A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO DE PROJETOS II ANÁLISE DE VIABILIDADE – APROVAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO DE PROJETOS II ANÁLISE DE VIABILIDADE – APROVAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO DE PROJETOS II ANÁLISE DE VIABILIDADE – APROVAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

2 ESTUDO DE VIABILIDADE – Abordagem mais detalhada para verificar custos e benefícios (se o projeto é praticável e viável). Poderá ser considerado um projeto em si (requerer documento TERMO DE ABERTURA DE PROJETO) ou apenas uma análise mais detalhada.

3 ÁREAS DA VIABILIDADE QUE DEVEM SER ANALISADAS: -TÉCNICO - O projeto é viável em termos técnicos? Se for, indique todos os riscos técnicos associados ao projeto. -GEOGRÁFICO - O projeto é viável baseado no local físico dos membros da equipe do projeto?

4 -FINANCEIRO - O projeto é viável em termos financeiros? Essa informação é muito importante saber, especialmente se o custo do projeto provocará um impacto grande na empresa. -OPERACIONAL - A empresa tem condições operacionais para manter o produto do projeto ao longo da vida do mesmo? Certifique-se de que a empresa tem habilidade para manter os produtos que serão criados pelo projeto.

5 - TEMPO - O projeto é viável baseado na quantidade de tempo requerido pelas partes interessadas? Esta é uma preocupação maior nos grandes projetos. -RECURSOS - A empresa tem todos os funcionários, os equipamentos, as fontes e outros recursos necessários para executar o projeto?

6 -JURÍDICO - Há algum problema jurídico que faça inviável este projeto? -ANÁLISE DE CUSTO/BENEFÍCIO (em um nível macro) - Incluir uma análise de custo/benefício que considere as expectativas de retorno e custos ao longo de um tempo pré- estabelecido. O resultado financeiro mais útil de uma análise de custo/benefício é a representação de um sumário do fluxo de caixa ao longo do tempo.

7 -POLÍTICO - Há algum problema político interno (ou externo) que torne inviável este projeto? -RECOMENDAÇÕES - As conclusões e as recomendações devem ser documentadas. Uma técnica que poderá ser utilizada é investigar um número de alternativas sobre como o projeto poderá progredir. Para cada alternativa descreva os benefícios, os custos e os riscos.

8 Os seguintes itens deverão ser considerados nas recomendações: · Premissas (suposições) · Riscos · O modelo financeiro que foi utilizado · Benefícios estimados

9 · Custos estimados · Alinhamento dos objetivos às estratégias da empresa · Urgência · Conseqüências se não for executado no período planejado

10 OBJETIVOS O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de cuusto/benefício Alternativas de comparação

11 IDÉIA-CHAVE/EXEMPLO Projeto começa quando surge oportunidade para criar um negócio com uso da tecnologia de informação. Análise de viabilidade é usada para ajudar na decisão se deve ir adiante ou não o projeto de Sistema de Informação.

12 FASE DO ESTUDO DE VIABILIDADE O estudo de viabilidade visa: a tomada de decisão; sugestão de possíveis alternativas de solução - se um sistema de informação pode ser feito (... é possível?...é justificado? ).

13 Um estudo de viabilidade deve oferecer a gerência de informações para ajudar a decisão: se o projeto pode ou não ser feito; se o produto final irá ou não beneficiar os usuários interessados; escolha das alternativas entre as possíveis soluções; a melhor alternativa?

14 O QUE ANALISAR? O sistema organizacional apresentado, incluindo usuários, políticas, funções, objetivos,... Problemas com o sistema apresentado (inconsistências, funcionalidades inadequadas, performance,..., ) Objetivos e requisitos para o novo sistema (o que precisa mudar?)

15 Restrições, incluindo requisitos não- funcionais do sistema(superficialmente) Alternativas possíveis (o sistema atual é geralmente uma das alternativas) Vantagens e desvantagens das alternativas

16 RESULTADOS Viabilidade do projeto A alternativa preferida

17 TIPOS DE TESTES DE VIABILIDADE Viabilidade operacional - é uma medida do grau de adequação da solução para a organização. É também uma avaliação de como as pessoas se sentem sobre o sistema/projeto. Viabilidade técnica - é uma avaliação da praticidade de uma solução técnica específica e a disponibilidade dos recursos técnicos e dos especialistas.

18 TIPOS DE TESTES DE VIABILIDADE Viabilidade de cronograma - é uma avaliação de quão razoável está o cronograma do projeto. Viabilidade econômica - é uma avaliação de custo-eficiência de um projeto ou solução. Conhecida como análise de custo-benefício.

19 VIABILIDADE OPERACIONAL Avalia a urgência do problema (visão e fases de estudo) ou a aceitação da solução (definição, seleção, aquisição e fases do projeto). Existem dois aspectos da viabilidade operacional a serem considerados: O problema vale a pena ser resolvido ou a solução proposta para o problema funcionará? Como o usuário final e a gerência se sentem sobre o problema (solução)?

