A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MAT/GEOM. (Eduardo Brito) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MAT/GEOM. (Eduardo Brito) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 MAT/GEOM. (Eduardo Brito) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

4 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.48) Uma escadaria será construída usando blocos de concreto de 30cm x 30cm x 1m. O primeiro degrau é constituído por um bloco, o segundo por dois blocos empilhados, o terceiro por três blocos empilhados, e assim por diante, seguindo o padrão indicado na figura. Para que a escadaria tenha 40 degraus, será necessário o volume total de concreto igual a a) 7,2m 3 b) 73,8m 3 c) 360m 3 d) 720m 3 e) 738m 3 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

5 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.48) Uma escadaria será construída usando blocos de concreto de 30cm x 30cm x 1m. O primeiro degrau é constituído por um bloco, o segundo por dois blocos empilhados, o terceiro por três blocos empilhados, e assim por diante, seguindo o padrão indicado na figura. Para que a escadaria tenha 40 degraus, será necessário o volume total de concreto igual a a) 7,2m 3 b) 73,8m 3 c) 360m 3 d) 720m 3 e) 738m 3 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

6 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.54) Uma fita de 0,5mm de espessura é enrolada em um carretel circular de raio 10cm, sendo que cada nova volta se dá sobre as camadas anteriores de fita. Se ao todo forem dadas 45 voltas, então o comprimento de fita enrolada será de a) 900 cm b) 945 cm c) 999 cm d) 1050 cm e) 1233 cm 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

7 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.54) Uma fita de 0,5mm de espessura é enrolada em um carretel circular de raio 10cm, sendo que cada nova volta se dá sobre as camadas anteriores de fita. Se ao todo forem dadas 45 voltas, então o comprimento de fita enrolada será de a) 900 cm b) 945 cm c) 999 cm d) 1050 cm e) 1233 cm 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

8 Em 1985, foi divulgada, numa publicação científica, a descoberta de uma molécula tridimensional de carbono, na qual os átomos ocupam vértices de um poliedro convexo com 12 faces pentagonais e 20 faces hexagonais. Em homenagem ao arquiteto norte-americano Buckminster Fuller, a molécula foi denominada fulereno. (GIOVANNI, BONJORNO, 2011). 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

9 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2012.1].(Q.45) A partir dessa informação, pode-se concluir que o número de átomos de carbono em uma molécula de fulereno é: a) 56 b) 60 c) 64 d) 68 e) 72 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

10 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2012.1].(Q.45) A partir dessa informação, pode-se concluir que o número de átomos de carbono em uma molécula de fulereno é: a) 56 b) 60 c) 64 d) 68 e) 72 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

11 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2012.1].(Q.46) Sabe-se que a diagonal de um poliedro convexo, por definição, é qualquer segmento interno formado ao ligar dois vértices de faces distintas. Nessas condições, pode-se afirmar que o número de diagonais do fulereno é a) 1180 b) 1220 c) 1350 d) 1440 e) º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

12 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2012.1].(Q.46) Sabe-se que a diagonal de um poliedro convexo, por definição, é qualquer segmento interno formado ao ligar dois vértices de faces distintas. Nessas condições, pode-se afirmar que o número de diagonais do fulereno é a) 1180 b) 1220 c) 1350 d) 1440 e) º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

13 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.57) A razão entre as áreas delimitadas pelos círculos, inscrito e circunscrito, em um hexágono regular é a) b) c) d) e) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

14 [Matemática-(Cad. 2)-UEFS/2013.1].(Q.57) A razão entre as áreas delimitadas pelos círculos, inscrito e circunscrito, em um hexágono regular é a) b) c) d) e) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

15

16 PORT. / LIT. / RED. (Otávio Bonfim)

17 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Ideias, circunstâncias e funções expressas pelas orações Ideias de Adição ou acréscimo Adversidade ou oposição Alternância Explicação Conclusão

18 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Circunstâncias de Tempo finalidade proporção causa condição comparação conformidade consequência concessão

19 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

20

21 Questão Proposta pela UEFS A alternativa em que a ideia de proporcionalidade entre as orações do período está evidenciada é a A) Enfrentamos continuamente o dilema de nos movimentar em mercados moralmente questionáveis na expectativa de alcançar fins meritórios. (l. 4-6) B) A vida humana se torna, na sociedade contemporânea, o grande motor do capital. (l ). C) Quanto mais o mercado aumenta a sua infiltração nas esferas não econômicas da vida humana, mais ele se envolve em questões tipicamente morais. (l ). D) A era do triunfalismo do mercado coincidiu com um período no qual o discurso público se diluiu radicalmente de qualquer substância moral e espiritual. (l ). E) O dinheiro tornou-se uma horrenda hipóstase humana, cultuada como o suprassumo da existência de cada pessoa. (l ).

22 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS [...] Vai o navio navegando e o marinheiro dormindo, e o voador toca na vela, ou na corda, e cai palpitando. Aos outros peixes mata-os a fome e engana-os a isca, ao voador mata-o a vaidade de voar, e a sua isca é o vento. Quanto melhor lhe fora mergulhar por baixo da quilha e viver, que voar por cima das antenas e cair morto! [...] O voador fê-lo Deus peixe, e ele quis ser ave, e permite o mesmo Deus que tenha os perigos de ave e mais os de peixe. Todas as velas para ele são redes, como peixe, e todas as cordas laços, como ave. Vê, voador, como correu pela posta o teu castigo. Pouco há, nadavas vivo no mar com as barbatanas, e agora jazes em um convés, amortalhado nas asas. Não contente com ser peixe, quiseste ser ave, e já não és ave nem peixe: nem voar poderás já,nem nadar.[...] VIEIRA, Pe. Antônio.

23 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Pe. Antônio Vieira, por meio de uma linguagem metafórica, faz uma reflexão crítica acerca A) da imortalidade. B) da hipocrisia. C) do egoísmo. D) da ambição. E) da injustiça. Questão Proposta pela UEFS

24 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Minha Desgraça Minha desgraça, não, não é ser poeta, Nem na terra de amor não ter um eco, E meu anjo de Deus, o meu planeta Tratar-me como trata-se um boneco... Não é andar de cotovelos rotos, Ter duro como pedra o travesseiro... Eu sei... O mundo é um lodaçal perdido Cujo sol (quem mo dera!) é o dinheiro... Minha desgraça, ó cândida donzela, O que faz que o meu peito assim blasfema, É ter para escrever todo um poema, E não ter um vintém para uma vela. AZEVEDO, Álvares

25 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS O sujeito poético expressa, como sinônimo de sua desgraça, A) o contraste entre condição intelectual e condição social. B) o fato de o dinheiro ser a base que dá sentido à vida. C) o descontrole emocional que gera a blasfêmia. D) as consequências de um desenlace amoroso. E) a incompetência para criar versos.

