A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 ANSIOLÍTICOS E ANTIEPLÉPTIC0S. BIBLIOGRAFIA RANG-DALE. Farmacologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004 GILMAN, A. G.; et al. (Ed.). Goodman.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 ANSIOLÍTICOS E ANTIEPLÉPTIC0S. BIBLIOGRAFIA RANG-DALE. Farmacologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004 GILMAN, A. G.; et al. (Ed.). Goodman."— Transcrição da apresentação:

1 1 ANSIOLÍTICOS E ANTIEPLÉPTIC0S

2 BIBLIOGRAFIA RANG-DALE. Farmacologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004 GILMAN, A. G.; et al. (Ed.). Goodman e Gilman: as bases farmacológicas da terapêutica. 9.ed. Rio de Janeiro: Mc Graw- Hill, 1996 SILVA, P. Farmacologia. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Material dos slides apresentados em sala de aula Textos retirados da internet, presente na xerox da FATERN Estudos Dirigidos em sala de aula. 2

3 FATERN- UNIVERSIDADE GAMA FILHO –UGF DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA CLÍNICA PROFESSORA MONARA BITTENCOURT DE AMORIM ANSIOLÍTICOS E FÁRMACOS ANTIEPLÉPTICAS - FAE 3

4 4 ANSIOLÍTICOS OS SERES HUMANOS SEMPRE PROCURARAM AGENTES QUÍMICOS PARA COMBATER OS EFEITOS DO(A): ESTRESSE ANSIEDADE TENSÃO EMOCIONAL SENSAÇÕES DE DESCONFORTO INSÔNIA PÂNICO TRISTEZA FOBIA SOCIAL SOLIDÃO MEDO ANGÚSTIA

5 HISTÓRICO ETANOL: SÉC.XIX: 1900: 5 SEDATIVO MAIS ANTIGO E AMPLAMENTE UTILIZADO SAIS DE BROMETO, PARALDEÍDO E HIDRATO DE CLORAL: INTRODUZIDOS NA PRÁTICA MÉDICA COMO SEDATIVOS POR CAUSAREM PROPRIEDADES SEMELHANTE AOS DO ÁLCOOL BARBITÚRICOS – AGENTES DOMINANTES POR TODA A METADE DO SÉC.XX, CAUSANDO, APÓS INÚMERAS OBSERVACOES CIENTIFICAS CASOS DE TOLERÂNCIA, DEPENDÊNCIA FÍSICA E REA-ÇÕES POTENCIALMENTE LETAIS DURANTE ABSTINÊNCIA

6 HISTÓRICO 1950: INICIA-SE AS PESQUISA DE AGENTES MAIS SEGUROS CAPAZES DE NÃO-INDUÇÃO DE TOLERÂNCIA E DEPENDÊNCIA FÍSICA E PSÍQUICA. CLORDIAZEPÓXIDO PRIMEIRO BENZODIAZEPÍNICO (BZD) BEM SUCEDIDO ATUALMENTE: 6 MEPROBANATO RESULTADO INICIAL DESTA PESQUISA DIAZEPAM VALIUM, DIAZEFAST BROMAZEPAM SOMALIUM, LEXOTAM ALPRAZOLAM APRAZ, FRONTAL LORAZEPAM LORAX CLONAZEPAM CLOZAL,RIVOTRIL,CLONOTRIL OXAZOLAM OLCADIL MIDAZOLAM DORMONID

7 BENZODIAZEPÍNICOS SÃO PRATICAMENTE INCAPAZES DE CAUSAR DEPRESSÃO RESPIRATÓRIA FATAL OU COLAPSO CARDIOVASCULAR, DESDE QUE NÃO ESTEJAM ASSOCIADOS A OUTROS DEPRESSORES DO SNC COMO BARBITÚRICOS* E O ETANOL DEVIDO A SUA EFETIVIDADE E SEGURANÇA, OS BENZODIAZEPÍNICOS TÊM SIDO AMPLAMENTE UTILIZADOS EM TODO O MUNDO APROXIMADAMENTE 10 A 15% DA POPULAÇÃO DE PAÍSES DESENVOLVIDOS FAZEM USO DOS BZN NOS ÚLTIMOS ANOS * BARBITÚRICO: TODO MEDICAAMENTO HIPNÓTICO DERIVADO DO ÁCIDO BARBITÚRICO OU DE SEUS HOMÓLOGOS 7

8 BENZODIAZEPÍNICOS POSSUEM PROPRIEDADES: a) a) SEDATIVO-HIPNÓTICAS b) b) ANSIOLÍTICAS c) c) ANTICONVULSIVANTES d) d) MIORRELAXANTES (Descontraturante) SÃO CONSIDERADOS BASTANTE SEGUROS, UMA VEZ QUE POSSUEM CAPACIDADE LIMITADA, PARA CAUSAR DEPRESSÃO PROFUNDA E POTENCIALMENTE FATAL AO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC). 8

