A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS. DIRETRIZES CURRICULARES “um currículo que contribua para formação crítica, tratando os saberes das disciplinas escolares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS. DIRETRIZES CURRICULARES “um currículo que contribua para formação crítica, tratando os saberes das disciplinas escolares."— Transcrição da apresentação:

1 PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS

2 DIRETRIZES CURRICULARES “um currículo que contribua para formação crítica, tratando os saberes das disciplinas escolares de um ponto de vista questionador, contextualizado, interdisciplinar, quebrando a rigidez que a legitimidade social e o estatuto de verdade dão a eles”

3 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DIRETRIZES CURRICULARES PARA EDUCAÇÃO BÁSICA PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR PLANO DE TRABALHO DOCENTE

4 PESQUISA / PRODUÇÃO E DIRETRIZES CURRICULARES PARA EDUCAÇÃO BÁSICA É o documento curricular de referência para: - organização e avaliação do trabalho pedagógico nas escolas públicas estaduais do Paraná. - Produção de materiais. - Formação continuada de professores.

5 FORMAÇÃO CONTINUADA  Cultura da pesquisa e produção – reflexão, sistematização - como educação continuada  Valorizar a produção intelectual e as experiências significativas dos profissionais da educação básica  Cotidiano escolar como local privilegiado de formação do professor

6 Produção colaborativa Espera-se que a produção e colaboração possam constituir um processo que contribua, efetivamente, para a formação dos envolvidos, gerando uma dinâmica de estudo e pesquisa no cotidiano escolar.

7 PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS

8 FOLHAS Produção colaborativa de material didático: textos de conteúdos das disciplinas escolares, a ser impresso ou disponibilizado na Internet. Seu interlocutor: o aluno da Educação Básica – Ensino Fundamental e Médio.

9 DISCIPLINAS DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO ARTE BIOLOGIA LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA EDUCAÇÃO FÍSICA CIÊNCIA ENSINO RELIGIOSO GEOGRAFIA SOCIOLOGIA QUÍMICA FILOSOFIA FÍSICA HISTÓRIA LEM MATEMÁTICA

10 AUTORIA DO FOLHAS O Folhas terá um autor Habilitado ou atuando na disciplina em que pretende escrever Ser professor da Rede Pública Estadual de Ensino Estar cadastrado no Portal Dia a Dia Educação

11 COLABORADORES Cada Folhas terá três colaboradores. Um professor da disciplina principal do Folhas. Dois professores das disciplinas com relações interdisciplinares. Precisam estar cadastrados no Portal Dia a Dia Educação. Colaborar com o autor na produção do Folhas – conteúdo, linguagem, atividades, texto, etc. Produz parecer descritivo a respeito do problema, conteúdo, conceitos e atividades desenvolvidos no Folhas. O parecer acompanha o Folhas durante o processo de orientação.

12 METODOLOGIA FOLHAS Problematização inicial Desenvolvimento do conteúdo disciplinar Desenvolvimento do conteúdo com perspectiva interdisciplinar: interface com outras duas disciplinas do currículo Desenvolvimento contemporâneo do conteúdo Proposta de atividades que levem ao estudo, pesquisa, debate, reflexão Referências

13 Conteúdo do Folhas O Folhas tem como referência as Diretrizes Curriculares da Educação Básica. O texto deve estar articulado aos Conteúdos Estruturantes. Isto significa que o conteúdo a ser desenvolvido deve ser identificado como específico da disciplina. Assim, ao decidir escrever um Folhas, a primeira tarefa do professor/autor é definir sobre que conteúdo específico vai escrever.

14 Problematização inicial O problema inicial visa mobilizar, desafiar o aluno, provocando-o a buscar e estudar os conteúdos pertinentes à resolução ou discussão do problema proposto. O problema apresentado deve ser pensado sob a ótica do aluno do Ensino Fundamental ou Médio, pois é ele quem deverá sentir-se mobilizado, provocado diante da situação apresentada.

15 Desenvolvimento do conteúdo disciplinar Após o recorte do conteúdo específico e a elaboração do problema, o autor fará o desenvolvimento do texto, tratando do conteúdo proposto no Folhas. O texto deverá ser escrito de modo a fornecer subsídios ao aluno para a solução ou para as tentativas de solução do problema. O tratamento dado ao conteúdo deve contribuir para a compreensão e discussão do problema. O diálogo do autor do Folhas com o colaborador habilitado na disciplina principal do Folhas é fundamental para o processo de investigação e produção.

