A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

© www.josedornelas.com INCUBADORAS DE EMPRESAS José Dornelas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "© www.josedornelas.com INCUBADORAS DE EMPRESAS José Dornelas."— Transcrição da apresentação:

1 © INCUBADORAS DE EMPRESAS José Dornelas

2 © Antecedentes O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século XXI mais do que a revolução industrial foi para o século XX Jeffry Timmons O Brasil está entre os países que possuem o maior índice de criação de empresas pela população adulta no mundo –Relatório GEM (Babson College e London Business School) Incubadoras de empresas são o principal meio de apoio ao crescimento de pequenas empresas iniciantes no Brasil O número de incubadoras no país tem crescido rapidamente, em todo o território nacional Principais incentivadores do movimento: SEBRAE e MCT (PNI / CNPq / Finep)

3 © Investimento para startups angels Incubadoras empreendedor amigos família Idéia seed money angels Start-up venture capital first round secondround... Expansão venture capital IPO bolsa de valores Consolidação Crescimento da empresa Tempo

4 © Histórico de Incubadoras O conceito surgiu naturalmente, como conseqüência da criação dos Parques e Pólos tecnológicos nos EUA, no final da década de 40, em Palo Alto - CA. A primeira incubadora de empresas brasileira surgiu em São Carlos-SP, em Nos últimos anos, o número de incubadoras de empresas cresceu rapidamente em todo mundo. Nos EUA, atualmente existem mais de 1000 incubadoras de empresas. (Europa: mais de 1200; Mundo: mais de 4000) No Brasil, o estudo mais recente divulgado pela ANPROTEC, indica a existência de mais de 400 incubadoras de empresas no país.

5 © Histórico de Incubadoras De acordo com MEEDER (1993) três razões guiaram o desenvolvimento das incubadoras de empresas americanas a partir dos anos 70: –Motivação para encontrar novas utilidades para prédios antigos e abandonados em áreas retiradas; –Fundos provenientes da National Science Foundation (Fundação Nacional da Ciência, nos EUA) de apoio ao empreendedorismo e inovação nas maiores universidades americanas, e –Iniciativas de vários empreendedores e grupos de investidores para transferir suas experiências a novas empresas em um ambiente propício à inovação tecnológica e comercialização de produtos de tecnologia.

6 © –São destinadas a amparar o estágio inicial de empresas nascentes que se enquadram em determinadas áreas de negócios. –...É um ambiente flexível e encorajador onde são oferecidas facilidades para o surgimento e crescimento de novos empreendimentos (ANPROTEC, 1998). –É um ambiente de trabalho controlado, projetado para auxiliar no crescimento de novas empresas emergentes... (LALKAKA & BISHOP, 1996). –Catalisam o processo de início e desenvolvimento de um novo negócio, provendo os empreendedores com toda a expertise necessária para gerenciar suas empresas, estabelecendo redes de contatos e ferramentas que farão seus empreendimentos atingirem o sucesso (NBIA, 2000). Definições

7 © Histórico

8 ©

9

10 Objetivos Segundo a NBIA, uma incubadora de empresas deve oferecer, pelo menos, os seguintes serviços (RICE, 1992): 1.Possibilitar ao empreendedor o desenvolvimento de uma rede de contatos, sempre encorajado pelo gerente da incubadora. 2. Prover assistência técnica e gerencial aos incubados através de especialistas que trabalhem na própria incubadora ou via profissionais capacitados da comunidade. 3. Auxiliar o empreendedor a conseguir financiamento para seu empreendimento, desde a elaboração do plano de negócios até a negociação com os investidores. 4. Oferecer uma série de serviços aos incubados e também àquelas empresas filiadas à incubadora, mas não residentes.

11 © Incubadora não é… … apenas um galpão com espaços para instalação de empresas … apenas um conglomerado de empresas … um artifício para geração de empregos … uma solução definitiva para o desenvolvimento local e regional … o único pilar para o desenvolvimento do empreendedorismo … um distrito industrial onde empresas ficam instaladas sem prazo de saída … um local onde apenas idéias ficam sendo testadas

12 © Impactos das incubadoras Geram novas oportunidades de inovação em vários setores Criam empresas de sucesso Reduzem a mortalidade de empresas nascentes Reduzem os riscos dos investimentos Contribuem para equilibrar o desenvolvimento regional Criam postos de trabalho qualificados e geram emprego e renda

13 © Principal finalidade Oferecer condições para a criação de empresas bem sucedidas

14 © Panorama 2006 das incubadoras brasileiras

15 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

16 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

17 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

18 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

19 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

20 © Vínculos das incubadoras de empresas Fonte: ANPROTEC

21 ©

22

23 Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec)

