A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Motivação da Aprendizagem Paula Santos Liliana Moreira História.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Motivação da Aprendizagem Paula Santos Liliana Moreira História."— Transcrição da apresentação:

1 Motivação da Aprendizagem Paula Santos Liliana Moreira História

2 Motivação é: O processo que provoca certo comportamento, mantém a actividade ou a modifica; A intenção do professor proporcionar aos alunos uma situação que os induza a um esforço intencional, a uma actividade visando os resultados pretendidos; O resultado de um complexo de necessidades de carácter biológico, psicológico e social; É a motivação que dá vida, espontaneidade e razão de ser às aulas.

3 Motivar é: Predispor o aluno ao que se quer ensinar; Levar o aluno a participar activamente nos trabalhos escolares; Despertar o interesse do aluno em aprender para alcançar objectivos definidos.

4 A aprendizagem cria novos motivos, novas necessidades através de dois factores: 1. Factor de impulsão 2. Factor de direcção

5 A motivação, no processo de aprendizagem, pode provocar os seguintes passos: Cria-se uma situação de necessidade Vislumbra-se um objectivo capaz de satisfazer a necessidade Inicia-se o esforço ou acção para solucionar a dificuldade Se ocorrer solução ou satisfação da necessidade A tensão diminui

6 Motivação Positiva ou Negativa Motivação Positiva Intrínseca: quando o aluno estuda por “gostar da matéria”. Extrínseca: quando o motivo de aplicação ao estudo não é a matéria em si.

7 Motivação Negativa Física: quando o aluno sofre castigos físicos. Psicológica: quando o aluno é tratado com severidade excessiva, com desprezo.

8 Tipos de Motivação 1.Inicial: quando o professor, no início da aula, prepara os alunos para os trabalhos que vão ser realizados; 2.De desenvolvimento (incentivação): deve ser empregue durante o decorrer da aula, aproveitando, também, os incidentes que possam acontecer com o objectivo de reavivar o interesse dos alunos pelo que está a ser estudado;

9 Classificação dos motivos Motivos primários: Dizem respeito a exigências orgânicas e fisiológicas consideradas inatas; Motivos secundários: Dizem respeito a exigências Sociais;

10 Motivação Vs Incentivação Vem do interior do próprio indivíduo impelindo-o para algo; É como que uma força interior que provoca interesse por alguma coisa. É a estimulação vinda do exterior; É o acto de despertar o individuo para alguma forma de actividade física ou mental vinda do exterior. A motivação é interior e a incentivação é exterior, no entanto, ambas convergem para o mesmo objectivo que é despertar psicologicamente o indivíduo para algo.

11 Tipos de alunos segundo a motivação: Alunos que não precisam de muitos estímulos por estarem sempre dispostos a fazer o que o professor planeou; Alunos que precisam de motivação para estudar; Alunos regulares na sua dedicação aos estudos; Alunos que não se impressionam pelos métodos utilizados pelo professor; Alunos facilmente motiváveis mas inconstantes, já que o seu interesse diminui com o decorrer da aula.

12 Motivos dominantes Maslow e os seis níveis de necessidades: Biológicas De segurança física De amor De comunicação De auto-estima De auto-realização

13 Thomas e a sua teoria dos quatro desejos Desejo de correspondência; Desejo de consideração; Desejo de novas experiências; Desejo de segurança.

14 Prescott e as três categorias de necessidades Necessidades fisiológicas Necessidades sociais/ status Necessidades integrativas

15 Snygg e Combs defendem que os motivos básicos da conduta humana são a preservação e o desenvolvimento da pessoa. Estes mesmos autores desenvolvem estes motivos da seguinte maneira: Necessidades ligadas À preservação: -segurança física -segurança emocional Necessidades ligadas Ao desenvolvimento da pessoa: -auto- realização -aquisição de estatuto social -necessidade de sucesso Outro autor defende que são três os princípios responsáveis pelo Comportamento e que cada um predomina em certa fase da vida. Estes Princípios são: - princípio de prazer; -princípio de realidade; -princípio de valor;

16 Krech e Crutchfield e as suas seis proposições sobre motivação: 1ª- “a unidade que convém à análise da motivação é um comportamento molar compreendendo necessidades e aspirações.” 2ª- “A dinâmica do comportamento resulta de propriedades do campo psicológico imediato.” 3ª- “As instabilidades que se produzem no campo psicológico determinam tensões em que os efeitos sobre a percepção, o conhecimento e a acção se traduzem por uma tendência a modificar o campo para que ele encontre uma estrutura mais estável.”

17 4ª- “A frustração (impossibilidade de uma tendencia alcançar o seu fim) e o fracasso na solução de uma tenção podem dar origem a diversos comportamentos de adaptação bem sucedida ou fracassada.” 5ª- “As modalidades características da realização de desejos e a redução de tenções podem representar o objecto de uma aprendizagem e de uma fixação individual.” 6ª- “O comportamento tende, muitas vezes, a organizar a estabilidade do campo psicológico em níveis cada vez mais altos.”

18 Fontes de Motivação As fontes de motivação representam elementos que despertam nos alunos um motivo para certas actividades e podem até funcionar como técnicas de motivação. As principais fontes sao: Necessidade do educando, que podem ser de natureza biológica, psicológica ou social Curiosidade natural do ser humano Vida social, acontecimentos da actualidade Ambiente escolar adequado Ludicidade Personalidade do professor Aprovação social Reforço Competição Desejo de evitar fracassos e punições Necessidades económicas Necessidades de conhecimentos Desejo de destinguir-se Desejo de ser eficiente Tendência à esperimentação Aspirações

19 Técnicas de Motivação As técnicas de motivação são imensas, e assim, possibilitam ao professor usar mais do que uma em cada aula para motivar a sua turma. Estas técnicas procuram levar o aluno a querer e ser integrado nos trabalhos da turma. Como exemplo destas técnicas temos:

20 Correlação com o real Victória inicial Fracasso inicial Problemática das idades Ocorrências actuais da vida social Participação do aluno Auto-separação Vontade de aprovação Elogios e censuras Material didáctico Ocorrências ocasionais Reconhecimento da utilidade mediática e imediata do conteúdo Necessidade do aluno Experimentação Coleguismo Vontade de independência Estímulo do ambiente Conhecimento preciso dos objectivos a alcançar Redução dos factores negativos, aumentando os positivos Espírito lúdico

21 Aspirações Coloquio com os alunos Personalidade do professor Motivação pelo próprio conteúdo Oportunidade de contacto com várias actividades Actividades segundo as possibilidades de cada um Realização de experiências reais Aplicações da técnicas ou conhecimentos adquiridos Relaccionamento professional Verificação com intuito de melhoria Apresentação de dificuldades Relaccionamento dos estudos com objectivos de vida Interesse pelo educando Engajamento Trabalhos graduados Sucesso Trabalhos interompidos Boas relações entre os professores e os educandos Conhecimento imediato dos resultados Reforço


Carregar ppt "Motivação da Aprendizagem Paula Santos Liliana Moreira História."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google