A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fundação de Apoio à Tecnologia - FAT ----- CURSO A DISTÂNCIA ----- MBA – Prático Práticas de Gestão de Programas MBA Aplicadas em Empresas de Transporte.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fundação de Apoio à Tecnologia - FAT ----- CURSO A DISTÂNCIA ----- MBA – Prático Práticas de Gestão de Programas MBA Aplicadas em Empresas de Transporte."— Transcrição da apresentação:

1

2 Fundação de Apoio à Tecnologia - FAT CURSO A DISTÂNCIA MBA – Prático Práticas de Gestão de Programas MBA Aplicadas em Empresas de Transporte Parte 2 Prof. Alberto Lima

3 MBA – Prático Práticas de Gestão de Programas MBA Aplicadas em Empresas de Transporte PARTE 2: -Gerenciando Pessoas: o papel das pessoas e dos relacionamentos, grupos e equipes, gestão de recursos humanos e práticas atuais. -Ética Empresarial: questões éticas, o capitalismo em termos éticos e os desafios éticos das empresas.

4 Gerenciando Pessoas É necessário entender um conjunto de conceitos que possibilitam compreender as causas do comportamento das pessoas nas empresas. Os gerentes precisam conhecer o comportamento das pessoas mantendo-se sempre abertos. Efeito Hawthorne: quando se presta atenção no trabalhador e se demonstra interesse pelo seu bem estar, ele reage de forma a aumentar a produtividade, e não importa muito como se manifesta o interesse.

5 Hierarquia de necessidades de Maslow É ilustrada por uma pirâmide e indica que as necessidades básicas dos empregados (base) devem ser satisfeitas antes das superiores (vértice). necessidades emocionais necessidades físicas -auto-estima -respeito -auto-realização -segurança -ar -alimentação -recompensa

6 O Lado Humano da Empresa Teoria X e Teoria Y- MacGregor Teoria X pressupõe que as pessoas não querem trabalhar, para fazê-las trabalhar o gerente deve dar ordens, iludir, infundir o medo,etc. Teoria Y pressupõe que as pessoas querem agir e fazer um bom trabalho, desejam aplicar suas habilidades no trabalho. Paradoxo de MacGregor: se as pessoas estivessem motivadas conforme a Teoria Y imagine o custo de aplicar a errônea Teoria X.

7 Teoria X e Teoria Y Caso as teorias gerenciais se desenvolvessem mais em sintonia com os princípios da teoria Y haveria um expressivo aumento de produtividade e na felicidade das pessoas. O medo não tem valor no ambiente de trabalho, a erradicação do medo permite a sugestão de melhorias. Deming o pai da Gestão da Qualidade Total agindo dessa forma descobriu que as pessoas mais próximas do trabalho era as que mais sabiam como deveria ser organizado, melhorando a qualidade e reduzindo custos.

8 A questão da motivação Compreender como fazer para que as pessoas atuem no interesse da empresa. As necessidades capazes de motivar as pessoas. Clay Alderfer modernizou a pirâmide de Maslow com a teoria ERC: - necessidade de Existência (físicas e conforto físico) - necessidade de Relacionamento (associação com outros e de relações pessoais) - necessidade de Crescimento (anseio da criatividade, expressão através do trabalho e produtividade)

9 Teoria da Equidade A função do gerente é focalizar a percepção de justiça e comunicar a distribuição de recompensa que estejam relacionadas com esforços. Segundo a teoria da equidade o problema da motivação consiste sobretudo em eliminar as desigualdades percebidas no ambiente de trabalho A teoria da iniqüidade revela que os gerentes devem prestar atenção nos resultados desses processos e no conjunto das necessidades dos funcionários. (avaliação, critérios de promoção)

10 Gerenciando Pessoas As empresas funcionam sobretudo por causa do respeito pelos relacionamentos de autoridade, os gerentes com equilíbrio devem encorajar novas idéias com inovação e desobediência. As mulheres vêm um mundo de conexões onde as pessoas negociam redes complexas de amizade, minimizam diferenças, procuram consenso, evitam aparência de superioridade e distinções. Os homens interpretam as conversas em termos independentes preocupado com status, para demonstrar status diz aos outros o que fazer e dá ordens. Não há estilo superior ao outro, o importante é definir liderança eficaz, para as pessoas recorrerem às suas forças.

