A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ECE 2006/775 III. Componentes da economia digital A. Produtos e processos digitais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ECE 2006/775 III. Componentes da economia digital A. Produtos e processos digitais."— Transcrição da apresentação:

1

2 ECE 2006/775 III. Componentes da economia digital A. Produtos e processos digitais

3 ECE 2006/7 76 III.A.1. Produtos digitais Um produto de informação e bens intensivos em conhecimento => produto intensivo em conhecimento pode ser digitalizado e transmitido via rede (ex.catálogos, jornais, filmes, fotos, etc.). Características Informação e conteúdo Processos digitalizados: leilões em linha - on-line Bens físicos digitalizados: Produtos com suporte físico podem ser digitalizados através do scanning ou alterando o modo de apresentação (ex. e-bilhetes de avião, concertos). Os sinais vídeo (jpeg) e audio (mp3) podem se transformar em produtos multimédia e serem transaccionados nos mercados digitais (VoD, iTunes). Os formulários, obras de museus podem ser digitalizados, e qualquer objecto que possa ser enviado ou recebido via internet (ou via ) pode ser um produto digital. http/:bnd.bn.pt, fiscalidade. Produtos (smart) inteligentes: Bens e serviços melhorados em conhecimento Muitos produtos físicos podem ser tornados inteligentes (smart) ao acrescentar interfaces electrónicos para controlar/ restringir certas funções e utilizações => produtos digitais híbridos. Interfaces com rede permite ao utilizador definir parâmetros de funcionamento a nível de individual (ex. GPS nos automóveis);

4 ECE 2006/7 77 Produtos de informação e lazer: Documentos em suporte papel: livros, revistas, jornais, boletins Produtos informativos : especificativos, catálogos, manuais de instrução Imagens : fotos, postais, calendários, mapas, posters Audio : discos, discursos, voz, radiodifusão Vídeo: filmes, programas de televisão Software : programas, jogos, instrumentos de desenvolvimento Símbolos, indices e conceitos : Instrumentos financeiros : divisas electronicas, cartões, acções Bilhetes e reservas : avião, hoteis, concertos, eventos desportivos, transportes Processos e serviços : Serviços governamentais : formulários, pagamentos, licenças Mensagens electrónicas : faxes, SMS, chamadas telefónicas Processos comerciais: encomendas, facturação, inventário, contratos Leilão Educação à distância, telemedicina, jogos interactivos. Comunidades virtuais Exemplos de produtos digitais

5 ECE 2006/7 78 Produtos digitais Natureza física dos produtos digitais: Indestrutibilidade: não se degrada com o uso o que implica a tendência para a redução da dimensão do mercado - conjectura de Coase - Transmutabilidade: favorece a diferenciação e a personalização dos produtos, a discriminação nos preços e a selecção da informação relevante para o consumidor. Reprodutibilidade: facilidade na reprodução, armazenagem e transferência. O custo marginal da reprodução e da distribuição tende para o valor nulo. Os direitos de autor estão associados à copia e à transferência dos documentos fisicos.

6 ECE 2006/7 79 Produtos Digitais Implicações económicas Actualização frequente e licenciamento Personalização do produto e diferenciação do preço Restrições à revenda e controlo do conteudo. Uso e valor dos produtos digitais Dependência nas preferências individuais Utilização provisória e cumulativa Externalidades dos produtos de informação Valor intrínseco dos produtos Interactividade Modo de transferência; entregues e interactivos Temporalidade; obsolescencia Intensidade e tipo de uso Selecção baseada na taxinomia Incerteza sobre a qualidade

7 ECE 2006/7 80 III.A.2. Características dos processos digitais Qualquer processo que envolva interacções e comunicações humanas repetidas podem ser organizadas com processos digitais ou mercados digitais (ex. leilões, e-aquisições, comunidades virtuais...) Indicações sobre características do produto, da empresa apresentados na Web podem ser considerados processo digitais que cumprem funções similares ao marketing Reforço das atitudes colaborativas entre parceiros em rede e da integração de operações entre membros do mercado A digitalização do conteúdo reduziu os custos marginais de reprodução e de distribuição a valores próximos do zero. Os custos médios dos bens de informação tendem a diminuir radicalmente à medida que a produção aumenta (= economias de escala)

