A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: 351217270250 Fax: 351217270252 Economia Aplicada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: 351217270250 Fax: 351217270252 Economia Aplicada."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia Aplicada MBA Fernando Branco Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6

2 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Existem poucas empresas Produtos diferenciados ou homogéneo Interacções estratégicas: –As decisões de umas empresas afectam os resultados das outras. Complexidade e interesse do oligopólio. Exemplo: Emissões de televisão. O mercado de oligopólio

3 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Interacções estratégicas Na gestão de uma empresa oligopolista o gestor tem de se questionar sobre as reacções dos outros: –Se alterar o preço? –Se alterar a quantidade? –Se introduzir um novo produto? –Se fizer mais publicidade? –...

4 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Emissões de televisão A competição entre RTP, SIC e TVI é um bom exemplo de um oligopólio em Portugal. As decisões das diferentes empresas são feitas em função dos gostos dos telespectadores e das escolhas das outras cadeias. O papel da interacção estratégica é claro quando olhamos para as respectivas programações.

5 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Um mercado de oligopólio? As situações de interacção em oligopólios são muito variadas. Não é possível ter um só modelo para descrever o comportamento dos oligopolistas. O comportamento dos oligopolistas depende muito fortemente das características dos mercados.

6 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O oligopólio de Sweezy Existem poucas empresas no mercado; Os produtos são diferenciados; Cada empresa crê que uma descida de preço será acompanhada pelos rivais, mas subidas de preço não o serão. Existem barreiras à entrada. Motivação: observação empírica

7 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco CMg D D Procura dirigida a uma empresa

8 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Implicações do oligopólio de Sweezy O preço e a quantidade oferecida não variam em função de perturbações limitadas do custo marginal da empresa; O equilíbrio inicial tem alguma inércia –Todavia, o equilíbrio inicial não é explicado pelo modelo.

9 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco D D CMg Rigidez de preço e quantidade

10 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Outros modelos de oligopólio Principal problema do modelo de Sweezy: –O comportamento dos rivais é arbitrário. Os modelos mais aceites derivam endogenamente o comportamento dos rivais. Dimensões importantes para as características do comportamento: –Estrutura temporal das decisões; –Variável estratégica de decisão (quantidade vs. preço); –Grau de diferenciação dos produtos.

11 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Dimensões importantes SimultâneoSequencial QuantidadeCournotStackelberg Preço Homog.Bertrand Empresa Dominante Diferenc. Complementos Estratégicos

12 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco A racionalização das reacções No oligopólio de Sweezy é assumido um determinado comportamento para as outras empresas. As reacções são mais fáceis de compreender em situações dinâmicas. Exemplo: Competição nas telecomunicações fixas. Como se pode racionalizar a reacção?

13 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Competição nas telecomunicações fixas Em 1999 foram licenciados novos operadores da rede fixa de telecomunicações em Portugal. O facto de a Portugal Telecom ser até então monopolista neste sector fez com que esta empresa tenha tido a possibilidade de tomar decisões relativas a este mercado antes dos novos operadores. As decisões no final do ano de 1999 não foram simultâneas.

14 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O oligopólio de Stackelberg Existem poucas empresas no mercado; Os produtos são diferenciados ou homogéneos; Uma empresa (líder) decide a sua produção primeiro do que as outras. As outras empresas (seguidores) decidem após observarem a decisão da líder. Existem barreiras à entrada. Exemplo: Ensino Universitário.

15 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Ensino Universitário Nos anos 80 e 90 assistiu-se a um acentuado crescimento das universidades privadas em Portugal. Na competição entre universidades públicas e privadas as primeiras foram as líderes (determinando vagas e admissões primeiro) e as segundas as seguidoras (determinando vagas e admissões posteriormente).

16 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Decisões em problemas dinâmicos O oligopólio de Stackelberg coloca-nos um problema dinâmico. Equilíbrios neste tipo de mercados são determinados partindo da última decisão para a primeira (do fim para o princípio). –No caso de um duopólio de Stackelberg, identificamos primeiro a decisão de equilíbrio do seguidor e só depois a do líder.

17 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco –Nível óptimo de produção da empresa seguidora dada a produção da empresa líder. –Em geral é negativamente inclinada. A empresa seguidora deseja maximizar o seu lucro: Função de reacção: Decisão do seguidor no duopólio de Stackelberg

18 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O líder deseja maximizar o seu lucro, levando em conta a posterior decisão do seguidor: Decisão do líder no duopólio de Stackelberg

19 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Função de reacção: Custos: Procura: Prob. do seguidor: Decisão do seguidor no duopólio de Stackelberg: exemplo algébrico

20 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Produção óptima: Problema do líder: Decisão do líder no duopólio de Stackelberg: exemplo algébrico

21 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Decisões das empresas no duopólio de Stackelberg: exemplo gráfico

22 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Equilíbrio no duopólio de Stackelberg Quando vai ser produzido por cada empresa? –A empresa seguidora situa-se na sua função de reacção; –A empresa líder escolhe o ponto da função de reacção da seguidora que maior lucro lhe dá. Análise gráfica Exemplo algébrico

23 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Equilíbrio no duopólio de Stackelberg: exemplo gráfico

24 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Produção do líder: Produção do seguidor: Equilíbrio no duopólio de Stackelberg: exemplo algébrico

25 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O oligopólio de Cournot Existem poucas empresas no mercado; Os produtos são diferenciados ou homogéneos; As empresas tomam decisões em simultâneo (isto é, de forma independente). Existem barreiras à entrada. Exemplo: Agências bancárias.