16 Desenvolvimento do conteúdo com perspectiva interdisciplinar Ao tratar determinado conteúdo, o autor do Folhas, além de apresentá-lo na concepção da sua disciplina, deve tratá-lo, ainda, na perspectiva de outras duas disciplinas, explicitando como esta relação enriquece a compreensão do conteúdo que está sendo abordado no Folhas. Para o desenvolvimento destas interfaces o autor do Folhas precisa dialogar com os colaboradores que são professores habilitados nas disciplinas com as quais o Folhas estabelece relações.

17 Desenvolvimento contemporâneo do conteúdo O desenvolvimento do conteúdo deve apresentar aspectos contemporâneos e mostrar abordagens atuais deste conhecimento, levando em consideração a evolução, as aplicações ou usos contemporâneos destes conceitos, as práticas atuais referentes ao conhecimento que está sendo abordado. A apresentar abordagens contemporâneas – disciplinar e interdisciplinares - que colaborem para que estes conhecimentos e sua aprendizagem sejam significativos para os estudantes.

18 Proposta de atividades Provocativas, instigantes, mobilizadoras, reflexivas. Incluídas ao longo de todo o texto, realimentando a mobilização alcançada pela problematização. Indicar ao aluno a continuidade da pesquisa. Adequadas à resolução do problema proposto. Contribuir para a sua compreensão e resolução. Deixar claro o encaminhamento metodológico e sua relação com o conteúdo abordado no Folhas.

19 Referências O Folhas não poderá exceder 12 páginas (papel A4) e deverá ser digitado de acordo com as Normas de Apresentação, contidas no manual de produção, respeitando a lei de direitos autorais e propriedade intelectual Nº de 19 de Fevereiro de 1998.

20 SISTEMA FOLHAS Sistema informatizado, desenvolvido pelo Celepar e hospedado Portal Dia a Dia Educação a fim de facilitar o processo de produção, colaboração, orientação e acompanhamento da produção dos Folhas pelos autores, pelos coordenadores dos NRE e pelos Técnicos pedagógicos do Departamento de Educação Básica da SEED.

21 SISTEMA FOLHAS O Sistema Folhas está organizado para três tipos de acessos no Portal Dia a dia educação: 1. Acesso autores de Folhas 2. Acesso coordenadores de Folhas NRE / DEB 3. Acesso administradores de Folhas DEB/SEED

22 Acesso aos autores de Folhas Via Portal Dia a dia Educação acessando o site clicar no ícone Folhas Acesso aos coordenadores de Folhas Via Portal Dia a dia Educação acessando o site clicar no ícone: Folhas, clicar em: acesse orientações clicar em: Trabalho orientações Folhas NRE

23

24 PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS OBJETO DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA

25 AMBIENTE PEDAGÓGICO COLABORATIVO É um sistema informatizado de inserção e acesso de dados, existente no Portal Educacional Dia-a-Dia Educação que tem como proposta disponibilizar conteúdos pedagógicos e recursos didáticos aos educadores da Rede Estadual de Educação do Paraná.

26

27 OBJETO DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA Objeto de Aprendizagem Colaborativa - são recursos de aprendizagem construídos e disponibilizados de forma colaborativa na Internet. Seu interlocutor é o professor da Educação Básica.

28

29 DISCIPLINAS DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO ARTE BIOLOGIA LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA EDUCAÇÃO FÍSICA CIÊNCIA ENSINO RELIGIOSO GEOGRAFIA SOCIOLOGIA QUÍMICA FILOSOFIA FÍSICA HISTÓRIA LEM MATEMÁTICA

30

31 Recurso de Expressão Problematização do Conteúdo "O objetivo deste recurso é apresentar o conteúdo a ser desenvolvido no OAC. Deve justificar a escolha do conteúdo do objeto, indicando o que será estudado e o porquê, tendo como referência as Diretrizes Curriculares da Educação Básica do Estado do Paraná”.

32 Recursos de Investigação Investigação Disciplinar "Este recurso tem como objetivo apresentar, a partir de questões e/ou problematizações, o desenvolvimento, a compreensão e o aprofundamento do conteúdo pesquisado, tendo como referencial as Diretrizes Curriculares para a Educação Básica do Estado do Paraná”.

33 Recursos de Investigação Perspectiva Interdisciplinar "Este recurso possibilita ampliar a abordagem disciplinar do conteúdo proposto sob um enfoque que estabeleça relações com as diferentes disciplinas escolares, tendo como referencial as Diretrizes Curriculares da Educação Básica”.