24 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) Existência de Programas de Pré-incubação

25 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) Custo Operacional Anual

26 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) Custo Operacional Anual - Cobertura

27 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) –Incubadoras: 339 –Empresas incubadas: 2327 –Empresas graduadas:1678 –Empresas associadas:1613 –TOTAL: 5618

28 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) –Postos de trabalhos: –Empresas incubadas: –Empresas graduadas:12270 –Empresas associadas:3784

29 © Incubadoras de Empresas (Fonte: Anprotec) Critérios de Seleção

30 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec)

31 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec) Áreas de Atuação

32 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec) –Vínculo formal com Universidades: 83%

33 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec) –Empresas instaladas (Industriais: 42%; Serviços: 54%)

34 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec) –Critérios de Seleção

35 © Parques Tecnológicos (Fonte: Anprotec) –Estágio das empresas que ingressam no parque

36 © Tendências Diversificação do conceito e dos tipos de incubadoras Anos 80 –Tecnológica Anos 90 –Tradicional –Mista Ano 2000 em diante –Agroindustrial –Cultural –Artes –Cooperativa

37 © Tendências Incubadoras Descentralização regional Cidades com menos de 200 mil habitantes Parques Concentração em grandes centros industriais e pólos regionais

38 © Implantando Incubadoras

39 © Fases do ciclo de vida da Incubadora Ciclo de vida de uma incubadora de empresas (ALLEN, 1988) –Fase start-up, caracterizada por um estudo de viabilidade, identificação do espaço físico, e culminando na criação da incubadora. –Fase de renovação das instalações e de desenvolvimento inicial. –Fase de desenvolvimento empresarial, onde os gerentes das incubadoras trabalham com um conjunto de potenciais empresas a serem incubadas e as empresas incubadas atuais, na preparação de um plano de negócios coerente com as expectativas de crescimento da incubadora. Geralmente, o ciclo de vida de uma incubadora de empresas é de 4 a 5 anos, quando já existem empresas graduadas e seus impactos no desenvolvimento econômico regional são perceptíveis.

40 ©

41

42 Fatores críticos de sucesso SMILLOR & GILL (1986) Programa demetas comprocedimentos e políticasclaras Vínculocom Universidades e/ou centros depesquisa Processo deseleção dos incubados Percepção doSucesso Acesso a financiamentos e investimentos SuporteFinanceiro e assessoriafinanceira Suporteda comunidade Redeestabelecida de empreendedorismo Expertise local em administração de negócios Ensino de empreendedorismo Incubadora deEmpresas

43 © Percepção do sucesso instalações novas e modernas; parcerias com entidades importantes, públicas e privadas; possuir um gerente experiente e capaz; possuir uma diretoria comprometida com o sucesso da incubadora; possuir um conselho consultivo composto por notáveis em suas áreas de atuação; possuir um grupo de empresas graduadas de sucesso; possuir um grupo de empresas incubadas promissoras; estar constantemente na mídia, sendo citada como exemplo de sucesso; possuir um tempo médio para graduação de empresas incubadas dentro dos padrões das melhores incubadoras (2 a 3 anos); possuir uma taxa reduzida de mortalidade das empresas incubadas; encontrar-se em um estágio de desenvolvimento compatível com o tempo de existência da incubadora, etc.

44 © Fatores críticos de sucesso (Lalkaka) 1.Estabelecer metas realistas e selecionar bons parceiros na comunidade 2. Criar bases para o desenvolvimento de pesquisa e desenvolvimento (parcerias com universidades e institutos de pesquisa) 3. Planejar as instalações de forma a estimular a criatividade e interação entre as empresas incubadas 4. Fornecer suporte administrativo, de relacionamento político e legal às empresas incubadas (rede de contatos) 5. Construir um time gerencial dinâmico e bem capacitado 6. Selecionar empreendedores com bom potencial de desenvolvimento baseado no conhecimento 7. Fornecer serviços de qualidade (cursos, treinamentos, consultorias etc) 8. Assegurar acesso a investimentos para a incubadora e empresas incubadas 9. Avaliar o impacto da incubadora através de indicadores de performance selecionados 10. Planejar estrategicamente o futuro

