A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PEER INSTRUCTION Oficina de Metodologia Ativa. ON TARGET INSTRUÇÃO ENTRE PARES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PEER INSTRUCTION Oficina de Metodologia Ativa. ON TARGET INSTRUÇÃO ENTRE PARES."— Transcrição da apresentação:

1 PEER INSTRUCTION Oficina de Metodologia Ativa

2 ON TARGET INSTRUÇÃO ENTRE PARES

3 ON TARGET Inovar para quê? Melhorar a aprendizagem? Instigar a participação assertiva? Estimular o debate e a defesa argumentativa? Aprimorar o processo colaborativo típico da formação do ensino superior?

4 ON TARGET Desafios e resultados E s t u d o t e ó r i c o M e t o d o l o g i a s a t i v a s P e e r i n s t r u c t i o n A t i t u d e d o p r o f e s s o r C o m p o r t a m e n t o d i s c e n t e C a r g a h o r á r i a T e c n o l o g i a s D a d o s A s s e r t i v i d a d e D e s e m p e n h o A p r e n d i z a g e m

5 ON TARGET Peer Instruction Metodologia do Peer Instruction (numa tradução livre, “ instrução entre pares ” ): entendimento e aplicabilidade dos conceitos, utilizando-se a discussão entre os alunos.

6 ON TARGET

7 PONTOS FORTES APRENDIZAGEM DE CONCEITOS. APRENDIZAGEM ENTRE PARES. PRÓ-ATIVIDADE DO DISCENTE.

8 ON TARGET O Peer Instruction Como adotar o Peer Instruction no ? As condições e peculiaridades acadêmico-institucionais. As características do corpo discente no país. A questão do “tempo para o estudo”. DESAFIOS

9 ON TARGET O Peer Instruction Condições físicas e objetivas para a utilização da metodologia: Estrutura de sala de aula (carteiras, iluminação, piso, convergência ou difusão) dada a dinamicidade da metodologia; Leitura prévia e compromisso dos alunos com a fase pré-aula; Participação dos alunos e engajamento durante a aula em discussões. DESAFIOS

10 ON TARGET O Peer Instruction Atitude do professor; A dedicação do professor; Eleição conceitual dos temas a serem tratados em sala de aula; O tempo empregado para a preparação das aulas; Qual o formato adequado da aula em relação aos recursos tecnológicos disponíveis? DESAFIOS

11 ON TARGET PEER INSTRUCTION LEITURA PRÉVIA. QUESTÕES PRÉ-AULA. EXPOSIÇÃO EM SALA DE AULA. QUESTÕES CONCEITUAIS.

12 ON TARGET Leitura prévia: Preparação antes da aula:

13 ON TARGET Questionamento prévio: Questões pré-aula:

14 ON TARGET Resposta dos alunos aos questionamentos conceituais: Questões durante a aula:

15 ON TARGET O StarQuiz

16 ON TARGET O Peer Instruction As diversas tecnologias para utilização do Peer Instruction: Indicação da resposta pelo aluno com a mão; Fichas e folhas de respostas; Filipetas e cartões de respostas; Clickers; Plataformas on-line de colhimento e de gerenciamento de respostas. DESAFIOS

17 ON TARGET PEER INSTRUCTION: um método em desenvolvimento TURNING POINT E-CLICKER LEARNING CATALYTICS https://learningcatalytics.com/

18 ON TARGET TURNING POINT Tecnologia para realização de avaliações e coleta de dados.

19 ON TARGET 1. Considere a seguinte situação, a partir do texto lido: um estudante universitário responde por escrito a pergunta “Por que não devemos escrever do mesmo modo como falamos?”. Observe as opções de resposta e escolha a que apresenta uma redação adequada. a) Língua falada – entoação gestos, olhares etc. Língua escrita – sem entoação, sem gestos, sem olhares etc. b) A língua escrita precisa ter atenção com concordância, pontuação e ortografia para ter sentido a língua falada não precisa assim possuem gestos, olhares e entoação para fazer sentido. c) Para obter o sentido a língua escrita – concordância, pontuação, acentuação e ortografia. Para obter sentido a língua falada – entoação, principalmente mas também com gestos e olhares que não tem a escrita. d) A língua escrita e a falada são duas modalidades distintas de comunicação. Na fala há olhares, gestos e entoação. Já, na escrita, é preciso observar aspectos como pontuação, concordância e ortografia.