20 VIABILIDADE TÉCNICA A solução ou a tecnologia proposta é prática? Já possuímos a tecnologia necessária? Já possuímos o conhecimento técnico necessário. O cronograma está razoável?

21 ANÁLISE DE VIABILIDADE - A solução ou a tecnologia proposta é prática? A questão é se a tecnologia é ou não madura o suficiente para ser facilmente aplicada aos nossos problemas. Uma tecnologia madura tem uma grande base de clientes para obter recomendações a respeito de problemas e melhorias.

22 Já possuímos a tecnologia necessária? A tecnologia está disponível nas lojas? Se a tecnoloia está disponível ela tem a capacidade de lidar com a solução proposta. Se a tecnologia não está disponível: A tecnologia pode ser adquirida?

23 Já possuímos o conhecimento técnico necessário? Nós podemos ter a tecnologia, mas isso não significa que temos as habilidades requeridas para aplicar a tecnologia. Na verdade, todos os profissionais de sistemas de informação podem aprender novas tecnologias. A curva de aprendizagem terá impacto na viabilidade técnica do projeto; especificamente, terá impacto no cronograma.

24 VIABILIDADE DE CRONOGRAMA Dado nosso conhecimento técnico, os prazos dos projetos são razoáveis? Alguns projetos são iniciados com prazosespecíficos. Você precisa determinar se os prazos são obrigatórios ou desejáveis. Se são mais desejáveis que obrigatórios, o analista pode propor outros cronogramas.

25 VIABILIDADE DE CRONOGRAMA É preferível (a não ser que o cronograma seja absolutamente obrigatório) entregar um sistema de informação funcionando excelentemente dois meses mais tarde do que entregar um sistema com erros e inútil no tempo certo! Não cumprir o conograma é ruim. Entregar sistemas inadequados é pior!

26 VIABILIDADE ECONÔMICA Talvez a mais crítica Durante as fases iniciais do projeto, a análise da viabilidade econômica consiste em julgar se os possíveis benefícios de solucionar o problema são ou não vantajosos. Isso é chamado de análise de custo-benefício.

27 Que benefícios o sistema oferecerá? -Benefícios, normalmente, aumentam os lucros ou diminuem os custos (ambos são características altamente desejáveis para um novo sistema de informação). -Tanto quanto possível, benefícios devem ser quantificados. -Benefícios são classificados como tangíveis ou intangíveis.

28 Benefícios Tangíveis -Aqueles que podem ser facilmente quantificados. -Benefícios tangíveis são, usualmente, medidos em termos de economia mensal ou anual ou devantagens para a empresa. -Exemplos: diminuição de erros de processamento, redução de despesas, e crescimento de vendas

29 Benefícios Intangíveis -Aqueles benefícios que são difíceis ou impossíveis de serem quantificados. -Exemplos: melhoria da satisfação do cliente e melhoria da moral do empregado.

30 O Sistema proposto é efetivo em relação ao custo? Técnicas populares para estimar o valor da viabilidade econômica, também chamada de custo-eficiência. -Análise do retorno financeiro. -Retorno do investimento. -Valor atual líquido.

31 Alguns passos você pode querer seguir Fale com o gerente, convença que o estudo de viabilidade é uma boa idéia, gere uma proposta, assine um contrato e comece; Descubra como outros tipos de informação pode ser gerenciada (folha de pagamento, escalonamento dos empregados,...); Isto mostra que eles não têm problemas em certas áreas, então o novo sistema não precisa receber tais informações (escopo).

32 EXEMPLOS DE: Prazo de Retorno/Fluxo de Caixa/Valor Presente Líquido NPV/Taxa Interna de Retorno IRR. Como calcular o prazo de retorno de um investimento? -1- Reconhecer o total do capital a ser investido.

33 Capital Inicial = investimento realizado com o imobilizado (móveis, equipamentos, imóvel, etc.) + Capital de giro próprio ou de terceiros + Custos Fixos + Estoque necessário para iniciar o negócio.

34 2 – Realizar elaboração de Demonstrativos de Resultados (conhecer o lucro líquido do futuro empreendimento). 3 – Fluxo de Caixa Mensal

35 4 - Cálculo: dividir o investimento total, inclusive o capital de giro e o valor do estoque inicial, pelo lucro líquido mensal. O resultado desta divisão indica o retorno do investimento, porém, não considera a evolução do negócio ao longo do tempo.

36 Lucratividade Lucratividade indica o percentual de ganho obtido sobre as vendas realizadas. A lucratividade esperada para micro e pequenas empresas é de 5% a 10% sobre as vendas. Quando o empreendedor, com dados financeiros de um determinado mês, divide o lucro líquido pelo faturamento, ele obtém a lucratividade do empreendimento.

37 Exemplo – utilizando o DRE (demonstrativo de resultados do exercício). Para um negócio, na fase de planejamento, os valores serão assim estimados:

38 Faturamento bruto mensal = R$ ,00 Lucro líquido = R$ 1.250,00 Cálculo: (Lucro Líquido / Faturamento bruto mensal) => (1.250,00 / ,00) = 0,05 => 5,0% Portanto, o Lucro Líquido equivale a 5% do faturamento, ou a lucratividade mensal deste negócio é de 5%.

