A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. David F. Bomfin PhD Conteúdos elaborados pelo Prof. Dr. David F. Bomfin – Organização: Flávio Hastenreiter. davidbomfin.com.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. David F. Bomfin PhD Conteúdos elaborados pelo Prof. Dr. David F. Bomfin – Organização: Flávio Hastenreiter. davidbomfin.com."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. David F. Bomfin PhD Conteúdos elaborados pelo Prof. Dr. David F. Bomfin – Organização: Flávio Hastenreiter. davidbomfin.com

2

3 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIA DOS TRAÇOS CONSIDERA: ASPECTOS FÍSICOS; HABILIDADES (INTELIGÊNCIA, FLUÊNCIA VERBAL, ESCOLARIDADE, RACIOCÍNIO); PERSONALIDADE (INTROVERSÃO, EXTROVERSÃO, AJUSTAMENTO, AUTOCONTROLE). CARACTERÍSTICAS: OS TRAÇOS PODEM INDICAR A LIDERANÇA. OS TRAÇOS FUNCIONAM MELHOR PARA PREVER O SURGIMENTO DA LIDERANÇA DO QUE PARA DISTINGUIR ENTRE LÍDERES EFICAZES E INEFICAZES. DIFERENCIAM OS LÍDERES DOS NÃO LÍDERES COM BASE NAS QUALIDADES E CARACTERÍSTICAS PESSOAIS. davidbomfin.com

4 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS DO PODER E AUTORIDADE TIPOS DE AUTORIDADE: CARISMÁTICA TRADICIONAL RACIONAL-LEGAL TEORIAS DO PODER E AUTORIDADE TIPOS DE AUTORIDADE: CARISMÁTICA TRADICIONAL RACIONAL-LEGAL davidbomfin.com

5 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE CARISMÁTICA TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE CARISMÁTICA CARISMA PARA EXERCER INFLUÊNCIA, SEM QUE AS SUAS ORIENTAÇÕES SEJAM QUESTIONADAS. OBS: O CARISMA VOLTA DURANTE A DÉCADA DE 1980, ASSOCIADO À TEORIA DA LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL. CARISMA PARA EXERCER INFLUÊNCIA, SEM QUE AS SUAS ORIENTAÇÕES SEJAM QUESTIONADAS. OBS: O CARISMA VOLTA DURANTE A DÉCADA DE 1980, ASSOCIADO À TEORIA DA LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL. davidbomfin.com

6 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE RACIONAL-LEGAL TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE RACIONAL-LEGAL É RECONHECIDO ATRAVÉS DA HIERARQUIA É A POSIÇÃO NA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL QUE DETERMINA O GRAU DE AUTORIDADE QUE PODE SER EXERCIDO POR DIREITO PELO OCUPANTE DO CARGO. É RECONHECIDO ATRAVÉS DA HIERARQUIA É A POSIÇÃO NA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL QUE DETERMINA O GRAU DE AUTORIDADE QUE PODE SER EXERCIDO POR DIREITO PELO OCUPANTE DO CARGO. davidbomfin.com

7 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE TRADICIONAL TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS AUTORIDADE TRADICIONAL HERDA O PODER PARA EXERCER O COMANDO É UM MODELO PRESENTE, AINDA QUE COM ALGUMAS MUDANÇAS HERDA O PODER PARA EXERCER O COMANDO É UM MODELO PRESENTE, AINDA QUE COM ALGUMAS MUDANÇAS davidbomfin.com

8 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS DO PODER AUTORIDADE CARACTERÍSTICAS 5 BASES DO PODER SOCIAL PODER DE RECOMPENSA – CONCESSÃO DE RECOMPENSAS PODER COERCIVO – IMPOSIÇÃO DE PENALIDADES PODER DE PERITO – QUANTIDADE E QUALIDADE DE CONHECIMENTO PODER REFERENTE – RELAÇÕES DE AMIZADE COM O SUPERIROR PODER LEGÍTIMO – PRECEITOS LEGAIS DA ORGANIZAÇÃO CARACTERÍSTICAS 5 BASES DO PODER SOCIAL PODER DE RECOMPENSA – CONCESSÃO DE RECOMPENSAS PODER COERCIVO – IMPOSIÇÃO DE PENALIDADES PODER DE PERITO – QUANTIDADE E QUALIDADE DE CONHECIMENTO PODER REFERENTE – RELAÇÕES DE AMIZADE COM O SUPERIROR PODER LEGÍTIMO – PRECEITOS LEGAIS DA ORGANIZAÇÃO davidbomfin.com

