A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CLASSIFICAÇÃO: A)Macroelementos: Ca, P, Mg, Na, Cl, S, K B) Microelementos: Cu, I, Fe, Mn, Se, Zn, Ni, V, etc. INTRODUÇÃO: São nutrientes utilizados na.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CLASSIFICAÇÃO: A)Macroelementos: Ca, P, Mg, Na, Cl, S, K B) Microelementos: Cu, I, Fe, Mn, Se, Zn, Ni, V, etc. INTRODUÇÃO: São nutrientes utilizados na."— Transcrição da apresentação:

1 CLASSIFICAÇÃO: A)Macroelementos: Ca, P, Mg, Na, Cl, S, K B) Microelementos: Cu, I, Fe, Mn, Se, Zn, Ni, V, etc. INTRODUÇÃO: São nutrientes utilizados na forma original, tendo funções essenciais ao organismo, principalmente como catalisadores em sistemas enzimáticos. Aula 08 - Nutrientes: Minerais

2 Importância É o elemento mineral necessário em maiores quantidades nas dietas. CÁLCIO Deposição orgânica: Tecido muscular: 0,1 g/kg Ossos: 110 – 200 g/kg Gorduras - Ausente

3 Funções Formação do esqueleto: 99% do Ca está presente nos ossos e dentes Presente no sistema auditivo: ossos martelo, bigorna e estribo Formação dos dentes Presente no leite e na casca do ovo Processo de coagulação: Pro-trombina + Cálcio = Trombina Equilíbrio ácido-básico e pressão osmótica Processo de contração muscular CÁLCIO

4 Fontes: Calcário calcítico, Farinha de ossos, Farinha de algas, Farinha de ostras (concha triturada), Fosfatos bicálcico e monocálcico,...

5 FÓSFORO Importância É o elemento mineral mais deficiente nos alimentos animais e forragens. Deposição orgãnica: Tecido muscular: 2 -3 g/kg Ossos: 50 – 100 g/kg Tecido Nervoso: 4 g/kg

6 FÓSFORO Funções Formação do tecido ósseo: 80% do P orgânico Presente na composição dos dentes Componente dos fosfolipídios Equilíbrio ácido-básico Equilíbrio osmótico Metabolismo energético: ATP, ADP, AMP, GTP, GDP

7 FÓSFORO Fontes Fosfato bicálcico Farinha de ossos Farinha de carne e ossos Fosfato monocálcico Super fosfato triplo (Flúor > 0,6%) Fosfatos de rocha (Flúor > 0,6%)

8 FATORES QUE ALTERAM A ABSORÇÃO DO CÁLCIO E DO FÓSFORO: Relação Ca:P normal de 2:1 (igual ao conteúdo ósseo), mas para poedeiras essa relação pode chegar até 6 ou 6,5:1 Vitamina D3: relacionada à absorção de cálcio Elementos que reduzem a disponibilidade: Ferro, oxalatos, fitatos Hormônios circulantes: Estrogênio, calcitonina, tirocalcitonina

9 Deficiência de cálcio e fósforo Raquitismo e osteoporose Arqueamento Tetania (contração muscular) Apetite depravado Problemas reprodutivos Índices zootécnicos piorados

10 Tabela 1: Disponibilidade biológica (%) de fósforo em alguns alimentos para suínos. AlimentoMédiaVariação Milho Milho úmido Sorgo Sorgo úmido Farelo de trigo35- Farelo de arroz25- Farelo de soja Farelo de algodão Alfafa100- Farinha de peixe100- Farinha de carne e ossos93- Fosfato bicálcico100-

11 FonteCa (%)P (%)F (%) Alga (Lithothaminium sp.)33,930,040,13 Fosfato de Araxá22,4510,331,79 Fosfato bicálcico24,3518,320,14 Calcário calcítico31,860,030,02 Fosforindus29,9316,410,66 Fosfato Goiásfértil33,7616,392,31 Fosfato Jacupiranga30,2712,182,14 Farinha de ossos23,4510,49Traços Farinha de ossos calcinada33,6815,820,03 Farinha de ostras35,540,200,01 Fosfato de Patos de Minas21,3810,411,44 Superfosfato triplo14,2320,190,66 Fosfato de Tapira32,9414,061,06 Monoamônio fosfato0,5723,770,35 Tabela 2: Composição mineral de alguns suplementos de cálcio e fósforo.

