A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Núcleo Pedagógico Supervisão de Ensino Orientação Técnica CULTURA É CURRÍCULO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Núcleo Pedagógico Supervisão de Ensino Orientação Técnica CULTURA É CURRÍCULO."— Transcrição da apresentação:

1 Núcleo Pedagógico Supervisão de Ensino Orientação Técnica CULTURA É CURRÍCULO

2 Objetivos do encontro  Orientar o trabalho pedagógico dos Professores e Professores Coordenadores quanto ao funcionamento do Programa Cultura é Currículo, promovendo a articulação entre as áreas e aprendizagem dos alunos.  Promover a reflexão sobre as possibilidades de abordagem dos filmes do Kit O cinema vai à escola.  Orientar e conscientizar os Professores Coordenadores acerca da necessidade do preenchimento da Avaliação On-line do projeto, após as visitas ou peças Teatrais.  Entregar o Kit de Filmes.

3 Leitura em voz alta “Tripalium versus poiesis” Fonte: Qual é a Tua Obra? Autor: Mario Sergio Cortella

4 A trajetória do projeto O Programa Cultura é Currículo integra o conjunto de ações definidas pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo para concretização da sua política educacional, visando propiciar melhor qualidade de ensino da escola pública estadual, seja no sentido de atender aos desafios do mundo moderno, como em relação à função de transmissão do saber, para inserção social de seus alunos. Em acordo com os parâmetros pedagógicos da atual gestão, pauta-se por princípios estabelecidos para a organização curricular: - Currículo e Cultura; - Currículo referido a competências; - Currículo que tem como prioridade a competência escritora e leitora.

5 A trajetória do projeto Objetivos básicos a serem alcançados: - Democratizar o acesso de professores e alunos da rede pública estadual a equipamentos, bens e produções culturais que constituem patrimônio cultural da sociedade, tendo em vista uma formação plural e a inserção social. - Fortalecer o ensino por meio de novas formas e possibilidades de desenvolvimento dos conteúdos curriculares em articulação com produções socioculturais e fenômenos naturais, diversificando-se as situações de aprendizagens. - Estimular e desenvolver a aprendizagem por intermédio de interações significativas do aluno com o objeto de estudo/conhecimento de disciplinas, reforçando-se o caráter investigativo da experiência curricular.

6 A trajetória do projeto O Programa Cultura é Currículo é composto por três projetos: • Lugares de Aprender: a Escola Sai da Escola, • Escola em Cena • O Cinema Vai à Escola.

7

8 Lugares de aprender: a escola sai da Escola - A avaliação - Login e senha: código CIE - Deve ser respondida pelo PC impreterivelmente em até 10 dias após a visita, apontado o que realmente aconteceu: antes, durante e após a visita. - O objetivo desta é avaliar o impacto do Projeto nas ações pedagógicas da escola. LEMBRANDO: SISVIC SIEC - Museu Histórico Municipal de Álvares Machado - Centro de Museologia, Antropologia e Arqueologia de Presidente Prudente. SESC

9 Esclarecimentos - Setor financeiro. - Contratação de transporte - Compra do lanche - Devolução de verba excedente. - Operacional: - Release - Lanche - Agendamento.

10 O que um documentário pode revelar? Lawrence Wahba (Mergulhador, cinegrafista e documentarista)

11

12

13

14

15

16

17

18 “Todo ponto de vista é a vista de um ponto” Leonardo Boff

19 Vídeo Os irmãos Lumière

20 Como recortar um filme?.

21 Possibilidades de trabalho na escola com os filmes do kit 2012

22 A culpa é do Fidel

23 Leitura em voz alta “A carne viva.” Fonte: Coleção Melhores Crônicas. Autor: Affonso Romano de Sant’Anna.

24 O lixo extraordinário

25 A visão do artista sobre:  sua arte;  a proposta do projeto;  atores participantes do documentário. Concepção sobre o que é o lixo e o seu papel.

26  As pessoas e o lixo;  A construção das imagens (construção da arte).

27 Sombras de Goya

28 Como é que se conhece a verdade?

29  A palavra "Inquisição" significa "procura". Designa o tribunal que procurava hereges e outras pessoas suspeitas a fim de julgá-los e sentenciá-los.

30 O que sabemos sobre a Revolução Francesa e suas consequências em outros países?

31 LIBERDADE... IGUALDADE... FRATERNIDADE!

32 Os horrores da guerra sob o olhar do artista!

33 Quem foi Francisco de Goya & Lucientes? (Vídeo Fúria & agonia)

34

35 Inspirado no romance Os Fantasmas de Goya de Jean-claude Carrière, Milos Forman

36 Sombras de Goya – ( Goya’ s Ghosts) Gênero: Drama Duração: 113 minutos Produção: Espanha/EUA Classificação etária: 14 anos FICHA TÉCNICA: Direção: Milos Formam Roteiro: Milos Formam e Jean-Claude Carrière Produção: Saul Zaentz Fotografia: Javier Aguirresarobe Montagem: Adam Boome Direção de Arte: Eduardo Hidalgo e Ana Viana Trilha sonora: José Nieto Varhan Orchestrovich

