A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Escoteiros do Brasil Compreendendo o Papel como Formador.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Escoteiros do Brasil Compreendendo o Papel como Formador."— Transcrição da apresentação:

1 Escoteiros do Brasil Compreendendo o Papel como Formador

2 O Formador No Escotismo A Capacitação Do Formador O Perfil Do Formador Funções Do Formador A Postura Do Formador Leituras Complementares Plano Pessoal de Formação (PPF)

3 O Formador No Escotismo É o adulto voluntário que tem a responsabilidade de capacitar os demais adultos da UEB. Compreendendo o Papel como Formador

4 A Capacitação do Formador Experiência com o Trabalho com Jovens e Adultos nos Grupos Escoteiros; Participação nos cursos nas Linha de Escotistas ou Dirigentes Institucionais, obtendo a Insígnia da Madeira; Compreendendo o Papel como Formador

5 A Capacitação do Formador Cursos para Formadores complementam as habilidades e conhecimentos adquiridos; Os cursos de Capacitação de Formadores está dividida em dois níveis sequenciais: Nível 1 -CF1 Nível 2 - CF2 Compreendendo o Papel como Formador

6 A Capacitação do Formador Objetivo do CF1 – Capacitar o adulto que deseja ocupar cargos ou desempenhar funções decorrentes de designação para a área de formação de adultos e ministrar unidades didáticas nos cursos oferecidos pela UEB. Objetivo do CF2 – Consolidar a capacitação do adulto para o desempenho de todas as suas atribuições inerentes ao cargo que está exercendo como Dirigente de Formação. Compreendendo o Papel como Formador

7 Regra 130 – Nomeação de Diretores de Cursos (POR) A nomeação de Diretores de Cursos Básicos (DCB) e Diretores de Cursos Avançados (DCIM), com mandato de 3 (três) anos, será feita pela Diretoria Executiva Nacional, mediante proposta da respectiva Diretoria Regional, e atendidos os pré-requisitos: Compreendendo o Papel como Formador

8 Regra 130 – Nomeação de Diretores de Cursos a) Diretor de Curso Básico (DCB): exercer a função de Assessor Pessoal de Formação; ter sido aprovado em Curso de Formadores 1 (CF1); ter atuado em equipes de cursos ministrando seções; ter coordenado um módulo, oficina ou seminário de formação; ter participado, após a conclusão do Nível Avançado, de um seminário, oficina ou curso regional e/ou nacional de formação. Compreendendo o Papel como Formador

9 Regra 130 – Nomeação de Diretores de Cursos b) Diretor de Curso Avançado/ Insígnia da Madeira (DCIM): exercer a função de Assessor Pessoal de formação; ter atuado como DCB por pelo menos dois anos; ter sido aprovado em Curso de Formadores 2 (CF2); ter atuado em equipes de cursos; ter dirigido pelo menos um Curso Preliminar e um Curso Básico e ter participado de pelo menos outro seminário, oficina ou curso nacional de formação. Compreendendo o Papel como Formador

10 Regra 130 – Nomeação de Diretores de Cursos Ao término do período de nomeação como Diretor de Curso, a respectiva Diretoria Regional, após avaliar o desempenho, nos mesmos termos para nomeação, poderá solicitar sua renomeação por outro período e, assim sucessivamente. Compreendendo o Papel como Formador

11 O Perfil do Formador A missão do Formador é implementar, por meio de cursos e outras iniciativas de formação, as Diretrizes Nacionais para a Gestão de Recursos Adultos. Compreendendo o Papel como Formador

12 O Perfil do Formador Identificação Fidelidade à UEB e à Região Escoteira Vontade Tempo Visão ampla Liderança Criatividade Capacidade de tomar decisões Comprometimento com os resultados Compreendendo o Papel como Formador

13 Funções do Formador Planejar e realizar cursos de formação escoteira; Planejar e atuar como instrutor de módulos, que é o processo de desenvolvimento de competências, que apoia e personaliza a formação oferecida no Sistema de Cursos Sequenciais Complementares e nas Oficinas de Aperfeiçoamento Contínuo; Compreendendo o Papel como Formador

14 Funções do Formador Avaliar o rendimento da aprendizagem e o desempenho dos participantes; Contribuir na elaboração e revisão do material didático da UEB; Assegurar que o sistema de formação seja personalizado; assim cada atividade deve ser preparada como se fosse a primeira vez que é realizada, podendo se adaptar às necessidades específicas dos participantes; Compreendendo o Papel como Formador

15 Funções do Formador Estar ciente de que a responsabilidade de um curso deve recair sobre uma equipe, e as pessoas que assumam esta tarefa devem ser qualificados pela associação, segundo o nível do curso. Compreendendo o Papel como Formador

16 Funções do Formador Conhecer que o sistema de certificação da habilitação para o desempenho das funções de formação será controlado nacionalmente, através da designação dos integrantes da Equipe Nacional da Gestão de Adultos, com indicação pela Região Escoteira e/ou Nível Nacional; Assegurar que sob o ponto de vista metodológico, todos os cursos sejam acessíveis, ágeis, atrativos e estimulantes aos participantes. Compreendendo o Papel como Formador

17 Postura do Formador A postura do Formador frente aos participantes de um curso é um elemento fundamental para criar um clima de aprendizado fraternal. O participante deve sair do curso motivado para aplicar os conhecimentos adquiridos e continuar progredindo em sua formação. Compreendendo o Papel como Formador

18 Postura do Formador É esperado que o Dirigente de Formação: Seja bem aceito pela comunidade onde vai dirigir o curso, capaz de entender as realidades locais e as necessidades específicas de cada participante; Seja equilibrado emocionalmente, capaz de receber humildemente as críticas dos participantes, ter um espírito de autocrítica e vontade constante de superação pessoal; Compreendendo o Papel como Formador

19 Postura do Formador Procure motivar os participantes ao aprendizado sem humilhações; Leve os participantes a um aprendizado consciente, num ambiente alegre e motivador; Ter disposição em aprender; Saiba trabalhar em equipe. Compreendendo o Papel como Formador

20 Leituras Complementares AS 10 QUALIDADES DE UM LÍDER (texto transcrito do livro A Arte da Liderança de Ordway Tead) O CÓDIGO DE GILWELL (texto original de John Thurman – Chefe do Campo de Gilwell) Compreendendo o Papel como Formador

21 Plano Pessoal de Formação (PPF) O PPF é um instrumento no qual cada adulto ordena e registra em conjunto com seu Assessor Pessoal de Formação as ações de formação que realizará durante determinado período que normalmente corresponde ao período de vigência do Acordo de Trabalho Voluntário. Compreendendo o Papel como Formador

22 Plano Pessoal de Formação (PPF) Formador, assim como todos os outros adultos da UEB, deve elaborar o seu PPF demonstrando a sua abertura a novos conhecimentos, a sua vontade de progredir e a sua compreensão de que este documento, antes de um requisito formal é uma oportunidade de crescimento personalizado. Compreendendo o Papel como Formador


Carregar ppt "Escoteiros do Brasil Compreendendo o Papel como Formador."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google