26 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A sentença que sintetiza o pensamento de Vieira é a A) A prudência é companheira da sabedoria. B) O justo é aquele que faz o bem sem olhar a quem. C) A mentira, ou vos tira o que tendes ou vos dá o que não tendes. D) Quem quer mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem. E) É melhor arrepender-se do que fez que daquilo que se deixou de fazer.

27 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Primeira dor Nossa Senhora vai... Céu de esperança Coroando-lhe o perfil judaico e fino... E um raio de ouro que lhe beija a trança É como um grande resplendor divino. O seu olhar, tão cheio de ondas, lança Clarões longínquos de astro vespertino. Sob a túnica azul uma alva Criança Chora: é o vagido de Jesus Menino. [...] GUIMARAENS, Alphonsus

28 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Indique V ou F, conforme seja o item verdadeiro ou falso. O poema revela ( ) um eu comandado pelo racionalismo. ( ) o humor como artifício de ocultamento de um drama. ( ) o sentimento irônico em face dos limites da vida prática. ( ) a indignação romântica contra a realidade material da vida. A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é a A) F V V V B) F V V F C) V F F V D) V F V F E) V V V V

29 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Questão Proposta pela UEFS Os dois textos enfocam a mesma temática por meio de diferentes linguagens. A alternativa que apresenta um elemento ausente em ambos os textos é a A) Gosto pelo pormenor. B) Fragmentação da realidade. C) Evocação mística da natureza. D) Expressão de um ideal de pureza. E) Formas sugestivas para traduzir o etéreo, o espiritual.

30 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Cidade Foguetes pipocam o céu quando em quando Há uma moça magra que entrou no cinema Vestida pela última fita Conversas no jardim onde crescem bancos Sapos Olha A iluminação é de hulha branca Mamães estão chamando A orquestra rabecoa na mata

31 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Questão Proposta pela UEFS A primeira geração modernista defendeu a atualização da linguagem literária, reflexo da sociedade em transformação. Em relação ao texto, a alternativa que está em desacordo com essa proposta é a A) Rejeição à linguagem discursiva artesanal. B) Emprego irônico de imagem estética estereotipada. C) Uso de frases justapostas e de construções elípticas. D) Utilização de uma linguagem artística que concilia o passado e o presente. E) Criação de uma poética substantiva reduzida ao essencial do processo de signos.

32 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ORIENTAÇÕES PARA A PROVA DE REDAÇÃO DA UEFS Será eliminado na Redação o candidato que não alcançar o valor mínimo de 4 (quatro) pontos, para um total de 10 (dez) pontos; Será anulada a Redação que: fugir ao tema e ao tipo propostos; tiver menos de quinze linhas; for escrita a lápis; apresentada sob forma de versos; ilegível; constituída da mera colagem de trechos da coletânea de textos das provas de Redação e de Língua Portuguesa; estiver assinada fora do campo apropriado.

33 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A redação deverá ser manuscrita em Língua Portuguesa pelo candidato, de forma legível, sendo obrigatório o uso de caneta esferográfica de tinta preta ou azul de corpo transparente, que o candidato deverá trazer. Caso o candidato faça a sua redação em letra de forma, deverá distinguir claramente as letras maiúsculas das minúsculas. A Folha de Redação não poderá ser assinada, rubricada e/ou conter qualquer palavra e/ou marca que a identifique Na ocorrência de erro, por responsabilidade do candidato, não haverá substituição da Folha de Redação.

34 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A prova de redação será avaliada conforme descrito abaixo. clareza e adequação de abordagem; criticidade; organicidade; paragrafação e coesão textual; ortografia e pontuação; morfossintaxe; sintaxe e semântica; existência e adequação do título da redação, bem como adequação do uso dos espaços da Folha de Redação.

35 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A redação deverá ter entre 25 (vinte e cinco) e 30 (trinta) linhas, sem recuos ao longo delas, exceto em início e final de parágrafos; e sem espaçamentos (linhas em branco) entre parágrafos. As redações contendo de 15 (quinze) a 24 (vinte e quatro) linhas serão corrigidas, contudo, submetidas aos seguintes critérios específicos: a) textos de 15 a 19 linhas: subtração de até 3 (três) pontos; b) textos de 20 a 24 linhas: subtração de até 2 (dois) pontos;

36 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS O crescimento das cidades e suas implicações, a exemplo da atração das massas para os centros de potencial econômico. Temas de Redação a participação da população nos campos político, social e econômico do país A inclusão digital para indígenas A importância das manifestações populares para a construção de uma sociedade democrática

37 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Ensino Técnico x Ensino Clássico

38 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A tolerância como uma das condições da vida na sociedade contemporânea.

39

40 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS FÍSICA(Noé) BIOLOGIA(Mônica) QUÍMICA(Wanderby)

41

42 01-Determinou-se recentemente aqui, no Brasil, a retenção de receitas médicas para a aquisição de antibióticos como uma forma de controle do uso desses medicamentos. Um aspecto que justifica essa normatização médica é o problema da resistência bacteriana ao antibiótico, como a reemergência de doenças, a exemplo da tuberculose. Nesse contexto, uma afirmação correta é: a)O uso prolongado do antibiótico é um fator fundamental para o aumento da sensibilidade bacteriana ao medicamento. b)A resistência bacteriana é um estado orgânico do paciente que se desenvolve sob o uso intermitente do antibiótico. c)O surgimento de linhagens bacterianas resistentes decorre, entre outros fatores, do seu uso inadequado com interrupção do medicamento. d)A reação do sistema imunológico humano neutraliza, por mecanismos naturais, os efeitos patogênicos das bactérias em qualquer condição infecciosa. e)A aquisição da resistência a antibiótico expressa uma propriedade universal do material genético, traduzida na direcionalidade das mutações.

