A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO -Enfermagem na Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente Renilde Campos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO -Enfermagem na Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente Renilde Campos."— Transcrição da apresentação:

1 CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO -Enfermagem na Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente Renilde Campos

2 INTRODUÇÃO Crescimento e desenvolvimento são fenômenos diferentes PARALELOSINTEGRADOS2 EM 1

3 CRIANÇA É um ser em processo de C e D; O objetivo de sua assistência é protegê-la e favorecer o C e D; É um ser social que tem direitos e necessidades que precisam ser atendidas para desenvolver-se e ser feliz É o produto de eventos e relacionamentos passados, onde todos os eventos e relacionamentos presentes irão afetar seu bem-estar e relacionamentos futuros.

4 DEFINIÇÕES É o aumento físico do corpo como um todo ou de suas partes. As células sintetizam proteínas se dividem aumentando a massa corpórea identificada em unidades de g/dia, g/mês, kg/ano, cm/mês, cm/ano, ou seja, aumento de unidade de massa em tempo determinado. As células aumentam de tamanho (hipertrofia) ou de número (hiperplasia). CRESCIMENTO

5 É o aumento da capacidade de indivíduo de realizar funções cada vez mais complexas. Compreende alteração e expansão gradual; avanço a partir de estratégias mais inferiores para as mais avançadas de complexidades. Articula aspectos neurológicos com processos psicológicos. DEFINIÇÕES DESENVOLVIMENTO

6 Significa aumento da competência de uma estrutura para desenvolver função mais complexa. É um processo contínuo da concepção até a idade adulta. Abrange as estruturas do SNC e neuromusculares, incluindo maturação bioquímica e conseqüente aperfeiçoamento dos sistemas de interconexão que resulta em coordenação cada vez mais complexas. DEFINIÇÕES MATURAÇÃO

7 DIMENSÕES E CONDICINAMENTOS DO DESENVOLVIMENTO

8 FATORES QUE INFLUENCIAM O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INTRÍNSICOS (orgânicos) Herança Sistema neuroendócrino EXTRÍNSICOS (ambientais) Ingestão da dieta normal Atividade física Estimulação biopsicossocial

9

10 TIPOS DE CRESCIMENTO SEGUNDO ÓRGÃOS E TECIDOS Geral Neural (Cabeça) Linfóide Genital

11 PADRÕES DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRECIONAIS: desenvolvimento e maturação física das funções neuromusculares: PADRÃO: céfalo-caudal

12

13 PADRÕES SEQÜENCIAIS: Definidos; previsíveis; contínuos; ordenados; progressivos Arrastar; engatinhar; sentar; ficar de pé; balbuciar; falar palavras; formar frases; rabiscos; escritas. VELOCIDADE; ordenada e precisa, mas o ritmo pode variar a depender das diferenças individuais.

14 PADRÕES 0 a 30 meses: ritmo acelerado; 30 meses a 6 anos: ritmo retardado; 6 a 9 anos: ritmo acelerado; 9 a 12 anos: ritmo retardado; 12 a 15 anos: ritmo acelerado; 15 a 18 anos: ritmo retardado.

15 LACTÂNCIA: nascimento até 12 meses Neonatal: 0 a 28 dias Lactente: 29 dias a 12 meses PRÉ-NATAL: concepção ao nascimento Embrionário: concepção a 8 semanas Fetal: 8 a 40 semanas Rápido desenvolvimento motor, cognitivo e social ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO

16 C ONTROLE DA CABEÇA EM DECÚBITO VENTRAL ( MOTOR GROSSO ) 1 mês 2 meses 6 meses

17 C ONTROLE DA CABEÇA EM DECÚBITO DORSAL ( MOTOR GROSSO ) 1 mês 2 meses 4 meses

18 C ONTROLE DE BRAÇOS E TRONCO ( MOTOR GROSSO ) 1 mês 2 meses 4 meses 7 meses

19 C ONTROLE PARA O ENGATINHAR ( MOTOR GROSSO ) 7 meses 8 meses

20 C ONTROLE MOTOR PARA ANDAR ( MOTOR GROSSO ) 7 meses 9 meses 10 meses

21 CONTROLE DAS MÃOS E DEDOS (MOTOR FINO) Segura objetos com a garra palmar após o sexto mês Faz pinça rudimentar aos 8 meses

22 EVOLUÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ATÉ 1 ANO

23 ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO PRIMEIRA INFÂNCIA: 1 a 6 anos Toddler: 1 a 3 anos Pré – escolar: 3 a 6 anos Acentuado desenvolvimento físico e da personalidade; Linguagem e relações sociais amplas; Papéis definidos; auto controle; domínio; Consciência progressiva de dependência e independência; Início do auto conceito.