9 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIA COMPORTAMENTAL EM VEZ DE TRAÇOS, A LIDERANÇA PASSOU A SER INVESTIGADA PARA A IDENTIFICAÇÃO DOS PADRÕES DE COMPORTAMENTO ADOTADOS PELOS LÍDERES E AS SUAS FUNÇÕES. AS TEORIAS COMPORTAMENTAMENTAIS SERIAM COMO UMA TRANSPOSIÇÃO ENTRE UM MODELO IDEAL DE LIDERANÇA, PARA UMA LIDERANÇA VOLTADA PARA AS QUESTÕES REAIS DAS ORGANIZAÇÕES. TEORIA COMPORTAMENTAL EM VEZ DE TRAÇOS, A LIDERANÇA PASSOU A SER INVESTIGADA PARA A IDENTIFICAÇÃO DOS PADRÕES DE COMPORTAMENTO ADOTADOS PELOS LÍDERES E AS SUAS FUNÇÕES. AS TEORIAS COMPORTAMENTAMENTAIS SERIAM COMO UMA TRANSPOSIÇÃO ENTRE UM MODELO IDEAL DE LIDERANÇA, PARA UMA LIDERANÇA VOLTADA PARA AS QUESTÕES REAIS DAS ORGANIZAÇÕES. CARACTERÍSTICAS TRÊS TIPOS DE LIDERANÇA: AUTOCRÁTICA: LIDERANÇA PELO COMANDO DEMOCRÁTICA: LIDERANÇA PARA A GERAÇÃO DE IDÉIAS E TOMADA DE DECISÃO EM GRUPO LAISSEZ-FAIRE: LIDERANÇA ATRAVÉS DA PARTICIPAÇÃO MÍNIMA DO LÍDER E TOTAL LIBERDADE AO GRUPO. CARACTERÍSTICAS TRÊS TIPOS DE LIDERANÇA: AUTOCRÁTICA: LIDERANÇA PELO COMANDO DEMOCRÁTICA: LIDERANÇA PARA A GERAÇÃO DE IDÉIAS E TOMADA DE DECISÃO EM GRUPO LAISSEZ-FAIRE: LIDERANÇA ATRAVÉS DA PARTICIPAÇÃO MÍNIMA DO LÍDER E TOTAL LIBERDADE AO GRUPO. davidbomfin.com

10 TEORIA COMPORTAMENTAL ÊNFASES DA LIDERANÇA: –CENTRADA NA TAREFA ASSEGURAR CONDIÇÕES PARA QUE AS TAREFAS SEJAM REALIZADAS DENTRO DOS MAIS ALTO PADRÕES –CENTRADA NAS PESSOAS CRIAR UM AMBIENTE PSICOSSOCIAL DE TRABALHO EM EQUIPE, ALINHADO AO BOM DESEMPENHO NAS TAREFAS. TEORIA COMPORTAMENTAL ÊNFASES DA LIDERANÇA: –CENTRADA NA TAREFA ASSEGURAR CONDIÇÕES PARA QUE AS TAREFAS SEJAM REALIZADAS DENTRO DOS MAIS ALTO PADRÕES –CENTRADA NAS PESSOAS CRIAR UM AMBIENTE PSICOSSOCIAL DE TRABALHO EM EQUIPE, ALINHADO AO BOM DESEMPENHO NAS TAREFAS. CARACTERÍSTICAS ALGUMA ABORDAGENS LIKERT COMPORTAMENTO DO LIDER: EXPLORADOR-AUTORITÁRIO; BENEVOLENTE-AUTORITÁRIO; CONSULTIVO; PARTICIPATIVO. BLAKE E MOUTON - GRID GERENCIAL: GERÊNCIA EMPOBRECIDA; OBEDIÊNCIA À AUTORIDADE; GERÊNCIA DO HOMEM DA ORGANIZAÇÃO; GERÊNCIA DA EQUIPE E GERÊNCIA DO CLUBE DE CAMPO. CARACTERÍSTICAS ALGUMA ABORDAGENS LIKERT COMPORTAMENTO DO LIDER: EXPLORADOR-AUTORITÁRIO; BENEVOLENTE-AUTORITÁRIO; CONSULTIVO; PARTICIPATIVO. BLAKE E MOUTON - GRID GERENCIAL: GERÊNCIA EMPOBRECIDA; OBEDIÊNCIA À AUTORIDADE; GERÊNCIA DO HOMEM DA ORGANIZAÇÃO; GERÊNCIA DA EQUIPE E GERÊNCIA DO CLUBE DE CAMPO. ESTILOS DE LIDERANÇA davidbomfin.com