43 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 01-Determinou-se recentemente aqui, no Brasil, a retenção de receitas médicas para a aquisição de antibióticos como uma forma de controle do uso desses medicamentos. Um aspecto que justifica essa normatização médica é o problema da resistência bacteriana ao antibiótico, como a reemergência de doenças, a exemplo da tuberculose. Nesse contexto, uma afirmação correta é: a)O uso prolongado do antibiótico é um fator fundamental para o aumento da sensibilidade bacteriana ao medicamento. b)A resistência bacteriana é um estado orgânico do paciente que se desenvolve sob o uso intermitente do antibiótico. c)O surgimento de linhagens bacterianas resistentes decorre, entre outros fatores, do seu uso inadequado com interrupção do medicamento. d)A reação do sistema imunológico humano neutraliza, por mecanismos naturais, os efeitos patogênicos das bactérias em qualquer condição infecciosa. e)A aquisição da resistência a antibiótico expressa uma propriedade universal do material genético, traduzida na direcionalidade das mutações.

44 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 01. (PUC RJ) Sabendo que um corredor cibernético de 80kg, partindo do repouso, realiza a prova de 200 m em 20s mantendo uma aceleração constante de a = 1,0m/s 2, pode-se afirmar que a energia cinética atingida pelo corredor no final dos 200m, em joules, é: a) b) c) d) e) 16000

45 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 01. (PUC RJ) Sabendo que um corredor cibernético de 80kg, partindo do repouso, realiza a prova de 200 m em 20s mantendo uma aceleração constante de a = 1,0m/s 2, pode-se afirmar que a energia cinética atingida pelo corredor no final dos 200m, em joules, é: a) b) c) d) e) 16000

46 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Questão 07 - (Unifacs BA/2012) Em 1859, o físico irlandês John Tyndall identificou, por meio de experimentos, a absorção de radiação térmica efetuada por moléculas, como as de gás carbônico, CO 2, de metano, CH 4, e de água, H 2 O. Em 1895, o físico e químico sueco Svante Arrhenius elaborou a primeira previsão de alteração do clima com base em gases de efeito estufa ele concluiu que, se a quantidade de gás carbônico aumentasse na atmosfera, a temperatura da Terra se elevaria, o que intensificaria o efeito estufa. CARDOSO, M. T. Mudanças climáticas: a batalha da informação. CiênciaHoje. São Paulo: SBPC, n. 293, v. 49, jun. 2012, p Adaptado.

47 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Considerando-se a informação do texto, os modelos que explicam as estruturas químicas e as propriedades das substâncias, é correto afirmar: a)A evaporação da água de rios e mares é um processo exotérmico favorecido pelo aumento da temperatura do Planeta. b)A utilização de combustíveis obtidos a partir de biomassa evita a liberação de dióxido de carbono para o ar atmosférico. c)A decomposição de matéria orgânica submersa é um dos responsáveis pela produção e liberação de metano para a atmosfera. d)As moléculas de gás carbônico, de metano e de água absorvem calor porque apresentam formas geométricas angulares. e)O gás carbônico passou a compor a atmosfera a partir do desenvolvimento industrial devido à utilização do carvão como combustível.

48 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Considerando-se a informação do texto, os modelos que explicam as estruturas químicas e as propriedades das substâncias, é correto afirmar: a)A evaporação da água de rios e mares é um processo exotérmico favorecido pelo aumento da temperatura do Planeta. b)A utilização de combustíveis obtidos a partir de biomassa evita a liberação de dióxido de carbono para o ar atmosférico. c)A decomposição de matéria orgânica submersa é um dos responsáveis pela produção e liberação de metano para a atmosfera. d)As moléculas de gás carbônico, de metano e de água absorvem calor porque apresentam formas geométricas angulares. e)O gás carbônico passou a compor a atmosfera a partir do desenvolvimento industrial devido à utilização do carvão como combustível.

49 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Relações filogenéticas Algas verdes (grupo externo) BriófitasPteridófitasGimnospermasAngiospermas Gametângios revestidos por células estéreis Embrião retido no gametângio feminino Vasos condutores de seiva Sementes Flores e frutos Espermatófitas (plantas que produzem sementes) Traqueófitas (plantas vasculares) Embriófitas

50 Redução da perda de água por evaporação: surgimento de tecidos de proteção, como epiderme e cutícula Realização de trocas gasosas: surgimento de poros, câmaras aeríferas e estômatos · Fixação ao solo e absorção de água e nutrientes minerais: surgimento de rizóides e raízes para absorção de água e nutrientes, ao mesmo tempo em que permitiram uma eficiente forma de fixação e apoio no solo. · Maior captação da luz solar: surgimento de filóides e folhas · Manutenção do porte ereto: surgimento de tecidos de sustentação Elevação das folhas para melhor absorção de luz e conexão entre raízes e folhas: surgimento de caulóide e caule · Condução de água, sais e outras substâncias através da planta: surgimento de vasos condutores de seiva è permitiram rápido transporte de água e sais minerais das raízes até as folhas e de matéria orgânica produzida na fotossíntese das folhas até as partes aclorofiladas, como as raízes. · Independência da água para reprodução: algas dependem da água para o transporte de gametas e mesmo para a posterior disseminação de gametas e esporos. As plantas terrestres Criptógamas também são dependentes da água para a fecundação, pois o gameta masculino é flagelado e precisa nadar até o gameta feminino. A independência total da água para esse fim surgiu nas Fanerógamas, com o surgimento da flor e do grão de pólen è transportado pelo vento ou por animais. · Proteção e dispersão das sementes: surgimento do fruto.

51 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 02-Colonizando as margens e invadindo os continentes, as plantas evoluem transformando os solitários espaços terrestres em palcos de permanentes espetáculos, dos quais somente os homens podem ser verdadeiros expectadores. Nesse contexto evolutivo, o surgimento das plantas vasculares foi um marco decisivo na história evolutiva da vida, com profundas repercussões sobre a Biosfera. A entrada das Pteridófitas no cenário das terras emersas, a partir dos migrantes dos mares primitivos, consolida a adaptação dos organismos clorofilados à vida terrestre, enfrentando grandes desafios. Dentre as respostas a esses desafios, é correto identificar a)a diferenciação de estruturas especializadas a funções de transporte e sustentação, acompanhando a evolução do ciclo vital com o predomínio da fase esporofítica. b)a evolução do sistema foliar provido de um película protetora capaz de incorporar as radiações ultravioletas que atingiam as plantas. c)a ocorrência da fecundação sem a dependência de um meio externo aquoso para o encontro dos gametas. d)a preservação da fase haploide, como uma condição mais eficiente para a dispersão dos gametas. e)o desenvolvimento de um sistema radicular provido de células absorventes com conteúdo vacuolar hipotônico, em relação ao ambiente terrestre.

