A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Educação Corporativa no Contexto da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior: Situação em 2006 Afrânio Carvalho Aguiar IV OFICINA DE EDUCAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Educação Corporativa no Contexto da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior: Situação em 2006 Afrânio Carvalho Aguiar IV OFICINA DE EDUCAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Educação Corporativa no Contexto da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior: Situação em 2006 Afrânio Carvalho Aguiar IV OFICINA DE EDUCAÇÃO CORPORTATIVA Novembro/2006 STI/MDIC – AP/MDIC - ABEC

2 DADOS DESCRITIVOS DA PESQUISA ABRIL/MAIO -80 ORGANIZ. CONSULTADAS -51 RESPONDENTES (63,8%) -41 RESULTADOS CONSIDERADOS -RESPONDENTES: -SETOR DE SERVIÇOS = 39 % -INDÚSTRIA = 27% -COMÉRCIO = 5% -ORGÃOS GOVERNAMENTAIS = 15% -ÁREAS: Energia elétrica, Comuni- cações, Serviços bancários, Tecnologia da Informação -93% Grande Porte -73% Unidades de P&D -51% Gestão do Conhecimento MARÇO/MAIO -65 ORGANIZAÇÕES CONSULTADAS -29 RESPONDENTES ( x %)

3 CRIAÇÃO DE UNIDADES DE EC

4 ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES REGISTRADAS ~ 70% SÃO CONSIDERADAS CONSOLIDADAS POR SEUS GERENTES, ATUANDO NOS NÍVEIS OPERACIONAL, TÁTICO E ESTRATÉGICO –Destes, 39 % atendem também a fornecedores, clientes e comunidade 10% ATIVIDADES INICIADAS 7% ATIVIDADES EM PLANEJAMENTO 13% ATIVIDADES VOLTADAS PARA GERÊNCIA MÉDIA E NÍVEIS OPERACIONAIS

5 FATORES DE MOTIVAÇÃO, POR ORDEM Viabilizar a capacitação interna dos funcionários para aquisição de competências específicas Complementar e dar suporte à atividade de gestão do conhecimento dentro da organização Possibilitar o desenvolvimento, entre os colaboradores, de posturas relacionadas com a cidadania corporativa (missão, visão, objetivos e valores institucionais). Facilitar o cumprimento das metas de planejamento da empresa Viabilizar a reorientação estratégica no processo produtivo Facilitar os processos de inovação (de produto, de processo, de gestão). Adquirir e/ou criar competência em áreas técnicas nas quais a empresa não tinha capacitação compatível com a demanda OBS: GRANDE SEMELHANÇA COM OS RESULTADOS OBTIDOS NA PESQUISA DE 2004

6 OBJETIVOS RELACIONADOS COM RESPONSABILIDADE SOCIAL Oferecer capacitações para o desenvolvimento das comunidades Engajar funcionários em atividades educacionais para o desenvolvimento comunitário Promover a inclusão digital e social da comunidade Espontaneamente foram citados ainda outros objetivos sociais: Prover o resgate da cidadania com Programas de Engenharia Ambiental e Social Programas voltados para viabilização de grandes estratégias do negócio Focar a cidadania corporativa e a responsabilidade social Disseminar o conceito de Saúde e Prevenção através de projetos de Responsabilidade social Desenvolvimento de capacitação de menores, promovendo a promovendo a inclusão social

7 Bases para o planejamento das atividades das Unidades de EC (por ordem de citação) Planejamento Estratégico Organizacional Atendimento a demandas das áreas funcionais Elementos obtidos de estudos prospectivos Elementos obtidos junto ao mercado Elementos obtidos junto a empresas da cadeia produtiva Outros

8 FINALIDADES DAS UNIDADES DE EC Consecução de objetivos estratégicos da organização Viabilizar a implementação de diretrizes táticas. Capacitar pessoal para o nível operacional Constituir uma Unidade de Negócios para a Organização Outros OBS: - Notável ênfase dos objetivos estratégicos - Semelhança com resultados de 2004

9 GOVERNANÇA 49% organizações mantêm suas Unidades de EC subordinadas à Alta Administração (Administração Superior/Presidência; Vice-Presidência de Recursos Humanos; Diretoria de Recursos Humanos; Diretoria Administrativa; Diretoria de Gestão Empresarial – Pessoas). 51% indicam que a subordinação direta se dá a níveis hierárquicos inferiores (Superintendência, Departamento, Gerência e Comitê).

