A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas de Informações Gerenciais Valter J.C. Lima 75 9133-1804.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas de Informações Gerenciais Valter J.C. Lima 75 9133-1804."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas de Informações Gerenciais Valter J.C. Lima

2 Uma técnica para gerenciar a amplitude e as complexidades das empresas Visão interativa do todo Estudo da dinâmica entre componentes de um processo Tem elementos de entrada e saída após um conjunto de processo Sistema é conjunto de partes interagentes e independentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam determinada função. SISTEMAS

3 SISTEMAS Processo de Produção Entrada de Matéria-Prima Saída de Produtos Acabados Ambiente Controle pela Administração Sinais de Controle Sinais de Controle Sinais de Feedback Sinais de Feedback Sistema também pode ser considerado como núcleo central de estudo dentro de um processo administrativo

4 INFORMAÇÃO Informações x Dados DADO: É qualquer elemento identificado em sua forma bruta que por si só, não traduz uma compreensão de determinado fato ou situação INFORMAÇÃO: É um ou conjunto de dados trabalhados, que permitem e auxiliam conclusões e os processos decisórios

5 Como exemplo de dados de uma empresa, citam-se quantidade de produção, custo da matéria prima, número de empregados, e como informação, o resultado da análise desses dados, ou seja, capacidade de produção, custo de venda do produto, produtividade dos funcionários, e mais uma infinita forma de utilização e combinação Exemplo

6 GERENCIAL GERENCIAL é o desenvolvimento e a consolidação do processo administrativo, representado pelas funções de planejamento, organizações, direção e controle, voltados para a otimização dos resultados da empresa. GERENCIAL É um processo administrativo fundido com processo operacional

7 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (SIG) É o processo de transformação de dados em informações que são utilizadas na estrutura da empresa, proporcionando, ainda, a sustentação administrativa para otimizar os resultados esperados

8 Teoria de Sistemas - Origem A TGS surge com os trabalhos de Ludwig von Bertalanffy, biólogo alemão, publicados em 1950 e The Theory of Open Systems in Physics and Biology and General Systems Theory. Os sistemas existem dentro de outros sistemas; Os sistemas são abertos; As funções de um sistema dependem de sua estrutura. Premissas

9 Era preciso sintetizar e integrar as teorias anteriores; A introdução da tecnologia de informação ao lado da teoria Cibernética possibilitaram o desenvolvimento e operacionalização das idéias que convergiam para a TS aplicada à administração. A TS afina-se rapidamente com a Teoria da Administração Tipos de Sistemas Quanto à constituição; Quanto à natureza.

10 Quanto à constituição Sistemas físicos ou concretos : compostos de equipamentos; objetos ou coisas reais. É o hardware; Sistemas abstratos ou conceituais : compostos por conceitos, planos, hipóteses ou idéias. É o software. Quanto à natureza Sistemas fechados: Não apresentam intercâmbio com o meio ambiente externo. São herméticos; não estão sujeitos às influências ambientais. Não recebem e nem produzem recursos externos. Sob o ponto de vista da TS são sistemas que apresentam um comportamento totalmente determinístico e programado.

11 Sistemas abertosSistemas abertos Apresentam intercâmbio com o ambiente por intermédio de entradas e saídas. Têm uma grande capacidade de adaptação; ajustam-se ao meio ambiente para sobreviver. Restauram sua própria energia, reparando perdas em sua própria organização.