34 Recursos de Investigação Contextualização "Este recurso como objetivo estabelecer relações entre o conteúdo proposto e realidade histórico-social a partir de conhecimentos relevantes da ciência, da cultura, da arte, da literatura e da filosofia."

35 Recursos Didáticos Sítios "A proposta deste recurso é levar ao leitor uma seleção de endereços eletrônicos cujo enfoque está relacionado com o conteúdo em questão. As indicações devem trazer comentários sobre o sítio na Internet, informando qual a profundidade, a abrangência e quais as possibilidades de abordagem pedagógica para o conteúdo pesquisado”.

36 Recursos Didáticos Sons e Vídeos "Este recurso oferece indicações de áudios e vídeos como filmes, entrevistas, documentários, reportagens e músicas, que têm como objetivo auxiliar na compreensão ou ilustração do conteúdo trabalhado. Traz, ainda, um comentário do professor-autor com explicações referentes à relação das suas sugestões com o assunto abordado”.

37 Recursos Didáticos Proposta de Atividades "Considerando como atividade toda a ação desenvolvida pelo interlocutor e que tenha como objetivo sua interação com o conteúdo, para dele se apropriar, neste recurso o professor-autor deverá propor a elaboração de atividades de investigação, de pesquisa e de estudo, que estimulem o desenvolvimento do pensamento, da análise e do debate, bem como da criatividade e do espírito crítico”.

38 Recursos Didáticos Imagens “Este recurso tem por finalidade apresentar e indicar recursos iconográficos tais como: fotografias, desenhos, cartoons, mapas, entre outros. Essas indicações podem representar fatos, características, emoções e também ser utilizadas como fontes de pesquisa”.

39 Recursos de Informação Sugestões de Leitura “Indicações de leituras que propiciem a formação e a atualização sobre o conteúdo, servindo para referenciar, contrapor, sustentar, articular, entre outras funções, as idéias apresentadas. Exemplo: textos integrais ou fragmentos, artigos, poesias, cartas, peças de teatro, ditos populares, entre outros”.

40 Recursos de Informação Notícias "A proposta deste recurso é a apresentação de notícias para que, a partir do que foi veiculado nas mídias impressa, televisiva ou virtual, os educadores percebam que o conhecimento é produzido historicamente, e indiquem a relação do conteúdo proposto com os fatos do cotidiano"

41 Recursos de Informação Destaques "Fatos importantes que se destacam a respeito do conteúdo em questão, e que propiciem estímulos para o conhecimento e o trabalho com o conteúdo. O destaque será acompanhado de um comentário realizado pelo autor."

42 Recursos de Informação Paraná "Neste recurso são inseridas informações para que o leitor possa conhecer melhor a característica regional e local da sociedade paranaense, em seus aspectos naturais, culturais, sociais, políticos e/ou econômicos. Essa informação deve ter relação com o conteúdo do OAC e favorecer o conhecimento da cultura local."

43 COLABORAÇÃO A colaboração pressupõe o engajamento de todos educadores da Rede Estadual de Educação do Paraná, num sistema aberto e interativo, cujo esforço de construção coletiva, coordenada, e continuada tem como finalidade a melhoria da educação pública e a valorização do conjunto de saberes dos professores estaduais.

44 O conteúdo mínimo que um OAC deve conter para ser enviado para avaliação é: Problematização do conteúdo 01Investigação Disciplinar 03 sugestões de Leitura 01Proposta de atividade

45 PARECER DE ANÁLISE E ORIENTAÇÃO FOLHAS – OAC Consiste no processo de revisão, correção, modificação e complementação do texto, resultando num texto com correção conceitual e gramatical, linguagem e grau de complexidade adequados as exigências de produção. O parecer dos coordenadores (NRE-DEB) deverá ser descritivo e fornecer subsídios para que o autor possa aprimorar o texto de acordo com as exigência da produção.

46 Parecer do NRE Revisão do autor Parecer do NRE Parecer do DEB Revisão do autor 60 dias 02 Revisões- 90 dias Envio ao autor ou DEB 60 dias 02 Revisões- 90 dias PUBLICAÇÃO Ou devolução ao autor para reformulação e nova inscrição PRODUÇÃO E ENVIO Qualquer tempo


Carregar ppt "PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAIS. DIRETRIZES CURRICULARES “um currículo que contribua para formação crítica, tratando os saberes das disciplinas escolares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google