52 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 02-Colonizando as margens e invadindo os continentes, as plantas evoluem transformando os solitários espaços terrestres em palcos de permanentes espetáculos, dos quais somente os homens podem ser verdadeiros expectadores. Nesse contexto evolutivo, o surgimento das plantas vasculares foi um marco decisivo na história evolutiva da vida, com profundas repercussões sobre a Biosfera. A entrada das Pteridófitas no cenário das terras emersas, a partir dos migrantes dos mares primitivos, consolida a adaptação dos organismos clorofilados à vida terrestre, enfrentando grandes desafios. Dentre as respostas a esses desafios, é correto identificar a)a diferenciação de estruturas especializadas a funções de transporte e sustentação, acompanhando a evolução do ciclo vital com o predomínio da fase esporofítica. b)a evolução do sistema foliar provido de um película protetora capaz de incorporar as radiações ultravioletas que atingiam as plantas. c)a ocorrência da fecundação sem a dependência de um meio externo aquoso para o encontro dos gametas. d)a preservação da fase haploide, como uma condição mais eficiente para a dispersão dos gametas. e)o desenvolvimento de um sistema radicular provido de células absorventes com conteúdo vacuolar hipotônico, em relação ao ambiente terrestre.

53 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 02. (UFGO) Uma "bala perdida" disparada com velocidade de 200,0m/s penetrou na parede ficando nela incrustada. Considere que 50% da energia cinética da bala foi transformada em calor, ficando nela retida. A variação de temperatura da bala, em °C, imediatamente ao parar, é (Considere: Calor específico da bala: 250J/kg°C) a) 10 b) 20 c) 40 d) 80 e) 160

54 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 02. (UFGO) Uma "bala perdida" disparada com velocidade de 200,0m/s penetrou na parede ficando nela incrustada. Considere que 50% da energia cinética da bala foi transformada em calor, ficando nela retida. A variação de temperatura da bala, em °C, imediatamente ao parar, é (Considere: Calor específico da bala: 250J/kg°C) a) 10 b) 20 c) 40 d) 80 e) 160

55 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

56

57 A ilustração representa uma pirâmide de energia de uma determinada cadeia alimentar.

58 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03-Em relação a essa pirâmide, pode-se afirmar que: a)o fluxo de energia se desloca dos produtores para os consumidores, retornando para os produtores devido à ação dos decompositores. b)o nível dos consumidores terciários apresenta uma maior quantidade de energia acumulada, se comparado aos níveis inferiores. c)os fluxos de energia e matéria viabilizam a manutenção do metabolismo celular através de sua ação cíclica nos sistemas vivos. d)os produtores fazem parte do único elo indispensável para a manutenção do equilíbrio de uma cadeia alimentar, ao longo do tempo. e)variações significativas no tamanho populacional dos consumidores primários devem provocar alterações nas populações de todos os outros níveis tróficos representados.

59 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03-Em relação a essa pirâmide, pode-se afirmar que: a)o fluxo de energia se desloca dos produtores para os consumidores, retornando para os produtores devido à ação dos decompositores. b)o nível dos consumidores terciários apresenta uma maior quantidade de energia acumulada, se comparado aos níveis inferiores. c)os fluxos de energia e matéria viabilizam a manutenção do metabolismo celular através de sua ação cíclica nos sistemas vivos. d)os produtores fazem parte do único elo indispensável para a manutenção do equilíbrio de uma cadeia alimentar, ao longo do tempo. e)variações significativas no tamanho populacional dos consumidores primários devem provocar alterações nas populações de todos os outros níveis tróficos representados.

60 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03. (UERJ) A ciência da fisiologia do exercício estuda as condições que permitem melhorar o desempenho de um atleta, a partir das fontes energéticas disponíveis. A tabela a seguir mostra as contribuições das fontes aeróbia e anaeróbia para geração de energia total utilizada por participantes de competições de corrida, com duração variada e envolvimento máximo do trabalho dos atletas. Considere um recordista da corrida de 800m com massa corporal igual a 70kg. Durante a corrida, sua energia cinética média, em joules, seria de, aproximadamente: a) 1120 b) 1680 c) 1820 d) 2240 e) 2520

61 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03. (UERJ) A ciência da fisiologia do exercício estuda as condições que permitem melhorar o desempenho de um atleta, a partir das fontes energéticas disponíveis. A tabela a seguir mostra as contribuições das fontes aeróbia e anaeróbia para geração de energia total utilizada por participantes de competições de corrida, com duração variada e envolvimento máximo do trabalho dos atletas. Considere um recordista da corrida de 800m com massa corporal igual a 70kg. Durante a corrida, sua energia cinética média, em joules, seria de, aproximadamente: a) 1120 b) 1680 c) 1820 d) 2240 e) 2520

62 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

63

64 04-A figura ilustra o transporte de um determinado tipo de soluto através da membrana plasmática em um ambiente celular. Em relação às características associadas a esse tipo de transporte, é correto afirmar que:

65 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS a)esse tipo transporte, por ocorrer a favor de um gradiente de concentração, exige um gasto energético com utilização de moléculas de ATP. b)as permeases que participam desse transporte deslocam soluto do ambiente hipotônico para um ambiente hipertônico. c)a bicamada lipídica garante o isolamento da célula em relação a qualquer tipo de soluto presente no ambiente extracelular. d)as proteínas transportadoras favorecem o transporte de soluto a favor de um gradiente promovendo a busca de um equilíbrio na concentração desse soluto entre os dois ambientes. e)o soluto, ao se deslocar do meio mais concentrado para o meio de menor concentração, deve inverter, ao longo do tempo, esse gradiente existente entre os dois ambientes.

66 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS a)esse tipo transporte, por ocorrer a favor de um gradiente de concentração, exige um gasto energético com utilização de moléculas de ATP. b)as permeases que participam desse transporte deslocam soluto do ambiente hipotônico para um ambiente hipertônico. c)a bicamada lipídica garante o isolamento da célula em relação a qualquer tipo de soluto presente no ambiente extracelular. d)as proteínas transportadoras favorecem o transporte de soluto a favor de um gradiente promovendo a busca de um equilíbrio na concentração desse soluto entre os dois ambientes. e)o soluto, ao se deslocar do meio mais concentrado para o meio de menor concentração, deve inverter, ao longo do tempo, esse gradiente existente entre os dois ambientes.