37  Áreas Curriculares: Ciências Humanas e Linguagens e Códigos  Sugestão de disciplinas: História, Sociologia e Arte, Língua Portuguesa  Temas: Ética ( Respeito Mútuo, Solidariedade, Liberdade, Direitos Humanos, Democracia, Revolução Francesa, Guerras Napoleônicas, Inquisição, Desumanização e Coisificação, Romantismo)

38 Honeydripper – do Blues ao Rock

39 Honeydripper, do Blues ao Rock (Honeydripper)  Gênero: Drama  Duração: 124 minutos  Lançamento: 2007  Produção: EUA  Classificação etária: 14 anos Ficha técnica:  Direção: John Sayles  Roteiro: John Sayles  Produção: Maggie Renzi  Fotografia: Dick Pope  Montagem: John Sayles  Direção de arte: Eloise Crane Stammerjohn  Música: Mason Daring  Figurino: Hope Hanafin Elenco  Danny Glover – Tyrone Purvis  Lisa Gay Hamilton – Delilah  Yaya Da Costa – China Doll  Charles S. Dutton – Maceo  Vondie Curtis-Hall – Slick  Gary Clark Jr – Sonny  Mable John – Bertha Mae  Stacy Keach – Sheriff Pugh  Nagee Clay – Scratch  Absalom Adams – Lonnie

40 O filme  Alabama, Enquanto a lei americana diz que todos são livres, os campos de algodão que cercam a cidade de Harmony estão repletos de mão de obra escravizada pelo xerife local, que prende os negros por vadiagem e propõe a eles uma troca: em lugar da cadeia, as plantações.  Tyrone Purvis é um dos poucos negros empreendedores da região e mesmo assim seu negócio, o bar Honeydripper, está em plena decadência. Ameaçado por credores e à beira da falência, tenta dar uma última cartada promovendo um show com um guitarrista famoso de Nova Orleans.

41 Algumas possibilidades de trabalho com o filme Honeydripper – do blues ao rock Áreas curriculares: Ciências Humanas e Linguagens e Códigos  Sugestão de disciplinas: Sociologia, História, Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte (música)  Temas: Ética e Pluralidade Cultural: respeito mútuo, direitos humanos, o que nos torna humanos: da diferença à desigualdade (etnias, classes sociais, gênero, geração), democracia, mundo no pós- guerra, desumanização e coisificação, figura de linguagem (ironia), outras linguagens.

42 Orientações preliminares  O filme se passa no sul dos EUA, no estado do Alabama. Como a história gira em torno de Tyrone, o dono negro de um bar chamado Honeydripper, e de questões sobre preconceito, diferenças e de desrespeito ao ser humano.  A sugestão é fazer um levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos sobre essas questões para, a partir daí, ampliá-los.  Também, comentar sobre a colonização dos EUA e as diferenças entre o norte e o sul desse país, sobre o período do pós-guerra e sobre o rock’n’roll.

43 Devido à importância do período histórico mostrado no filme, aconselha-se que os alunos aprofundem esses conhecimentos por meio de uma pesquisa em grupo sobre:  as características da sociedade americana na primeira metade no século XX, principalmente no que diz respeito à produção agrícola, à mão de obra negra e à situação dos direitos civis;  as dificuldades e os benefícios advindos da cultura do algodão nos Estados Unidos no período mostrado no filme.

44 Atividades propostas:  Antes da exibição do filme, o professor comentará com os alunos que o filme Honeydripper – do blues ao rock mostra o contexto da disseminação do novo gênero, o rock and roll, e uma visão da sociedade do sul dos Estados Unidos do período.  Destacar os trechos do filme:  A imagem dos dois garotos e seus “instrumentos” (DVD 19seg e 1h55min8seg);  O momento em que Bertha Mae se apresenta (peça para que percebam um exemplo do que é o blues, que acompanhem o ritmo da música e do que a letra fala: da pobreza, das dificuldades, da vida e do amor – DVD 3min50seg até 7min41seg);  Comentar sobre:  a presença da música na comunidade negra do Mississipi e no sul dos EUA nos anos 1950, em igrejas e bares, por exemplo;  o trabalho nas plantações de algodão, quem o realizava e como esse trabalho era feito (tenha em mente que este é o local do nascimento do blues).

45  Após a exibição:  Recuperar com os alunos a narrativa do filme e as impressões e sentimentos que tiveram durante e depois da exibição. Deixe que teçam seus comentários a respeito e tente saber por que eles gostaram ou não do filme.  Converse com os alunos sobre o que conhecem de artistas e grupos como Pearl Jam, Nirvana, U2, Paralamas do Sucesso, Scorpions, Queen, Raul Seixas, Rolling Stones, Celly Campello, Beatles, Elvis Presley, Bill Halley e Little Richard. Comente que todas essas referências, embora façam parte de décadas, estilos e projetos artísticos distintos, possuem raízes que remetem ao blues. Uma possibilidade para explorar as diferenças de estilo é analisar, por exemplo, as músicas Bohemian Rhapsody, Rock Around the Clock e Unforgateble Fires1.

