A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vias de Dor e Analgesia de Parto por via Sistêmica CECAESP 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vias de Dor e Analgesia de Parto por via Sistêmica CECAESP 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Vias de Dor e Analgesia de Parto por via Sistêmica CECAESP 2007

2 Vias de Dor

3 Trabalho de Parto Início do 1 o Estágio

4 Trabalho de Parto Final do 1 o e Começo do 2 o Estágios

5 Trabalho de Parto Final do 2 o Estágio e Parto

6 Bloqueio Paracervical

7 Bloqueio do Nervo Pudendo

8 Métodos Alternativos Infiltração Subcutânea de Água Destilada

9 Métodos Alternativos Interação Paterna

10 Métodos Alternativos TENS

11 Métodos Alternativos Acupuntura

12 Sir James Young Simpson Éter

13 John Snow Clorofórmio Rainha Victória Inglaterra

14 Óxido Nitroso Entonox

15 Virginia Apgar 1953

16 Analgesia Ideal Mobilidade Fora do centro cirúrgico Sem acompanhamento intensivo Equipamentos simples Baixos riscos materno e fetal Potência adequada Efeitos colaterais pouco significativos Não interferir com o trabalho de parto

17 Anestésicos Inalatórios Latência curta Analgesia insuficiente Depressão respiratória materna Hipóxia materna e fetal Sedação / inconsciência Vaporizadores / cilindros

18 Anestésicos Inalatórios Prensa abdominal Reflexos protetores das VAS Depressão miocárdica e ventilatória fetal Depressão miocárdica materna Hipotonia uterina Náuseas e vômitos

19 Analgesia Intramuscular Absorção pouco previsível Latência prolongada Titulação difícil Sedação Depressão respiratória Prurido Náuseas e vômitos

20 Analgesia Endovenosa Opióides Fácil titulação Latência dependente da droga Depressão respiratória Prurido Sedação Náuseas e vômitos Bombas de infusão

21 Remifentanil Rápido início de ação Rápida recuperação Metabólito praticamente inativo Fácil titulação Bomba de infusão Depressão respiratória de fácil tratamento Efeitos fetais pouco significativos Metabolização Fetal

22 Remifentanil Bolus Infusão contínua Bolus + infusão Manter nível sérico constante Menos efeitos colaterais

23 Variação do Nível Sérico

24 Remifentanil

25 Autor Infusão µg.kg - 1.min -1 Bolus Intervalo min Duração horas Dose total mg PacientesEf. ColateraisAnalgesia Volikasnão 0,5 µg.kg ,3950Pouco significativosSignificativa Blairnão40 µg22nd20Não relatado Pouco significativa Owen0,2 a 0,5não Acidose fetal, desacelerações cardíacas fetais pós parto Significativa Evronnão 0,27 a 0,93 µg.kg µg.h -1 43SedaçãoSignificativa Kan0,1não Não relatado 19 Sedação, depressão respiratória Significativa Roelants0,0525 µg52 a 5 0,695 a 2,287 6SedaçãoSignificativa Olufolabinão 0,25 a 0,5 µg.kg -1 2 a 5Não relatado 4 Dessaturação, prurido, sedação, náuseas, vômitos Significativa Volmanennão 0,2 a 0,8 µg.kg Não relatado 17 Dessaturação, sedação, náuseas Significativa Remifentanil

26 Outras Drogas Meperidina

27

28 Analgesia Sistêmica Técnica de exceção Monitorização contínua Necessidade de equipamentos específicos Centro cirúrgico

29

30 Disponível no site


Carregar ppt "Vias de Dor e Analgesia de Parto por via Sistêmica CECAESP 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google