A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Secretaria Municipal de Educação

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Secretaria Municipal de Educação"— Transcrição da apresentação:

1 Secretaria Municipal de Educação
III CICLO DE PALESTRAS Secretaria Municipal de Educação São Joaquim/2007 QUALIDADE DE VIDA É ATIVIDADE José Padilha Cref /SC

2 INTRODUÇÃO O crescimento alarmante do número de sedentárias chama a atenção da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dados da Associação Brasileira de Qualidade de Vida mostram que cerca de 70% das pessoas em todo o mundo são sedentárias e estão sujeitas a desenvolver doenças cardíacas, diabetes e obesidade. A falta de atividade física é responsável por 54% do risco de morte por enfarte, 50% por derrame cerebral e 37% por câncer.

3 TÓPICOS À SEREM ALCANÇADOS
Benefícios dos exercícios físicos A escolha do exercício adequado Orientação para exercício físico Exercício físico em crianças e jovens Exercício físico em idosos Exercício físico durante a gestação Guia para o usuário – Razões para malhar Ponto de vista e Considerações

4 INTRODUÇÃO Segundo Paiva (2007) o sedentarismo decorre das transformações provocadas pela tecnologia. As inovações tecnológicas contribuem para alterar o ritmo de vida das pessoas, condenando- as ao sedentarismo e eliminando o exercício físico do cotidiano. Como conseqüência, ela aponta o aumento de doenças crônicas, como hipertensão arterial, altas taxas de colesterol, infarto do miocárdio e obesidade.

5 Assim caminha a humanidade
A EVOLUÇÃO OCORRE DE MANEIRA QUE A ORDEM É COLOCADA, NÃO COMO IMPOSIÇÃO, MAS PORINTERMDEDIAÇÃO QUE FAZ COM QUE HAJA A MANUTENÇÃO OU A TRANSFORMAÇÃO. Assim caminha a humanidade

6 Assim caminha a humanidade
TEORIA EVOLUCIONISTA, EVOLUÇÃO HUMANA TEÓRIA CRIACIONISTA, OBRA DE DEUS. O SER HUMANO TEM DUAS MÃES, A BIOLÓGICA E A CULTURAL. O SER HUMANO É INCOMPLETO E FORMA-SE NA CULTURA QUE RECEBE. Arnold Gehlen. CERTOS ANIMAIS TEM SUAS ESPECIALIDADES JÁ NASCEM PRONTOS PARA A VIDA O HOMEM COM ISSO, É TRANSFORMAÇÃO DA NATUREZA.

7 Assim caminha a humanidade
ATIVIDADE COM GRAVIDAS – PSIQUISMO FETAL – APÓS TERCEIRO MÊS, ECLAMPSIA: CÃIBRA, FADIGA MUSCULAR – RELAXAMENTO COM PALAVRAS E MASSAGEM, FALAR COM BEBE INTRA UTERINA(DESAFIO). MATROGINASTICA E PATROGINASTICA.

8 Assim caminha a humanidade Assim caminha a humanidade

9 Assim caminha a humanidade
CHIPANZE – ORANGOTANGO – GORILAS – BARRABOS – elo perdido e... O HOMEM (movimento) motricidade com o deambular(caminhar) com isso veio o pensamento complexo, amplo com isso é o pensar neurologicamente, lateralidade

10 Mecanicamente, fisiologicamente e psicologicamente, o corpo humano é compelido a lutar por um estado de equilíbrio. (Todd)

11 As crianças não brincam mais de pipa ou de carrinho de rolimã, tudo é regido por controle remoto, por computador.

12 Benefícios dos exercícios físicos
Aumento do consumo de glicose como combustível por parte do músculo em atividade, Durante os EF, a glicose entra nas células sem a necessidade de insulina, Contribui para o controle da glicemia, O efeito hipoglicemiante pode se prolongar por horas e até dias após o fim do EF. Não estou falando de academia, fisiculturismo ou algo similar. Estou me referindo a cortar grama, dançar, levar o filho à escola, caminhar com o cachorro e andar pelo bairro. Estudos mostram que, se você caminhar todos os dias pelo menos 800 metros, suas chances de ter uma doença cardiovascular diminuem.