39 Rentabilidade Rentabilidade indica o percentual de remuneração do capital investido na empresa. A rentabilidade esperada para micro e pequenas empresas é de 2% a 4% ao mês sobre investimento. Quando o empreendedor conhece as informações sobre o investimento inicial total e divide este valor pelo resultado estimado do fluxo de caixa anual, obtém a taxa de retorno do investimento anual, ou a rentabilidade anual.

40 Exemplo – utilizando o resultado final do fluxo de caixa de um ano. Investimento inicial total = R$ ,00 Resultado final do fluxo de caixa anual = R$ 3.200,00 (resultado médio de 12 meses) Cálculo: (resultado do fluxo de caixa anual / investimento inicial total) => (3.200,00 / ,00) = 0,04 => 4,0% Portanto, a rentabilidade anual deste empreendimento é de 4,0% a.a. (ao ano)

41 O prazo de retorno seria de 25 meses, dividindo o valor do investimento inicial total, pelo resultado médio mensal do fluxo de caixa. Cálculo: (investimento inicial total / resultado médio do fluxo de caixa) => (80.000,00 / 3.200,00) = 25 => 25 meses. Neste caso exemplificado acima, o empreendimento é lucrativo e rentável.

42 Análise do Fluxo de Caixa FC – conjunto das entradas e saídas de dinheiro ao longo do tempo. Capitalizar- a partir de um valor presente(PV) obter um valor futuro(FV). FV=PV(1+i) n Descapitalizar - a partir de um valor futuro(FV) obter um valor presente(PV). PV= FV/(1+ i) n

43 Exemplo -Empréstimo = $ Data= 10/01 -Vencimento= 6 meses (10/07) -Taxa de juros= 5%a.m. (capitalizado mensalmente). a)Valor a ser pago no vencimento(10/07) b)Liquidar antecipadamente (10/04), que valor deverá ser pago? a) FV = 1.000x(1+5/100) 6 FV=1.340,10 (capitalização) b) FV=1000x(1+5/100) 3 FV=1.157,63 (capitalizando) FV=1.340,10/(1+5/100) 3 FV=1.157,63 (descapitalizando)

44 Valor Presente Líquido (NPV) NPV – é a soma das entradas e saídas, descapitalizadas, uma a uma, até o momento zero. PV= investimento inicial(momento zero) PMTj=fluxos subsequentes ao momento zero (j=1,2,...,,n)

45 Exemplo 1 - Fulano emprestou $ e vai receber $ daqui a 1 mês e $ daqui a 2 meses. -Sabendo que a taxa de descapitalização/desconto é de 20%a.m., calcule o valor presente(atual) líquido, -Primeiramente, vamos descapitalizar os dois pagamentos($ e $70.000) para a data zero, a uma taxa de 20%a.m. PV=FV/(1+i) n PV= /(1+20/100) 1 = ,00 PV= /(1+20/100) 2 =52.083,33

46 O somatório dos valores atuais nos dá o valor presente líquido, ou seja: NPV= /(1+20/100) /(1+20/100) 2 NPV = ,33 NPV = 2.083,33 (fluxo de caixa final) HP CHS g PV g PMT g PMT 20 i f NPV = 2.083,33 Valor Presente Líquido. O somatório das entradas é superior ao somatório das saídas.

47 - Taxa Interna de Retorno IRR – é ataxa que torna nulo o valor presente Líquido (NPV) de um fluxo de caixa. Fluxo de caixa: Saída= (0) Entradas= 1.000(1) 2.000(2) 3.000(3) Calcule o NPV para a taxa de juro igual a 10%a.a. E 15%a.a.

48 a) 10% a.a CHS g PV g PMT g PMT g PMT 10 i f NPV = 315,93 b) 15% a.a 15 i f NPV = - 145,60

49 Será que existe uma taxa entre 10% e 15% que torne o valor presente líquido (NPV) igual a zero? SIM. Basta que pressione as teclas f IRR. 13,44 é a taxa que torna o VPL igual a zero, ou seja, é a taxa interna de retorno.

50 Investimento com 4 meses de duração, conforme fluxo de caixa: Saída= (0) Entradas= 720(1) 1.080(2) 0,00(3) 1.200(4) a)Calcule o valor presente líquido para taxa 15%a.m. b)Calcule a taxa interna de retorno.

51 2.000 CHS g PV 720 g PMT g PMT 0,00 g PMT g PMT 15 i f NPV = 128,83 F IRR = 18,12% a.m Um negócio ou investimento torna-se viável, do ponto de vista financeiro, quando sua Taxa Interna de Retorno (IRR) for maior que a taxa média de atratividade (TMA). TMA – é a média das taxas de retorno de um conjunto de investimentos alternativos ao que está sendo analisado (poupança/RDB/CDB/Fundos).


Carregar ppt "GESTÃO DE PROJETOS II ANÁLISE DE VIABILIDADE – APROVAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google