A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORIENTAÇÃO? Silvana de Paula Quintão Scalon Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORIENTAÇÃO? Silvana de Paula Quintão Scalon Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias."— Transcrição da apresentação:

1 ORIENTAÇÃO? Silvana de Paula Quintão Scalon Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias

2 Questões relevantes O que vamos produzir? Que orientadores poderemos ser? O que é orientar?

3 Estabelecer uma rede de saberes e fazeres entre orientadores e orientandos. O desafio é de ambos e precisarão se aventurar na construção do conhecimento através: da pesquisa do aprender e ensinar do falar e ouvir do ler e escrever juntos e separados

4 O QUE VAMOS PRODUZIR? TCC (monografia) Dissertação Tese O TCC: estágio inicial da vida científica ou a primeira manifestação sistematizada de um trabalho acadêmico mais consistente (FERREIRA SOBRINHO, 1997 p.24). TCC : infância científica dos alunos Dissertação de mestrado: adolescência Tese de doutorado: maturidade Não exigir demais, ou seja, não cobrar dos alunos de graduação, dissertações ou teses

5 Podemos caracterizar três tipos de orientadores. de orientadores.

6 O orientador formal Só entra com o nome no trabalho  nunca tem tempo * Profissional famoso, reconhecido, mas sua agenda não tem espaço para as orientações. * Eles se encontram pelos corredores, escadas, rampas, elevadores e até na sala de aula, mas não conseguem manter uma rotina semanal de encontros para orientação.

7 * O orientando, literalmente, corre atrás dele, telefona, envia fax, deixa material na portaria do prédio, tira dúvidas por , mas quase não vê seu orientador nem conversa com ele. charlatão educacional  lesão científica

8 O orientador tirano * Tem todo o tempo disponível para os encontros semanais de orientação, mas não permite que o orientando tenha idéias diferentes daquelas que ele apresenta.

9 *O orientando deve fazer somente o que o orientador indica e não consegue introduzir nada ou quase nada seu no trabalho, ou seja: uma idéia uma estratégia metodológica um autor que leu, etc,

10 O orientando tem a sensação que está fazendo a pesquisa do orientador e não a sua. Ele não está aprendendo a construir conhecimento através da pesquisa mas a obedecer ordens e seguir instruções, decisões das quais não participou.

11 O orientador ideal *além de ter tempo para os encontros semanais, discute com o orientando todos os caminhos da pesquisa, criticando o que merece ser criticado e elogiando o que seja elogiável. *o orientador desejável caminha ao lado do orientando,

12 *ensina e aprende a cada encontro, *fala e ouve, * indica e acata sugestões; *o orientando se sente orientado e não mandado, consegue crescer e entender o que está fazendo, compreende o porque e como está fazendo a pesquisa.

13 O QUE É ORIENTAR? Basicamente: leitura e discussão conjuntas, embate de idéias, apresentação de sugestões e de críticas, respostas e argumentações, não impor nada ! ! ! eventualmente: convencer,esclarecer, prevenir. (FERREIRA SOBRINHO, 1997).

14 Ser orientador é: apontar os caminhos que o orientando deve trilhar para atingir sua missão; acompanhar o trabalho, passo a passo;

15 ler e corrigir o que o orientando produz; indicar bibliografias;

16 fixar metas e cobrar resultados; esclarecer dúvidas e fazer perguntas sobre o que tem sido produzido;

17 discutir a realização das atividades de leitura e coleta de dados avaliar de forma somativa todo o processo de construção da pesquisa

18 O orientador deverá ter preparo leitura experiência. Deverá nortear sua relação de orientação com base em três dimensões.

19 A dimensão teórica refere ao aspecto conceitual e temático do trabalho. O orientador precisa: *saber o conteúdo para discutir com o orientando, explicar, esclarecer e responder sobre ele. *Conhecer as fontes bibliográficas básicas ou de referência, para avaliar as resenhas que o orientando irá produzir a partir da leitura das mesmas.

20 A dimensão métodológica a qual o orientador precisa conhecer os caminhos da pesquisa: * a lógica (indutiva e dedutiva) do pensamento científico; * os aspectos essenciais da produção do conhecimento científico e aqueles adquiridos nas experiências e relações da vida cotidiana e que constituem a ampla gama de saberes, representações e noções do senso comum; * os métodos das ciências naturais e/ou sociais. A dimensão método vai requerer do orientador conhecimentos de metodologia da ciência e da pesquisa.

21 A dimensão forma se refere a apresentação, organização e normatização do trabalho científico * O orientador deverá utilizar o Manual de Orientação de TCC, aprovado pela coordenação e professores do curso. *Precisa conhecer os sistemas de citação de autores segundo a ABNT, bem como as normas gerais de elaboração de referências bibliográficas. *Saber corrigir os textos produzidos pelos orientandos e apontar a forma mais adequada de redigirem o trabalho. A dimensão forma vai exigir do orientador conhecimentos sobre metodologia acadêmica

22 Orientar: Aprender junto Crescer junto Produzir junto é fácil ????


Carregar ppt "ORIENTAÇÃO? Silvana de Paula Quintão Scalon Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google