13 Benefícios do exercício físico
Melhora o condicionamento cardiorrespiratório, Reduz fatores de risco cardiovasculares, por diminuição da PA e dos lipídeos, Melhor utilização da insulina, tanto endógena quanto exógena, Diminuição das doses dos medicamentos.

14 Benefícios do exercício físico
Perda de peso, Força muscular e resistência física, Agrega cálcio ao osso, Melhora a auto-estima e o humor, Aumento do HDL-colesterol (o "colesterol bom")

15 Seja flexível, sejamos flexíveis, física e mentalmente
Seja flexível, sejamos flexíveis, física e mentalmente. Seja forte, sejamos fortes, física e mentalmente. (Abdallah Achour Junior)

16

17 A escolha do exercício adequado
Individualmente, pelos fatores: Risco associado à atividade: lesão, em determinados indivíduos que já são predispostos. Preferência pessoal: benefício só com a prática regular e a continuidade depende do prazer realizá-la. Não adianta indicar atividade que a pessoa não se sinta bem praticando. Risco associado à atividade: alguns tipos de exercícios podem associar-se a alguns tipos de lesão, em determinados indivíduos que já são predispostos. Preferência pessoal: o benefício da atividade só é conseguido com a prática regular da mesma, e a continuidade depende do prazer que a pessoa sente em realizá-la. Assim, não adianta indicar uma atividade que a pessoa não se sinta bem praticando. Aptidão necessária: algumas atividades dependem de habilidades específicas. Para conseguir realizar atividades mais exigentes, a pessoa deve seguir um programa de condicionamento gradual, começando de atividades mais leves. Aptidão necessária: algumas atividades dependem de habilidades específicas. Para conseguir realizar a pessoa deve seguir um programa de condicionamento gradual.

18 Orientação para exercício físico
O exercício físico deve ser indicado e acompanhado por profissional qualificado. “A avaliação médica é importante” Trace metas pessoais realistas. A progressão deverá sempre ser lenta e gradativa O EF deve ser planejado, bem estruturado e realizado repetitivamente. Os primeiros dias de exercícios são os mais difíceis e os benefícios fisiológicos ocorrem nas primeiras horas após a sessão inicial.

19 Orientação para exercício físico
Os benefícios fisiológicos renderão resultados importantes em um prazo mais longo. Exercícios no período de férias. Não parar uma sessão de exercício logo nos primeiros minutos (acontece com maratonistas altamente treinados!) Exercícios por algumas semanas ou poucos meses e depois interromper. O exercício físico regular deverá ser incorporado em sua vida, inclusive nos períodos de férias. Resista e o seu corpo ficará agradecido que, dentro de alguns poucos minutos, a sensação de desconforto e desânimo tendem a desaparecer e a serem substituídas por um bem-estar, que então se prolongará pelo restante do seu dia. Resista e o seu corpo ficará agradecido, a sensação de desconforto e desânimo tendem a desaparecer.

20 Exercício físico em crianças e jovens
Aquisição de habilidades psicomotoras, Importante para o desenvolvimento intelectual, Favorece melhor desempenho escolar, melhora convívio social, Via de escape para energia “extra normal” sua hiperatividade.

21 Exercício físico em idosos
Fortalece os músculos das pernas e costas. Melhora os reflexos, Melhora a sinergia motora das reações posturais, Melhora a velocidade de andar, Incrementa a flexibilidade, Mantém o peso corporal, Melhora a mobilidade, Diminui o risco de doença cardiovascular. Sarcopenia em idosos: "perda de carne" (sarx = carne, penia = perda SINERGIA: QUARTA IDADE:

22 Exercício físico durante a gestação
Protege as articulações e reduz o risco de lesões, Previne as dores lombares, Auxilia no trabalho de parto saudável, Diminui a chance de ter varizes, Ajuda na oxigenação, na circulação e no controle da respiração, Exercícios na água favorecem o relaxamento corporal e reduzem as dores nas pernas e o inchaço dos pés e mãos.