67 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 04. (UFMS) A energia solar é uma das fontes alternativas de energia utilizadas pelo homem. A intensidade média anual da radiação solar na cidade de Campo Grande - MS é igual a 700W/m 2 considerando 6h de irradiação por dia. Um equipamento de captação de energia solar, para aquecer a água destinada ao consumo doméstico, possui rendimento igual a 60%, isto é, 60% da potência da radiação solar disponível é transformada em potência útil pelo equipamento. Considere uma residência que possui um desses equipamentos instalado, cuja área de captação de irradiação solar é de 4m 2, e que toda a potência útil é consumida. Se o custo da energia elétrica no local é de R$ 0,60 por kWh, a economia média anual (365 dias) em reais, nessa residência, será a) maior que R$ 2.124,00 b) igual a R$ 551,88 c) igual a R$ 367,92 d) menor que R$ 367,92 e) igual R$ 1.980,00

68 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 04. (UFMS) A energia solar é uma das fontes alternativas de energia utilizadas pelo homem. A intensidade média anual da radiação solar na cidade de Campo Grande - MS é igual a 700W/m 2 considerando 6h de irradiação por dia. Um equipamento de captação de energia solar, para aquecer a água destinada ao consumo doméstico, possui rendimento igual a 60%, isto é, 60% da potência da radiação solar disponível é transformada em potência útil pelo equipamento. Considere uma residência que possui um desses equipamentos instalado, cuja área de captação de irradiação solar é de 4m 2, e que toda a potência útil é consumida. Se o custo da energia elétrica no local é de R$ 0,60 por kWh, a economia média anual (365 dias) em reais, nessa residência, será a) maior que R$ 2.124,00 b) igual a R$ 551,88 c) igual a R$ 367,92 d) menor que R$ 367,92 e) igual R$ 1.980,00

69 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS Questão 33 - (Unifacs BA/2012) A substituição dos derivados de petróleo pelos chamados agrocombustíveis pode parecer a solução para a crise dos combustíveis fósseis no mundo. Mas, do jeito que vem sendo realizada, vai causar uma série de problemas nos países pobres que apresentam as condições para a produção de biomassa. A produção do etanol brasileiro camufla atividades e relações que não são nada sustentáveis do ponto de vista social. Sem contar a queima indiscriminada da cana-de-açúcar, processo conhecido como devastador ambiental. Há dezenas de pontos críticos na produção dos combustíveis ditos ecológico e politicamente corretos. Centenas de milhões de hectares de terras férteis têm sido e serão destinados à produção da biomassa, milhões de produtores rurais do campo são expulsos de suas terras de origem, a poluição da água e do meio, os problemas de saúde com a dispersão de fuligem resultante da queimada da palha de cana, a diminuição da diversidade social e biológica por conta do cultivo da cana, a potencial contaminação dos ecossistemas vizinhos por organismos geneticamente modificados, as condições de trabalho degradante dos camponeses, proletários, migrantes e subproletários que trabalham na produção da biomassa. Hoje o Brasil é o maior produtor mundial de açúcar e o segundo maior exportador de etanol. Produzimos cerca de 30% do total de cana-de-açúcar mundial e 18% do total de açúcar. Mas os números sozinhos não demonstram as condições de produção e seus reflexos políticos, econômicos e ambientais. (CAVALIERI, 2011, p ). CAVALIERI, Lúcia. Meio Ambiente: etanol está longe de ser sustentável. Galileu. São Paulo: Globo, n. 240, jul

70 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A substituição dos combustíveis derivados de petróleo pelos agrocombustíveis, como o etanol de cana-de-açúcar, aponta corretamente, dentre outras vantagens, para a a)emissão de gases de escapamento, isenta de poluentes atmosféricos. b)incorporação completa de CO(g), proveniente de combustão de etanol, no processo de crescimento de biomassa, o que torna esse combustível renovável. c)origem de fonte renovável do agrocombustivel, porque não agrega nenhuma outra condição, proveniente de fonte não renovável, para consumo. d)liberação de óxidos de nitrogênio, como o NO 2 (g), na combustão, que se dissolve rapidamente no vapor de água, na atmosfera, sem provocar alterações de pH. e)ausência de óxidos de enxofre, como SO 2 (g), nos gases de escapamento de veículos movidos a etanol, aliada à sustentabilidade parcial do biocombustível.

71 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS A substituição dos combustíveis derivados de petróleo pelos agrocombustíveis, como o etanol de cana-de-açúcar, aponta corretamente, dentre outras vantagens, para a a)emissão de gases de escapamento, isenta de poluentes atmosféricos. b)incorporação completa de CO(g), proveniente de combustão de etanol, no processo de crescimento de biomassa, o que torna esse combustível renovável. c)origem de fonte renovável do agrocombustivel, porque não agrega nenhuma outra condição, proveniente de fonte não renovável, para consumo. d)liberação de óxidos de nitrogênio, como o NO 2 (g), na combustão, que se dissolve rapidamente no vapor de água, na atmosfera, sem provocar alterações de pH. e)ausência de óxidos de enxofre, como SO 2 (g), nos gases de escapamento de veículos movidos a etanol, aliada à sustentabilidade parcial do biocombustível.

72 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

73 05-O diagrama ilustra, de forma simplificada, o processo de transcrição e tradução do código genético nos seres eucariontes. A partir da análise do diagrama juntamente com o conhecimento pertinente ao tema, pode-se afirmar: a)O gene A, como qualquer outro gene presente em células eucarióticas, é responsável pela expressão de apenas uma única característica genética. b)O processo ilustrado é característico da etapa S da interfase, durante a ativação do material genético. c)O momento X representa o splicing, que permite a eliminação das porções inativas (íntrons) e a fusão das porções ativas (éxons), durante a formação do RNAm. d)Os ribossomos permanecem ativos, coordenando a formação do RNAm, durante toda a etapa de transcrição do código genético. e)A replicação é o processo que sempre precede a transcrição e a tradução da informação genética.