45 © Fatores críticos de sucesso United Nations Economic Commission for Europe (UN-ECE, 1999) Possuir uma boa estratégia, Possuir um bom plano de negócios, Possuir um foco claro e bem definido, Alto padrão de qualidade da equipe de gestão e dos serviços, O gerente da incubadora deve ser empreendedor, Forte cooperação entre todos os parceiros envolvidos no negócio (Governo, autoridades locais, comunidade, institutos de pesquisa, universidades etc), Criação de uma rede de competência, onde fariam parte experts de várias áreas do conhecimento (tecnologia e gestão), Estabelecer objetivos condizentes com uma prévia análise das circunstâncias econômicas locais, Sempre considerar a eficácia na utilização dos recursos e redução de custos, Ser uma entidade independente, porém parte de uma estrutura local mais ampla com vistas ao desenvolvimento econômico, Localização e premissas condizentes com a busca de uma operação lucrativa (busca da auto-sustentação)

46 © Princípios (Rice & Matthews, 1995) Princípio 1 Focar os serviços e recursos da incubadora de empresas na resolução dos problemas das empresas incubadas. Princípio 2 Gerenciar a incubadora de empresas como um negócio, isto é, otimizar a utilização dos recursos disponíveis, em busca da auto-sustentação da incubadora. Princípio 3 Desenvolver uma rede de serviços e programas que objetivem as empresas incubadas, em função de suas necessidades de desenvolvimento.

47 © Melhores práticas Melhor prática 1 Comprometimento com os princípios básicos do negócio incubadora de empresas, ou seja, sua missão. Melhor prática 2 Coletar e avaliar as informações chave para decidir se a incubadora é viável ou não. Elaborar um estudo de viabilidade econômica da incubadora, que evoluirá para um plano de negócios. Melhor prática 3 Estruturar o programa de incubadora para ser financeiramente viável, em busca da auto-sustentação.

48 © Melhores práticas Melhor prática 4 Estruturar a organização da incubadora de empresas para minimizar os trabalhos internos burocráticos e dedicar maior atenção possível aos incubados. Melhor prática 5 Garantir apoio dos mantenedores para auxiliar as empresas incubadas e dar suporte às operações da incubadora. Melhor prática 6 Recrutar uma equipe gerencial competente e experiente, que administre a incubadora como um negócio e tenha a capacidade de ajudar as empresas incubadas crescerem.

49 © Melhores práticas Melhor prática 7 Escolher um prédio que tenha instalações adequadas para os serviços que serão prestados e possibilite a geração de receita para a incubadora. Melhor prática 8 Recrutar e selecionar empresas que tenham potencial de crescimento e condições de honrar os compromissos financeiros assumidos com a incubadora (taxas de serviços, aluguel etc). Melhor prática 9 Fornecer serviços personalizados aos incubados, visando a atender necessidades específicas de cada empresa incubada. Melhor prática 10 Implementar um sistema de avaliação contínua na incubadora de empresas para medir seu progresso, durante os vários estágios de desenvolvimento do programa, não perdendo o foco de atender as necessidades dos incubados (essas necessidades mudam com o passar do tempo na incubadora).

50 © Análise de Viabilidade e Plano de Negócios

51 © Estudo de Viabilidade Técnica 1 Perfil Econômico da Região 2 Vocação Empresarial da Região 3 Identificação de interesses locais – parceiros, comunidade, conhecimento da dinâmica do sistema de incubação de empresas 4 Potencialidades regionais, mercado 5 Setores a serem trabalhados na Incubadora de Empresas - Conforme Plano de Desenvolvimento da Região – considerando as Cadeias Produtivas, Clusters. - Multisetorial (relacionar os setores) 6 Identificação do tipo de Incubadora a ser implantada 7 Contrapartidas técnicas/financeiras dos parceiros - Perfil e motivação - Atribuições e responsáveis - Alocação de recursos econômicos e/ou financeiros - Justificativas para participação 8 Entidades Tecnológicas e Empresariais existentes na região 9 Demanda Potencial de Empreendedores / ações - Perfil dos empreendedores - Ações existentes voltadas à cultura empreendedora 10 Infra-estrutura disponível - Recursos físicos e financeiros 11 Parecer Técnico sucinto sobre a viabilidade de implantação da Incubadora - Motivos para implantar uma Incubadora na localidade; - Vocação regional; - Análise da oferta de espaço físico; - Estimativa de custos; - Resultados esperados - impactos para a região. 12 Parcerias (p.ex.: com o SEBRAE Estadual e outras entidades) - Ações já desenvolvidas - Recursos econômicos e financeiros nas ações a serem desenvolvidas - demonstrar

52 © Plano de Negócios de Incubadora Capa Sumário Sumário executivo Planejamento estratégico Descrição da incubadora Serviços oferecidos Análise de mercado Estratégia de marketing Plano financeiro Anexos

53 © Sumário Executivo O Sumário Executivo é a principal seção do plano de negócios de uma incubadora. Através do Sumário Executivo é que o leitor decidirá se continuará, ou não, a ler o plano de negócios. O Sumário Executivo deve ser a última seção a ser escrita pelo gerente da incubadora, pois depende de todas as outras seções do plano para ser feita. Nele, é feita uma pequena prévia do que será apresentado no restante do plano de negócios.