23 AtiVIDAde física é longeVIDAde
Um dos aspectos mais fascinantes que tem sido motivo de várias pesquisas é a relação entre o exercício e a longevidade. Os estudos têm demonstrado que os indivíduos fisicamente ativos apresentam menor deterioração da aptidão física.

24 Os músculos podem ter individualidade anatômica, mas com desempenho interdependente, para realizar um movimento bem coordenado. (Abdallah Achour Junior)

25 Guia para o usuário - Razões para malhar
Introdução Nenhuma atividade física é completa por si só nem mesmo a natação. O ideal é fazer mais de uma atividade respeitando o gosto individual para se tornar um hábito e que de alguma forma se completem, quebrando a rotina. A primeira desculpa para não fazer exercício é quase sempre: "não tenho tempo". Preciso trabalhar para ganhar muito dinheiro, à custa de estar perdendo a saúde. Quem apenas "malha" sente falta de uma atividade aeróbia e quem apenas corre também sente falta de algo a mais para os músculos. O corpo precisa de exercícios regulares, de trabalho prazeroso, de ocupação da mente com estudos e/ou qualquer leitura e de relaxamento também. Um dia poderá gastar todo o dinheiro que ganhou trabalhando para tentar recuperar a saúde. Se der tempo.

26 Guia para o usuário - Razões para malhar
Classificação do Exercício Físico Baixa ou média intensidade e longa duração Aeróbio Grande intensidade e curta duração Anaeróbio lático Grande intensidade e curtíssima duração Anaeróbio alático Pela via metabólica predominante Características Denominação

27 Guia para o usuário - Razões para malhar
Exercícios resistidos com pesos (anaeróbio) Eleva metabolismo de repouso, Aumento da massa muscular, Manutenção da massa óssea e muscular, Não apresentam impacto.

28 Guia para o usuário - Razões para malhar
Exercícios resistidos com pesos (anaeróbio) Equilíbrio anabólico A melhora das diferentes manifestações da força com o treinamento costuma ser acompanhada de um equilíbrio hormonal anabólico, refletido por um aumento das taxas basais de hormônios anabolizantes, e/ou decréscimo das taxas de hormônios catabólicos. Os hormônios anabolizantes (gh, insulina, somatomedinas, testosterona e tireóideos) possuem efeitos metabólicos e musculares semelhantes aos observados no músculo após o treinamento de força. A melhora das diferentes manifestações da força com o treinamento costuma ser acompanhada de um equilíbrio hormonal anabólico, refletido por um aumento das taxas basais de hormônios anabolizantes, e/ou decréscimo das taxas de hormônios catabólicos

29 Guia para o usuário - Razões para malhar
Exercícios aeróbios Equilíbrio anabólico Metabolismo fica acelerado, queimando principalmente lipídios e glicose, Treinos mais intensos podem degradar as reservas de proteína.

30 Quando nos alongamos com desprazer, trinta segundos representam uma eternidade.
(Abdallah Achour Junior)

31 Guia para o usuário - Razões para malhar
Coração é o músculo mais importante. O coração é um barômetro. Informando a intensidade dos exercícios, o seu estado emocional, e a velocidade com que você está utilizando suas energias. Este sinal é sua freqüência cardíaca, e a sua importância para qualquer um que pratique exercícios físicos. Ele coloca tais variáveis psicológicas em conjunto, estabelece seu peso e produz um sinal que informa sua condição física geral. FCM = idade

32 Guia para o usuário - Razões para malhar
1 - Massa Muscular e Força Desnutrição, ↓ 14,5 Abaixo do peso, até 20 Peso normal, 20 a 24,9 Sobrepeso, 25 a 29,9 Obeso, de 30,0 a 39,9 Obesidade Mórbida, de 40 → 2 - Obesidade IMC=Peso(kg) h2 O coração é um barômetro. Informando a intensidade dos exercícios, o seu estado emocional, e a velocidade com que você está utilizando suas energias. Este sinal é sua freqüência cardíaca, e a sua importância para qualquer um que pratique exercícios físicos. Ele coloca tais variáveis psicológicas em conjunto, estabelece seu peso e produz um sinal que informa sua condição física geral. 3 - Metabolismo basal 4 - Doenças Cardiovasculares

