A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Maria Monteiro Drumond Poyares Fonoaudióloga. LUDICIDADE E EXPRESSÃO CORPORAL ATRAVÉS DA PSICOMOTRICIDADE A comunicação corporal é uma comunicação carregada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Maria Monteiro Drumond Poyares Fonoaudióloga. LUDICIDADE E EXPRESSÃO CORPORAL ATRAVÉS DA PSICOMOTRICIDADE A comunicação corporal é uma comunicação carregada."— Transcrição da apresentação:

1 Maria Monteiro Drumond Poyares Fonoaudióloga

2 LUDICIDADE E EXPRESSÃO CORPORAL ATRAVÉS DA PSICOMOTRICIDADE A comunicação corporal é uma comunicação carregada de valores e componentes emocionais, isto é, a expressão do imaginário consciente e inconsciente. O gesto, o olhar, o tônus muscular falam de sentimentos, medos, desejos e conflitos. A comunicação corporal é uma comunicação carregada de valores e componentes emocionais, isto é, a expressão do imaginário consciente e inconsciente. O gesto, o olhar, o tônus muscular falam de sentimentos, medos, desejos e conflitos.

3 É a educação do movimento com a atuação sobre o intelecto (Le Boulch), numa relação entre pensamento e ação, englobando funções neurofisiológicas e psíquicas. É a educação do movimento com a atuação sobre o intelecto (Le Boulch), numa relação entre pensamento e ação, englobando funções neurofisiológicas e psíquicas. Não possui objetivos pedagógicos diretos, mas interfere de forma clara sobre as dificuldades social e escolar, na medida em que visa proporcionar o equilíbrio e ajustamento global, através do corpo psicossomático. Não possui objetivos pedagógicos diretos, mas interfere de forma clara sobre as dificuldades social e escolar, na medida em que visa proporcionar o equilíbrio e ajustamento global, através do corpo psicossomático. PSICOMOTRICIDADE

4 Assegura o desenvolvimento funcional, tendo em conta as possibilidades da criança e ajuda a sua afetividade a se expandir e equilibrar-se, através do intercâmbio com o ambiente humano. Assegura o desenvolvimento funcional, tendo em conta as possibilidades da criança e ajuda a sua afetividade a se expandir e equilibrar-se, através do intercâmbio com o ambiente humano. O corpo e a aprendizagem caminham juntos. É através do corpo que o indivíduo entra em contato com o conhecimento (Vieira,2003). O corpo e a aprendizagem caminham juntos. É através do corpo que o indivíduo entra em contato com o conhecimento (Vieira,2003). É uma ferramenta eficaz no processo de desenvolvimento psicomotor, afetivo, cognitivo e social do ser humano. É uma ferramenta eficaz no processo de desenvolvimento psicomotor, afetivo, cognitivo e social do ser humano.

5 DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR Engloba em si, a inter-relação do desenvolvimento motor, do psiquismo e da inteligência. O ato motor isolado não tem significado. Engloba em si, a inter-relação do desenvolvimento motor, do psiquismo e da inteligência. O ato motor isolado não tem significado. ETAPAS : Segundo De Meur (1991) ETAPAS : Segundo De Meur (1991)

6 ESQUEMA CORPORAL A criança é o seu corpo, pois é através dele que ela elabora as suas experiências vitais e organiza sua personalidade. (Ajuriaguerra) A criança é o seu corpo, pois é através dele que ela elabora as suas experiências vitais e organiza sua personalidade. (Ajuriaguerra) A organização do esquema corporal se dá através das sensações e percepções oriundas do próprio corpo e na troca de relação com o corpo do outro. A organização do esquema corporal se dá através das sensações e percepções oriundas do próprio corpo e na troca de relação com o corpo do outro. Adquirir consciência do próprio corpo e das possibilidades de expressar-se por meio dele. Adquirir consciência do próprio corpo e das possibilidades de expressar-se por meio dele.

7

8 LATERALIDADE Perceber que os membros não reagem da mesma forma, descobrindo o seu lado dominante. Perceber que os membros não reagem da mesma forma, descobrindo o seu lado dominante. Perceber que se utiliza o lado direito e esquerdo do corpo simultaneamente, mas que o lado não dominante, somente ajuda o trabalho do lado dominante. Perceber que se utiliza o lado direito e esquerdo do corpo simultaneamente, mas que o lado não dominante, somente ajuda o trabalho do lado dominante.