8 ECE 2006/7 81 III.B. Mercado electrónico Forma e Estrutura do mercados electrónico Portais, ciberintermediários e leilões O mercado tem como aspectos principais Relacionamento entre vendedores e compradores de um produto ou serviço Facilitar a troca de informação, bens, serviços e pagamentos Assegurar o suporte necessário para a transacção Fornecimento de uma infra-estrutura institucional Mercados Electrónicos Uma área de interacção (plataforma) entre vendedores e compradores por meios electrónicos (principalmente Internet). Vendedores e compradores negoceiam, encomendam, transaccionam em linha on-line (e off-line) através da rede Inclui prestação de serviços de suporte e tarefas intra-organização Potencialmente integram publicidade, encomendas, entrega de produtos digitalizados e sistemas de pagamento Forma híbrida entre comunidades comerciais e mercados abertos

9 ECE 2006/7 82 III.B.1. Definições Um mercado electrónico (ou virtual) é um sistema de informação inter- organizacional que permite troca de informações e de produtos entre vendedores e compradores e que permite efectuar todo o tipo de transacções. Os vendedores expõem seus produtos através do catálogo electrónico e os compradores acedem em linha dando ordens de compra. É possível efectuar transacções com base em leilões electrónicos. Marketplace vs. Marketspace; plataforma para o encontro de parceiros. Mercados e agentes A empresa que opera o sistema é chamada de intermediária; Integra as organizações através do processo transaccional e funciona como plataforma entre parceiros. Permite diminuir riscos, aumentar a abrangência do mercado electrónico e ganhos de eficiência. -gestor de plataforma desenvolve e assegura o funcionamento do mercado, Tradecom, BizDirect - fazedor de mercado (marketmaker), fornece hardware e software para as empresas que queiram fazer mercados elect. ou apenas participar. Ex. Commerce One, Arriba Actores do mercado. Actores isolados, vendedor ou comprador (Siemens, Cisco e vortais); uma terceira parte independente (associações empresariais) ; um consorcio de várias entidades (Covisint – Ford, GM,...-, eConstroi).

10 ECE 2006/7 83 Mercados verticais e horizontais Mercados horizontais Todos os clientes Fornecimentos de bens intermédios Redes proprietárias Fornecedor 1 cliente Mercados verticais Clientes sectoriais MRO

11 ECE 2006/7 84 Mercados electrónicos privados e públicos Mercados electrónicos privados; uma empresa cria seu próprio mercado electrónico com os seus cientes e fornecedores, integrando fortemente a cadeia de valor e reforçando a capacidade de colaboração entre parceiros. Mercados electrónicos públicos são disponibilizados por intermediários as empresas que não tem dimensão / capacidade para constituir um mercado electrónico privado

12 ECE 2006/7 85 Estruturação do mercado Gestão de catálogos, Agregação de conteúdos, Corretagem, Serviços de suporte leilões, ASP C1 C2 C3 C4 Cn clientes F1 F2 F3 F4 Fn S1 Sn Fabricantes de materiais Fornecedores e serviços

13 ECE 2006/7 86 Mercados e documentos electrónicos

14 ECE 2006/7 87 III.B.2. Funções do mercado electrónico Encontro de compradores e vendedores Determinação da oferta de produto Características e qualidade dos produtos oferecidos pelos vendedores Disponibilidade, especificações Agregação dos diferentes produtos Pesquisa Informação mais detalhada sobre preços e sobre produtos Organização da licitação Encontro da oferta do vendedor com a preferência do comprador Determinação do preço Processo e resultado na determinação do preço Possibilita a comparação dos preços Reduz do tempo e do custo operacional de transacção

15 ECE 2006/7 88 Funções do mercado electrónico Facilitador das transacções Logística Entrega da informação, dos bens e serviços aos compradores Facilita a recepção de encomendas, notificações Funciona em tempo real Acesso a funcionalidades diversificadas Pagamento Transferência de pagamentos aos vendedores Confiança Sistema de crédito, protecção dos membros, notoriedade Enquadramento institucional – legal e regulamentar Código comercial, lei contratual, resolução de conflitos, direitos de autor Regras e regulamentos

16 ECE 2006/7 89 Funções do mercado electrónico Transacções Perfil dos membros Interacção entre membros Produto atractivo Atrair membros para a comunidade Gerar conteúdos adequados as necessidades dos membros Fidelizar membros Favorecer a interacção (XML, BBS) Aumentar o volume de transacções Atrair compradores e fornecedores para a comunidade Personalização da oferta Obter informações sobre os membros

