A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Razões para promover a atividade física. Conceito de saúde n Não é só ausência de doença n Seguro saúde ou seguro doença ? n Comprende bem-estar físico,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Razões para promover a atividade física. Conceito de saúde n Não é só ausência de doença n Seguro saúde ou seguro doença ? n Comprende bem-estar físico,"— Transcrição da apresentação:

1 Razões para promover a atividade física

2 Conceito de saúde n Não é só ausência de doença n Seguro saúde ou seguro doença ? n Comprende bem-estar físico, mental, social e espiritual n Doença pode ser um estágio avaçado de maus hábitos

3 Continum da saúde Saúde Positiva (Aspectos físico, social, mental e espiritual) Comportamento de Risco (Sedentarismo, dieta rica em gorduras, tabagismo, abuso de álcool e drogas, estresse elevado, etc.) Doença (Coronariopatias, diabetes, hipertensão, obesidade, câncer, osteoporose, etc.) Saúde Negativa (Graves limitações funcionais e mortalidade

4 Definições n Atividade física –Qualquer movimento realizado pela musculatura esquelética que resulte em gasto energético n Exercício físico –Atividade física planejada, estruturada, repetitiva que objetiva o desenvolvimento da aptidão física n Aptidão física –Características que, em níveis adequados, possibilitam mais energia para o trabalho e o lazer, proporcionando, paralelamente, menor risco de desenvolver doenças ligadas ao sedentarismo »Aptidão cardiorespiratória »Força/resistência muscular »Flexibilidade

5 Atividade Física - Trabalho - Transporte - Lazer - Atividades domésticas

6 Benefícios da atividade física para a saúde n Melhoria da qualidade de vida n Redução da morbidade e mortalidade n Quarteto mortal: –Obesidade –Dislipidemias –Diabetes –Hipertensão

7 Quem faz atividade física, quem não faz n Quem faz –homens –curso superior –18 a 24 anos –renda > 20 SM n Não faz –mulheres –primeiro grau –45 a 60 anos –renda < 10 SM Fonte: Datafolha 1997

8 Prevenção primária –Conjunto de medidas dirigidas à população sadia para evitar a ocorrência de novos casos. Visa reduzir a incidência. Divide-se em promoção e proteção: »Promoção da saúde: conjunto de medidas inespecíficas, orientads para população sadia, com o intuito de manter a saúde e prevenir, de maneira geral, a ocorrência de doença »Proteção da saúde: conjunto de medidas dirigidas à população sadia, com o fito de prevenir uma única afecção ou um conjunto de doenças afins

9 Prevenção secundária n Conjunto de medidas dirigidas à população doente, com o intuito de detectar os casos clínicos e subclínicos e tratá-los. Visa diminuir a duração da doença e sua prevalência. Divide- se em diagnóstico e tratamento precoce (3º nível de prevenção) e limitação do dano –Diagnóstico e tratamento precoce: consiste em identificar e tratar a doença em evolução subclínica –Limitação do dano: consiste em identificar e tratar a doença que se encontra em evolução clinicamente aparente, de reconhecimento mais tardio da doença

10 Prevenção terciária ou reabilitação n Conjunto de medidas para desenvolver a capacidade residual e potencial do indivíduo após a passagem da doença. Visa promover o ajustamento da pessoa a situações irreversíveis, atenuar a invalidez e evitar o óbito

11 Mortalidade no Brasil

12 Cenário Brasileiro Prevalência de inatividade física* em adultos de 15 capitais e Distrito Federal. Brasil, *Sedentários e irregularmente ativos Fonte: (SVS/INCA)

13 Cenário Brasileiro Prevalência de excesso de peso (IMC>25) por gênero nas 15 capitais e Distrito Federal. Brasil, Fonte: (SVS/INCA)

14 Conceitos básicos: medidas de freqüência/ocorrência n Prevalência: –número de casos existentes doença em um dado momento n Incidência: –freqüência com que surgem novos casos de uma doença em um intervalo de tempo

15 Medidas de Freqüência Prevalência: Volume Número de casos Número de casos P = Total de pessoas Total de pessoas Medida Estática

16 Medidas de Freqüência Incidência Acumulada: número de casos no período número de casos no período IA= número total pessoas expostas no período número total pessoas expostas no período Proporção de uma população fixa que adoece durante um determinado período de tempo

17 Medidas de Freqüência Taxa (Densidade) de Incidência: Razão entre o número de casos novos de uma doença e a soma dos períodos durante os quais cada indivíduo componente da população esteve exposto ao risco de adoecer e foi observado (quantidade de pessoa-tempo de exposição) Ex: 40 acidentes de trabalho Tempo empregado número Tempo x número Total 3 meses , meses , meses , meses