33 Guia para o usuário - Razões para malhar
5 - Flexibilidade 6 - Osteoporose 7 - Diabetes 8 - Segurança 9 - Todas as Idades 10 - As Mulheres 11 - Aparência pessoal

34 Guia para o usuário - Razões para malhar
Quanto a duração dos efeitos fisiológicos Efeitos fisiológicos agudos imediatos Efeitos fisiológicos agudos tardios Efeitos fisiológicos agudos imediatos: As respostas, são aqueles que acontecem em associação direta a sessão de exercício. os efeitos agudos imediatos, são os que ocorrem nos períodos pré e pós-imediato do exercício e podem ser exemplificados pelos aumentos de freqüência cardíaca (FC), ventilação pulmonar e sudorese, habitualmente associados ao esforço. Efeitos fisiológicos agudos tardios: são os efeitos fisiológicos observados ao longo das primeiras 24 horas que se seguem a uma sessão de exercícios e podem ser exemplificados como na discreta redução dos níveis tensionais, especialmente, nos hipertensos, e no aumento do número de receptores de insulina nas membranas das células musculares. Efeitos fisiológicos crônicos:também denominados como adaptações, são aqueles que resultam da exposição freqüente e regular às sessões de exercícios, representado os aspectos morfo-funcionais que diferem um indivíduo fisicamente treinado, de um outro sedentário . Dentre os achados mais comuns dos efeitos crônicos do exercícios físicos estão a hipertrofia muscular e o aumento do consumo máximo de oxigênio. Efeitos fisiológicos crônicos

35 Guia para o usuário - Razões para malhar
FCMax (freqüência cardíaca máxima) = 220 – idade 1 - Zona de Atividade Moderada: 50 – 60% da FCMax 2 - Zona de Controle de Peso: 60 – 70% da FCMax 3 - Zona Aeróbica: 70 – 80% da FCMax> 4 -Zona do Limiar Anaeróbico: 80 – 90% da FCMax 5 -Zona de Esforço Máximo: 90 – 100% da FCMax

36 Guia para o usuário - Razões para malhar
Alguns resultados antes depois

37 Guia para o usuário - Razões para malhar
Alguns resultados antes depois

38 Guia para o usuário - Razões para malhar
Alguns resultados antes depois

39 O estilo de vida pouco ativo enrijece o sistema muscular: alongue-se.
(Abdallah Achour Junior)

40 Ponto de vista Isto é saúde?

41 Ponto de vista Isto é saúde?

42 Ponto de vista Isto é saúde?

43 Ponto de vista Isto é saúde?

44 Ponto de vista Isto é saúde?

45 Conhecimento vem de teu instrutor, mas a sabedoria vem do teu interior.
(Bruce Lee)

46 Considerações finais Qualidade de vida é saúde e bem estar, não somente estética. Qualquer atividade física fará bem ao aluno, tanto o aeróbio quanto o anaeróbio. Mas se a meta do praticante for melhorar suas condições de saúde ou apenas ter mais qualidade de vida, a prática de qualquer uma das atividades é aconselhada. MEXA-SE.

47 Considerações finais Para ficar com o corpo mais bonito para o verão, as duas modalidades são indicadas, porém depende do objetivo a ser atingido. Se quer emagrecer, é aconselhável exercícios aeróbios, que queimam, em média, 400 cal. por aula, mas se o ideal for aumentar e definir a massa muscular, a musculação é a melhor saída. O aluno tem que acompanhar as aulas no seu limite e aumentar a carga à medida que os músculos se fortalecem. "Deve-se tomar cuidado com o ritmo das aulas.