17 ECE 2006/7 90 Funcionamento do mercado electrónico

18 ECE 2006/7 91 Tratamento da informação e apoio à tomada de decisão Funções de suporte Interfaces para utilizador -navegador web- Base de dados e a Internet Plataforma de negociação Fazedor de mercado Apresentação, organização e distribuição da informação. Gestão e distribuição do conhecimento Suporte à negociação e à tomada de decisão. Fases do processo de tomada de decisão Instrumentos de pesquisa e catalogação Concepção e formulação do problema, integração de sistemas Escolha e concretização da negociação e da transação

19 ECE 2006/7 92 III.B.3. Impacto dos mercados electrónicos Fontes de rendimento O mercado electrónico cria um maior potencial de rendimentos associado à amplitude geográfica e à possibilidade de desdobramento e de diversificação do tipos de receita. Permite o refinanciamento da actividade principal: A publicidade é uma das mais importantes fontes de financiamento nomeadamente para os sites com um nº de visitas importantes As transacções As comissões nomeadamente através dos cliques nos banners publicitários nas paginas da Web ( Teia ) Edição de datamining obtida através da informação das transações dos utilizadores e revendido a terceiros As taxas de subscrição mais indicado para o sector de negócios e para conteúdos de interesse especial

20 ECE 2006/7 93 Impacto dos mercados electrónicos O modelo de mercado da nova economia está condicionado: Pelos efeitos directos (ou externalidades) de rede O valor do serviço da rede cresce com o nº de utilizadores (=> lei de Metcalfe) O valor derivado (=> dimensão da rede) eclipsa o valor do produto individual como critério decisivo O valor potencial do produto depende dos serviços complementares (=> sistema de produtos). Pelos efeitos indirectos de rede: A escolha da norma acertada garante o desenvolvimento a prazo de produtos complementares e o reforço de atracção do sistema. A utilidade do produto depende da disponibilidade de serviços complementares.

21 ECE 2006/7 94 Impacto dos mercados electrónicos Aumento do valor da rede Adesão de novos utilizadores Crescimento dos utilizadores da rede Pela retroacção (feedback) positiva de rede: associado à rendimentos crescentes, monopólios temporários e à importância das expectativas

22 ECE 2006/7 95 Impacto dos mercados electrónicos Pelo aprisionamento (lock-in): A situação de aprisionamento ocorre quando os custos de alterar a arquitectura ultrapassam o beneficio de efectuar essa mudança. Os custos de produtos complementares associados ao sistema antigo são custos afundados e, tornam-se inúteis na mudança. Importância no estabelecimento das normas Para os fornecedores é uma situação favorável a prazo, pois detém uma situação de monopólio nas aquisições. Monopolios temporários Externalidades positivas e aumento de dimensão da rede

23 ECE 2006/7 96 III.B.4. Transacção electrónica Definição: compras e vendas de produtos e serviços em redes mediadas por computadores. A entrega pode ser ou não em linha. Transacções em sistemas homogeneos de execução e relacionamento pré-determinado; EDI, EFT, VANs. Transacções de mercado em redes publicas com negociação, eventual acordo sobre preços e quantidades etc., execução em linha ou sem linha. Transacções de aquisição Transacções de subscrição Transacção mediada electronicamente: Produtos de informação distribuídos de forma digital Transferência de direitos de disposição. Posição neutral entre participantes fornecendo suporte a ambos, forma intermédia entre mercado aberto e comunidade comercial

24 ECE 2006/7 97 Evolução dos processos de transacção electrónica Transporte de documentos Transacções EDI Internet Proprietária Publica Plataformas de rede Funcionalidade

25 ECE 2006/7 98 Transacção e mercados electrónicos Funcionalidades Directório de fornecedores e compradores Catálogos de produtos e conteúdo informativo Motores de busca de potência variável Acesso diferenciado a dados e informações Formas de comunicação entre participantes Suporte ao processo de transacção; - Em diferentes fases da cadeia - Serviços de apoio à tomada de decisão e negociação Plataformas de apoio à interacção Formas de admissão de participantes Modelos de rendimento

26 ECE 2006/7 99 Transacções e mercados electrónicos Efeito multiplicador da transacção electrónica. Componentes associados; Processos electrónicos - Pesquisa - Pagamento - Certificação - Trocas de documentos e correio electrónico - Publicidade Transacções electrónicas com terceiros Varios actores e multiplos papeis