18 Medidas de Freqüência Mortalidade: Caso particular do conceito de incidência, quando o evento de interesse é a morte, e não o adoecimento. Letalidade: O evento de interesse é a morte por uma doença entre os doentes

19 Razões: prevalência n Qual a prevalência da doença ? –Na população total –Nos expostos –Nos não expostos? Doentes Não doentes Total Expostos Não expostos Total

20 Razões: prevalência x odds n Prevalência: –Casos/Total n Odds –Casos/Não Casos Doentes Não doentes Total Expostos Não expostos Total

21 Razões de risco e odds Doentes Não doentes Total Expostos Não expostos Total PrevalênciaODDSRiscoRRRPRO200/1000=0,2200/800=0,250,2/0,1=20,25/0,11=2,27 100/1000=0,1100/900=0,11 300/2000=0,15300/1700=0,18

22 Estudos analíticos Doente Não Doente Total Expostoaba+b Não exposto cdc+d Totala+cb+dn Estudos experimentais Estudos de coorte (RP) Caso controle (RO) Transversais (RR)

23 Estudos descritivos Tipo de estudo PassadoPresenteFuturo Doença (exposição e não exposição) Não Doença (exposição e não exposição) Caso controle Coorte prospectivo Exposição Não exposição Exposição Não exposição Doença Não Doença Doença Não doença Doença Não doença Exposição Não Exposição Transversal

24 Estudos longitudinais Desfecho Não desfecho RandomizaçãoPopulação Desfecho Não desfecho Intervenção Placebo

25 Ordem de importância n Temporalidade n Evidências experimentais n Gradiente n Força da associação n Plausibilidade biológica n Consistência n Coerência n Analogia n Especificidade FORTES MÉDIOS FRACOS

26 Tipos de evidência n Categoria A: Estudos clínicos randomizados, bem delineados. Resultados consistentes. Ponto terminal. Grandes amostras e muitos estudos. n Categoria B: Algumas falhas, resultados um pouco inconsistentes. Meta análise, poucos estudos, amostra limitada. n Categoria C: Estudos não controlados, não randomizados ou estudos observacionais. n Categoria D: Painéis, experts e consensos extraídos de estudos que não se enquadram nas categorias anteriores.

27 Surgeon General: Physical Activity and Health Executive Report 1996

28 Principais conclusões n Benefícios para qualquer idade e sexos n Atividade moderada provoca benefícios significativos para a saúde (30 min caminhada rápida, 15 min corrida, 45 min volei, em quase, senão, todos os dias da semana) n Benefícios aumentam com maior duração ou intensidade

29 Principais conclusões n AF reduz riscos de mortalidade em geral, particularmente: –Doença coronariana –Hipertensão –Câncer de colon –Diabete mellitus –Saúde mental –Músculos, ossos e articulações

30 Principais conclusões n Mais de 60 % dos norte-americanos não são regularmente ativos n Cerca de 25 % são totalmente inativos n Quase a metade dos norte-americanos de 12 a 21 anos não são vigorosamente ativos n AF diminui dramaticamente com a adolescência n EF diária diminui de 42 para 25% entre 1991 e 1995 n Algumas intervenções em escolas, local de trabalho e instalações de saúde são bem sucedidos para a promoção da AF

31 Resposta fisiológica e adaptação crônica n AF é benéfica para os sistemas CV e mm.esquléticos além do metabólico, endócrino e imunológico n Muitos efeitos diminuem dentro de 2 semanas e desaparecem totalmente entre 2 e 8 meses n Benefícios são observados em qualquer idade para ambos os sexos

32 Efeitos para saúde e doença n Mortalidade por todas as causas –AF elevada reduz mortalidade –Mesmo a AF moderada regular leva à menor mortalidade

33 Metas de Atividade Física Health People 2010 Efetividade da intervenção

34 Atividade física em adultos Reduzir a proporção de adultos que não se envolvem em nenhuma atividade física nas horas de lazer. 1, 2LB: 40% Nunca ou não sou capaz 20% Aumentar a proporção de adultos que se envolvem regularmente, de preferência diariamente, em atividades física moderadas durante pelo menos 30 minutos por dia. 2LB: 15 % Pelo menos 5 x semana, 30 minutos por sessão 30% Aumentar a proporção de adultos que se envolvem regularmente, em atividades físicas que promovem o desenvolvimento e manutenção da aptidão cardiorrespiratório 3 ou mais vezes por semana durante 20 minutos ou mais por ocasião. 1LB: 23 % Pelo menos 3 x semana, 20 minutos 30%

35 Força/endurance muscular e flexibilidade Aumentar a proporção de adultos que realizam atividade física que aumentam e mantém a força e endurance musculares 3LB: 18% Pelo menos 2 x semana 30% Aumentar a proporção de adultos que realizam atividade física que melhoram e mantém a flexibilidade 4LB: 30% Sim durante as duas últimas semanas 43%

