades desejáveis?

37 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância ViSAs: TÓPICOS em VOTAçÃO 3. Treinamentos eventuais em fase de estruturação: [REFORSUS – UNICAMP- Curso à distância e em Serviço. Cedeu espaço para a ANVISA: 4 Engenheiros Clínicos de cada Hospital Sentinela + 4 EC de cada um dos 1270 Hospitais contemplados no Projeto de Reforma: manutenção de equipamentos OMH] Conteúdos!? + ANVISA treinamento teórico e prático conjunto para os multiplicadores das VISAs e os Gerentes de Risco: 1) em Tecnovigilância – Efetividade e segurança de produtos de saúde. Definir prioridades! Outras possibilidades e sugestões? Outras possibilidades e sugestões?

38 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância ViSAs: TÓPICOS em VOTAçÃO 3. Treinamento contínuo em fase de estruturação: Sistema de Informação – DATAVISA com Informação prospectiva sobre o produto desde o Registro: Conteúdos sugeridos!? + ANVISA treinamento teórico e prático conjunto para os multiplicadores das VISAs e os Gerentes de Risco: 1) em Tecnovigilância – Efetividade e segurança de produtos de saúde. Definir prioridades! Outras possibilidades e sugestões? Outras possibilidades e sugestões?

39 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Inspeção de Boas Práticas de Tecnovigilância ViSAs: TÓPICOS em VOTAÇÃO 4. Protocolos: Nomenclatura de produtos para a saúde Normas ABNT_ Definir conteúdos prioritários!? Participar_representatividade! Reuso: Reprocessamento de artigos de Uso Único _ CIHs _ Dra Glória Andrade / ANVISA Descontaminação prévia à manutenção_ EC SOFTWARE_EC: padronizar manutenção preventiva, corretiva e currículo de produtos

40 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Tecnovigilância: Boas Práticas à Imagem do Sistema do ECRI Sistema de Informação suporte central

41 Agência Nacional de Vigilância Sanitária SISCOR Listas Empresas AutorizadasEmpresas Autorizadas Produtos RegistradosProdutos Registrados

42 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Sistema de Produtos e Serviços sob Vigilância Sanitária DATAVISA

43 Agência Nacional de Vigilância Sanitária

44 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Relatório Técnico Características TécnicasCaracterísticas Técnicas DimensionamentoDimensionamento Vida útilVida útilManual Indicações aprovadasIndicações aprovadas Condições de usoCondições de uso PrecauçõesPrecauções Manutenção preventiva e corretivaManutenção preventiva e corretiva Eficácia e Segurança Contrato de RegistroContrato de Registro Sistema de Informações sobre Produtos Registrados

45 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Sistema de Informações sobre Produtos Registrados Licitação Avaliação: Compara produtos Compara produtos Documenta os critérios Documenta os critérios Documenta os resultados Documenta os resultados

46 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Sistema de Informações sobre Produtos Registrados Relatório Técnico de Seguimento Relatos de Eventos AdversosRelatos de Eventos Adversos Problemas Técnicos CorrigidosProblemas Técnicos Corrigidos Confirmação da Vida útilConfirmação da Vida útil Treinamentos oferecidosTreinamentos oferecidos Volume de vendasVolume de vendas

47 Agência Nacional de Vigilância Sanitária TECNOVIGILÂNCIA nacional e internacional Literatura e WWW=> EVENTOS ADVERSOSLiteratura e WWW=> EVENTOS ADVERSOS Novas Condições de usoNovas Condições de uso Novas PrecauçõesNovas Precauções Novas medidas preventivas e corretivasNovas medidas preventivas e corretivas Sistema de Informações sobre Produtos Registrados

48 Agência Nacional de Vigilância Sanitária TECNOVIGILÂNCIA nacional Campos propostos na NomenclaturaCampos propostos na Nomenclatura Exame dos campos propostos e indicação de novas variáveis necessárias para as ações de vigilânciaExame dos campos propostos e indicação de novas variáveis necessárias para as ações de vigilância Indicação de Técnicos qualificados para participar: A ANVISA fez convênio com a Bahia para a Coordenação (a partir da Tese defendida em metodologia de Nome)Indicação de Técnicos qualificados para participar: A ANVISA fez convênio com a Bahia para a Coordenação (a partir da Tese defendida em metodologia de Nome) Sistema de Informações sobre Produtos Registrados

49 Agência Nacional de Vigilância Sanitária EstatísticasEstatísticas ProblemasProblemas ErrosErros FalhasFalhas TecnologiaTecnologia Eventos isoladosEventos isolados InformaçõesInformações específicas específicas do tipo do tipo NOME nclatura ECRI _ GMDN EN ISO Categoria do produto GrupoGenérico do Produto Tipo de produto Código código termo definição Marca e modelo Dados de certificação

50 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Relatórios de Comercialização Venda ANVISA incidentes relatos VISA registro Avaliação de conformidade VISA VISA VISA VISA VISA Fabricante MS

51 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Fluxo da informação Investigação Preliminar Preliminar Sistema Nacional de Tecnovigilância 1)Banco de DADOS LOCAIS Investigação Complementar Complementar Tecnovigilância 2)Banco de DADOS NACIONAL 2) A. Face INTERNA Relatórios periódicos escritos e ELETRÔNICOS 2) B. Face EXTERNA: 2) B. 1. Casos Confirmados 2) B. 1. Casos ConfirmadosNÃO SIM 2) B.2. Outras Fontes de Informação Fabricante Fonte de notificação do caso suspeito FORMULÁRIO de NOTIFICAÇÃO GERENTE de risco hospitalar e DIRETORIA VISAs Estaduais

52 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Treinamento e estudos com os conteúdos específicos Indicar Membros para os Grupos de Trabalho Científico Científico Nomear Representantes de Tecnovigilância Nomear Representantes de Tecnovigilância Estudos sobre os tópicos prioritários Estudos sobre os tópicos prioritários Roteiros Roteiros Protocolos Protocolos

53 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Contribuições para o alinhamento com os demais projetos em hospitais! Equipe de Tecnovigilância: Evelinda Trindade, respondo pela Tecnovigilância Carlos Alberto Fornazier, administra as Informações de Tecnovigilância Valéria Barbosa, estudo das próteses_ materiais Equipe de Colaboradores Científicos UFPB: José Felício da Silva, Maria Zélia Góes de Mendonça UNICAMP: Saide Jorge Calil, José Wilson Magalhães Bassani, Márcio Varani, José Alberto Ferreira Filho Zeev Katz, Ícaro Frederico Bellentani USP: Isaura Cristina de Miranda, João Pedroso, Francisco Benetti COPPE: Rosimary de Alneida, Macoto Iope, Newton Wiedeherecker, Renan Almeida CEFETBahia: Mara Clécia Dantas, Handerson Leite UNB: André Luís Viana, Joel Russomano, Celeste Aída Nogueira Silveira, Carlos César Mesquita Schleicher, Edson Fukuta, Amal Kozak PUCRS: Paulo Caetano Negrini, João Batista Mósena Vieira UFRGS: Léria Holschbach, Maria Helena, Marta Braz Equipe da SAS, SIS e SES


Carregar ppt "Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Projeto de Vigilância Sanitária em Hospitais Davi Rumel Gerência Geral de Segurança Sanitária."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google