A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem História da Enfermagem Enfermeiro: João Carlos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem História da Enfermagem Enfermeiro: João Carlos."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem História da Enfermagem Enfermeiro: João Carlos

2 Objetivo Descrever a história da Enfermagem em 3 fases, Caracterizar as fases: empírica, cientifica e pratica baseada em evidência Apontar o uso do processo em enfermagem como um instrumento de trabalho seguro eficaz e de qualidade para o usuário e a equipe de enfermagem Relacionar o processo de enfermagem como um instrumento para a pratica baseada em evidencia

3 Enfermagem Empírica Práticas de saúde instintivas: Caracteriza a prática do cuidar nos grupos nômades primitivos, Associada ao trabalho feminino, Relacionada ao cuidar das sociedades primitivas.

4 As práticas de saúde mágico- sacerdotais A relação mística entre as prática e a religião, Essa prática permanece por muitos séculos desenvolvida nos templos, Relacionadas com a prática domiciliar de partos e a atuação pouco clara de mulheres de classe social elevada que dividiam as atividades dos templos com os sacerdotes.

5 As práticas de saúde no alvorecer da ciência Surgimento da filosofia e ao progresso da ciência, Inicia-se no século V a.C., estendendo-se até os primeiros séculos da Era Cristã. Essa prática individualista volta-se para o homem e suas relações com a natureza e suas leis imutáveis, Dissociou a arte de curar dos preceitos místicos e sacerdotais Não clara caracterização nítida da enfermagem.

6 As práticas de saúde monástico- medievais Início da Enfermagem como prática leiga, O período medieval compreendido entre os séculos V e XIII, Deixou como legado uma série de valores: Abnegação, o espírito de serviço, a obediência e outros atributos que dão à Enfermagem, não uma conotação de prática profissional, mas de sacerdócio.

7 As práticas de saúde pós monásticas Vai do final do século XIII ao início do século XVI, A retomada da ciência, o progresso social e intelectual da Renascença, A evolução das universidades não constituíram fator de crescimento para a Enfermagem, Esta fase tempestuosa, que significou uma grave crise para a Enfermagem, Apenas no limiar da revolução capitalista que melhorou as condições do pessoal a serviço dos hospitais.

8 Enfermagem Científica Preocupação da enfermagem com a questão teórica nasce com Florence Nightingale afirmava que a enfermagem requeria conhecimentos distintos daqueles da medicina. Definiu premissas em que a profissão deveria basear-se, estabelecendo um conhecimento de enfermagem direcionado às pessoas, às condições em que elas viviam e em como o ambiente poderia atuar, positivamente ou não, sobre a saúde delas. (Nightingale, 1989)

9 Enfermagem Científica Idealizou uma profissão embasada em reflexões e questionamentos, tendo por objetivo edificá-la sob um arcabouço de conhecimentos científicos diferentes do modelo biomédico. Mesmo assim a enfermagem acabou por assumir uma orientação dirigida pelo imediatismo, baseando-se em práticas, de modo intuitivo e não sistematizado. Centrando ações mais na doença do que no paciente.

10 Enfermagem Científica Florence Nightingale foi um marco na enfermagem moderna. Considerada a primeira teórica de enfermagem a delinear o que considera a meta de enfermagem e o domínio da prática (McEWEN, 2009) Descreve o papel da enfermeira como pessoa capaz de colocar o paciente na melhor condição possível para a natureza agir, facilitando assim as leis da natureza, bem como que a enfermeira é capaz de facilitar esse processo, alterando o ambiente interno e externo, para melhor satisfazer as necessidades do corpo, mente, espírito do paciente (King; Gates. 2007)

11 Enfermagem Científica Ao escrever Notes on Nursing (1859) deixou clara a importância da observação detalhada dos doentes e do ambiente, bem como o registro dessas observações para desenvolver o conhecimento sobre os fatores que influenciaram na promoção da cura.

12 Enfermagem Científica Década de 60 as teorias de enfermagem procuravam relacionar fatos e estabelecer as bases para uma ciência de enfermagem....nova fase da evolução histórica da profissão. Nos EUA verbas federais foram liberadas para estudos de enfermagem em nível de doutorado conhecimento da profissão. Desenvolvimento de diversos modelos conceituais para retratar. conceitos, descrever, explicar, prever o fenômeno, determinar o campo mantendo a consonância domínio da profissão.... Assim: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM ≠ DIAGNÓSTICO MÉDICO

13 NO Brasil Na segunda metade dos anos 1960 – Wanda de Aguiar Horta Primeira enfermeira brasileira a abordar teoria em campo profissional Embasou-se na teoria da motivação humana de Abarham Maslow e na teoria de João Mohana para elaborar a Teoria da Necessidade Humanas Básicas (NHB)

14 Enfermagem Baseado em Evidência É uma prática recente que vem sendo introduzido no exercício da enfermagem, pois proporciona um conhecimento clínico atualizado e o exercício seguro da atividade, embasado nas melhores evidencias cientificas disponíveis que auxilia o profissional na tomada de decisão. E o processo de enfermagem é um dos instrumento para prática baseada em evidência.

15 Enfermagem Baseado em Evidência O processo de Enfermagem é um instrumento metodológico que orienta o cuidado profissional de Enfermagem e a Resolução Cofen 358/2009, destaca: A documentação da prática profissional; A operacionalização do Processo de Enfermagem evidencia a contribuição da Enfermagem na atenção à saúde da população, aumentando a visibilidade e o reconhecimento profissional.

16 Considerações Compreender a história de enfermagem é necessário para atual necessidade profissão e o beneficio para a sociedade e como que surgiu o conceito teorias para a melhora do cuidado em detrimento do cuidado baseado no modelo biomédico.

17 Referência GEOVANINI, Telma;...(et.ali.) História da Enfermagem : versões e Interpretações. Rio de Janeiro, Revinter, BRASIL, Leis, etc. Lei 5.905, de 12 de julho de Dispõe sobre a criação dos Conselhos Federal e Regionais de Enfermagem e dá outras pro- vidências. Diário Oficial da União, Brasília, 13 de jul Seção I, p CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Documentos Básicos de Enfermagem.


Carregar ppt "Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem História da Enfermagem Enfermeiro: João Carlos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google