A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Práticas de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas UNESP Faculdade de Medicina Câmpus de Botucatu Grupo Técnico de Desenvolvimento de RH Coordenadora:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Práticas de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas UNESP Faculdade de Medicina Câmpus de Botucatu Grupo Técnico de Desenvolvimento de RH Coordenadora:"— Transcrição da apresentação:

1 Práticas de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas UNESP Faculdade de Medicina Câmpus de Botucatu Grupo Técnico de Desenvolvimento de RH Coordenadora: Jurema Garbin Vieira de Souza Leite Katia Aparecida Biazotti Martha Angélica Benicá R Negrisoli Nivaldo Conceição Rui Carlos Maia Silva

2 TREINAMENTODESENVOLVIMENTO Aprendizagem centrada na posição atual da organização. Deve aumentar a possibilidade do colaborador desempenhar melhor suas atuais responsabilidades. Experiências não necessariamente relacionadas ao cargo atual, mas que proporcionam oportunidades para desenvolvimento e crescimento profissional. DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS

3 Desenvolvimento de Recursos Humanos É o conjunto de experiências organizadas de aprendizagem (intencionais e propositais) proporcionadas pela organização, dentro de um período específico de tempo, para oferecer a oportunidade de melhoria do desempenho e/ou do crescimento humano. É o conjunto de experiências organizadas de aprendizagem (intencionais e propositais) proporcionadas pela organização, dentro de um período específico de tempo, para oferecer a oportunidade de melhoria do desempenho e/ou do crescimento humano. Chiavenato, 1999

4 Missão GTDRH-FM Criar condições para o desenvolvimento das pessoas que atuam na Faculdade de Medicina e Hospital das Clínicas, contribuindo para a formação de agentes de mudanças e multiplicadores de ações e atitudes inovadoras e criativas, adequadas às novas demandas face aos cenários de transformação.

5 Fontes Geradoras das Necessidades de Treinamento ADP ADP Café.com Café.com Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Comissões Comissões Demandas dos Gestores HC e FM Demandas dos Gestores HC e FM

6 ADP Necessidades apontadas pelos gestores das áreas Caracterização

7 Café.com Ação de Integração para aproximação Direção e Equipes Planejamento Define resultados a Serem alcançados Desenvolvimento Institucional e Desenvolvimento de Pessoas Estabelece Condições: Materiais, Físicas, Tecnológicas e Humanas Missão, Visão e Valores

8 Condição A Instituição só se desenvolve de forma efetiva quando há envolvimento dos dirigentes e quando o grupo gerencial reconhece o seu papel de construtor do futuro. A Instituição só se desenvolve de forma efetiva quando há envolvimento dos dirigentes e quando o grupo gerencial reconhece o seu papel de construtor do futuro. Trabalho de Trabalho de Desenvolvimento Gerencial

9 Trabalhos de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas GTDRH FM/HC FM/HC

10 Espaços de Atuação DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL SAÚDE QUALIFICAÇÃO TREINAMENTOS EVENTOS

11 Desenvolvimento Institucional

12 Desenvolvimento de Pessoas atuando na Comissão: Oportunidade de compartilhar a tomada de decisões, aprender pela observação dos outros e pesquisar problemas específicos da organização. Desenvolvimento de Pessoas atuando na Comissão: Oportunidade de compartilhar a tomada de decisões, aprender pela observação dos outros e pesquisar problemas específicos da organização. Atribuições temporárias são interessantes e desafiadoras, pois aumentam a exposição da pessoas aos outros membros da organização, ampliam a sua compreensão e proporcionam oportunidades de crescimento. Atribuições temporárias são interessantes e desafiadoras, pois aumentam a exposição da pessoas aos outros membros da organização, ampliam a sua compreensão e proporcionam oportunidades de crescimento. Assessoria Assessoria Comissões

13 Comissão de Prontuário Médico Comissão de Prontuário Médico Comissão de Resíduos Sólidos Comissão de Resíduos Sólidos Comissão de Contratação Comissão de Contratação Núcleo de Informações para Gestão Hospitalar Núcleo de Informações para Gestão Hospitalar Assessoria Segurança Institucional Assessoria Segurança Institucional Comissões