9

10 ESTRUTURAÇÃO ESPACIAL É a orientação, a estruturação do mundo exterior, referindo-se primeiro ao eu referencial, depois a outros objetos ou pessoas em posição estática ou em movimento.(J. M. Tasset) É a orientação, a estruturação do mundo exterior, referindo-se primeiro ao eu referencial, depois a outros objetos ou pessoas em posição estática ou em movimento.(J. M. Tasset)

11 Tomada de consciência da situação de seu próprio corpo em um meio ambiente, isto é do lugar e da orientação que pode ter em relação às pessoas e coisas. Tomada de consciência da situação de seu próprio corpo em um meio ambiente, isto é do lugar e da orientação que pode ter em relação às pessoas e coisas. Tomada de consciência da situação das coisas entre si. Tomada de consciência da situação das coisas entre si. Possibilidade, para o sujeito, de organizar-se perante o mundo que o cerca. Organizar as coisas entre si, colocá-las em um lugar, movimentá-las. Possibilidade, para o sujeito, de organizar-se perante o mundo que o cerca. Organizar as coisas entre si, colocá-las em um lugar, movimentá-las.

12 Perceber diversas formas, grandezas, quantidades. (enfileirar de forma crescente ou decrescente). Perceber diversas formas, grandezas, quantidades. (enfileirar de forma crescente ou decrescente). Noções de frente, atrás, em cima, embaixo etc. Noções de frente, atrás, em cima, embaixo etc. Direção gráfica (situar um objeto segundo a colocação ordinal). Direção gráfica (situar um objeto segundo a colocação ordinal).

13

14 Orientação Temporal A evolução da criança é conseqüência da conscientização e conhecimento cada vez mais profundo do seu corpo. A evolução da criança é conseqüência da conscientização e conhecimento cada vez mais profundo do seu corpo. A estruturação temporal é a capacidade de situar-se em função : A estruturação temporal é a capacidade de situar-se em função :

15 Da ordem e sucessão dos acontecimentos (antes,durante,depois); Da ordem e sucessão dos acontecimentos (antes,durante,depois); Da duração dos intervalos: Da duração dos intervalos: noções de tempo longo, de tempo curto (uma hora, um minuto); noções de tempo longo, de tempo curto (uma hora, um minuto); noções de ritmo regular, de ritmo irregular (aceleração, freada); noções de ritmo regular, de ritmo irregular (aceleração, freada); noções de cadência rápida e lenta (correr e andar); noções de cadência rápida e lenta (correr e andar);

16 Da renovação cíclica de certos períodos: dias da semana, meses, estações do ano. Da renovação cíclica de certos períodos: dias da semana, meses, estações do ano. Do caráter irreversível do tempo (noção de envelhecimento das plantas, das pessoas) já passou, não volta mais. Do caráter irreversível do tempo (noção de envelhecimento das plantas, das pessoas) já passou, não volta mais.

17 Ritmo Abrange a noção de ordem, de sucessão, de duração, de alternância e portanto está contido na orientação temporal. Merece este destaque pela sua importância. Abrange a noção de ordem, de sucessão, de duração, de alternância e portanto está contido na orientação temporal. Merece este destaque pela sua importância. Percepção do ritmo interno. Percepção do ritmo interno. Percepção de ritmos externos. Percepção de ritmos externos. Percepção e reprodução de estruturas rítmicas. Percepção e reprodução de estruturas rítmicas.

18 Desenho e Grafismo Através do desenho, da plasticina e do grafismo a criança tem a oportunidade de expressar sua visão de mundo, a passagem do sonho para a realidade. Através do desenho, da plasticina e do grafismo a criança tem a oportunidade de expressar sua visão de mundo, a passagem do sonho para a realidade. Constitui ainda uma aprendizagem real da manipulação do lápis (motricidade fina). Seu domínio progressivo, prepara a criança para a escrita. Constitui ainda uma aprendizagem real da manipulação do lápis (motricidade fina). Seu domínio progressivo, prepara a criança para a escrita.