9 INDICAÇÕES ANSIOLÍTICO LISE DA ANSIEDADE TRANSTORNOS DE PÂNICO ATAQUE SÚBITO,INCONTROLÁVEL E INEXPLICÁVEL DE MEDO, ACOMPANHADO DE DISPNÉIA E PALPITAÇÕES TRANSTORNOS DE PÂNICO COM AGORAFOBIA* (ESQUIVA DE SITUAÇÕES SOCIAIS) AGORAFOBIA SEM ATAQUES DE PÂNICO ASSOCIADA A OUTRAS PATOLOGIAS * TEMOR MÓRBIDO DE GRANDES ESPAÇOS VAZIOS, ACOMPANHANDO-SE ÀS VEZES POR UMA SENSAÇÃO DE VERTIGEM ( DO GREGO AGORA, PRAÇA PÚPLICA) 9

10 INDICAÇÕES FOBIA SOCIAL E FOBIA ESPECÍFICA (AMBAS CAUSAM LIMITAÇÕES SOCIAIS) TRANSTORNOS OBSESSIVOS-COMPULSIVOS (AÇÕES REALIZADAS DE MODO REPETITIVO, SEM FINALIDADE) TRANSTORNOS DE ESTRESSE PÓS- TRAUMÁTICO (EVENTOS EXTREMOS, VIOLENTO) 10

11 ESTRUTURA QUÍMICA O NÚCLEO BENZODIAZEPÍNICO CONSISTE DE UM ANEL BENZENO FUNDIDO A UM ANEL DIAZEPÍNICO HEPTAGONAL 11 ESTRUTURA QUÍMICA DO NÚCLEO DOS BENZODIAZEPÍNICO ANEL BENZÊNICO ANEL DIAZEPÍNICO HEPTAGONAL R1 R2 R3 R7

12 GABA ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO PRINCIPAL NEURO-TRANSMISSOR INIBITÓRIO NO CÉREBRO FORMADO A PARTIR DA REAÇÃO GAD - ÁCIDO GLUTÂMICO DESCARBOXILASE TIPOS DE RECEPTORES GABA: GABA - A e GABA – B 12 GLUTAMATO GABA E GAD

13 13 ÁCIDO GLUTÂMICO DESCARBOXILASE ESTÃO DIRETAMENTE ACOPLADOS AOS CANAIS DE CLORETO, CUJA A ABERTURA REDUZ A EXCITABILIDADE DA MEMBRANA RECEPTORES GABA A CANAIS DE CLORETOS

14 OS BENZODIAZEPÍNICOS SE LIGAM AOS RECEPTORES (GABA-A) ABRINDO OS CANAIS DE CLORO ATIVANDO ASSIM A REDE NEURONAL INIBITÓRIA 14 RECEPTOR GABA-A SÍTIO DE LIG. BARBITÚRICOS SÍTIO DE LIG. GABA SÍTIO DE LIG. BZD

15 15 BIOESTRUTURA MOLECULAR DO RECEPTOR GABA SÍTIO LIGANTES

16 MECANISMO DE AÇÃO 16 POTENCIALIZAM A ATIVAÇÃO DOS RECEPTORES GABA-A, FACILITANDO A ABERTURA DOS CANAIS DE CLORETOS MEDIADA PELO GABA DROGAS DESSE GRUPO PROMOVEM A LIGAÇÃO DO GABA, PRINCIPAL NEUROTRANSMISSOR INIBIDOR, À RECEPTORES NA MEMBRANA DOS NEURÔNIOS. COM ISSO PERMITEM UM AUMENTO DE CORRENTES IÔNICAS ATRAVÉS DOS CANAIS DE CLORETO, INIBINDO A ATIVIDADE NEURONAL.

