A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: ""— Transcrição da apresentação:

1

2 ALFABETIZAÇÃO LIVRO APRENDER A LER

3 LIVRO APRENDER A LER (orienta o Programa de Alfabetização) Estrutura do livro - São 4 Unidades com 5 lições cada uma. - Fazer em 8 a 10 dias. - Blocos de Atividades: - Leitura - Brincando com Sons e Letras - Hora de Ler - Correto? - É assim que se escreve - Redação - Já sei ler

4 Blocos de Atividades Importância: Evitar a Sobrecarga Cognitiva A memória de trabalho limita nossa capacidade de aprender. Refere-se à nossa capacidade de absorver informações em tempo real. Se uma pessoa é bombardeada com muitas informações ao mesmo tempo, ela não tem condições de processar essa informação no cérebro. Isso cria a sobrecarga cognitiva. Os Blocos: - são interligados - possuem competências diferentes - são dinâmicos - estimulam o controle da aprendizagem - desenvolvem a metacognição

5 BLOCO DE ATIVIDADES ACOLHIDA - É rotina. - Recepção, Chamada, Convivência, Vínculos,... - Pontualidade e frequência. Quem falta faz falta!! BLOCO LEITURA * O que é ler? * Para que nós lemos?

6 LER É DIFERENTE DE COMPREENDER. - Para compreender é preciso: - Saber ler. - Conhecer o vocabulário e o assunto. - O vocabulário é o tijolo que permite a compreensão. - A compreensão de textos envolve um conjunto de conhecimentos, habilidades e competências. COMPREENDER É ASSUNTO PARA TODA VIDA.

7 Manual do Professor - Apresenta as instruções específicas para cada leitura. - A leitura é feita pelo professor. O aluno não sabe ler. - A leitura serve para o aluno aprender: - como se lê. - como compreender um texto. - desenvolver vocabulário. - desenvolver competências de expressão oral. - Na análise de cada texto, seguir sempre a mesma didática: * ANTES – Motivar, contextualizar, relacionar,... * DURANTE – Modelar a leitura. * DEPOIS – Aprofundar análise do texto, vocabulário

8 LEITURA LIVRE OU LEITURAS ADICIONAIS Por que o aluno precisa ter interesse na leitura? O que leva o aluno a gostar de ler? O QUÊ, COMO E QUANDO LER NA SALA DE AULA? Ler textos variados. Sempre preparar. Explorar estrutura, função social, ilustrações... Ser modelo de leitor fluente. Relacionar com o cotidiano. Momentos estratégicos.

9 COLETÂNEA

10 Complementa a alfabetização. - Vocabulário e compreensão. - Gosto e o hábito de leitura. Duas partes: - Tipologia textual. - Orientação pedagógica. Mesmo sem ler, o aluno pode aprender a partir de textos. A Coletânea será utilizada em dias alternados.

11 BLOCO BRINCANDO COM SONS E LETRAS

12 Princípio Alfabético - Nome das letras - As formas gráficas. Palavras letras. Letras sons. Muda a letra, muda o som. Essencial para aprender a ler. Para descobrir o princípio alfabético, o aluno precisa conhecer as letras e saber que as letras representam os sons das palavras.

13

14 Tudo é brincadeira, é lúdico. Enfoque oral. EXERCÍCIOS DIFERENTES HABILIDADES. ÍCONES METACOGNIÇÃO. Professor: - Compreensão dos comandos. - Modelo de resposta oral e escrita. - Correção, auto-correção e justificativa da resposta. Aluno pensando está aprendendo. Atenção diferenciada para os alunos com maior dificuldade. Ninguém deve ficar para trás.

15 CONSCIÊNCIA FONÊMICA

16 Consciência Fonêmica - O que é? - Por que os alunos precisam tomar consciência dos fonemas? - Como sabemos que o aluno adquiriu consciência fonêmica? - O que acontece se o aluno não adquirir consciência fonêmica? O som da vez Análise de fonemas Síntese de fonemas MCF Recursos disponíveis Link no site

17 Assistir ao vídeo OS 31 FONEMAS DA LÍNGUA PORTUGUESA no site do IAB.

18 FLUÊNCIA DE LEITURA: MINILIVROS – JÁ SEI LER

19 OS MINILIVROS É diferente: - decodificar? - identificar palavras automaticamente? - ler uma frase? - ler um pequeno texto? O aluno pode desenvolver todas essas competências ao mesmo tempo. Precisa: - emendar sons. - conhecer pontuação, entonação, sentido das palavras....