20 ON TARGET Observe o texto abaixo. É a resposta de uma jovem ao repórter que lhe fez a seguinte pergunta: O que é, para você, ser feliz? “Sei lá o que te dizer sobre esse negócio de ser feliz, mas acho que, pra todo mundo encontrar a felicidade, a gente tem que dizer um ‘não’ bem grande pras coisas ruins que acontecem pra gente na vida.” Assinale a alternativa que propõe a transposição dessa frase para uma forma adequada ao português escrito culto. a) Não sei muito bem o que dizer sobre isto que você está perguntando, o que é ser feliz?, mas acho que, talvez, precisamos, todo mundo, nega fortemente as coisas ruins que nos acontece, para, assim, alcançar a felicidade. b) É difícil de dizer o que seja ser feliz, mas a gente tem de tentar encontrar a felicidade, dizendo “não”, com bastante energia, a tudo que acontece de ruim na vida, não só para mim, mas para todo mundo igual. c) Não sei exatamente o que dizer a respeito de “o que é ser feliz”, mas acredito que seja necessário negar energicamente todos os aspectos ruins da vida para se alcançar a felicidade. d) Tenho dificuldade em falar disso que você perguntou, mas acredito que ser feliz implica em dizer “não”, com muita força, às coisas ruins que acontecem para nos, para que alcances, e todo mundo também, a felicidade.

21 ON TARGET Assinale a opção em que a oração destacada estabelece o mesmo tipo de relação existente no período: Ao entrar em casa, o susto foi tamanho QUE A POBRE MENINA DESMAIOU. a) A menina desmaiou PORQUE TOMOU UM SUSTO MUITO GRANDE. b) Choveu tanto no final da tarde QUE O TRÂNSITO FICOU COMPLETAMENTE CONGESTIONADO. c) A pobre menina desmaiou ASSIM QUE ENTROU EM CASA.

22 ON TARGET O eClicker

23 ON TARGET O site

24 ON TARGET O app

25 ON TARGET O Peer Instruction Dados relevantes da aplicação: sondagem ou avaliação diagnóstica inicial; avaliações regulares; sondagem ou avaliação diagnóstica final. Participação nas questões pré-aula; participação nas questões durante a aula; assertividade nas questões pré-aula; assertividade nas questões durante a aula. Índice de aprendizagem. RESULTADOS

26 ON TARGET O Peer Instruction Relato das dificuldades encontrados pelos professores para aplicação da metodologia: “a utilização da técnica em todas as aulas implica no desinteresse dos alunos...” “Exigência de muitas horas para elaboração das aulas e análise dos dados.” “Com a aproximação das avaliações, os alunos passam a ler menos os textos prévios.” “Todos os professores perceberam que é necessário intercalar com outras estratégias didáticas.” RESULTADOS

27 ON TARGET O Peer Instruction Aspectos gratificantes e intelectualmente estimulantes com a aplicação da metodologia: “Investimento na leitura prévia e autonomia intelectual do aluno.” “Feedback imediato sobre o aprendizado do aluno.” “Leitura prévia tem o papel de animar os alunos nas discussões.” “Os gráficos gerados e apresentados logo após a realização da questão permitem que os alunos saibam o que os colegas estão pensando.” RESULTADOS

28 ON TARGET >>>PRÁTICA>>>

29 Contato: LMI - UNISAL Lorena-SP Tel.: +55 (12)


Carregar ppt "PEER INSTRUCTION Oficina de Metodologia Ativa. ON TARGET INSTRUÇÃO ENTRE PARES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google