27 ECE 2006/7 100 Transacção electrónica B2B Enquadramento: Tipo de transacção - Aprovisionamento; orientado para o longo prazo - Compras; transacções únicas Aspecto principal da transacção depende da natureza do produto - Tecnologia; produto de grande complexidade e de relevância estratégica. Custo relativamente secundário - Custo do produto (e qualidade); valor elevado e transacção pouco frequente - Custo do processo; valor reduzido e volume elevado

28 ECE 2006/7 101 Formas de comercio B2B Vendedores Compradores EDI Internet Plataformas de venda em linha (CRM) Plataformas de compras centralizadas (e-procurement, SRM) VV V V VV VV C C C C C C C C Mercados electrónicos (marketspace)

29 ECE 2006/7 102 Incidências nos processos comerciais i.Na concepção do produto - Aceleração na concepção - Adequação da produção entre a fase da montagem e o fabrico de peças. - Normalização permite uma maior integração e variedade das partes interessadas no processo de concepção da produção e tomada de decisão. - Personalização graças a colaboração dos agentes de montante a jusante da fileira (ou cadeia) ii.Compras e logística - Escolha mais alargada de fornecedores, redução de tempo dos processos de fornecimento e despesa de armazém, rotação mais rápida dos stocks. - Efeitos significativos nos materiais MROs - Automação e integração dos processos de compra, pagamentos, etc

30 ECE 2006/7 103 Incidências nos processos comerciais iii. As informações sobre o mercado facilitam; -o desenvolvimento dos produtos ao canalizarem os dados sobre os gostos dos consumidores aos produtores - a definição da produção ligando a procura efectiva ao planeamento da produção. - A analise da utilização dos cartões de fidelidade e outros. - O Comércio Electrónico aumenta a quantidade de informação gerada pelas transacções comerciais.

31 ECE 2006/7 104 Incidências nos processos comerciais iv.Dinâmica do mercado B2B Relação cliente fornecedor. Os modelos orientados pela procura beneficiam o poder de mercado dos que controlam o elo final da cadeia de valor. A diversificação baseada na rede aberta favorece o fornecedor -> reduz custos de promoção, amplia a visibilidade e diversifica as vendas. Alteração das fronteiras das empresas Reagrupamento dos fornecedores e utilizadores para soluções integradas: IBM/Cisco, AOL/Netscape, etc. Importância da Notoriedade e confiança Empresas start-ups que testam o modelos de funcionamento Novos serviços tendem a fazer parte integrante da cadeia de fornecimento Normalização acresce as possibilidades de competição e reduz barreiras à entrada no espaço da rede.

32 ECE 2006/7 105 III.B.5. Servidores de comércio electrónico Modelos orientados pela oferta, catálogos de produtos oferecidos. Ex. E-comercio B2C Consumidores finais E-Comercio B2B Clientes: Empresas e Governo Catalogo de Produtos do fornecedor Informação sobre encomendas dos clientes Servidor Web (loja virtual) do fornecedor

33 ECE 2006/7 106 Servidores de comércio electrónico Modelo orientado pela procura; Entidades compradoras têm o seu próprio servidor onde introduzem toda a informação necessária e convidam os fornecedores a apresentarem suas propostas. Ex. Administrações publicas Empresas fornecedoras Catalogo de Produtos requisitados Informação e Propostas do fornecedor Servidor Web do comprador

34 ECE 2006/7 107 Servidores de comércio electrónico Modelos de mercado electrónico orientados por intermediários (independente, consórcio ou privado) ; Entidade mediadora permite a reunião de fornecedores e clientes a quem disponibiliza plataforma e informações. Ex. Boeing Part Organização Fornecedora Organização Cliente Catalogos partilhados de produtos Informação sobre produtos de fornecedores Servidor Web Intermediario Informação sobre encomendas de clientes

35 ECE 2006/7 108 III.B.6. Modelos de negócios na Internet Processo integrativo Processo transaccional Loja virtual Corretagem informativa Corretagem informativa E-aquisição E-leilão Comunidade comercial Comunidade comercial Mercado electrónico Integrador da cadeia de valor Integrador da cadeia de valor Portal Eco-sistema de empresas Eco-sistema de empresas Empresa virtual Centro Comercial

36 ECE 2006/7 109 III.B.3. Formação de preço na Internet Custos de transacção na Internet. Redução dos custos Caracteristicas dos custos na Internet Caracteristicas da formação de preços Preços orientados pela oferta vs. Preços orientados pela procura Papel dos custos, custos marginais decrescentes Disposição a pagar, comparação significativa Preços afixados e personalizados. Discriminação dos preços