36 Atividade física em crianças e adolescentes Aumentar a proporção de adolescentes que se envolvem em atividade física moderada de pelo menos 30 minutos em 5 ou mais dias nos últimos 7 dias 5LB: 27% Número de alunos do ensino médio 35% Aumentar a proporção de adolescentes que se envolvem em atividade física vigorosa que promove aptidão cardiorrespiratória 3 ou mais vezes por semana durante 30 minutos ou mais por ocasião 6LB: 65% Número de alunos do ensino médio 85% 22.8 Aumentar a proporção de escolas públicas e privadas que exigem a educação física diária para todos os alunos. 7. LB: 17% Número de escolas públicas e privadas do ensino médio que oferecem educação física 5 dias por semana em número de anos igual ao número de séries 25%

37 Atividade física em crianças e adolescentes 22.9 Aumentar a proporção de adolescentes que participam da educação física diária 8LB:29% Número de alunos que declaram comparecer a 5 aulas semanais de educação física 50% Aumentar a proporção de adolescentes que gastam ativamente pelo menos 50 % do tempo de aula da educação física escolar 9LB: 38% Número de alunos do ensino médio que gastam pelo menos 21 minutos em exercícios ou jogos, de 3 a 5 vezes por semana 50% Aumentar a proporção de adolescentes que assistem 2 horas ou menos de TV durante os dias de aula 10LB: 57% Número de alunos do ensino médio que relatam assistir 2 horas ou menos de TV 75%

38 Acesso Aumentar a proporção de escolas públicas e privadas que dão acesso aos seus espaços e instalações para atividade física para todas as pessoas fora do horário escolar (isto é, antes e após o horário escolar, nos finais de semana e durante as férias) 11LB: não há Aumentar a proporção de locais de trabalho que oferecem programas de atividade física para seus funcionários 12LB: 46% Número de locais de trabalho não governamental com 50 ou mais funcionários que oferecem atividade física no local de trabalho ou através de convênios 75%

39 Acesso: deslocamentos a pé Aumentar a proporção de deslocamentos realizados a pé a. Adultos13LB: 17% Número de deslocamentos de 1 milha ou menos realizados a pé em relação ao total de deslocamentos 25% 22.14b. Crianças e adolescentes de 5 a 15 anos 14LB: 31% Número de deslocamentos de 1 milha ou menos realizados a pé em relação ao total de deslocamentos 50%

40 Acesso: deslocamentos em bicicleta Aumentar a proporção de deslocamentos realizados em bicicleta a. Adultos13LB: 0,6% Número de deslocamentos de 5 milha ou menos realizados a pé em relação ao total de deslocamentos 2% 22.14b. Crianças e adolescentes de 5 a 15 anos 14LB: 2,4% Número de deslocamentos de 2 milha ou menos realizados a pé em relação ao total de deslocamentos 5%

41 Recomendações Todo adulto deve acumular 30 minutos ou mais de atividades físicas moderadas na maioria dos dias da semana, ou diariamente, de preferência Ou também: 150 minutos de AF moderada acumulados na semana AF moderada: aquelas atividades que necessitam de ALGUM esforço e que fazem respirar UM POUCO mais rápido que o normal (CDC; ACMS)

42 Dose mínima de AF para: - melhorar aptidão física - usufruir de benefícios para saúde Doses um pouco maiores de AF podem produzir melhores resultados Doses ideais de AF (trabalho + transporte + lazer + atividades domésticas) deveriam promover um gasto calórico semanal entre e kcal

43 Intensidade: benefícios x riscos

44 Por que as pessoas não se exercitam regularmente??? Alguns fatores que afetam a aderência ao exercício: - Tempo - Dinheiro - Disposição - Apoio Social - Exercitar-se em grupo - Clima - Desconforto Físico

45 Tempo n Gerenciar o tempo n Encontrar a hora de exercitar n Sessões de 20 a 60 minutos n Uma hora antes e após n Relaxar e não sentir-se apressado

46 Dinheiro n Custo de matrícula ou clube n Existem atividades quase sem custo: –Caminhar –Correr

47 Disposição n Maior desculpa n Intensidade mais baixa n Encontrar hora do dia com mais disposição n Evitar fome n Evitar exercício após refeições pesadas

48 Apoio social n Vital para a adesão e aderência: –Familiares –Amigos

49 Exercitar-se em grupo n Aumenta aderência n Cobranças pelas faltas

50 Clima n Ajustar exercício ao clima, sobretudo ao ar livre n Clima adverso (calor, frio, umidade ou seco) afeta aderência n Considerar alergia