11 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS CONTINGENCAIS –TRATAM DAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO PROCESSO DE LIDERANÇA E DOS DIFERENTES TIPOS DE COMPORTAMENTOS DOS LÍDERES. TEORIAS CONTINGENCAIS –TRATAM DAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO PROCESSO DE LIDERANÇA E DOS DIFERENTES TIPOS DE COMPORTAMENTOS DOS LÍDERES. CARACTERÍSTICAS POR VOLTA DA DÉCADA DE 1960 SURGEM DIVERSAS TEORIAS DE LIDERANÇA QUE PROCURAM RELACIONAR: –LIDERANÇA EFICAZ COM O AMBIENTE DE ATUAÇÃO DO LÍDER. –TRATA DAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO PROCESSO DE LIDERANÇA E DOS DIFERENTES TIPOS DE COMPORTAMENTOS DOS LÍDERES. CARACTERÍSTICAS POR VOLTA DA DÉCADA DE 1960 SURGEM DIVERSAS TEORIAS DE LIDERANÇA QUE PROCURAM RELACIONAR: –LIDERANÇA EFICAZ COM O AMBIENTE DE ATUAÇÃO DO LÍDER. –TRATA DAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO PROCESSO DE LIDERANÇA E DOS DIFERENTES TIPOS DE COMPORTAMENTOS DOS LÍDERES. davidbomfin.com

12 ESTILOS DE LIDERANÇA TEORIAS CONTINGENCAIS CARACTERÍSTICAS A TEORIA DA LIDERANÇA SITUACIONAL NASCE NESTE PROCESSO DE EVOLUÇÃO PARA LIDAR COM AS TAREFAS E COM AS PESSOAS. CARACTERÍSTICAS A TEORIA DA LIDERANÇA SITUACIONAL NASCE NESTE PROCESSO DE EVOLUÇÃO PARA LIDAR COM AS TAREFAS E COM AS PESSOAS. davidbomfin.com