48 Considerações finais mensagem

49

50 Referência bibliográfica
AABERG, EVERETT: Musculação: biomecânica e treinamento. Manole, 2001 ACHOUR JUNIOR, A. Exercícios de Alongamento, Anatomia e Fisiologia. 2ª edição. Barueri,SP: Manole, 2006 ANDRADE, L.A.; MATSUDO, S.M.; MATSUDO, V.K.R.: Performance neuromotora em mulheres ativas. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde 2(1),1995 FLECK, S.J.; KRAMER, W.J.: Fundamentos do treinamento de força muscular. 2a edição. Porto Alegre. Artes Médicas Sul,1997 FARINATTI, P.T.V.; MONTEIRO, W.D.: Fisiologia e avaliação funcional. Rio de Janeiro. Sprint,1992 FARINATTI, P.T.V; MONTEIRO, D.M.; AMORIM, P.R.S.; FARJALLA, R.: Força muscular e características morfológicas de mulheres idosas praticantes de um programa de atividades físicas. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 4 (1) :20-28,1999 FORJAZ, C. Prescrição de exercício para hipertensos. Disponível em: Acesso em 21 fev 2007. FOX, E.L.: Bases fisiológicas da educação física e dos desportos. 4ª Ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan,1991

51 Referência bibliográfica
GHORAYEB, N.; BARROS, T.: O exercício: preparação fisiológica, avaliação médica, aspectos especiais e preventivos. Ed. Atheneu,1999. GIANOLLA, F. História da musculação. Disponível em: htt://www.nabba.com.br>. GREGÓRIO, E. Cuidados com o treinamento excessivo. Super-treino, São Paulo, n. 23, p. 52, dez/jan. 2006/2007. HAY, J.G.: The biomechanics of sports techiniques. 2ª ed. Englewood Cliffs,1998 LIMA, E. Objetivos e benefícios da musculação. Disponível em: http//www.saudetotal.com.br> MION, D. J. Risco cardiovascular global. Disponível em: http//www.saudetotal.com.br>. MONTEIRO, D. M.; AMORIM, P.R.S.; FARJALLA, R.; FARINATTI, P.T.V.: Força muscular: uma abordagem fisiológica em função do sexo, idade e treinamento. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 2 (2) :50-66,1997 NELSON, M. E & WERNICK, S.: Mulheres fortes sempre jovens. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

52 Referência bibliográfica
OLIVEIRA, A.C.C.; ARAÚJO, C.G.S.: Avaliação da idade biológica e sua aplicabilidade na educação física.In: fundamentos biológicos da medicina desportiva. Rio de Janeiro, p.35-64, 1985 OLMOS, B. Academias de verão. Disponível em: OTANEZ, J.D.: Comparação da força geral entre indivíduos de diferentes idades de ambos os sexos. Revista de Educação Física 4 (7) :7-16,1983 PAIVA, Ellen Simone. Diretora do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen) e mestre em medicina na área de nutrição e diabetes pela Universidade de São Paulo (USP) POLLOCK , M.L.; WILMORE, J.H.: Exercício na saúde e na doença. Avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. 2ª ed. Rio de Janeiro. MEDSI, 1993. POWERS, S.K & HOWLEY, E. T.: Fisiologia do Exercício: Teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000. RASO,V.; ANDRADE, E.L.; MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V.K.: Exercício aeróbio ou de força muscular melhora as variáveis da aptidão física relacionadas a saúde em mulheres idosas? Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 2 (3): 36-49,1997

53 Referência bibliográfica
RASO, V.; ANDRADE, E.L.; MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V.K.: A força muscular de mulheres idosas decresce após oito semanas de interrupção de um programa de exercício com pesos livres. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 7 (6): , 2001. ROGER, M.A. & EVANS, W.J.: Changes in skelectal muscle with agining: effects of exercise training. Exercise and sport sciences reviews. Batilmore, v. 21, 1993. SANTARÉM, J. M.; BARBOSA, A.R.; MARUCCI. M.F.N.: Efeitos de um programa de treinamento contra resistência sobre a força muscular de mulheres idosas. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 05 (3):12- 20,2000 SANTARÉM, J.M. Exercícios com pesos. Disponível em: WEINECK, J.: Manual de treinamento desportivo. São Paulo: ed. Manole, 1986. WEINECK, J.: Biologia do esporte. São Paulo: ed. Manole, 1991 WILMORE, J.H.; COSTILL, D.L.: Physiology of sport and exercise. Champaingn. Human Kinects,1999.


Carregar ppt "Secretaria Municipal de Educação"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google