12 Exemplo 1 Uma empresa de limpeza que limpe escritórios fora do horário de expediente comercial provavelmente será classificada como simples e estável, pois existe uma necessidade constante e bastante estável de seus serviços. Exemplo 2 Uma empresa fabricante de computadores é tipicamente complexa e dinâmica, pois como opera em um mercado de constantes mudanças, e é uma empresa de alta tecnologia, se não for adaptativa, não conseguirá acompanhar os avanços necessários ao ritmo do mercado da alta tecnologia. Exemplo

13 Os sistemas podem ser classificados dentro de várias visões. Classificação de Sistemas:

14 Complexos: – Possuem muitos componentes (pessoas, máquinas); – Componentes são altamente relacionados e interconectados; – Ex.: fabricação de um automóvel (numerosas peças, componentes, equipamentos e pessoal qualificado); Entrada: peças do carro – chassi, motor, suspensão; Processamento: linha de montagem do carro; Saída: carro pronto; Simples: Possuem pouco componentes; – Relação ou interação entre os componentes é descomplicada; – Ex.: misturar ingredientes para fazer um bolo Entrada: ingredientes, conhecimento sobre proporção e ordem dos ingredientes; Processamento: misturar os ingredientes e colocar no forno para assar; Saída: bolo acabado (assado e pronto).

15 Abertos: – Interagem com o ambiente no qual estão inseridos; Ex.: empresas e universidades são sistemas abertos – Empresa (entra matéria prima) saí (bens e serviços); Fechados: Não interagem totalmente com o ambiente no qual estão inseridos. Apresentam um comportamento totalmente determinístico e programado.

16 Estáveis (Não-Adaptáveis): – Sofrem pouca influência do ambiente no qual estão inseridos; – Mudanças no ambiente resultam em pouca ou nenhuma mudança no ambiente; Ex.: (um pequena empresa que produz brinquedos de blocos de madeira pode ser bastante estável, desde que a fonte de matéria prima e as preferências tenham se mantido). Dinâmicos (Adaptáveis): – Sofrem constantes modificações devido às mudanças ocorridas no ambiente que estão inseridos; – Flexibilidade; Ex: Fábrica de computadores /equipamentos eletrônicos (mudanças tecnológica forçam o desenvolvimento de novos produtos);

17 Permanentes: Existem por muito tempo; Ex.: Empresas grandes, Universidades (anos); Temporários: Existem por pouco tempo (meses); Ex.: grupos de pesquisa nas disciplina;

18 Parâmetros dos sistemas Entrada ou insumo (input); Processamento ou transformação (throughput); Saída ou resultado (output); Retroação, retroalimentação ou retroinformação (feedback); Ambiente (environmentI).

19 Nível 0 (zero) do Sistema aberto EntradasSaídas Processamento AmbienteAmbiente Retroação Informação Energia Recursos Materiais

20 Modelos de Organização A organização deve ser considerada como um sistema aberto; Deve ter objetivos ou funções múltiplas, envolvendo interações múltiplas com o meio ambiente; Deve ser vista como um conjunto de vários subsistemas, estando esses subsistemas, simultaneamente, em interação dinâmica; Os subsistemas são interdependentes. O que acontece dentro de um subsistema tem reflexo no funcionamento dos outros subsistemas; A organização está inserida num ambiente dinâmico. Ao planejar o funcionamento da organização é preciso levar em conta as exigências e limitações impostas pelo ambiente; É difícil definir as fronteiras existentes nas organizações, devido aos múltiplos elos que existem com o meio ambiente.

21 Modelo de Katz e Kahn Daniel Katz e Robert L. Kahn aplicam a TS à Teoria das Organizações. Chegam a conclusão de que a teoria das organizações deve se libertar das restrições e propostas das abordagens anteriores, utilizando-se da Teoria Geral dos Sistemas.