13 ESTILOS DE LIDERANÇA LIDERANÇA SITUACIONAL NÃO HÁ UMA ÚNICA FORMA MELHOR DE LIDERAR LEVAR EM CONTA A MATURIDADE (PRONTIDÃO) DE CADA LIDERADO A MATURIDADE INCLUI CAPACIDADE (COMPETÊNCIA TÉCNICA) E DISPOSIÇÃO (MOTIVAÇÃO) CONFORME A MATURIDADE, O LÍDER TERÁ UM ESTILO APROPRIADO PARA INFLUIR ESPECIFICAMENTE AQUELE LIDERADO. A MATURIDADE VARIA DE BAIXA A ALTA. LIDERANÇA SITUACIONAL NÃO HÁ UMA ÚNICA FORMA MELHOR DE LIDERAR LEVAR EM CONTA A MATURIDADE (PRONTIDÃO) DE CADA LIDERADO A MATURIDADE INCLUI CAPACIDADE (COMPETÊNCIA TÉCNICA) E DISPOSIÇÃO (MOTIVAÇÃO) CONFORME A MATURIDADE, O LÍDER TERÁ UM ESTILO APROPRIADO PARA INFLUIR ESPECIFICAMENTE AQUELE LIDERADO. A MATURIDADE VARIA DE BAIXA A ALTA. CARACTERÍSTICAS 1: MANDAR – ORIENTAR A TAREFA: PROPORCIONA INSTRUÇÕES (O QUE, COMO, ONDE E OUTROS) E SUPERVISIONA DE PERTO O DESEMPENHO - LIDERADO COM MATURIDADE BAIXA 2. VENDER - ORIENTAR A TAREFA (IDEM), MAS INCLUIR APOIO MOTIVACIONAL. EXPLICA DECISÕES E PROPORCIONA OPORTUNIDADES DE ESCLARECIMENTOS – LIDERADO DE BAIXA A MÉDIA MATURIDADE CARACTERÍSTICAS 1: MANDAR – ORIENTAR A TAREFA: PROPORCIONA INSTRUÇÕES (O QUE, COMO, ONDE E OUTROS) E SUPERVISIONA DE PERTO O DESEMPENHO - LIDERADO COM MATURIDADE BAIXA 2. VENDER - ORIENTAR A TAREFA (IDEM), MAS INCLUIR APOIO MOTIVACIONAL. EXPLICA DECISÕES E PROPORCIONA OPORTUNIDADES DE ESCLARECIMENTOS – LIDERADO DE BAIXA A MÉDIA MATURIDADE davidbomfin.com

14 ESTILOS DE LIDERANÇA LIDERANÇA SITUACIONAL CARACTERÍSTICAS 3: PARTICIPAR – APOIO MOTIVACIONAL E SEM ÊNFASE NA TAREFA – DIVIDE IDÉIAS E RECURSOS NA TOMADA DE DECISÕES - LIDERADO COM MÉDIA A ALTA MATURIDADE 4. DELEGAR – APOIO GENÉRICO NA TAREFA E MOTIVACIONAL, QUANDO SOLICITADO PELO LIDERADO – REPASSA RESPONSABILIDADE POR DECISÕES E IMPLEMENTAÇÕES LIDERANÇA SITUACIONAL CARACTERÍSTICAS 3: PARTICIPAR – APOIO MOTIVACIONAL E SEM ÊNFASE NA TAREFA – DIVIDE IDÉIAS E RECURSOS NA TOMADA DE DECISÕES - LIDERADO COM MÉDIA A ALTA MATURIDADE 4. DELEGAR – APOIO GENÉRICO NA TAREFA E MOTIVACIONAL, QUANDO SOLICITADO PELO LIDERADO – REPASSA RESPONSABILIDADE POR DECISÕES E IMPLEMENTAÇÕES davidbomfin.com

15 ESTILOS DE LIDERANÇA LIDERANÇA TRANSACIONAL –SE ESTRUTURA DENTRO DA PERSPECTIVA DE TROCAS CALCULADAS. LIDERANÇA TRANSACIONAL –SE ESTRUTURA DENTRO DA PERSPECTIVA DE TROCAS CALCULADAS. CARACTERÍSTICAS –TROCAS CALCULADAS –LIGAÇÕES TEMPORÁRIAS –IDENTIFICAÇÃO DO LÍDER COMO SUPERVISOR CARACTERÍSTICAS –TROCAS CALCULADAS –LIGAÇÕES TEMPORÁRIAS –IDENTIFICAÇÃO DO LÍDER COMO SUPERVISOR davidbomfin.com