37 ECE 2006/7 110 Diferenciação preços e personalização dos produtos Diferenciação horizontal e vertical. Agrupamento (bundling). Desagregação e micropagamentos. Mecanismo compativel com o incentivo Combinações preço/qualidade Auto-selecção Incentivos à compra da versão adequada Gratuidade Estratégia sigam o gratuito e penetração de mercado Refinanciamento do investimento Incentivos não financeiros e reputação (ex, Apache, Linux)

38 ECE 2006/7 111 III.E. Sistemas interorganizacionais – IOS- Os sistemas IOS melhoram a coordenação e o controle dos fluxos entre as organizações. Os IOS implicam a existência de uma arquitectura e de uma programação para a gestão do fluxo de produtos, serviços e informação. A conexão logica dos processos é privilegiada em detrimento das organizações individuais => sistemas operativos Externalização e subcontratação (outsourcing) vs. internalização (in- house) das tarefas. Transacção (mercado) vs. integração (hierarquia). Custos de coordenação e de transacção - Coordenação da informação e da comunicação - Custos de pesquisa, financeiros, facturação, movimento - Custos de negociação, monitorização e execução

39 ECE 2006/ Natureza dos sistemas interorganizacionais Importância das TIC na implementação do processo: A sintaxe das TIC trata de problemas e factos precisos definidos sem ambiguidade mas são inadaptadas para descrever factos economicos. Redes inter-firmas ou sistemas de informação inter-empresas. Tipologia Sistemas dedicados ou grupos fechados. C omputadores centrais/ terminais (mainframes) com redes proprietarias. Sistema semi-fechados baseados nas VANs (Norma EDI) Sistemas abertos baseados na Internet

40 ECE 2006/7 113 Sistemas de partilha e de integração de informação Estratégias de partilha e de integração da informação Modularização e encapsulamento Desenvolvimento em Plug and Play Especialização e especialização avançam em conjunto Integração transversal, o comercio electronico desenvolve-se na convergência de serviços em sectores Interfaces organizacionais e processo de comunicação. Mobilização dos recursos da organização para adequar não só a forma à função, mas o sentido do objecto integrando o utilizador final. Partindo do conceptor (designer) que exerce do exterior, este torna-se interveniente dos processos internos.

41 ECE 2006/7 114 Sistemas de partilha e de integração de informação Empresa estendida: SRM CRM Cadeia de valor: SCM, RFID ERP Eco-sistema e rede valor: PLM, Web 2.0

42 ECE 2006/7 115 SCM - Supply Chain Management –

43 ECE 2006/7 116 III.E.2. Cadeia de produção Configuração tradicional, linear. 2ºfornecedor 1ºfornecedor Fabrico e montagem Embalagem e distribuição grossista cliente grossista 2ºfornecedor 1ºfornecedor MontanteJusanteInterno Fluxo de informação, encomendas e ordens para fornecedores Fluxos de matéria para clientes

44 ECE 2006/7 117 Cadeia de produção push e pull Redes empurradas (push) – direcção montante -> jusante; funcionamento é conduzido pelas determinações das etapas a montante e centradas na oferta. Sistema conotado com métodos de produção em massa e com esquemas de previsão da procura. Ajustamento sequencial em circuito. Redes puxadas (pull) – direcção jusante -> montante; funcionamento é conduzido pelas necessidades e pelas informações geradas nas etapas finais e centradas na procura. Encomendas mais que a previsão conduz o sistema. A ligação directa à procura actual com o planeamento e execução da produção permite reacção rápida. Ajustamento adaptativo em rede.

45 ECE 2006/7 118 Cadeia de produção push e pull

46 ECE 2006/7 119 Rede de produção complexa e não linear

47 ECE 2006/7 120 Cadeia de valor virtual Conversão da informação bruta em novos produtos e serviços no domínio da informação => criação de valor Tarefas: agrupar, organizar, seleccionar, sintetizar e distribuir a informação Transformação das operações de valor acrescentado em valor virtual: avaliação das operações materiais sob uma perspectiva da informação; substituição de uma tarefa física por uma virtual e instauração de novas relações resultantes da exploração dos fluxos de informação e da criação de novos suportes.


Carregar ppt "ECE 2006/775 III. Componentes da economia digital A. Produtos e processos digitais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google