74 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 05-O diagrama ilustra, de forma simplificada, o processo de transcrição e tradução do código genético nos seres eucariontes. A partir da análise do diagrama juntamente com o conhecimento pertinente ao tema, pode-se afirmar: a)O gene A, como qualquer outro gene presente em células eucarióticas, é responsável pela expressão de apenas uma única característica genética. b)O processo ilustrado é característico da etapa S da interfase, durante a ativação do material genético. c)O momento X representa o splicing, que permite a eliminação das porções inativas (íntrons) e a fusão das porções ativas (éxons), durante a formação do RNAm. d)Os ribossomos permanecem ativos, coordenando a formação do RNAm, durante toda a etapa de transcrição do código genético. e)A replicação é o processo que sempre precede a transcrição e a tradução da informação genética.

75

76 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS HISTÓRIA DO BRASIL HISTÓRIA GERAL (Mayra Paniago) GEOGRAFIA (Roberto Lopes)

77 1.Apesar da prova de História seguir uma sequência cronológica básica, muitas vezes a Consultec constrói uma discussão temática. Mesmo assim é cronológica. 2.Siga o seu bom senso histórico: fique atento para os fatos. Eles devem ser associados ao seu contexto na questão;

78 3.Ao ler um longo fragmento, vá marcando as palavras-chave. Isso evita ter que reler o texto mais de uma vez; 4.Na dúvida entre duas alternativas, releia o enunciado, não apenas as proposições; 5.Saiba que a prova é elaborada politicamente correta: portanto nunca escolha alternativas que expressem preconceitos de qualquer natureza (A menos que a discussão seja exatamente neste sentido!);

79 6.Destaque os nomes dos autores nas citações. Muitas vezes essa identificação nos ajuda a esclarecer pontos de dúvida sobre a época histórica; 7.Não esqueça que ao final da prova, existe uma lista de Referências, ter acesso a elas pode também lhe auxiliar; 8.Estude resolvendo provas anteriores. Dessa maneira, você passa a conhecê-la melhor! SUCESSO!

80 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 01- (UEFS ) I.A civilização grega surgiu na Hélade, região do extremo-sul da Península Balcânica, cujos povoadores, os indo-europeus, deram origem aos gregos ou helenos. Os gregos se organizaram em cidades-estados (pólis, em grego), fundaram colônias no Mediterrâneo e eram um povo de navegadores e comerciantes. II.II. Os romanos descendiam dos latinos, indo-europeus que haviam atingido a Itália no segundo milênio antes de Cristo. Em sua evolução política, Roma conheceu, sucessivamente, a Monarquia, a República e o Império. Após a conquista da Itália, Roma realizou a conquista do Mediterrâneo, unificou o mundo de sua época e impôs-lhe a pax romana. (MELLO; COSTA, 1994, p. 88). De acordo com os textos I e II e com os conhecimentos sobre o mundo greco-romano, a expansão do mundo grego e do mundo romano ocorreu: a)na mesma época, tendo os gregos e romanos se chocado em guerras sucessivas, destacando-se entre elas as Guerras do Peloponeso. b)seguindo modelos diferentes: o grego, através da ocupação colonial progressiva, e o romano, através da ocupação militar imperialista. c)pela utilização da prática de invasão das terras próximas, para a rapinagem de gado, de mulheres e de outros bens, sem interesse na ocupação sistemática e efetiva. d)com a concordância dos povos conquistados, que aceitavam, sem resistência, programas semelhantes ao da pax romana. e)antes da invasão dos indo-europeus, povos de origem indiana, que destruíram as culturas do mundo greco-romano e impuseram o modelo oriental de sua cultura.

81 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 01- (UEFS ) I.A civilização grega surgiu na Hélade, região do extremo-sul da Península Balcânica, cujos povoadores, os indo-europeus, deram origem aos gregos ou helenos. Os gregos se organizaram em cidades-estados (pólis, em grego), fundaram colônias no Mediterrâneo e eram um povo de navegadores e comerciantes. II.II. Os romanos descendiam dos latinos, indo-europeus que haviam atingido a Itália no segundo milênio antes de Cristo. Em sua evolução política, Roma conheceu, sucessivamente, a Monarquia, a República e o Império. Após a conquista da Itália, Roma realizou a conquista do Mediterrâneo, unificou o mundo de sua época e impôs-lhe a pax romana. (MELLO; COSTA, 1994, p. 88). De acordo com os textos I e II e com os conhecimentos sobre o mundo greco-romano, a expansão do mundo grego e do mundo romano ocorreu: a)na mesma época, tendo os gregos e romanos se chocado em guerras sucessivas, destacando-se entre elas as Guerras do Peloponeso. b)seguindo modelos diferentes: o grego, através da ocupação colonial progressiva, e o romano, através da ocupação militar imperialista. c)pela utilização da prática de invasão das terras próximas, para a rapinagem de gado, de mulheres e de outros bens, sem interesse na ocupação sistemática e efetiva. d)com a concordância dos povos conquistados, que aceitavam, sem resistência, programas semelhantes ao da pax romana. e)antes da invasão dos indo-europeus, povos de origem indiana, que destruíram as culturas do mundo greco-romano e impuseram o modelo oriental de sua cultura.

82 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ESTATÍSTICA DOS CONTEÚDOS UEFS –

83 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS RELEVO - 03 QUESTÕES OCEANOGRAFIA - 01 QUESTÃO HIDROGRAFIA - 01 QUESTÃO CLIMATOLOGIA - 03 QUESTÕES BIOMA / VEGETAÇÃO - 03 QUESTÕES ATUALIDADES - 02 QUESTÕES POPULAÇÃO / URBANIZAÇÃO - 03 QUESTÕES COMÉRCIO - 02 QUESTÕES AGRICULTURA - 01 QUESTÃO GEOPOLÍTICA - 01 QUESTÃO

84 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

85 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS – VVFFFVVFFF

86 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL

87 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS CLASSIFICAÇÕES DE RELEVO DO BRASIL - AROLDO DE AZEVEDO

88 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS CLASSIFICAÇÕES DE RELEVO DO BRASIL - AZIZ NACIB AB´SABER

89 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS CLASSIFICAÇÕES DE RELEVO DO BRASIL - JURANDYR ROSS

90 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 02- (UEFS ) A análise do mapa e os conhecimentos sobre a expansão marítima e comercial permitem inferir que:

91 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS a)o fato da quase totalidade de as sociedades africanas viverem em estado tribal fez com que o único Interesse europeu na região fosse o tráfico de escravos. b)a existência de sociedades africanas com algum grau de complexidade ocorreu somente por causa da influência da cultura europeia e islâmica na região. c)o desenvolvimento de rotas comerciais no norte da África só foi possível devido à dominação que o Egito estabeleceu sobre os povos africanos que viviam em estado primitivo. d)a maior zona fornecedora de escravos para a América foi o norte da África devido à facilidade de deslocamento na região, em função do clima ameno proveniente do Mar Mediterrâneo. e)a penetração europeia, na África, desestruturou o comércio e a organização política e social das civilizações africanas, fazendo com que muitas delas passassem a viver da captura de escravos.