16 ESTILOS DE LIDERANÇA LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL –ESTÁ VOLTADA PARA: VISÃO COMUNICAÇÃO CARISMA RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS DE MÃO DUPLA (LIDER/LIDERADO) NECESSIDADES DOS SUBORDINADOS LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL –ESTÁ VOLTADA PARA: VISÃO COMUNICAÇÃO CARISMA RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS DE MÃO DUPLA (LIDER/LIDERADO) NECESSIDADES DOS SUBORDINADOS CARACTERISTICAS DO LÍDER: AGENTE DE MUDANÇAS CAPAZ DE CORRER RISCOS ATENTO ÀS NECESSIDADES DAS PESSOAS GUIADO POR VALORES CENTRAIS VOLTADO AO APRENDIZADO CONTÍNUO CAPAZ DE LIDAR COM AMBIGÜIDADE E INCERTEZA DIRECIONADO PARA VISÃO PARTILHADA CARACTERISTICAS DO LÍDER: AGENTE DE MUDANÇAS CAPAZ DE CORRER RISCOS ATENTO ÀS NECESSIDADES DAS PESSOAS GUIADO POR VALORES CENTRAIS VOLTADO AO APRENDIZADO CONTÍNUO CAPAZ DE LIDAR COM AMBIGÜIDADE E INCERTEZA DIRECIONADO PARA VISÃO PARTILHADA davidbomfin.com

17 ESTILOS DE LIDERANÇA COACH –ESTÁ PRESENTE NA EVOLUÇÃO DA LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL –É NECESSÁRIO TER CONHECIMENTO: DE NEGÓCIOS DA DINÂMICA INTERPESSOAL DE RAPPORT DO CONTEXTO QUE CERCA OS EXECUTIVOS CAPAZ DE DAR FEEDBACK DE FORMA HONESTA SER UM BOM OUVINTE COACH –ESTÁ PRESENTE NA EVOLUÇÃO DA LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL –É NECESSÁRIO TER CONHECIMENTO: DE NEGÓCIOS DA DINÂMICA INTERPESSOAL DE RAPPORT DO CONTEXTO QUE CERCA OS EXECUTIVOS CAPAZ DE DAR FEEDBACK DE FORMA HONESTA SER UM BOM OUVINTE CARACTERÍSTICAS DO LÍDER: –COMPROMISSO COM OS RESULTADOS E COM A PESSOA COMO UM TODO –INFLUENCIA O DESENVOLVIMENTO DE PADRÕES ÉTICOS, COMPORTAMENTAIS E DE EXCELÊNCIA –AGE PARA REUNIR CAPACIDADES DAS PESSOAS, GRUPOS OU ORGANIZAÇÕES CARACTERÍSTICAS DO LÍDER: –COMPROMISSO COM OS RESULTADOS E COM A PESSOA COMO UM TODO –INFLUENCIA O DESENVOLVIMENTO DE PADRÕES ÉTICOS, COMPORTAMENTAIS E DE EXCELÊNCIA –AGE PARA REUNIR CAPACIDADES DAS PESSOAS, GRUPOS OU ORGANIZAÇÕES davidbomfin.com

18 ESTILOS DE LIDERANÇA UM NOVO MODELO DE LIDERANÇA ANTERIORMENTE SER UM CHEFE CONTROLAR AS PESSOAS CENTRALIZAR A AUTORIDADE ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS DIRIGIR COM REGRAS E REGULAMENTOS CONFRONTAR E COMBATER MUDAR POR NECESSIDADE E CRISE TER UM ENFOQUE EU E MEU DEPARTAMENTO ANTERIORMENTE SER UM CHEFE CONTROLAR AS PESSOAS CENTRALIZAR A AUTORIDADE ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS DIRIGIR COM REGRAS E REGULAMENTOS CONFRONTAR E COMBATER MUDAR POR NECESSIDADE E CRISE TER UM ENFOQUE EU E MEU DEPARTAMENTO FUTURO LÍDER SER UM COACH E FACILITADOR EMPOWERMENT DISTRIBUIR A LIDERANÇA CONCILIAR VISÃO E ESTRATÉGIA GUIAR COM VALORES COMPARTILHADOS COLABORAR E UNIFICAR TER UM ENFOQUE MAIS AMPLO TER UM ENFOQUE DE NOSSA ORGANIZAÇÃO FUTURO LÍDER SER UM COACH E FACILITADOR EMPOWERMENT DISTRIBUIR A LIDERANÇA CONCILIAR VISÃO E ESTRATÉGIA GUIAR COM VALORES COMPARTILHADOS COLABORAR E UNIFICAR TER UM ENFOQUE MAIS AMPLO TER UM ENFOQUE DE NOSSA ORGANIZAÇÃO davidbomfin.com