12 Principais microminerais e suas funções. MineralFunção SódioBalanço ácido básico, pressão osmótica, contração muscular, síntese da bile CloroBalanço ácido básico, pressão osmótica, síntese de HCl gástrico MagnésioConstituinte dos ossos (70% do total), Ativador enzimático, Reduz irritabilidade dos tecidos (atua na atividade neuromuscular) PotássioBalanço ácido básico, equilíbrio osmótico, atividade muscular, ativador enzimático (metabolismo dos carboidratos) EnxofreComponente da metionina, cistina, biotina, tiamina, coenzima A

13 ZincoDesenvolvimento dos ossos e penas compõe enzimas (anidrase carbônica) CobreFormação da hemoglobina, ação catalisadora, desenvolvimento e pigmentação dos pêlos e cabelos, desenvolvimento ósseo, gestação/lactação ManganêsCompõe a matriz óssea, metabolismo dos aminoácidos, ácidos graxos, colesterol e fosforilação oxidativa SelênioCompõe enzima glutationa-peroxidase. Antioxidante, processo reprodutivo IodoHormônios da tireóide FerroConstituinte da hemoglobina, transporte de oxigênio na célula (reações de oxidação orgânica)

14 CromoMetabolismo da glicose – síntese de insulina CobaltoCompõe a vitamina B12 FlúorProteção dos dentes MolibdênioCompõe a enzima xantina-oxidase (síntese de ácido úrico) SilícioMineralização dos ossos NíquelMetabolismo de RNA, componente da membrana celular VanádioMetabolismo dos lipídios ArsênioProdução de hemoglobina (não comprovado) Fonte: Ensminger & Olentine (1978) e Scott et al. (1982).

15 BALANÇO DOS ELETRÓLITOS: O metabolismo animal depende do equilíbrio (homeostase) dos nutrientes, e com isso, da interação dos diferentes nutrientes. Os minerais atuam basicamente como co- fatores ou ativadores enzimáticos, porém em muitas oportunidades, o sódio, o potássio e o cloro atuam em conjunto visando manter o equilíbrio hidro-eletrolítico da célula, mas as quantidades oferecidas nas rações, muitas vezes, contribuem para desequilibrar esta situação.

16 Normalmente o potássio se encontra em quantidades maiores que as necessidades dos animais, principalmente nos alimentos concentrados, mas este desequilíbrio se reflete no desempenho, principalmente em condições de estresse de calor. O cloro presente nos alimentos e suplementos já se encontra acima dos requerimentos animais, e apenas o sódio é atendido plenamente, visto ser adicionado o sal comum, contendo aproximadamente 40% de Na e 60% de Cl.

17 Isto requer a aplicação de uma fórmula buscando equilibrar a quantidade de cátions e ânions consumidos pelos animais, seguindo a fórmula proposta por Mongin (1981), para aves: Equilíbrio mineral (mEq/kg) = (Na + + K + +Ca ++ + Mg ++ )–(Cl - + P -- + S -- ) Na prática, as rações tem bons resultados quando os cálculos são feitos apenas com a seguinte fórmula: Equilíbrio eletrolítico = Na + + K + - Cl -

18 Os valores deste cálculo para serem considerados adequados são: Aves = 250 mEq/kg Suínos = 100 – 200 mEq/kg Ração milho – soja = 175 mEq/kg

19 Funções orgânicas que visam manter constante a formação e a excreção de íons: (Dukes, 1993). EQUILÍBRIO ÁCIDO-BÁSICO

20 A importância do equilíbrio Ácido- Básico: - Existem vários eventos corpóreos que só ocorrem no pH neutro (7,3 a 7,4), como por exemplo: secreção de enzimas, síntese protéica, secreção hormonal...etc. (Macari, 2002).

21 Como se Mantém o equilíbrio Ácido- Básico: -Para que o pH se mantenha entre 7,3 e 7,4 o organismo executa o funcionamento dos tampões orgânicos: Fonte: Dukes, 1993

22 Distúrbios no equilíbrio Ácido-Básico: Acidose Metabólica – Falha renal, metabolismo incompleto de gorduras, ácidos ingeridos. Alcalose Metabólica – Deficiência de potássio, ingestão de substâncias álcalis.

23 Função da Nutrição no equilíbrio Ácido- Básico: O equilíbrio dos ingredientes da dieta, minimiza o trabalho dos tampões orgânicos. Ex.: Uso do bicarbonato de sódio (NaHCO 3 ) e do cloreto de potássio (KCl).

24 Cálculo do Número de Mogin 1981 (Simplificado): Número ideal para aves (média) = 250 mEq/kg Leeson et al. (1995): mEq = 25/100g (Ideal), se a ração estiver com um número mais alto indica que esta poderá gerar um alcalose metabólica, se menor poderá proporcionar uma acidose metabólica.

25 Cálculo:


Carregar ppt "CLASSIFICAÇÃO: A)Macroelementos: Ca, P, Mg, Na, Cl, S, K B) Microelementos: Cu, I, Fe, Mn, Se, Zn, Ni, V, etc. INTRODUÇÃO: São nutrientes utilizados na."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google