24 Contínuo desenvolvimento físico, mental e social; Desenvolvimento com ênfase na capacidade e habilidade; Início do desenvolvimento moral; Relações amplas e pares exterior à família; Sentimento de cooperação; Noções de religião e vida espiritual. ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO SEGUNDA INFÂNCIA Idade escolar: 6 a 12 anos

25 ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO Período tumultuado; Rápida maturação biológica; Conflito físico e emocional; Reformulação do auto conceito; Interiorização de valores aprendidos; Centralização na sua própria identidade; TERCEIRA INFÂNCIA ou infância tardia: 10 a 20 anos Puberal: 10 a 13 anos Adolescência: 13 a 20 anos

26 AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO Avaliação para crianças de 0 a 5 anos. MOTOR – abrange os grandes movimentos corporais: rola, sentar, caminhar e as formas mais delicadas da preensão; ADAPTATIVO – refere-se à capacidade que a criança adquire para pegar e manipular um objeto de seu interesse. Ela precisa de coordenação visomotora e de um certo cálculo para segurá-lo, e levá-lo à boca, para morder e chupar.

27 LINGUAGEM – abrange toda forma de comunicação visível e audível: gestos, movimentos posturais, vocalização, imitação e compreensão das palavras. SOCIALIZAÇÃO - consiste nas reações pessoais da criança diante da cultura social do meio em que vive. AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO

28 D ESENVOLVIMENTO I NTELECTUAL Piaget – teoria discutida desde de 1940 A estimulação ambiental é essencial para a progressão intelectual nos estágios do desenvolvimento cognitivo da criança, ou seja, essencial para o desenvolvimento da criança.

29 D ESENVOLVIMENTO S EXUAL Teoria de Freud: Estágio oral Estágio anal Estágio fálico Estágio de latência Estágio genital

30 E STÁGIO ORAL (0 A 2 ANOS ) A zona de erotização é a boca e o prazer ainda está ligado à ingestão de alimentos e à excitação da mucosa dos lábios e da cavidade bucal. Objetivo sexual consiste na incorporação do objeto.

31 E STÁGIO ANAL ( ENTRE 2 A 4 ANOS APROXIMADAMENTE ) A zona de erotização é o ânus e o modo de relação do objeto é de "ativo" e "passivo", intimamente ligado ao controle dos esfíncteres (anal e uretral). Este controle é uma nova fonte de prazer.

32 Complexo de Édipo A mãe é o objeto de desejo do menino e o pai (ou a figura masculina que represente o pai) é o rival que impede seu acesso ao objeto desejado. Ele procura então assemelhar-se ao pai para "ter" a mãe. Posteriormente por medo do pai, "desiste" da mãe, isto é, a mãe é "trocada" pela riqueza do mundo social e cultural e o garoto pode, então, participar do mundo social, pois tem suas regras básicas internalizadas através da identificação com o pai. Este processo também ocorre com as meninas, sendo invertidas as figuras de desejo e de identificação (Édipo feminino).

33 a zona de erotização é o órgão sexual. Assinala o ponto culminante e o declínio do complexo de Édipo pela ameaça de castração. No menino - interessse narcísico que ele tem pelo próprio pênis em contraposição à descoberta da ausência de pênis na menina. Na menina - surgimento da "inveja do pênis" e o conseqüente ressentimento para com a mãe "porque esta não lhe deu um pênis, o que será compensado com o desejo de Ter um filho. E STÁGIO FÁLICO (2 E 5 ANOS )

34 Diminuição das atividades sexuais, como um intervalo. O objeto de erotização ou de desejo não está mais no próprio corpo, mas em um objeto externo ao indivíduo - o outro. Neste momento meninos e meninas estão conscientes de suas identidades sexuais distintas e começam a buscar formas de satisfazer suas necessidades eróticas e interpessoais. ESTÁGIO GENITAL (ADOLESCÊNCIA)

35 BOM ESTUDO!


Carregar ppt "CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO -Enfermagem na Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente Renilde Campos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google