51 Desconforto físico n Todo exercício traz desconforto n Desconforto x dor! n Aquecimento e volta à calma reduzem desconforto

52 Estágios de Mudança de Comportamento: Atividade Física Você tem estilo de vida fisicamente ativo ? Pratica há mais de 6 meses ? Você considera a AF importante para a sua saúde e bem estar geral ? Pretende começar a pratica de AF nos próximos meses ? Preparação Manutenção Ação Pré-contemplação Contemplação SIM NÃO SIM NÃO

53 - Manutenção: pratica AF por mais de seis meses. - Ação: pratica AF por menos de seis meses. - Preparação: pratica AF esporadicamente; tem a intenção de começar nos próximos 30 dias - Contemplação: tem intenção de começar nós próximos 6 meses. - Pré-contemplação: não tem intenção de realizar Estágios de Mudança de Comportamento: Atividade Física

54 Estratégias que podem influenciar um comportamento - ANTECEDENTES: 1- Informação 1- Informação 2- Instruções 2- Instruções 3- Experiência prévia 3- Experiência prévia 4- Modelos de papéis 4- Modelos de papéis

55 - MANUTENÇÃO E AÇÃO: 1- Monitoramento 1- Monitoramento 2- Reforço 2- Reforço 3- Prevenção da recaída 3- Prevenção da recaída 4- Contratos 4- Contratos Estratégias que podem influenciar um comportamento

56 Eficácia, efetividade e eficiência n Eficácia: –Resultados de intervenção em situações ideais e controladas –Estudos de epidemiologia –Estudos teóricos n Efetividade: –Estudos de intervenções num mundo real –Estudos de intervenção n Eficiência: –Recursos (i.e. custo-benefício, custo-efetividade, p.ex.).

57 Efetividade de intervenções para promover a atividade física Kahn et al. (2002) n Informações –Ponto de decisão –Campanhas n Intervenções comportamentais e sociais –Educação Física escolar –Apoio social na comunidade –Mudança comportamental adaptada ao indivíduo (modelo transteorético) n Ambiente e regulamentação –Criação ou ampliação do acesso a locais para prática da AF + atividades que favoreçam as informações

58 Modelo de intervenção Intervenção Determinantes modificáveis Informações Comportamentais e Sociais Ambientais e política Resultados Intermediários Medidas fisiológicas Composição corporal Aptidão motora Aptidão Metabólica Humor/ânimo Aderência Resultados para a saúde Mortalidade Morbidade Qualidade de vida Comportamento em Atividade Física Pré-planejamento Planejamento Adoção Manutenção Formas de intervenção Auto- monitorado Monitoramento Intervenção direta Adaptado de Kahn et al. AJPM, 2002

59 PAR-Q n Sensibilidade 100% –Identifica casos positivos corretamente n Especificidade 80 % –Identifica casos negativos corretamente

60 Questões do Par-Q 1.Seu médico já lhe disse que você tem uma condição cardíaca e que somente deve realizar a atividade física recomendada por um médico ? 2.Você sente dor no tórax quando realiza uma atividade física ? 3.No último mês, você teve dor torácica quando não estava realizando uma atividade físca ? 4. Você perde seu equilíbrio em virtude de uma vertigam ou já perdeu a consciência ? 5. Seu médico está prescrevendo medicamentos atualmente (p.ex. Pílulas diuréticas) para sua pressão arterial ou condição cardíaca ? 6. Você sofre de alguma condição óssea ou articular que poderia ser agravada por uma mudança na atividade física? 7. Você conhece alguma outra razão para não realizar atividade física ?

61 Atividade física habitual n Pedometria –Sedentário < 5000/dia –Pouco ativo – 5000 a 7500 –Insuficientemente ativo 7500 a –Ativo a –Muito ativo acima de Kikuchi et al., 2005

62 Pedometria nos diferentes dias

63 Componentes da aptidão músculo-esquelética n Aptidão relacionada à saúde –Força muscular –Resistência muscular –Flexibilidade »Resistência cardiorrespiratória »Composição corporal n Aptidão relacionada ao desempenho atlético –Agilidade –Potência –Velocidade –Equilíbrio

64 Importância da força e resistência musculares n Aumenta capacidade para a AVD com maior eficiência e menos fadiga n Proteção de articulações n Melhor postura n Reduz dor lombar n Previne contra osteoporoso e quedas n Principalmente MMSS

65 Força muscular n Técnicas –Tensiometria –Dinamometria –1 RM –Dinamômetros eletromecânicos ou isocinéticos


Carregar ppt "Razões para promover a atividade física. Conceito de saúde n Não é só ausência de doença n Seguro saúde ou seguro doença ? n Comprende bem-estar físico,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google