22 Empresa FABRICAÇÃO MATÉRIA PRIMA CLIENTE LUCRO EMPRESAS ATÉ INÍCIO DOS ANOS 90

23 Empresa PROCESSOS FORNECEDOR PREFERÊNCIAS DO CLIENTE LUCRATIVIDADE EMPRESAS ATÉ INÍCIO DOS ANOS 90

24 Empresa PRODUTIVIDADEPROCESSOS PARCERIA COM FORNECEDOR PREFERÊNCIAS DO CLIENTE LUCRATIVIDADE EMPRESAS ATÉ 2000

25 Empresa PRODUTIVIDADEPROCESSOS PARCERIA COM FORNECEDOR TENDÊNCIAS DO MERCADO LUCRATIVIDADE EMPRESAS HOJE MEIO-AMBIENTE LEGISLAÇÃO CONCORRÊNCIA QUALIDADE TECNOLOGIA REQUISITOS DO CLIENTES SINDICATO SEGURANÇA DO TRABALHO DO TRABALHO RESPONSABILIDADESOCIAL COMUNIDADE

26 SIG- SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ABORDAGENS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS, TÁTICAS E OPERACIONAIS NÍVEIS DELINEAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS NÍVEL DE DECISÕES ESTRATÉGICAS NÍVEL DE DECISÕES TÁTICAS NÍVEL DE DECISÕES OPERACIONAIS

27 SIG- NÍVEL DE DECISÕES OPERACIONAIS NÍVEL DE DECISÕES OPERACIONAIS PRODUÇÃO PRAZO E QUALIDADE LÍDERES GERENCIA ASSISTÊNCIA TÉCNICA EQUIP. SUPERVISORES CADEIA DE SUPRIMENTOS PROJETOS MÃO DE OBRA MATÉRIA PRIMA FERRAMENTASINSUMOS MANUTENÇÃO

28 SIG- NÍVEL DE DECISÕES TÁTICAS MATÉRIA PRIMA CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA PRIMA QUE ATENDE OS REQUISITOS DA PRODUÇÃO E CLIENTES VENDAS MÃO DE OBRA É O PRINCIPAL DA EMPRESA, MAS TAMBÉM É A FONTE DE PARÂMETROS MAIS COMPLEXOS. INSUMOS A PRODUÇÃO PRECISA DE INSUMOS DE QUALIDADE, MAS COM EXCELENTES NÍVEIS NA RELAÇÃO CUSTO\BENEFÍCIO MANUTENÇÃO ÁREA QUE MANTÉM A PRECISÃO DOS EQUIPAMENTOS, E A EMPRESA FUNCIONANDO

29 NÍVEL DE DECISÕES TÁTICAS PRODUTOCOMPETITIVO R. HUMANOS VENDAS COMPRAS MARKETING CONTABILIDADE ENGENHARIAS CAPACIDADETECNOLÓGICA CAPACIDADEPRODUTIVA CUSTOSPRODUTIVOS NÍVEL OPERACIONAL TI ORÇAMENTOS ASSIS. TÉCNICA AO CLIENTE SIG- NÍVEL DE DECISÕES TÁTICAS

30 RECURSOS HUMANOS Capacidade contratar profissional qualificado, que podem conter informações de concorrentes e novos processos VENDAS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Os programadores podem avaliar qual é o melhor sistema informatizado e adequação aos requisitos da produção CADEIA DE SUPRIMENTOS E COMPRAS São classificadas como área de muita importância para gestão de qualidade e recursos produtivos MARKETING Área que tem conhecimento do mercado, tendências de mercado e concorrência, e tem influência direta na produção e projetos SIG- NÍVEL DE DECISÕES TÁTICAS

31 SIG- NÍVEL DE DECISÕES ESTRATÉGICAS NÍVEL DE DECISÕES ESTRATÉGICAS TOMADA DE DECISÕES PRESIDENTE GERENCIA ACIONISTAS CONSULTORIA Diretoria ATENDIMENTO AO CLIENTE MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO NOVO PRODUTO OU MERCADO CONCORRÊNCIA NÍVEL OPERACIONAL NÍVEL TÁTICO

32 Em um mundo tão mutante quanto imprevisível, só ganha o jogo quem estiver disposto a reescrever periodicamente as regras de sua empresa e de seu setor. Gary Hamel O uso da Tecnologia da Informação por si só não representa uma vantagem competitiva permanente para o negócio.