54 © A incubadora da Fundação XPTO é uma iniciativa pioneira no país, sendo a primeira incubadora de empresas da América Latina, criada em Nestes anos, dezenas de empresas de tecnologia passaram pela incubadora e muitas delas estão no mercado, gerando emprego, renda e desenvolvimento econômico ao país. Instalada na cidade de São Carlos, SP – Capital da Tecnologia – a incubadora tem recebido apoio de várias entidades locais, regionais e nacionais, tanto públicas como privadas. Isto é o que tem permitido a Fundação XPTO manter e continuamente ampliar o leque de serviços às empresas incubadas e empreendedores de São Carlos e região. Em muitos casos, os serviços oferecidos pela incubadora têm servido de referência para demais programas de incubação de empresas no estado de São Paulo e outros estados brasileiros. Atualmente existem 9 empresas incubadas em suas instalações, com previsão de ampliação deste quadro nos próximos anos. Estas empresas usufruem de uma infra-estrutura física, laboratorial e de suporte singulares no país. A manutenção deste programa de incubação de empresas requer recursos financeiros provenientes das entidades parceiras e principalmente do Sebrae-SP e Sebrae-NA, sem o apoio dos quais as atividades atualmente desenvolvidas não poderiam ser implantadas. E ainda, as metas de capacitação e atendimento a empresas incubadas constantes neste plano de negócios só serão plausíveis com a continuidade e aprovação do convênio com o Sebrae-NA, haja vista a necessidade de se acelerar o desenvolvimento das empresas de tecnologia atualmente incubadas. As projeções financeiras mostram que o programa necessita de recursos da ordem de R$XXX.000,00 ao ano para manter um conjunto mínimo de atividades. Caso os recursos adicionais solicitados ao Sebrae-NA forem aprovados, um conjunto complementar de ações voltadas aos empreendedores, de estrema importância, serão implantados. Entre eles, a capacitação contínua dos mesmos. Além disso, todo o Know-how adquirido pela Fundação XPTO nestes mais de 20 anos de trabalho poderá ser compartilhado com demais incubadoras de empresas brasileiras, através do apadrinhamento destas novas iniciativas.

55 © Planejamento estratégico A seção de planejamento estratégico é onde são definidos os rumos da incubadora, sua situação atual, as potencialidades e ameaças externas, suas forças e fraquezas, seus objetivos e metas de negócio, estratégias, bem como a descrição da visão e missão da incubadora. É a base para o desenvolvimento e implantação das demais ações descritas no plano.

56 ©

57 Visão e Missão Exemplo de declaração de visão de incubadora: Ser incubadora modelo no Brasil em geração de empresas competitivas globalmente, promovendo a cooperação entre universidades, governo e iniciativa privada. Exemplo de declaração de missão de incubadora: Promover o desenvolvimento do País, incubando e capacitando empresas do setor de software e fornecendo o suporte tecnológico necessário para que se tornem líderes em seu mercado de atuação.

58 © Análise SWOT CENÁRIOOPORTUNIDADESAMEAÇAS Político-legal Tecnológico Sócio-cultural Econômico Demográfico Empresarial Outros

59 © AmbienteExterno OportunidadesAmeaças A cidade de ABC é um dos maiores centros de geração de alta tecnologia do país. Aumento do número de empreendedores altamente qualificados interessados em iniciar negócio próprio. A marca da incubadora ABC é reconhecida nacionalmente como sinônimo de competência e caso de sucesso. Excelente relacionamento institucional com entidades nacionais e internacionais. Excesso de expectativa em relação à incubadora, trazendo cobranças externas de auto-sustentação financeira. Falta de parceiros que dêem sustentação financeira a longo prazo; incerteza de aporte financeiro. Dependência externa: falta de instalações próprias e necessidade de relacionamento com poderes públicos. Dificuldade de obtenção de capital de risco para as empresas incubadas, pois este tipo de indústria ainda está em fase inicial no país. AmbienteInterno ForçasFraquezas Infra-estrutura e serviços de excelente qualidade; a Incubadora é sede regional do Softex. A marca da incubadora capitaliza diretamente as empresas incubadas, trazendo-lhes respaldo perante o mercado. Sólida experiência de vários anos incubando empresas de sucesso. Fornece um suporte individualizado às empresas incubadas. Apoio institucional e financeiro às empresas incubadas para a participação em feiras nacionais e internacionais, publicidade e assessoria gerencial. Ausência de serviços financeiros que disponibilizem ou detectem opções de aporte de capital para o crescimento das empresas incubadas. Impossibilidade de geração recursos financeiros que possibilitem auto- suficiência. Demanda por vagas na incubadora (de projetos de qualidade) não é contínua. Relacionamento formal com universidades e centros de pesquisa é de difícil operacionalização.