11 Grupos e Equipes – Lições chaves (The Wisdom of Teams – Katzenbach e Smith) 1.Os desafios significativos em termos de desempenho energizam as equipes, independentemente da sua posição na organização. Foco no desempenho é o verdadeiro motor das equipes. 2. Os líderes empresariais fomentam melhor o desempenho das equipes mediante a criação de uma forte ética de desempenho e não apenas pelo desenvolvimento de um ambiente favorável às equipes. Embora o ambiente de apoio seja positivo, a orientação básica deve ser para desempenho.

12 Grupos e Equipes – Lições chaves (The Wisdom of Teams – Katzenbach e Smith) 3. Os vieses em relação ao individualismo existem, mas não podem intrometer na trajetória de desempenho das equipes. Nas equipes eficazes os indivíduos utilizam todo o seu talento para enfrentar desafios. 4. A disciplina – tanto dentro da equipe como através da organização – cria as condições para desempenho da equipe. As equipes são constituídas para participarem do trabalho da empresa.

13 Gestão da Mudança Pensa-se na gestão de uma empresa em como escolher a estrutura organizacional certa que melhor encaixe na direção estratégica da empresa. No ambiente de acelerada mudança os gerentes devem ser capazes de criar estruturas e processos mais apropriados às condições da empresa em rápida transformação. A criação do senso de urgência da mudança é muito importante. A divulgação da Visão da mudança e a relevância dos ganhos iniciais constroem a confiança na mudança.

14 O Aprendizado Organizacional Para adaptar-se as mudanças nos negócios a empresa deve atentar para os processos de aprendizado e de geração e utilização do conhecimento, com vistas a criar valor para os clientes e outros interesses. Há 5 disciplinas relacionadas com o aprendizado organizacional: pensamento sistêmico, proficiência pessoal, modelos mentais, visão compartilhada e aprendizado das equipes.

15 Aprendizado Organizacional Pensamento sistêmico: é uma análise de como as coisas se encaixam e se reforçam, procura-se descobrir o sistema mais amplo em que a questão está inserida. Proficiência pessoal: sem investimento nas capacidades dos indivíduos o sucesso da empresa é improvável. Modelos mentais: o conjunto comum de premissas e referenciais utilizados para conceituar a empresa deve evoluir de acordo com o cenário provável. Visão compartilhada: devemos trabalhar com base num conjunto comum de valores com significado compartilhado por todos. Aprendizado das equipes: devemos imergir fundo na compreensão das equipes, em que consistem e como as melhorar.

16 Princípios Práticos para a Gestão de Pessoas 1. A comunicação com os funcionários é fundamental para o trabalho eficaz, precisamos trabalhar ouvindo outras vozes. 2. Os gerentes eficazes também têm necessidades e percebem as equidades e iniqüidades. O que motiva o funcionário motiva o gerente. 3. Os gerentes eficazes fomentam um ambiente que comemora a equidade e o atendimento das necessidades, e combatem a iniqüidade. 4. Os gerentes eficazes optam por obedecer a autoridade, em vez de segui-la de forma cega, e estimulam a atitude no seu pessoal a ponto de encorajar a desobediência.

17 Princípios Práticos para a Gestão de Pessoas (cont.) 5. Os gerentes eficazes estão propensos a se envolverem em conversações sobre diversidades, sexo, raça, predisposição sexual, etc. e fomentam um ambiente onde todos realizam seus potenciais. 6. Os gerentes eficazes compreendem o funcionamento das equipes e se concentram na criação de uma cultura de desempenho em equipe. 7.Os gerentes eficazes são líderes da mudança, adotam novas maneiras de deixar a empresa mais competitiva e reúnem recursos para a mudança. 8. Os gerentes eficazes constroem o capital intelectual próprio e dos funcionários, enfatizando o aprendizado.

18 Gerenciando Pessoas A gestão de pessoas é complexa e você desenvolverá os seus próprios métodos e habilidades. No nosso esforço para desenvolver uma compreensão profunda da natureza humana e sobre as características e a atuação das pessoas, não podemos ignorar as peculiaridades individuais que nos diferenciam e nos tornam absolutamente únicos.