92 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS a)o fato da quase totalidade de as sociedades africanas viverem em estado tribal fez com que o único Interesse europeu na região fosse o tráfico de escravos. b)a existência de sociedades africanas com algum grau de complexidade ocorreu somente por causa da influência da cultura europeia e islâmica na região. c)o desenvolvimento de rotas comerciais no norte da África só foi possível devido à dominação que o Egito estabeleceu sobre os povos africanos que viviam em estado primitivo. d)a maior zona fornecedora de escravos para a América foi o norte da África devido à facilidade de deslocamento na região, em função do clima ameno proveniente do Mar Mediterrâneo. e)a penetração europeia, na África, desestruturou o comércio e a organização política e social das civilizações africanas, fazendo com que muitas delas passassem a viver da captura de escravos.

93 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

94 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

95 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

96 FORMAÇÕES VEGETAIS BRASILEIRAS

97 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03- (UEFS ) Durante a Idade Média, a)as manifestações teatrais imitavam a estética e as temáticas do teatro grego como mecanismo de atrair adeptos ao catolicismo. b)a nobreza se utilizou do pensamento dos filósofos gregos para contestar o poderio da Igreja Católica e o fortalecimento do poder real. c)a cultura muçulmana se apropriou de muitas das concepções filosóficas gregas, contribuindo para a preservação desse legado cultural. d)a Igreja Católica negou por completo qualquer contribuição da cultura grega clássica, porque essa se contrapôs aos valores cristãos medievais. e)os monges copistas destruíram a grande totalidade das obras dos filósofos e autores teatrais gregos, lançando o período medieval em um retrocesso cultural.

98 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 03- (UEFS ) Durante a Idade Média, a)as manifestações teatrais imitavam a estética e as temáticas do teatro grego como mecanismo de atrair adeptos ao catolicismo. b)a nobreza se utilizou do pensamento dos filósofos gregos para contestar o poderio da Igreja Católica e o fortalecimento do poder real. c)a cultura muçulmana se apropriou de muitas das concepções filosóficas gregas, contribuindo para a preservação desse legado cultural. d)a Igreja Católica negou por completo qualquer contribuição da cultura grega clássica, porque essa se contrapôs aos valores cristãos medievais. e)os monges copistas destruíram a grande totalidade das obras dos filósofos e autores teatrais gregos, lançando o período medieval em um retrocesso cultural.

99 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

100 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

101 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

102 04- (UEFS ) Considerando-se o longo processo de transição do feudalismo para o capitalismo, é possível se identificar, entre os fatores do agravamento da crise do feudalismo europeu, a)a queda do Império Romano do Ocidente e a expansão das práticas de colonato e clientelismo na bacia do Mediterrâneo. b)a invasão dos turcos otomanos em Constantinopla, cortando o fornecimento de alimentos para a Europa feudal. c)o despovoamento dos feudos com o movimento das Cruzadas, dando espaço para a ocupação das terras pelos burgueses. d)a crise na produção agrícola, as revoltas camponesas, a carestia dos alimentos e as fomes. e)a divisão das terras entre senhores e servos e a expansão árabe no Mediterrâneo.

103 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 04- (UEFS ) Considerando-se o longo processo de transição do feudalismo para o capitalismo, é possível se identificar, entre os fatores do agravamento da crise do feudalismo europeu, a)a queda do Império Romano do Ocidente e a expansão das práticas de colonato e clientelismo na bacia do Mediterrâneo. b)a invasão dos turcos otomanos em Constantinopla, cortando o fornecimento de alimentos para a Europa feudal. c)o despovoamento dos feudos com o movimento das Cruzadas, dando espaço para a ocupação das terras pelos burgueses. d)a crise na produção agrícola, as revoltas camponesas, a carestia dos alimentos e as fomes. e)a divisão das terras entre senhores e servos e a expansão árabe no Mediterrâneo.

104 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

105 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

106 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS

107 05- (UEFS ) Feira de Santana é muito mais do que um pouso nas estradas da Bahia. Desde os tempos coloniais tornou-se conhecida como um entreposto comercial de vida própria. Através de todo o período coberto por este estudo, as atividades comerciais cresceram, consideravelmente, em Feira de Santana e por mais de um século a cidade gozou da reputação de empório líder do sertão baiano. Como tal, há muito tempo é o ponto de convergência de quase todas as matérias primas embarcadas no interior para a metrópole, bem como o mercado principal e o mais importante centro de distribuição para os produtos provenientes da Capital. (POPPINO, 1968, p.12). O papel de grande entreposto comercial atribuído, no texto, a Feira de Santana, concretizou-se, da época colonial até o século XIX, a)concentrando o mercado de metais e pedras preciosas extraídos das áreas de mineração de Minas Gerais. b)com o transporte e a redistribuição de produtos agrícolas e pastoris para toda a Província da Bahia. c)registrando no seu território os maiores produtores e fornecedores de café para o mercado externo. d)a partir da instalação das grandes casas exportadoras de fumo em fardo e em corda. e)após ter substituído, no final do século XVIII, Cachoeira e Santo Amaro, como centro produtor de açúcar e de fumo.

108 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 05- (UEFS ) Feira de Santana é muito mais do que um pouso nas estradas da Bahia. Desde os tempos coloniais tornou-se conhecida como um entreposto comercial de vida própria. Através de todo o período coberto por este estudo, as atividades comerciais cresceram, consideravelmente, em Feira de Santana e por mais de um século a cidade gozou da reputação de empório líder do sertão baiano. Como tal, há muito tempo é o ponto de convergência de quase todas as matérias primas embarcadas no interior para a metrópole, bem como o mercado principal e o mais importante centro de distribuição para os produtos provenientes da Capital. (POPPINO, 1968, p.12). O papel de grande entreposto comercial atribuído, no texto, a Feira de Santana, concretizou-se, da época colonial até o século XIX, a)concentrando o mercado de metais e pedras preciosas extraídos das áreas de mineração de Minas Gerais. b)com o transporte e a redistribuição de produtos agrícolas e pastoris para toda a Província da Bahia. c)registrando no seu território os maiores produtores e fornecedores de café para o mercado externo. d)a partir da instalação das grandes casas exportadoras de fumo em fardo e em corda. e)após ter substituído, no final do século XVIII, Cachoeira e Santo Amaro, como centro produtor de açúcar e de fumo.