19 OBJETIVOS DA LIDERANÇA COM A EQUIPE CONSTRUIR EQUIPES INFORMAIS E MULTIFUNCIONAIS DE TRABALHO. ENCORAJAR UMA COMUNICAÇÃO CLARA E ABERTA. EDUCAR, SENSIBILIZAR E TREINAR TODOS OS NÍVEIS DE FUNCIONÁRIOS. GERENCIAR ROTINAS E ASSIM DESENCORAJAR RESPOSTAS BUROCRÁTICAS. AJUDAR OS LÍDERES FORMAIS A AGIR DE FORMA MAIS EFETIVA COM SEUS FUNCIONÁRIOS. AJUDAR AS PESSOAS AFETADAS PELA MUDANÇA A LIDAR COM SUAS FRUSTRAÇÕES, ACONSELHANDO-OS A DESENVOLVER RESPOSTAS MAIS ABERTAS E FLEXÍVEIS. RECONHECER E RECOMPENSAR AS ATITUDES FACILITADORAS À MUDANÇA. CONSTRUIR EQUIPES INFORMAIS E MULTIFUNCIONAIS DE TRABALHO. ENCORAJAR UMA COMUNICAÇÃO CLARA E ABERTA. EDUCAR, SENSIBILIZAR E TREINAR TODOS OS NÍVEIS DE FUNCIONÁRIOS. GERENCIAR ROTINAS E ASSIM DESENCORAJAR RESPOSTAS BUROCRÁTICAS. AJUDAR OS LÍDERES FORMAIS A AGIR DE FORMA MAIS EFETIVA COM SEUS FUNCIONÁRIOS. AJUDAR AS PESSOAS AFETADAS PELA MUDANÇA A LIDAR COM SUAS FRUSTRAÇÕES, ACONSELHANDO-OS A DESENVOLVER RESPOSTAS MAIS ABERTAS E FLEXÍVEIS. RECONHECER E RECOMPENSAR AS ATITUDES FACILITADORAS À MUDANÇA. davidbomfin.com

20 AS VANTAGENS DO TRABALHO EM EQUIPE GRUPO DE TRABALHO –REALIZA REUNIÕES EFICIENTES –MEDE SUA EFICÁCIA DE FORMA INDIRETA, OU SEJA, POR MEIO DE SUA INFLUÊNCIA SOBRE OUTRAS PESSOAS. –DISCUTE, DECIDE E DELEGA. GRUPO DE TRABALHO –REALIZA REUNIÕES EFICIENTES –MEDE SUA EFICÁCIA DE FORMA INDIRETA, OU SEJA, POR MEIO DE SUA INFLUÊNCIA SOBRE OUTRAS PESSOAS. –DISCUTE, DECIDE E DELEGA. EQUIPE –ESTIMULA REUNIÕES COM DISCUSSÕES ABERTAS E UMA ATIVIDADE DINÂMICA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. –MEDE SUA PERFORMANCE DE FORMA DIRETA, OU SEJA, ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO DOS SEUS PRODUTOS DE TRABALHO COLETIVO. –DISCUTE, DECIDE E EXECUTA TRABALHO REAL EM CONJUNTO. EQUIPE –ESTIMULA REUNIÕES COM DISCUSSÕES ABERTAS E UMA ATIVIDADE DINÂMICA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. –MEDE SUA PERFORMANCE DE FORMA DIRETA, OU SEJA, ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO DOS SEUS PRODUTOS DE TRABALHO COLETIVO. –DISCUTE, DECIDE E EXECUTA TRABALHO REAL EM CONJUNTO. davidbomfin.com