33 Os três séculos passados foram dominados, cada um, por uma única tecnologia: sistemas mecânicos O século XVIII foi a era dos grandes sistemas mecânicos, acompanhado da Revolução Industrial. máquina a vapor. O século XIX foi a era da máquina a vapor. informação. O século XX foi denominado como a era da informação.

34 AS DUAS FACES DA TECNOLOGIA Ä A Era da informação chegou. Ä Nos próximos anos, novos e mais sofisticadas tecnologias de software aproximarão cada vez mais a civilização de um mundo praticamente sem trabalhadores.trabalhadores

35 Robô Fazendeiro

36 Neste cenário de avanços tecnológicos, deparamos com uma carga de informações cada vez maior. Estima-se a produção anual de informação, nos dias atuais, em torno de dois bilhões de gigabytes, sendo 90 % deste volume em formato digital. O conhecimento da humanidade dobrará a cada dias 3 anos 5 anos Tempo Ano Copiado de Rosália ParaísoRosália

37 A tecnologia na Gestão do Conhecimento

38 A Globalização provocou... Eliminação das fronteiras Eliminação das barreiras comerciais Aumento da concorrência Maior competitividade Mais inovação em menos tempo

39 Difusão das Inovações (55 anos) Automóvel 1906 (22 anos) Rádio 1873 (46 anos) Eletricidade 1876 (35 anos) Telefone 1936 (26 anos) Televisão 1953 (30 anos) Microondas 1975 (16 anos) Computador 1983 (13 anos) Celular 1993 (4 anos) Internet

40 Algumas invenções e conquistas do século XX Ä 1903: Avião motorizado Ä 1915: Teoria geral da relatividade de Einstein Ä 1923: Aparelho televisor - Jonh e Philo Ä 1928: Penicilina - Alexander Fleming Ä 1937: Nylon Ä 1943: Computador Ä 1945: Bomba atômica - Philip MorrisonMorrison Ä 1947: Descoberta da estrutura do DNA - engenharia genética Ä 1957: Sputrik, o primeiro satélite Ä 1958: Laser - Alexander Prokhorov Ä 1961: O homem vai ao espaço Ä 1967: Transplante de coração Ä 1969: O homem chega à Lua; início da Internet, Boeing 747 Ä 1970: MicroprocessadorMicroprocessador Ä 1993: Clonagem de embriões humanos Ä 1997: Primeiro animal clonado: a ovelha Dolly Ä 2000: Seqüenciamento do genoma humano

41 Ä 1945: Bomba atômica

42 Ä 1970: Microprocessador

43 Capital Energia Matéria-prima... e inversão no valor dos insumos da produção. Conhecimento

44 Sendo o conhecimento o diferencial estratégico da produção, então é preciso tratá-lo com metodologias e ferramentais apropriados. Processar dados Tratar informações Gerenciar conhecimentos

45 Tinha sentido restrito à transmissão de dados acerca de alguém ou de algo, geralmente notícias de fatos que chegavam ao receptor com uma certa defasagem temporal. Informação Hoje associado à velocidade, à tecnologia, ao tempo e ao espaço. Ilustrando: Os caixas automáticos dos bancos a 10 anos atrás

46 Bibliografia Ä CRUZ, Tadeu. Sistemas de informações gerenciais:: tecnologias da informação e a empresa do século XXI /. 3.ed. revisada, atualizada e ampliada. São Paulo: Atlas, 2003 Ä PORTER, Michael E. Estratégia Competitiva. Rio de Janeiro: Campus, Ä REZENDE, Denis A. ABREU, Aline F. de. Tecnologia da Informação aplicada a Sistemas de Informação. São Paulo: Ed. Atlas, Ä DRUCKER, Peter. Administração em Tempos de Grandes Turbulências, São Paulo- SP:Atlas, Obrigado pela atenção!


Carregar ppt "Sistemas de Informações Gerenciais Valter J.C. Lima 75 9133-1804."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google