20 Há textos e técnicas apropriadas para desenvolver fluência. Como usar os MINILIVROS: - Organização – CORES E NÚMEROS - Sequência com o livro Aprender a Ler – início na lição 3 - Dinâmica de trabalho em grupos. - Leitura modelo. - Leitura para desenvolver a fluência. - Avanços semanais para todos.

21 OUTRAS FORMAS DE DESENVOLVER FLUÊNCIA BLOCO JÁ SEI LER - Leitura exemplar - Leitura em coro - Leitura individual COLETÂNEA - Ler, reler, brincar, decorar Apoio pedagógico.

22 Por que é importante desenvolver fluência? - Para entender o que lê. - Nossa memória é limitada. - Fluência é a ponte que liga a decodificação à compreensão. - Envolve ler sem erros, com ritmo, atenção, conhecimento dos sinais de pontuação, do sentido das palavras, adequação do timbre de voz. O que chamamos de ENTONAÇÃO. - Integração familiar. Para desenvolver fluência ler várias vezes o mesmo texto é melhor do que ler textos diferentes. No manual de orientação há sugestões para ajudar os alunos com dificuldades.

23 ORTOGRAFIA: BLOCO CORRETO? - DITADO

24 Introdução: Ortografia - Qual a diferença entre código alfabético e código ortográfico? - Por que o aluno precisa saber ortografia? - Qual a melhor maneira de saber se o aluno sabe ortografia? BLOCO CORRETO? Desenvolver competências de ortografia. Técnicas: - Ler muito. - Escrever muito. - Refletir, comparar, justificar a ortografia. - Ditado

25 DITADO Competência necessária e útil. O ditado é uma forma de aprender, e deve ser uma prática diária. Deve durar de 3 a 5 minutos. São 3 os tipos de ditados: - Ditado de palavras - Ditado de frases - Ditado de textos – A partir da aula 11 A correção do ditado é a parte mais importante. - Deve durar de 10 a 15 minutos. - Pode ser feita pelo aluno, pelo colega ou coletivamente. - O aluno deve justificar o que escreveu. - Aprende-se pela correção, refletindo, estudando regras. - Apresentar uma regularidade por dia.

26 SINTAXE: BLOCO É ASSIM QUE SE ESCREVE

27 O aluno precisa saber: - Ordem alfabética / Estrutura sintática básica das frases / Regras básicas de pontuação Concluindo: O objetivo do estudo da Sintaxe é dar ao aluno elementos básicos para escrever frases corretamente. O professor deve estar atento para utilizar as oportunidades para o ensino de sintaxe: - Na leitura e interpretação de textos / Quando os alunos fazem redação / Em atividades de expressão oral, repetindo a frase do aluno corretamente. Quanto mais o aluno automatizar a caligrafia, a ortografia, a sintaxe, mais ele terá espaço no cérebro para poder pensar na redação, no que vai escrever.

28 GRAFISMO E CALIGRAFIA LETRAS CURSIVAS

29 CALIGRAFIA Níveis de complexidade da escrita NívelDomínioCritérios LETRACaligrafia Legibilidade Fluência PALAVRA Ortografia Semântica Correção Sentido adequado FRASESintaxeCorreção e sentido TEXTOPragmáticaCoerência, coesão, etc.

30 Por que se deve ensinar caligrafia? - Autonomia - Legibilidade - Rapidez O objetivo da escrita é comunicar. Foco do ensino: - Postura, posição do papel e maneira de pegar no lápis. - Direção dos movimentos. - Ritmo e controle. - Forma, proporção, tamanho das letras, respeito aos limites de pauta. - Movimentos específicos. A aula é para ensinar, modelar, corrigir. O treino é dever de casa.

