A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda. Paulo Freire.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda. Paulo Freire."— Transcrição da apresentação:

1 Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda. Paulo Freire

2 Para refletir…. O Conteúdo de ensino sempre tem relação com a linha pedagógica? Nosso PTD- Plano de Trabalho Docente, configura-se numa abordagem dialética de ensino/aprendizagem? Tenho conhecimento do documentos que norteiam minha concepção teórica de trabalho?

3 Por que Pedagogia Histórico-Crítica ? Quanto à Pedagogia Histórico-Crítica ficou evidenciado o porquê, esta é chamada de Histórico-Crítica por Saviani. Histórico: Porque nesta perspectiva a educação também interfere sobre a sociedade, podendo contribuir para a sua transformação. Crítica: Por ter consciência da determinação exercida pela sociedade sobre a educação.

4 Materialismo Histórico-Dialético A Filosofia que embasa a Pedagogia Histórico- Crítica é o Materialismo Histórico-Dialético. Este preconizado por Marx, cujos fundamentos são: A interpretação da realidade; a visão de mundo; a práxis (prática articulada à teoria); A materialidade (organização dos homens em sociedade para a produção da vida); A concreticidade (caráter histórico sobre a organização que os homens

5 constroem através de sua história). O princípio básico da lógica dialética é a contradição (tese, antítese e síntese). Portanto, é a existência social dos homens que gera o conhecimento, pois este resulta do trabalho humano, no processo histórico de transformação do mundo e da sociedade, através da reflexão sobre esse processo.

6 O conhecimento, como fato histórico e social supõe sempre continuidades, rupturas,reelaborações, reincorporações,permanências e avanços. (GASPARIN, 2005).

7 Planejamento É o processo de síntese do conhecimento, constituindo-se em um espaço centrado na aprendizagem, tendo como referência o direito ao acesso aos conhecimentos elaborados histórica e socialmente.

8 8 ESTRUTURA DO PLANEJAMENTO DCEPPP PPC PTD

9 Proposta Pedagógica Curricular e Plano de Trabalho Docente PPC Coletiva Geral Conteúdos estruturantes e Básicos Encaminhamentos e avaliação abordados de maneira ampla. PTD Individual Por conteúdo O professor faz o recorte (indica o conteúdo específico) Encaminhamentos, abordagens, critérios e avaliações específicas.

10 O PTD- Plano de Trabalho Docente Implica no registro escrito e sistematizado do planejamento do professor; Antecipa a ação do professor, organizando o tempo e o material de forma adequada; É um instrumento político e pedagógico que permite a dimensão transformadora do conteúdo; Permite uma avaliação do processo de ensino e aprendizagem

11 Requer conhecimento prévio da PPC- Proposta Pedagógica Curricular; Possibilita compreender a concepção de ensino e aprendizagem ao mesmo tempo que direciona o trabalho do professor; Pressupõe a reflexão sistemática da prática educativa (PARANÁ,2008,p.7-9)

12 Conforme aponta Moita Lopes, vivemos no mundo multisemiótico, cujos textos extrapolam a letra, ou seja um mundo de cores, sons, imagens e design que constroem significados em textos orais/escritos e hipertextos (LOPES E ROJO, 2004, p.30-31).

13 O PTD- Plano de Trabalho Docente deverá conter: Conteúdo Estruturante - saber(es) de maior amplitude; Conteúdo Básico ( o quê?) – deve estar relacionado intrinsicamente aos conteúdos estruturantes; Conteúdo Específico ( o quê? ) – desdobramento dos conteúdos básicos de acordo com a especificidade da disciplina; Encaminhamentos Metodológicos e Recursos Didáticos (Como?)

14 Objetivos/ Expectativas ( para quê?); Avaliação ( para quem?) Periodicidade (quanto tempo?) Referências ( fontes de consulta?) O PTD deverá ser organizado em forma de uma sequência didática, ou seja, propiciando a transposição didática dos conteúdos.

15 Interdisciplinaridade Trata-se de um movimento importante de articulação entre o ensinar e o aprender.

16 DE ONDE VEM A INTERDISCIPLINARIDADE HISTORICAMENTE CONSTRUÍDA? Paideia - Grécia Sócrates - Conhece-te a ti mesmo; Descartes - Penso, logo existo; Sec XX – 1970/80/90

17 A interdisciplinaridade não é uma panaceia… Para se pensar a interdisciplinaridade, não podemos abrir mão das especificidades das disciplinas; e nem de um profundo conhecimento disciplinar. Tanto a disciplinaridade quanto a interdisciplinaridade se impõem historicamente, ou seja, ambas são filhas do tempo.

18 Interdisciplinaridade ou trabalho em grupo? A interdisciplinaridade não necessariamente precisa ser trabalhada em grupo. Um grupo pode ser mais homogêneo e superficial que o indivíduo que busca recursos de várias ciências para explicar determinado processo. ( Jantsch & Bianchetti, 2010)

19 A interdisciplinaridade como desafio do trabalho pedagógico Frigotto, 1991, aponta limites cruciais como desafio a ser superado pelo trabalho pedagógico. 1) formação fragmentária, positivista do educador; 2) Condições de trabalho no tocante à divisão e organização.

20 Interdisciplinaridade A interdisciplinaridade está sempre situada no campo onde se pensa a possibilidade de superar a fragmentação das ciências e dos conhecimentos produzidos por elas. (Thiesen, 2008)

21 A interdisciplinaridade É uma questão epistemológica e está na abordagem teórica e conceitual dada ao conteúdo em estudo, concretizando-se na articulação das disciplinas cujos conceitos, teorias e práticas enriquecem a comprensão desse conteúdo. (DCEs, 2008)

22 Por que interdisciplinaridade? A interdisciplinaridade está relacionada ao conceito de contextualização sócio-histórica como princípio integrador do currículo. (DCEs, p.28.)

23 Por que interdisciplinaridade? para compreender a complexa realidade, é necessário relacionar os diferentes conteúdos das disciplinas, ou seja, interagir diferentes áreas do conhecimento à procura de um entendimento mais global e não parcelado.

24 O papel do professor hoje… Ser um profissional com visão integrada da realidade, compreender que, um entendimento mais profundo da sua área de formação não é suficiente para dar conta de todo o processo de ensino.

25 O papel do professor hoje É necessário apropriar-se também das múltiplas relações conceituais que sua área de formação estabelece com as outras.

26 O papel do professor hoje… O educador tem que aprender a fazer a articulação entre o sujeito que aprende e o sujeito da aprendizagem. (Frigotto,1991)

27 Na escola você aprenderá… Formação escolar ou formatação escolar? Pinóquio às avessas – Rubem Alves

28 PTD E MULTILETRAMENTO O multiletramento possibilita ao leitor/navegador a compreensão dos novos modos de representação da linguagem verbal e não verbal que se materializam em diferentes gêneros textuais, digitais veiculados na Internet, domínio discursivo em crescente evolução.

29 Enfim… Numa época de velozes transformações, é impensável que a estrutura universitária, faça da transmissão do conhecimento sua função principal; ou reduza o ensino a simples transmissão de conhecimento. Os conhecimentos de maior universalidade são exatamente aqueles que tem maior nível de abstração. (Frigotto, 1991)

30 contato Professora: Hêlena Paula Domingos (Paula) Equipe de Ed. Básica/ LEM/ CELEM/ PTD NRE/ Foz do Iguaçu /


Carregar ppt "Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda. Paulo Freire."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google