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28 LUDICIDADE O brinquedo é a essência da infância; é o veículo do crescimento. É um meio natural que possibilita a criança explorar o mundo, descobrir-se, entender-se, conhecer os seus sentimentos, as suas idéias e a sua forma de reagir. O brinquedo é a essência da infância; é o veículo do crescimento. É um meio natural que possibilita a criança explorar o mundo, descobrir-se, entender-se, conhecer os seus sentimentos, as suas idéias e a sua forma de reagir. Através da atividade lúdica e do jogo, a criança forma conceitos, seleciona idéias, estabelece relações lógicas, integra percepções, faz estimativas compatíveis com o seu crescimento físico e o seu desenvolvimento global. Através da atividade lúdica e do jogo, a criança forma conceitos, seleciona idéias, estabelece relações lógicas, integra percepções, faz estimativas compatíveis com o seu crescimento físico e o seu desenvolvimento global.

29

30 O jogo e a brincadeira exigem movimentação física, envolvimento emocional e provoca desafio mental. Neste contexto, a criança só ou com companheiros integra-se ou socializa-se. O jogo e a brincadeira exigem movimentação física, envolvimento emocional e provoca desafio mental. Neste contexto, a criança só ou com companheiros integra-se ou socializa-se. Não há conhecimento sem sentimento, condição básica da conscientização. Não há conhecimento sem sentimento, condição básica da conscientização. O movimento resulta da expressão interna de um organismo que, vivo, se expressa. O movimento resulta da expressão interna de um organismo que, vivo, se expressa.

31 A evolução da brincadeira está intimamente relacionada com a aquisição da linguagem, a maneira como a criança brinca pode ser importante modo de avaliação do desempenho infantil. A evolução da brincadeira está intimamente relacionada com a aquisição da linguagem, a maneira como a criança brinca pode ser importante modo de avaliação do desempenho infantil. As brincadeiras podem ser o elemento chave para a estimulação lingüística. As brincadeiras podem ser o elemento chave para a estimulação lingüística. (Kishimoto, 1994) (Kishimoto, 1994)... os jogos colaboram para a emergência do papel comunicativo da linguagem, a aprendizagem das convenções sociais e a aquisição das habilidades sociais.... os jogos colaboram para a emergência do papel comunicativo da linguagem, a aprendizagem das convenções sociais e a aquisição das habilidades sociais. (Kishimoto, 1996) (Kishimoto, 1996)

32 EVOLUÇÃO DOS JOGOS E BRINCADEIRAS (Goldfeld, 2004) 1. PSICOMOTOR – (a partir dos 6 meses) Esconde-esconde, correr, pular; 2. CONSTRUTIVOS – (a partir de 1 a 2,5 anos) Legos, encaixes, construção e desconstrução; 3. PLÁSTICAS – (a partir dos 3 anos) Massinha, pintura, argila, caixa de areia (contém os gráficos ou desenhos);

33 4. PROJETIVAS Imitação de situações vivenciadas (a partir de 1 ou 2,6 anos) Imitação de situações vivenciadas (a partir de 1 ou 2,6 anos) Cena isolada. Brinca com mediação, sozinho, ao lado. Cena isolada. Brinca com mediação, sozinho, ao lado Faz de conta (a partir de 2,6 e 3 anos) Faz de conta (a partir de 2,6 e 3 anos) Fase do egocentrismo, histórias, uso da fala. Brinca com mediação, sozinho, junto. Fase do egocentrismo, histórias, uso da fala. Brinca com mediação, sozinho, junto Devaneio (a partir dos 5 – 6 anos) Devaneio (a partir dos 5 – 6 anos) Sem objeto e sem fala social. Linguagem interior. Preparação para o mundo adulto. Sem objeto e sem fala social. Linguagem interior. Preparação para o mundo adulto.

34 5. JOGOS COM REGRAS Regras explícitas. Papel e situações imaginárias implícitas. Regras explícitas. Papel e situações imaginárias implícitas. Jogos de cartas, xadrez, dominó. Jogos de cartas, xadrez, dominó.


Carregar ppt "Maria Monteiro Drumond Poyares Fonoaudióloga. LUDICIDADE E EXPRESSÃO CORPORAL ATRAVÉS DA PSICOMOTRICIDADE A comunicação corporal é uma comunicação carregada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google