31 Conclusão Como na leitura, na escrita também o aluno precisa ser fluente. A caligrafia é uma atividade mecânica. - envolve regras, sequência, treino. - proporciona organização e capricho. Vantagem das letras cursivas sobre letra bastão. Postura pessoal formada. Quanto mais proficiente o aluno for na escrita, mais atenção e memória ele poderá dedicar a aspectos mais complexos da alfabetização. Há uma planilha de controle do dever de casa nas últimas páginas do livro Grafismo e Caligrafia.

32 REDAÇÃO

33 Introdução: - Lembrando: - Os 4 níveis da escrita - Sobrecarga cognitiva Como ensinar redação ao aluno que ainda não sabe escrever? O potencial e a capacidade de imaginação são ilimitados. A capacidade de registro escrito depende de nível de proficiência na caligrafia e domínio da ortografia e sintaxe. Atividades que dependam mais de pensar e falar devem ser privilegiadas. Desenvolver oralmente competências do processo de escrita.

34 Fases da produção escrita: - planejar - redigir - rever - corrigir - apresentar Todas atuam ao mesmo tempo, mas precisam ser aprendidas separadamente. A tarefa do professor é provocar, organizar e transcrever as idéias. A tarefa do aluno é pensar, organizar idéias, decidir sobre textos, parágrafos e palavras. Conclusão: - O aluno escreve pouco, mas pensa muito – tarefa mais difícil. Escreve bem quem pensa bem. Escreve claro quem pensa claro.

35 LIVRO GIGANTE: CHÃO DE ESTRELAS

36 Como usar o livro gigante – Chão de Estrelas Por que é gigante? As principais funções do Livro Gigante: Desenvolver a familiaridade das crianças com textos impressos e o gosto pela leitura. Desenvolver habilidades no manuseio de livros. Desenvolver vocabulário, atitudes e comportamentos necessários ao trabalho escolar. Desenvolver consciência fonêmica. Objetivo principal do Livro Gigante: Ensinar à criança habilidades, hábitos, atitudes fundamentais para ela, mais tarde, se tornar uma boa leitora.

37 Organização do livro: Inclui 20 leituras – poemas, narrativas, cantigas populares, parlendas, travalínguas, etc. É ricamente ilustrado por diferentes artistas. Chão de estrelas: Gigante e Reduzido

38 O manual do livro gigante: Ensina a manusear e usar o Livro Gigante; Traz sugestões de aulas e conteúdos a serem abordados a partir das leituras dos Livros Gigantes; Indica objetivos a serem alcançados na utilização de cada leitura; Sugere formas de estruturação de dois ou mais momentos para todas as leituras; Apresenta um ou mais projetos para cada leitura realizada.

39 Como utilizar o Livro Gigante e seu manual: O que fazer ANTES da leitura: O educador precisa fazer a sua leitura do texto, mesmo que já o conheça; Precisa marcar palavras e expressões que podem gerar dúvidas nas crianças, buscando sinônimos e metáforas para explicá-las. Deve verificar no manual qual(is) material(is) precisa dispor para a realização do(s) projeto(s) da leitura que será realizada. Deve verificar no manual qual o melhor espaço para realizar o projeto e de que forma. O que fazer DURANTE a leitura: informações contidas no manual do Livro Gigante.

40 O educador deve ficar atento à entonação, ritmo; Modelagem; Leitura dialogada: espichar a conversa; Projetos O mais importante não é a leitura, é a conversa antes, durante e depois da leitura. A conversa que acompanha a exploração do texto deve ser dialógica, interativa, e não um questionário com perguntas e respostas curtas. A conversa visa ampliar o vocabulário e a sintaxe das crianças. Deve aprofundar o entendimento dos textos e das ilustrações.

41 LIVRO DE ARTE MEUS PRIMEIROS TRAÇOS

42 Como usar o Livro Meus Primeiros traços Principal objetivo do Livro: - Estimular a expressão artística da criança, especialmente habilidades de desenho e pintura. - Conciliar o domínio de competências e técnicas com a criatividade. Conciliar leveza com limpeza também. - Desenvolver a linguagem oral para planejamento e execução das obras artísticas. Organização do livro: - Inclui 90 páginas com modelos, orientações e atividades. - É ricamente ilustrado e preparado para envolver as crianças em atividades criativas.