17 INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS INSÔNIA CONVULSÕES ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA TRANSTORNOS DE ANSIEDADE DEPRESSÃO (ALPRAZOLAM) TENSÃO EMOCIONAL 17

18 FARMACOCINÉTICA APRESENTAM UMA BOA ABSORÇÃO PELO TRATO GASTROINTESTINAL SÃO BASTANTE LIPOFÍLICOS DIAZEPAM ABSORÇÃO RÁPIDA PICO MÁXIMO : 1 h NO ADULTO 15 A 30 min CRIANÇA ½ VIDA DE DISTRIBUIÇÃO (α) = 1 h ½ DE ELIMINAÇÃO (β) = 1 a 5 DIAS BIOTRANSFORMAÇÃO : HEPÁTICA (Cit- p450) 18 RÁPIDO INÍCIO DE AÇÃO COM DURAÇÃO DE AÇÃO RELATIVAMENTE CURTA APÓS DOSE ÚNICA EXCREÇÃO : RENAL ( CONJUGADO – ÁC. GLICURÔNICO)

19 CLASSIFICAÇÃO DOS BZD DE ACORDO COM SUA AÇÃO CURTA: (<24h) A LPRAZOLAM,LORAZEPAM,CLOXAZOLAM PROLONGADA: (>24H) PROLONGADA: (>24H) DIAZEPAM, CLORDIAZEPÓXIDO, CLONAZEPAM, FLURAZEPAM E BROMAZEPAM 19

20 REAÇÕES ADVERSAS SEDAÇÃO SEDAÇÃO LASSIDÃO LASSIDÃO INCOORDENAÇÃO MOTORA INCOORDENAÇÃO MOTORA DA RAPIDEZ DE RACIOCÍNIO DA RAPIDEZ DE RACIOCÍNIO ATAXIA ATAXIA REDUÇÃO DAS FUNÇÕES FÍSICAS E MENTAIS REDUÇÃO DAS FUNÇÕES FÍSICAS E MENTAIS CONFUSÃO CONFUSÃO BOCA SECA/GOSTO AMARGO BOCA SECA/GOSTO AMARGO DO PESO CORPÓREO DO PESO CORPÓREO EFEITOS RAROS: FRAQUEZA,CEFALÉIA,VISÃO TURVA,NÁUSEA E VÔMITO, DESCONFORTO EPIGÁSTRICO E DIARRÉIA, DORES NAS ARTICULAÇÕES E NO PEITO EFEITOS RAROS: FRAQUEZA,CEFALÉIA,VISÃO TURVA,NÁUSEA E VÔMITO, DESCONFORTO EPIGÁSTRICO E DIARRÉIA, DORES NAS ARTICULAÇÕES E NO PEITO COMPORTAMENTO BIZARRO, OSTILIDADE, AGRESSIVIDADE, PARANÓIA, DEPRESSÃO, TENDÊNCIAS SUICIDAS COMPORTAMENTO BIZARRO, OSTILIDADE, AGRESSIVIDADE, PARANÓIA, DEPRESSÃO, TENDÊNCIAS SUICIDAS 20

21 CONTRA-INDICAÇÃO DISFUNÇÃO HEPÁTICAE/OU RENAL GRAVIDEZ E LACTAÇÃO MIASTENIA CRIANÇAS MENORES DE 06 MESES 21

22 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS COM EXAMES LABORATORIAIS OS NÍVEIS DA FOSFATASE ALCALINA - FAL DEVIDA A SUA METABOLIZAÇÃO HEPÁTICA (HEPATOTÓXICO) COM ALIMENTOS A VELOCIDADE DE ABSORÇÃO DOS BZD COM MEDICAMENTOS RANITIDINA = ABSORÇÃO DOS BZD ANTIÁCIDOS = RETARDA A ABSORÇÃO DOS BZD ÁLCOOL = EFEITO DOS BZD RIFAMPICINA = EXCREÇÃO DO DIAZEPAM OUTROS MEDICAMENTOS DEPRESSORES DO SNC = POTENCIALIZAÇÃO DOS EFEITOS DOS BZD 22

23 PORTARIA 344/98 23 MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS SOMENTE COM A RETENÇÃO DE RECEITA RECEITA AZUL= MEDICAMENTO DE TARJA PRETA POSSUIR ASSINATURA E CARIMBO DO MÉDICO,DENTISTA OU VETERINÁRIO, QUANDO NÃO ESTIVER IDENTIFICADO A UNIDADE DE SAÚDE. QUANTIDADE DISPENSADA SERÁ NO MÁXIMO PARA TRATAMENTO DE 30 A 90 DIAS, DE ACORDO COM A POSOLOGIA MÉDICA, SÓ NÃO, PARA OS MEDICAMENTOS ANFEPRAMÖNICOS (EMAGRECEDORES), QUE NO CASO SÓ SE DISPENSA PARA 30 DIAS, INDEPENDENTE DA QUANTIDADE PRESCRITA PELO MÉDICO. PODENDO SER SUBSTITUÍDO PELO SEU GENÉRICO SOMENTE PELO FARMACÊUTICO (LEI 9787/99)


Carregar ppt "1 ANSIOLÍTICOS E ANTIEPLÉPTIC0S. BIBLIOGRAFIA RANG-DALE. Farmacologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004 GILMAN, A. G.; et al. (Ed.). Goodman."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google