60 © Objetivos e Metas Objetivos: –Colaborar com a revitalização econômica da região. –Acelerar o desenvolvimento baseado na pesquisa científica e novas tecnologias. –Promover o empreendedorismo local e auxiliar no desenvolvimento de novas empresas. –Diversificar a economia local. –Desenvolver o comércio internacional e o potencial de exportação das empresas locais. Metas: –Promover o empreendedorismo através de treinamentos semestrais e assistência contínua a empresas nascentes e empreendedores em potencial. Treinar 800 empreendedores até Julho de –Auxiliar no desenvolvimento de empresas de base tecnológica na região. Graduar 5 empresas/ano a partir de Julho de –Reduzir o índice de mortalidade das empresas incubadas atuais (40%) pela metade até Dezembro de –Facilitar acesso a fundos de investimento para projetos de empresas incubadas. Angariar R$ ,00 em investimento até Dezembro de –Promover parcerias entre empresas incubadas e grandes empresas. Pelo menos 2 parcerias/ano até Dezembro de 2008.

61 © Descrição da incubadora Nesta seção deve-se descrever a incubadora, seu histórico, crescimento, sua estrutura legal (se existir), impostos, estrutura organizacional, localização, parcerias, serviços terceirizados, principais clientes atuais (empresas incubadas, graduadas e empreendedores), critérios de seleção e graduação de empresas, instalações etc.

62 © Serviços oferecidos Esta seção do plano de negócios é destinada aos serviços oferecidos pela incubadora, recursos utilizados (humanos e econômico-financeiros), fatores tecnológicos envolvidos, pesquisa e desenvolvimento etc.

63 © Análise de mercado Na seção de Análise de Mercado, o autor do plano de negócios deve mostrar que os executivos da incubadora conhecem muito bem o mercado consumidor dos seus serviços (através de pesquisas de mercado): como está segmentado, o crescimento desse mercado, as características das pequenas empresas e empreendedores e sua localização, se há sazonalidade e como agir nesse caso, análise da concorrência (que nem sempre é necessariamente outra incubadora de empresas), a sua participação de mercado e a dos principais concorrentes, os riscos do negócio etc.

64 © Estratégia de Mkt A Estratégia de Marketing mostra como a incubadora pretende vender seus serviços e conquistar seus clientes, manter o interesse dos mesmos e aumentar a demanda, bem como qual o método utilizado para atrair e selecionar novos incubados. Deve abordar seus métodos de vendas, diferenciais do serviço oferecido para o cliente, política de preços, estratégias de promoção/comunicação e publicidade, bem como projeções de receitas, quando existirem.

65 © Plano Financeiro A seção de finanças deve apresentar em números todas as ações planejadas para a incubadora e as comprovações, através de projeções futuras (quanto necessita de capital, quando e com que propósito), de sucesso do negócio. Deve conter demonstrativo de fluxo de caixa com horizonte de, pelo menos, 3 anos; usos e fontes; necessidades de investimento; demonstrativos de resultados; contrapartidas oferecidas etc. A maioria das incubadoras de empresas não é juridicamente constituída e, neste caso, a utilização e elaboração do balanço patrimonial não se aplica.

66 © Anexos Esta seção deve conter todas as informações que se julgar relevantes para o melhor entendimento do plano de negócios. Não tem um limite de páginas ou exigências a serem seguidas. A única informação que não se pode esquecer de incluir é a relação dos curricula vitae das principais pessoas que administram a incubadora, bem como uma relação de empresas incubadas, áreas de atuação, empregos gerados, média salarial e faturamento global dessas empresas. Pode-se anexar ainda informações como fotos de produtos, plantas da localização, roteiros e resultados completos das pesquisas de mercado que foram realizadas, material de divulgação do negócio, folders, catálogos, estatutos, planilhas financeiras detalhadas etc.

67 © Sites Anprotec: NBIA: INFODEV: Rede Incubar: Asian Association of Business Incubation AABI: Japan Association for New Business Incubation (JANBO): Korean Business Incubation Association (KOBIA): China Business Incubator Association Business incubator development programme: Business e-Coach for Asia-Pacific SMEs: Best practice in business incubator management:


Carregar ppt "© www.josedornelas.com INCUBADORAS DE EMPRESAS José Dornelas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google