A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Integração numérica. Primitive  Se f(x) é uma função contínua em [a,b], então esta função tem uma primitiva neste intervalo, ou seja existe F(x) tal.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Integração numérica. Primitive  Se f(x) é uma função contínua em [a,b], então esta função tem uma primitiva neste intervalo, ou seja existe F(x) tal."— Transcrição da apresentação:

1 Integração numérica

2 Primitive  Se f(x) é uma função contínua em [a,b], então esta função tem uma primitiva neste intervalo, ou seja existe F(x) tal que F’(x)=f(x).  Assim:  Não é sempre fácil achar uma primitiva, existe ainda o caso em que f(x) é conhecida em apenas alguns pontos: uma forma de obter a integral é através de métodos numéricos.

3 Propriedades  Para determinar primitivas, certas propriedades ajudam:

4 Pirmitivas conhecidas  Além disso, existem primitivas conhecidas de algumas funções:

5 Propriedade  Existem também, métodos: Integração por parte: Troca de variável:

6 Determinação de primitivas

7 Fórmula de Newton-Cotes  Nas fórmulas de Newton-Cotes, em vez de integrar a função, integramos um polinômio interpolador.  Com uma partição do intervalo [a,b] em subintervalos de comprimento h: [x i,x i+1 ], i=0,...,n, podemos escrever:  Onde A i, são coeficientes de acordo com o polinômio interpolador.

8 Regra dos trapézios  Usamos a fórmula de Lagrange para expressar o polinômio de grau 1, p 1 (x) que interpola f em x 0 e x 1.  Temos:

9 Regra dos trapézios  A regra dos trapézios consiste em aproximar a integral da função no intervalo [a,b] com a area do trapézio delimitado pelos pontos (a,0), (b,0), (a, f(a)), (b,f(b)).

10 Regra dos trapézios repetida  Para diminuir o erro cometido na aproximação da integral, podemos subdividir o intervalo inicial e aplicar a regra dos trapézios para cada subintervalo.  Temos:

11 Regra 1/3 de Simpson  No caso da regra 1/3 de Simpson, o polinômio escolhido para aproximar a função é o polinômio de Lagrange de grau 2.  Temos:

12 Regra 1/3 de Simpson  No caso da regra 1/3 de Simpson, a integral é aproximada pela integral da curva de segundo grau que interpola a função nos valores a, (a+b)/2 e b.

13 Regra 1/3 de Simpson repetida  Como no caso da regra dos trapézios, para diminuir o erro cometido na aproximação da integral, podemos subdividir o intervalo inicial em n intervalos de mesmo comprimento. Para poder aplicar 1/3 de Simpson, a condição é que n seja par.  Temos:

14 Erros cometidos  O calculo de erro apóia-se sobre o erro conhecido dos polinômios de interpolação:  Grau 1:  Grau 2:

15 Erro cometido: caso grau 1  O erro cometido é a integral sobre o intervalo do erro cometido aproximando a função com o polinômio de grau 1:  Podemos mostrar que:

16 Erro cometido: caso grau 1  No caso da regra dos trapézios repetida, temos:

17 Erro cometido: caso grau 2  No caso da regra de Simpson, podemos mostrar que:  Que no caso repetido, da um erro:

18  Calcular uma aproximação de I usando a regra dos trapézios e a regra 1/3 de Simpson.  Avaliar os erros cometidos nos dois casos.  Determinar m para ter um erro inferior a Exemplo

19 Teorema geral do erro  Seja f um função n+2 continuamente derivável. A integração numérica usando a fórmula de Newton-Cotes é: Se né impar: Se n é par:


Carregar ppt "Integração numérica. Primitive  Se f(x) é uma função contínua em [a,b], então esta função tem uma primitiva neste intervalo, ou seja existe F(x) tal."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google