46  Comparando essas três músicas, solicite que percebam qual instrumento sobressai. Pergunte qual delas é a mais antiga e por quê. Permita que eles emitam suas impressões e depois, caso não a identifiquem, comente que Rock Around the Clock é a mais antiga, um dos primeiros exemplos de rock, ritmo novo, decorrente do blues, assim como está no subtítulo do filme, “do blues ao rock”. Peça que observem as semelhanças entre essa música e outras que aparecem no filme.  É interessante mostrar o vídeo da música Rock Around the Clock e chamar atenção para a sonoridade e para a presença predominante da guitarra acompanhada pelo contrabaixo e pelo saxofone.

47 Para encerrar a sequência, lembre a eles sobre a aura de rebeldia presente na história do rock e peça que os grupos socializem as impressões sobre o filme e sobre o fruto da pesquisa em uma roda de conversa, lançando algumas questões como:  No filme, é possível apreender indícios de racismo de acordo com a posição dos negros e dos brancos na cidade de Harmony? Quem detinha o poder na cidade?  O nome da cidade – “Harmony” – pode ser entendido como um exemplo da figura de linguagem ironia?  Qual a situação dos negros em relação aos direitos civis no contexto do filme? E no contexto histórico dos EUA da época?

48  A corrupção, como é mostrada no filme, é uma questão desaparecida nos dias atuais? (Esse tema pode desencadear um debate. Portanto, ao final, peça para alguns alunos apresentarem e defenderem seus argumentos).  Pergunte aos alunos o que eles perceberam do figurino, da trilha sonora, da fotografia, do cenário, do roteiro, etc. Que impressão eles tiveram desses elementos fílmicos?  Questione-os sobre o que acharam das duas sequências com os garotos. Quais as diferenças? Há relação dessas cenas com o subtítulo do filme e com o enredo?  No filme, vemos o blues presente durante os trabalhos nas fazendas de algodão. Pergunte aos alunos se perceberam a função dessa trilha no filme.

49  Em outro momento, apresente aos alunos textos que falem sobre os direitos civis, respeito às diferenças, corrupção, etc. Após a leitura e discussão em pequenos grupos, seria interessante que eles desenvolvessem sua competência escritora, neste caso por meio de um artigo de opinião, que poderá compor uma revista ou ser hospedado em um site, uma vez que este gênero permite uma conversa sobre assuntos conhecidos, os quais se quer defender, com base em argumentos.  Há ainda a possibilidade de convidar os alunos que fazem parte de bandas desses gêneros musicais para se apresentarem na escola.

50 Vídeos    &feature=fvwrel &feature=fvwrel

51 Outros filmes  Mississipi em Chamas (Mississipi Burning, EUA, 1988), com direção de Alan Parker; Conduzindo Miss Dayse (Driving Miss Dayse, EUA, 1989), dirigido por Bruce Beresford; e Corine, uma Babá Perfeita (Corrina, Corrina, EUA/Brasil, 1994), de Jessie Nelson, são filmes que permitem a percepção da sociedade norte-americana no que tange às relações inter-raciais.  Embora sob outra ótica, o filme Culpado por Suspeita (Guilty by Suspiction, França/EUA, 1991) também permite o aprofundamento sobre outro tema bastante contundente do mesmo período na sociedade norte-americana: o macarthismo e o embate capitalismo X socialismo, que indiretamente é mencionado no filme quando fala da Guerra da Coreia.

52 Para saber mais:  Visitar o Museu Afro Brasil, no portão 10 do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, pode ser bastante proveitoso para conhecer a presença da matriz negra na cultura nacional e sobre a importância de sua valorização para a formação do povo brasileiro. Este museu é parceiro do programa “Cultura é Currículo: Lugares de Aprender – a Escola Sai da Escola”, da Fundação para o Desenvolvimento da Educação.

53 Uma noite em 67

54 Criação

55

56  Criação:choque entre religião e Ciência.  História: a visão do dominante e do dominado  Metodologia científica abordada.  A importância do registro escrito.

57 Lemon Tree

58 GÊNERO CONFLITOS ÉTNICOS LÍNGUAS

59 GÊNERO: AS RELAÇÕES COM DO MUNDO ORIENTAL A MULHER

60 LÍNGUAS DIVERGÊNCIAS CONVERGÊNCIAS

61 CONFLITOS ÉTNICOS: PEQUENAS CAUSAS, GRANDES CONSEQUÊNCIAS

62 Antes que o mundo acabe

63 Sobre futebol e barreiras

64 Dúvidas?

65 Avaliação do encontro (realizar em dupla, por Unidade Escolar)

66 Entrega dos kits de filmes.


Carregar ppt "Núcleo Pedagógico Supervisão de Ensino Orientação Técnica CULTURA É CURRÍCULO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google