14 Portaria que regulamenta e define os critérios Portaria que regulamenta e define os critérios Processo Seletivo Interno Processo Seletivo Interno Comissão Interna de Transferência

15 PDI FM 1998 Centro Cirúrgico, Serviço Técnico de Pronto Socorro, Departamento de Clínica Médica, Serviço de Nutrição e Dietética Biotério Central PDI Instituto de Biociências PROPG Planejamento Estratégico Missão, Visão e Valores Objetivos Plano de ação e Intervenção com Prazos para avaliação de Resultados ou re-direcionamento Processo Participativo Conteúdo Estratégia

16 Enfermarias do HC Enfermarias do HC Centro Diagnóstico por Imagem Centro Diagnóstico por Imagem Laboratório Experimental Laboratório Experimental Serviço de Nutrição e Dietética Serviço de Nutrição e Dietética Lavanderia Lavanderia Manutenção Manutenção Farmácia Farmácia Biotério Biotério Desenvolvimento de Equipes Resgate do Sentido do Trabalho Papel Profissional Diagnóstico/Plano de Ação Motivação, Relacionamento Interpessoal Desempenho

17 Absenteísmo na Enfermagem Sistema RH Fornece dadosAnálise Informação para tomada de decisão Ação de intervenção

18 Saúde

19 Saúde DANÇA DE SALÃO CORAL CANTO E ENCANTO Espera-se estimular a criatividade, o trabalho em equipe e o convívio com o outro, fortalecendo a autoconfiança e contribuindo para a melhoria da auto-estima e a quebra de diversos bloqueios psicológicos, aliviando tensões e ansiedades do cotidiano, entre outros benefícios.

20 Saúde AVALIAÇÃO PROSTÁTICA VIVA MULHER – AVALIAÇÃO GINECOLÓGICA Desde junho/2003, a campanha prostática é realizada duas vezes ano, atendidos em média de 150 pessoas (servidores ativos e aposentados do Campus de Botucatu) a partir de 45 anos, onde são detectados de 4 a 10 casos suspeitos de câncer de Próstata, encaminhados para exames complementares. Viva Mulher ocorreu em 2006, atendidas 106 mulheres.

21 Saúde MOVIMENTO SAÚDE DIA DE ALERTA AO USO DE ÁLCOOL Programas da Universidade – PROEX GTDRH participa juntamente com os docentes Responsáveis no sentido de envolver os funcionários. Atendimentos Casos de Internação e Recuperação

22 Saúde SAÚDE AMBIENTAL PARA O HC PARCERIA NEAD Demanda da Diretoria para efetuarmos um trabalho Educativo junto aos servidores, devido à presença de escorpiões, baratas e formigas no nosso hospital, causada em grande parte, pela prática dos servidores em alimentarem cães.

23 Saúde CAMPEONATO ESPORTIVO Permite a integração entre os servidores das Unidades Universitárias, Fundações e Prestadoras de Serviço do Câmpus nas modalidades de Futebol, Vôlei e Atletismo. (Anual)

24 EVENTOS

25 DIA DA MULHER DIA DO FUNCIONÁRIO PÚBLICO MOSTRA DE TALENTOS SHOW DE TALENTOS Maior integração e troca de experiências, com a exposição dos trabalhos em pintura, colagem, artesanato, poesia e outras manifestações artísticas. A demonstração artística com apresentação de canto, instrumentos musicais, coral, dança, artes marciais, promove integração e descontração. Palestra Educativa

26 Feira de Serviços de Educação em Saúde Integração das diversas unidades do HC Maior e melhor conhecimento das atividades e integração entre os profissionais da FMB/HC e do público em geral.

27 Outros Eventos Congresso de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem Palestras: Desenvolvimento de variados temas: Gestão por Competência, Estresse no Trabalho, Burnout, Previdência Social, Cooperativismo, Projeto Genoma, Administração Pública, Gestão de Hospitais Universitários, Câncer de Próstata.