10 ORIGEM PREDOMINANTE DOS CONTEÚDOS UTILIZADOS Preponderam as situações em que os conteúdos são preparados pelos funcionários da organização São equivalentes, em grau de importância, três outras alternativas. Parcerias entre instituições de ensino contratadas e funcionários da organização Empresas de consultoria especializadas na geração de conteúdos específicos Instituições de ensino contratadas para geração de conteúdos específicos, em diversos níveis. A importância da contribuição de empresas especializadas em Educação a Distância é considerada média ou pequena

11 MODALIDADES DE APRENDIZAGEM NO CONTEXTO DE E.CORPORATIVA Maior importância atribuída à Educação presencial Pequena importância conferida à Educação a distância e à Educação semi-presencial. Recursos Tecnológicos - (categorias de freqüência de uso, por ordem de citação: a) Recursos de grande importância: - Mídia impressa, tal como livros, apostilhas, folhetos, etc - Computador com apoio de recursos de multimídia b) Recursos de média importância/ média freqüência de uso - Redes intranet - Redes (internet) com apoio de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) c) Recursos de baixa importância/ baixa freqüência de uso - Conjunto mídias simultaneamente (ex: internet, videoconferência,C D) - Videoconferência e áudio-conferência - Conteúdos e orientações disponibilizadas em CD Rom - Conteúdos e orientações disponibilizadas em DVD - Tele-aulas e tele-cursos

12 RECURSOS HUMANOS DISPONÍVEIS PARA ATIVIDADES DE EC (por ordem de importância): Equipes próprias da Unidade de EC Consultoria Externa institucional. Especialistas da área acadêmica, por convênios ou Parcerias Equipe constituída por elementos alocados nas áreas funcionais da Organização Consultorias Externas Individuais e Membros da Direção Superior têm participação muito limitada EC. Razões? Interesse estratégico? Sigilo? Fase de institucionalização?

13 PARCERIAS Forte interação com Instituições de Ensino superior Mediana interação com Instituições de pesquisa Fraca interação com SESI, SENAI, SENAC, o SEBRAE e o CEFET Atividades em que há maior nível de cooperação: –docência –elaboração de metodologias e/ou material pedagógico Independência das Unidades de EC quanto a infra-estrutura e apoio logístico Avaliação das parcerias recebidas: –38 % Excelente –51 % Satisfatória –11 % Insatisfatória

14 CLIENTELA 19 % NÃO ATENDEM À CLIENTELA EXTERNA 71 % ATENDEM A CLIENTES VINCULADOS À SUA CADEIA PRODUTIVA 10 % ATENDEM A QUALQUER INTERESSADO CUSTOS 66 % NÃO HÁ QUALQUER RESSARCIMENTO DE CUSTOS 7% DAS UNIDADES RELATAM RESSARCIR 70% NÃO HÁ REGISTRO DE SUBSÍDIOS GOVERNAMENTAIS

15 AVALIAÇÃO E DESEMPENHO Em 56% dos casos, a participação em atividades de EC é considerada na avaliação de desempenho dos funcionários 75 % das corporações informam dispor de Relatórios anuais apresentando indicadores de impacto, eficiência, eficácia, resultados. –68 % utilizam indicadores próprios –7 % indicadores de fontes externas resultados mais significativamente percebidos são fortemente conexos com a consecução dos objetivos estratégicos da corporação

16 AVALIAÇÃO E DESEMPENHO O resultado melhoria da imagem institucional. Marketing organizacional foi apenas medianamente percebido Resultados sobre avaliação na pesquisa de 2006 bastante semelhantes aos resultados sobre avaliação na pesquisa de 2004 Ver artigo de Tarapanoff e Aguiar s/ Avaliação em Educação Corporativa – III Coletânea, que traz outras informações sobre avaliação na pesquisa

17 MAIORES DIFICULDADES APONTADAS Ausência de uma política institucional consistente voltada para EC Ausência de legislação específica, no que tange à regulamentação das atividades de EC. Não há uma postura institucional francamente favorável em relação ao custo benefício da EC Ausência/Deficiência de infra-estrutura (telecomunicações/softwares/ metodologias) Ausência de fontes de recursos externos para atender as necessidades de financiamento. Ausência de especialistas fora da instituição Ausência de especialistas na instituição Outros.

18 EXPECTATIVAS DE AÇÃO GOVERNAMENTAL 24 organizações reclamam por maior integração com as políticas públicas, em especial à Política Industrial Tecnológica e de Comércio Exterior. Praticamente 50% dos respondentes anseiam que o processo de certificação acadêmica associado às ações corporativas em Educação, seja aperfeiçoado e agilizado. Um número significativo de Unidades demanda a criação de legislação e regulamentação específicas para o setor. OBS: Resultados semelhantes aos obtidos em 2004

19 COMO PROSSEGUIR? Sugestões para ampliação dos estudos e implementação de novas iniciativas: A) De natureza conceitual B) De natureza metodológica C) De natureza contextual D) Ações Políticas, de Apoio e de Fomento

20 muito obrigado!


Carregar ppt "Educação Corporativa no Contexto da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior: Situação em 2006 Afrânio Carvalho Aguiar IV OFICINA DE EDUCAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google