19 Gestão de Recursos Humanos As empresas que progridem concluiram que sua vantagem competitiva depende de investimento maciço em pessoas. As empresas estão até criando universidades corporativas. Gestão de RH é o conjunto de filosofias e processos que a empresa usa para gerenciar: -entrada e saída de funcionários, -crescimento e desenvolvimento dos funcionários, -reconhecimento e recompensa, -clima organizacional que envolve o tratamento das pessoas.

20 Gestão de Recursos Humanos na Nova Realidade Competitiva De simples execução de rotinas administrativas para o desempenho de funções estratégicas: - os gerentes estão sendo vítimas de reestruturação, downsizing, etc. e o RH está procurando jovens que dominem a tecnologia da informação. - a tercerização transforma funcionários em fornecedores contratados, diminuindo custos. - constata-se um aumento de pessoas e menos posições gerenciais, adota-se formatos organizacionais com equipes onde as pessoas são treinadas para se tornarem membros eficazes.

21 Gestão de Recursos Humanos na Nova Realidade Competitiva -Os executivos estudam as técnicas e as teorias de gestão mais recentes, mas também se responsabilizam pela aplicação dessas idéias. -É cada vez mais comum vincular a remuneração ao desempenho e às condições competitivas da empresa (Wal-Mart: os funcionários são estimulados a serem sócios) -Nas empresas de alto desempenho, James Heskett e Leonard Schlesinger constataram um envolvimento íntimo dos gerentes e diretores na gestão de RH. -O trabalho deve ter uma conotação de alegria, imaginação, envolvimento e não de labuta enfadonha.

22 Pricípios para a costrução do futuro 1.A estratégia de RH deve estar ancorada na estratégia da empresa. 2.Gestão de RH trata de relacionamentos. 3.A área de RH deve ser a que antecipa as mudanças e compreende a implementação. 4.O pessoal de RH deve atuar com equilíbrio na relação empresa x fucionário. 5.Tenha foco nas questões e não nas personalidades. 6.Constante aprendizado deve produzir de fato uma contribuição relevante para a empresa.

23 As 8 melhores práticas de gerencimento de RH Resutado de pesquisa com 110 boas empresas: - Valores: agregue valor em vez de apenas fazer alguma coisa. - Comprometimento: tenha estratégia de longo prazo. - Cultura: a cultura organizacional deve ser consistente e eficiente - Comunicação: a comunicação deve ser ampla e contínua, compartilhando informações vitais. - Parcerias: facilite o envolvimento no processo decisório de outras áreas. - Colaboração: implemente o modo coletivo e cooperativo de gestão. - Inovaçaõ e risco: inovar é uma necessidade, os fracassos servem para aprender. - Paixão competitiva: Busca contínua de melhoria.

24 Ética Empresarial A empresa é a motivação dominante para criação de valor no mundo atual, então esta mesma empresa deve ser parte integrante no que há de melhor em termos de convivência humana. A empresa e a ética devem estar entrelaçadas. A versão mais moderna e aceita é que a empresa têm o dever de agir no interesse da sociedade, principio da responsabilidade social. As questões éticas geralmente dizem respeito a (1) direito e deveres, (2) princípios como justiça, ou (3) danos e benefícios

25 Ética Empresarial Para a maioria dos casos de questões éticas, formulamos um conjunto de regras ou princípios morais: o cumprimento das promessas, a ajuda mútua, o respeito pelas pessoas e a propriedade etc. As empresas não são exceção. Os gerentes precisam aprender a lidar com uma vasta gama de questões éticas: transculturais (maneiras de fazer negócios), de competitividade (reestruturação, terceirização, etc.) e cotidianas (avaliação de desempenho, assédio, etc.)

26 Ética Empresarial Estou apenas fazendo o melhor para a empresa. E se esta decisão aparecer nos jornais? É evidente que as empresas funcionariam bem se as pessoas levassem a sério suas obrigações e senso de justiça.

27 Exercícios da Parte 2 Leia o livro MBA – Curso Prático da pág. 31 até a pág. 67. Responda as questões referentes a Parte 2 do Curso para verificar seu auto aprendizado, antes de passar para a Parte 3. Conheça as apresentações sobre treinamento para formação de condutores e para redução de custos.


Carregar ppt "Fundação de Apoio à Tecnologia - FAT ----- CURSO A DISTÂNCIA ----- MBA – Prático Práticas de Gestão de Programas MBA Aplicadas em Empresas de Transporte."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google