43 O Livro: É autoexplicativo; Traz nas fichas as informações necessárias para cada atividade; Indica os materiais a serem utilizados nas atividades.

44 Como utilizar: O que fazer ANTES da atividade: - Verificar no livro qual(is) material(is) serão necessários na atividade; - Verificar a melhor disposição das crianças de acordo com a atividade (se em duplas, em grupos ou individualmente); - Verificar se há necessidade de uma preparação – atividade, leitura, música – relacionada à atividade. O que fazer DURANTE a atividade: informações contidas na própria ficha da atividade.

45 AGENDA DO PROFESSOR

46 Instrumento para organizar e facilitar a vida do professor Disponível ao diretor e coordenador pedagógico para acompanhamento e apoio ao professor. Instrumento de registro de dados da turma. A Agenda do Professor é composta dos seguintes quadros: - Quadro 1 – Andamento do Programa - Quadro 2 – Acompanhamento individual dos alunos: frequência / Atitudes e providências - Quadro 3 – Acompanhamento individual dos alunos: resultado dos testes - Quadro 4 – Planejamento das atividades de recuperação - Quadro 5 – Plano de Aula

47 PROFESSORES EFICAZES

48 A maioria dos professores eficazes: Diz o que vai ensinar. Explica, modela, demonstra. Interage com os alunos para esclarecer dúvidas. Dá atividades para o aluno praticar e mostrar que aprendeu. Circula na sala para esclarecer dúvidas. Testa os alunos verificando se aprenderam. Explica de novo. Dá deveres de casa para os alunos praticarem. Revê a matéria com frequência. Aplica provas com muita frequência. Tem e transmite entusiasmo pelo que faz.

49 IMPORTÂNCIA DO CONTATO COM A FAMÍLIA

50 O CONTATO COM A FAMÍLIA Estreitar o vínculo, estabelecer relações. A importância de reuniões periódicas. O que a escola deve saber sobre a família. O que a família deve saber sobre a escola.

51 Francisco Lima Diniz Skype: fldiniz.alfaebeto (99)

52 MATEMÁTICA

53 A Proposta de Ensino de Matemática é estruturada e consistente. Reflete- se no Programa de Ensino e estrutura de cada Livro e cada aula. O Livro está organizado em dois volumes: o Volume 1 – 1º semestre, possui 7 unidades, sendo duas de revisão. o Volume 2 – 2º semestre, possui 9 unidades, sendo duas de revisão. Unidades: Seções: Exercícios e Treinamentos. A proposta é que o professor conclua uma lição por semana O que ensinar: - Números e Operações - Espaço e Forma - Grandeza e Medidas - Tratamento da informação

54 As lições seguem a sequência: - Eu Penso - Eu Estudo - Eu Pratico As aulas de Matemática devem ser dadas 3 vezes por semana. As Lições de Matemática devem ser dadas em uma semana. Mas, nas Lições iniciais, o professor pode ampliar para mais de uma semana, levando em conta o desempenho e o domínio dos alunos em relação ao conteúdo.

55 Papel do Professor: Motivar Explicar conceitos e operações Estimular a metacognição Prática supervisionada Estimular para estudar e descobrir Corrigir deveres de casa hábito diário identificação de dificuldades esclarecimento de dúvidas novos exercícios

56 Cognição compreende: Atenção (só motivação e interesse não bastam); Aprendizagem (memória de trabalho); Memorização (passagem para a memória de longo prazo); Automatismos (rotinas e algoritmos); Compreensão e domínio de conceitos; Capacidade de resolução de problemas; Capacidade de avaliação.

57 Como o professor deve se preparar : Conhece r bem o Livro; Entender os objetivos de cada Unidade; Fazer TODOS os exercícios; Propor alternativas para motivar e ensinar; Estimar o tempo que vai usar para ensinar a Unidade; Participar de reunião com colegas para tirar dúvidas e fazer plano de aula para a Unidade.


Carregar ppt ""

Apresentações semelhantes


Anúncios Google