A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comunicação verbal midiática Elementos da mídia – jornalismo, design e publicidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comunicação verbal midiática Elementos da mídia – jornalismo, design e publicidade."— Transcrição da apresentação:

1 Comunicação verbal midiática Elementos da mídia – jornalismo, design e publicidade

2 Teorias de McLuhan para a compreensão dos meios O meio é a mensagem Meios frios e meios quentes Os meios como extensões do homem O mundo é uma aldeia global

3 Meios de Comunicação, na definição de McLuhan Meios frios: alta interatividade / baixa definição; apelam para mais de um sentido. Meios quentes: baixa interatividade / alta definição; apelam mais intensamente para um único sentido.

4 Convergência dos meios Meios híbridos: alta definição; alta interatividade.

5 O meio é a mensagem - McLuhan O uso dos meios de comunicação é capaz de modificar o entorno (a cultura, os hábitos e até o nosso corpo).

6 Os meios como extensões humanas Os meios de comunicação, ao ampliar os nossos sentidos, seriam como extensões humanas. Nos meios híbridos, os meios são extensões cerebrais, pois ampliam vários sentidos ao mesmo tempo.

7 Hegemonia da publicidade A publicidade determina a linguagem dos meios, inclusive da imprensa: Merchandising em TV (telenovela, talk show, humorísticos); Programação recheada de intervalos; Fragmentação e maior dinamismo nas estruturas; Documentários pautados pelos anunciantes e uso do agendamento como estratégia de MKT.

8

9 Hibridismo De meios e de linguagens: uso da intertextualidade e da intersemiose. Na linguagem verbal: o coloquialismo, o humor e o poético como elementos em todos os meios.

10

11

12 Juremir Machado A publicidade, na relação com o objeto que representa, passa por três fases:

13 Primeira fase: primitiva ou ingênua Vendia-se um valor de uso. Mencionam-se qualidades intrínsecas da mercadoria; Referência explícita (linguagem referencial). Uso de índices. Ex. Omo lava mais branco.

14 Segunda fase: publicidade conceitual Vende-se um conceito, uma sugestão, uma idéia imprecisa e volátil, analógica ao objeto. Uso da função poética associada à função apelativa. Uso de ícones. Não se promete nada ao consumidor, salvo uma atmosfera anterior ao ato da compra. Exemplos: Campanhas da Benetton.

15 Terceira fase Venda do imaginário. Reservatório de imagens e sensações. Não há uma promessa concreta. Há o monopólio da aparência. Uso de símbolos. Predomínio da função poética. Ex.: campanhas do desodorante Axe.

16 Neologismos A mídia se utiliza da linguagem cotidiana e cria neologismos que são assimilados pela linguagem cotidiana. Ex.: não é uma Brastemp (publicidade); sambódromo (entretenimento); presidenciável, candidatável (imprensa); nos trinques (telenovela).

17 A Internet e os neologismos – os meios recriam a linguagem verbal Deletar; Clicar; Teclar; Infovia.

18 Neologismos A linguagem é viva e sofre constantes transformações. Arcaísmos: grenha, cinesíforo, ludopédio, quiçá, oxalá, defenestrar. Termos que tiveram seu significado alterado: hospício, amante, formidável, entre outros.

19 Criação de neologismos As telenovelas são fonte de criação de neologismos; São também mecanismos de transformação contínua de hábitos e moda; Reforçam ou questionam clichês, estereótipos e arquétipos.

20 Estrangeirismos Palavras estrangeiras inseridas em nossa língua. A mídia e a tecnologia são fontes de estrangeirismos. Usar aspas; Substituir por termo equivalente.

21 Arquétipos São modelos humanos universais, expressos verbal ou visualmente. A grande mãe; O grande pai; O herói-guerreiro; O mágico; A donzela; A prostituta.

22 A grande mãe Mulher exemplar; Dá a vida e cuida, zela; É aquela que ama incondicionalmente; Assexuada. Frases: Mãe é só uma! Mãe é mãe. Amor de mãe não tem igual.

23

24 O grande pai É o provedor; Exemplo para os filhos; Símbolo de sabedoria e seriedade. Frases: Não basta ser pai, tem que participar! Aquele que trabalha o dia todo, merece o melhor descanso.

25

26

27

28

29 Herói-guerreiro Homem forte, jovem, bonito, viril e de ideais nobres. Frase: Homem que é homem não chora (clichê).

30

31

32 Donzela Menina-mulher, meiga, bonita e casta. Uma das características da donzela é o uso dos diminutivos. A linguagem emo.

33

34 Prostituta Mulher objeto, sensual, fatal. Palavras de ordem: paixão, sedução, desejo.

35

36 O mágico É o mediador entre o natural e o sobrenatural.

37


Carregar ppt "Comunicação verbal midiática Elementos da mídia – jornalismo, design e publicidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google