28 QUALIFICAÇÃO e TREINAMENTO

29 Aperfeiçoamento Administrativo Secretariado Curso Técnico de Enfermagem Curso Técnico de Radiologia Properff – Programa Permanente de Formação de Funcionários-Exame Supletivo Curso de Transporte de Emergência Curso de Transporte coletivo de Passageiros Direção Defensiva QUALIFICAÇÃO/TREINAMENTO REITORIA/SOLICITAÇÃO

30 Participação em Cursos e Seminários Externos: Participação em Cursos e Seminários Externos: Portaria 2005 que regulamenta e define critérios, Portaria 2005 que regulamenta e define critérios, TREINAMENTOS EXTERNOS

31 O curso/treinamento deve ser relacionado com a área de atuação; O curso/treinamento deve ser relacionado com a área de atuação; O curso/treinamento deve contemplar objetivos e metas definidas no Planejamento do ADP,observados fatores e indicadores de Desempenho; O curso/treinamento deve contemplar objetivos e metas definidas no Planejamento do ADP,observados fatores e indicadores de Desempenho; Plano de Gestão; Plano de Gestão; Programas Ministeriais; Programas Ministeriais; Necessidades elencadas e priorizadas no Café.com; Necessidades elencadas e priorizadas no Café.com; Outros critérios poderão ser estabelecidos por deliberação do Diretor da Faculdade de Medicina. Outros critérios poderão ser estabelecidos por deliberação do Diretor da Faculdade de Medicina. Critérios

32 TREINAMENTOS EXTERNOS Solicitação é feita com base nos critérios, através de formulário específico Solicitação é feita com base nos critérios, através de formulário específico GTDRH efetua Levantamento: de custos, cursos e multiplicações já realizadas e Análise GTDRH efetua Levantamento: de custos, cursos e multiplicações já realizadas e Análise Aprovação HC e Diretoria Aprovação HC e Diretoria Avaliação de Reação e Resultados: (pré-requisito para próxima solicitação) avaliação do funcionário, informação de multiplicação, avaliação de resultados pela Chefia Avaliação de Reação e Resultados: (pré-requisito para próxima solicitação) avaliação do funcionário, informação de multiplicação, avaliação de resultados pela Chefia

33 TREINAMENTOS EXTERNOS Custeio proveniente do Ministério da Saúde Custeio proveniente do Ministério da Saúde Ação para 2008 Ação para 2008 Aperfeiçoamento Administrativo, otimizando o Curso promovido pela CRH-Reitoria Aperfeiçoamento Administrativo, otimizando o Curso promovido pela CRH-Reitoria Otimização – Capacitação Enfermagem Otimização – Capacitação Enfermagem

34 Papel do RH Questão do RH estar envolvido em ações que promovem o desenvolvimento das pessoas e da Instituição. Questão do RH estar envolvido em ações que promovem o desenvolvimento das pessoas e da Instituição. Ações de Saúde estão diretamente ligadas ao bem-estar dos colaboradores, produtividade, desempenho e redução de custos com afastamentos. Ações de Saúde estão diretamente ligadas ao bem-estar dos colaboradores, produtividade, desempenho e redução de custos com afastamentos.

35 Papel do RH Disponibilidade gera confiança e credibilidade. Disponibilidade gera confiança e credibilidade. Amplia a nossa visão quando vamos atender nossos clientes, Amplia a nossa visão quando vamos atender nossos clientes, Quando um treinamento é solicitado, ou há alguma problemática técnica ou comportamental, no LNT conseguimos entender a linguagem do nosso cliente e temos mais subsídios para fazer a análise. Quando um treinamento é solicitado, ou há alguma problemática técnica ou comportamental, no LNT conseguimos entender a linguagem do nosso cliente e temos mais subsídios para fazer a análise.

36 Desenvolvimento de Pessoas Desenvolvimento Instituição


Carregar ppt "Práticas de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas UNESP Faculdade de Medicina Câmpus de Botucatu Grupo Técnico de Desenvolvimento de RH Coordenadora:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google