21 AS VANTAGENS DO TRABALHO EM EQUIPE GRUPO DE TRABALHO –Líder forte e claramente enfocado –Responsabilidade individual –Produtos de trabalho individual GRUPO DE TRABALHO –Líder forte e claramente enfocado –Responsabilidade individual –Produtos de trabalho individual EQUIPE –Papéis compartilhados de liderança –Responsabilidade individual e mútua –Produtos de trabalho coletivos. EQUIPE –Papéis compartilhados de liderança –Responsabilidade individual e mútua –Produtos de trabalho coletivos. davidbomfin.com

22 AMARAL, C. S. Abordagem de Coaching para o Desenvolvimento de Gestores Trainee, Mimeo. BIEHL, K. A. Grupos e equipe de trabalho: uma estratégia de gestão, p. 133:143, in: BITTENCOURT, C. (org.). Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais, Porto Alegre: Bookman, BOMFIN, David F. Desenvolvimento de líderes em prol da gestão educacional democrática: contribuições da aprendizagem organizacional. In: GOULART, I. B.; PAPA FILHO, S. (Org.). Gestão de Instituições de Ensino Superior. 1 ed. Curitiba: Juruá, 2009, v. 1, p COHEN, A. R. FINK, S. Liderança: exercício da influência e do poder. p. 253:276. in: COHEN, A. R. FINK, S. Comportamento organizacional: conceitos e estudos de casos, Rio de Janeiro : Campus, COHEN, A. R.; FINK, S. Liderança: funções e estilos gerenciais. p. 277:309. In: COHEN, A. R.; FINK, S. Comportamento organizacional: conceitos e estudos de casos, Rio de Janeiro: Campus, REFERÊNCIAS davidbomfin.com

23 GALLBACH, B. R. Aprendizagem em Equipe: Uma avaliação dos gestores de uma empresa do setor de Biotecnologia f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração) - FEAD - Centro de Gestão Empreendedora, Belo Horizonte, KATZENBACH, J. R.; SMITH, D. K. A força e o poder das equipes. Makron Books, NEVES, C. F; H, Silveira M; BOMFIN, David F. Aprendizado em grupo: uma estratégia didático-pedagógica permanente no estágio de docência no programa de engenharia oceânica da COPPE/UFRJ. XXXII COBENGE, XXXII, v. 1, p , ROBBINS, S, Fundamentos do comportamento em grupo. p. 185:209. In: ROBBINS, S. Comportamento organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005, 536 p. ROBBINS, S. Questões contemporâneas sobre liderança. p. 275:300. In: ROBBINS, S. Comportamento organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005, 536 p. ROBBINS, S. Compreendendo as equipes de trabalho. p. 211:230. In: ROBBINS, S. Comportamento organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005, 536 p. REFERÊNCIAS davidbomfin.com

24 SANTOS, M. dos. Gestores de Empresas de Transporte Coletivo Urbano e as Necessidades de Aprendizagem sobre Liderança: Um Estudo Comparativo Brasil–Angola f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração) - FEAD - Centro de Gestão Empreendedora, Belo Horizonte, SCHERMERHORN, Jr. Trabalho de equipe e projeto de grupo. p. 147:160. In: SCHERMERHORN, Jr. Fundamentos do comportamento organizacional. Porto Alegre : Bookman, 1999, 328 p. SCHERMERHORN, Jr. Como os grupos trabalham. p.131:145. In: SCHERMERHORN, Jr. Fundamentos do comportamento organizacional. Porto Alegre : Bookman, 1999, 328 p. SCHERMERHORN, Jr. Liderança. p. 225:238. In: SCHERMERHORN, Jr. Fundamentos do comportamento organizacional. Porto Alegre: Bookman, 1999, 328 p. TOLFO, S. da R. A liderança: da teoria dos traços ao coach. p. 271: 307, in: BITTENCOURT, C. (org.). Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais, Porto Alegre: Bookman, REFERÊNCIAS davidbomfin.com


Carregar ppt "Prof. David F. Bomfin PhD Conteúdos elaborados pelo Prof. Dr. David F. Bomfin – Organização: Flávio Hastenreiter. davidbomfin.com."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google