26 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Agências bancárias Quando na década de 80 se procedeu à abertura do sector bancário em Portugal uma das dimensões em que a concorrência rapidamente se estabeleceu foi a da criação de novas agências bancárias. Entre 88 e 92 o número de agências cresceu 75%. A abertura de agências bancárias ilustra um caso de oligopólio de Cournot.

27 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco –Nível óptimo de produção de uma empresa dada a produção (conjecturada) da outra. Cada empresa deseja maximizar o seu lucro: Função de reacção: Decisões das empresas no oligopólio de Cournot

28 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Função de reacção: Custos: Procura: Decisões das empresas no duopólio de Cournot: exemplo algébrico

29 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Decisões das empresas no duopólio de Cournot: exemplo gráfico

30 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Equilíbrio no oligopólio de Cournot Quando vai ser produzido por cada empresa? –Todas as empresas se desejam situar sobre a sua função de reacção; –O equilíbrio verifica-se na intersecção das funções de reacção. Análise gráfica Exemplo algébrico

31 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Equilíbrio no duopólio de Cournot: exemplo gráfico

32 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Funções de reacção: Equilíbrio: Equilíbrio no duopólio de Cournot: exemplo algébrico

33 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Alteração dos custos Qual o impacto de uma descida no custo da empresa 1? –Expande-se a sua função de reacção. No novo equilíbrio a empresa 1 produzirá mais e a empresa 2 produzirá menos.

34 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Alterações dos custos: exemplo gráfico

35 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Cada empresa deseja maximizar o seu lucro: Decisões das empresas no oligopólio de Cournot

36 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Se existirem n empresas iguais: Se n tender para 1: Monopólio Se n tender para infinito: Concorrência perfeita. Oligopólio de Cournot, monopólio e concorrência perfeita

37 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Stackelberg versus Cournot Como se comparam os valores de equilíbrio dos duopólios de Stackelberg e Cournot? O líder produz mais e o seguidor menos do que produziriam num duopólio de Cournot; O líder tem lucro superior e o seguidor inferior ao que teria num duopólio de Cournot.

38 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Stackelberg versus Cournot: análise gráfica

39 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Dimensões da concorrência A concorrência estabelece-se frequentemente através de outras dimensões: –nas características dos produtos; –em preços. Exemplo: Concorrência nas telecomunicações. Quais as consequências da concorrência em preços?

40 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Concorrência nas telecomunicações O sector das telecomunicações tem sido um dos que em Portugal dá sinais mais claros de intensa concorrência. Naturalmente, não se sente que esta seja estabelecida em quantidades. É-o certamente em preços, mas também em diversas outras dimensões.

41 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O oligopólio de Bertrand Existem poucas empresas no mercado; Os produtos são homogéneos e produzidos com custo marginal igual e constante; As empresas escolhem os preços simultaneamente; Os consumidores têm informação perfeita e não existem custos de transacção; Existem barreiras à entrada. Exemplo: Concorrência no sector bancário.

42 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Concorrência no sector bancário A concorrência entre os bancos quer ao nível da captação de depósitos quer ao nível da concessão de crédito tem na taxa de juro (preço) a dimensão mais importante. Porém, diversos estudos para Portugal mostram que a competição não é tão intensa como num oligopólio de Bertrand.

43 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Decisões das empresas no oligopólio de Bertrand Os compradores compram na empresa que vende mais barato. Se uma empresa conhecesse o preço da outra, qual o preço que desejaria escolher? –Um preço infinitesimalmente inferior (enquanto não estiver abaixo do custo marginal)

44 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Equilíbrio no duopólio de Bertrand O equilíbrio resulta quando ambas as empresas escolhem o preço igual ao custo marginal. Bastam duas empresas para que o resultado do mercado seja semelhante ao do mercado de concorrência perfeita.

45 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Diferenças de custos no oligopólio de Bertrand O que se passaria se os custos marginais das duas empresas fossem diferentes? Exemplo Se a diferença de custos for reduzida, o preço de equilíbrio seria igual ao custo marginal da empresa menos eficiente, caso contrário seria o preço de monopólio da empresa mais eficiente.

46 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco Exemplo com diferenças de custos Procura: Custos: Equilíbrio: –Se c < 6: –Se c 6:

47 Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: Fax: Economia AplicadaMBA Ano lectivo Trimestre de Inverno Sessão 6 ©Fernando Branco O oligopólio de Bertrand na realidade É difícil encontrar exemplos claros de oligopólios de Bertrand. Apesar de existirem poucas empresas o seu lucro seria nulo. Na realidade as empresas procuram encontrar mecanismos para elevarem os seus lucros (por exemplo diferenciação ou carteis).


Carregar ppt "Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Tel.: 351217270250 Fax: 351217270252 Economia Aplicada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google