109 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

110 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

111 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 06- (UEFS ) Não foi o café que degradou a natureza no Sudeste brasileiro. Foi o espírito mercantil imediatista, em busca de lucro e riqueza a qualquer custo, que importou essa planta, originária da Ásia, as máquinas e os homens, para fazer deles dinheiro. (MARTINEZ, 2010, p. 29). O espírito mercantil imediatista, referido no texto, levou às crises de superprodução e à queda dos preços do café. Como medida para amenizar os prejuízos que atingiram a economia brasileira, no início do século XX, foi adotada a a)diversificação dos produtos de exportação, beneficiando antigas regiões produtoras do Nordeste. b)prática de queima de cafezais e de estoques prontos para a exportação, como forma de desencorajar novos plantadores. c)política de valorização do café, que registrou a primeira intervenção do Estado para a proteção do produto. d)proibição de investimentos estrangeiros na economia cafeeira, visando à reserva do mercado para o comércio nacional. e)política de dinamização dos transportes rodoviários, como contribuição para a maior rapidez no escoamento do produto.

112 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 06- (UEFS ) Não foi o café que degradou a natureza no Sudeste brasileiro. Foi o espírito mercantil imediatista, em busca de lucro e riqueza a qualquer custo, que importou essa planta, originária da Ásia, as máquinas e os homens, para fazer deles dinheiro. (MARTINEZ, 2010, p. 29). O espírito mercantil imediatista, referido no texto, levou às crises de superprodução e à queda dos preços do café. Como medida para amenizar os prejuízos que atingiram a economia brasileira, no início do século XX, foi adotada a a)diversificação dos produtos de exportação, beneficiando antigas regiões produtoras do Nordeste. b)prática de queima de cafezais e de estoques prontos para a exportação, como forma de desencorajar novos plantadores. c)política de valorização do café, que registrou a primeira intervenção do Estado para a proteção do produto. d)proibição de investimentos estrangeiros na economia cafeeira, visando à reserva do mercado para o comércio nacional. e)política de dinamização dos transportes rodoviários, como contribuição para a maior rapidez no escoamento do produto.

113 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

114 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS UEFS –

115 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 07- (UEFS ) Os anseios democráticos e os ideais patrióticos contidos na crítica à monarquia e na propaganda republicana tiveram que aguardar outras oportunidades. Eles foram colocados sob controle ou mesmo suprimidos. (NADAI; NEVES, 1993, p. 192). Os fatores responsáveis pela distorção dos ideais democráticos na República brasileira, até a Segunda Guerra Mundial, relacionam-se com a a)permanência das oligarquias, do coronelismo, do continuísmo e da manipulação do voto. b)força do partido monarquista, dos movimentos messiânicos da área rural e das ligas camponesas. c)atuação do movimento tenentista, da Coluna Prestes e do Partido Comunista. d)manutenção da eleição censitária, a restrição ao voto do negro e a liberação do voto do analfabeto. e)preservação do Poder Moderador, a criação dos Senados vitalícios e a anulação das Constituições Estaduais.

116 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS 07- (UEFS ) Os anseios democráticos e os ideais patrióticos contidos na crítica à monarquia e na propaganda republicana tiveram que aguardar outras oportunidades. Eles foram colocados sob controle ou mesmo suprimidos. (NADAI; NEVES, 1993, p. 192). Os fatores responsáveis pela distorção dos ideais democráticos na República brasileira, até a Segunda Guerra Mundial, relacionam-se com a a)permanência das oligarquias, do coronelismo, do continuísmo e da manipulação do voto. b)força do partido monarquista, dos movimentos messiânicos da área rural e das ligas camponesas. c)atuação do movimento tenentista, da Coluna Prestes e do Partido Comunista. d)manutenção da eleição censitária, a restrição ao voto do negro e a liberação do voto do analfabeto. e)preservação do Poder Moderador, a criação dos Senados vitalícios e a anulação das Constituições Estaduais.

117

118 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ATUALIDADES (Frei Mário Sérgio)

119 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS MOVIMENTOS SOCIAIS: 1)ações coletivas que expressam as contradições sociais// 2)Não possuem uma força política, mas social// 3)exerce uma pressão social nos órgãos competentes. 4)São heterogêneos, diversificados, não se prende a um assunto ou uma bandeira. 5)Expressam o estágio da nossa democracia. Manifestações de junho 2013: apartidárias!

120 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ELEMENTOS TRANSVERSAIS: manifestações de massa Globalização tecnologia

121 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS VIOLÊNCIA: a)Escalada b) interiorização: déc (interior menos segurança, lotéricas, bancos, joalherias, fazendas etc)

122 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS ELEMENTOS TRANSVERSAIS: Arrastões Mapa da violência: assassinatos assassinatos 259% // 4,4% ao ano Taxas de homicídios: para cada 100 mil habitantes Venezuela - 45,1 Colômbia - 33,4 Brasil - 26,2 A ONU considera aceitável uma taxa de homicídios de 10 para cada 100 mil habitantes - exemplo: Canadá

123 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS CAUSAS DO AUMENTO DA VIOLÊNCIA NO BRASIL: diminuiu a pobreza, mas não diminuiu a violência. (???) A) SOCIOECONÔMICAS B) DEMOGRÁFICA C) CULTURAIS D) POLÍTICAS AÇÕES: reforma do código penal redução da maioridade penal

124 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS DICAS DE COMO ESTUDAR ATUALIDADES: De modo geral: pós-guerra (1945) a) guerra fria b) nova ordem mundial De modo específico: recorte temporal// período recente

125 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS FONTES: - veja.com - uol notícias - G1 notícias - Veja, Carta Capital, Isto é, Exame, Época (perceber o que aparece mais) - Estadão -Folha de São Paulo (domingo) Faça seu esquema: por mês// fato relevantes// política nacional e internacional (fique atento ao oriente médio) // primavera árabe, crise na zona do euro//

126

127


Carregar ppt "MAT/GEOM. (Eduardo Brito) 1º AULÃO DE REVISÃO DA UEFS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google