A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1ª Formação de Professores Coordenadores DER SVI – 2015.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1ª Formação de Professores Coordenadores DER SVI – 2015."— Transcrição da apresentação:

1 1ª Formação de Professores Coordenadores DER SVI – 2015

2 ATPC PLANEJAMENTO PAUTA REGISTRO AVALIAÇÃO Alteração na nomenclatura de HTPC para ATPC - Aulas de Trabalho Pedagógico Coletivo - (Res. SE nº 08, de ) Observação/ reflexão/ação - Plano de Ação -Cronograma com os temas de formação. Ata: avanços, dificuldades detectadas, ações e intervenções propostas e decisões tomadas. Definidas conforme as demandas da Equipe; Temas anteriormente abordados.

3 Comunicado CENP 06/02/2009 Subsídios para a organização e o funcionamento das Horas de Trabalho Pedagógico Coletivo - HTPCs

4 Formas de registro da ATPC 4 - No planejamento, na organização e na condução das HTPCs, é importante: - considerar as demandas dos professores frente às metas e prioridades da escola; - elaborar previamente a pauta de cada reunião, definida a partir das contribuições dos participantes; - dividir entre os participantes as tarefas inerentes às reuniões (registro, escolha de textos, organização dos estudos; - planejar formas de avaliação das reuniões pelo coletivo dos participantes; - prever formas de registro (ata, caderno, diário de bordo, e outras) das discussões, avanços, dificuldades detectadas, ações e intervenções propostas e decisões tomadas; - organizar as ações de formação continuada com conteúdos voltados às metas da escola e à melhoria do desempenho dos alunos, com apoio da equipe de supervisão e oficina pedagógica da DE. Comunicado CENP 06/02/2009

5 OBJETIVOS DA ATPC I) Construir e implementar o projeto pedagógico da escola; II) Articular as ações educacionais desenvolvidas pelos diferentes segmentos da escola, visando a melhoria do processo ensino-aprendizagem; III) Identificar as alternativas pedagógicas que concorrem para a redução dos índices de evasão e repetência; IV) Possibilitar a reflexão sobre a prática docente V) Favorecer o intercâmbio de experiências; VI) Promover o aperfeiçoamento individual e coletivo dos educadores; VII) Acompanhar e avaliar, de forma sistemática, o processo ensino-aprendizagem.

6 DIRETRIZES DA ATPC ● Debate exclusivamente pedagógico; ● Professores desenvolvem o trabalho com orientação do coordenador pedagógico; ● Duração de duas a três horas, dependendo da quantidade de aulas ministradas; ● Estimular a interdisciplinaridade e a troca de experiências; ● Espaço para docentes colocarem os problemas pedagógicos enfrentados e buscarem soluções a partir do grupo; ● Discussão de competências e habilidades da prática docente; ● Horário para estudo e formação coletiva; ● Momento de planejamento e avaliação.

7 Compete ao Professor Coordenador Pedagógico ● Manter cronograma e pauta estabelecidos; ● Oferecer apoio individual aos professores; ● Conduzir pessoalmente as reuniões; ● Colocar limites aos assuntos discutidos para não perder o foco; ● Avaliar materiais e cursos de apoio necessários ao trabalho pedagógico; ● Encaminhar uma síntese do trabalho desenvolvido no ATPC para debate junto ao diretor;

8 O QUE FAVORECE A ATUAÇÃO DO PROFESSOR COORDENADOR NO CUMPRIMENTO DA SUA FUNÇÃO ● Administrar o tempo sistematizando a agenda de trabalho; ● Estabelecer rotinas, ocupando o seu espaço na escola (objeto de feedback / reunião semanal de gestores); ● Estudar e conhecer os referenciais teóricos que sustentam a sua função e atuação; ● Ser referência junto à equipe que coordena; ● Demonstrar conhecimento pedagógico.

9 PAUTA FORMATIVA

10 PAUTA FORMATIVA A pauta formativa não é um check list ou apenas uma sequência do será visto em ATPC, o grande diferencial de uma pauta formativa é o fato de ela por si só já ser um instrumento de estudos para o Professor Coordenador, ou seja, ela proporciona um momento de estudos já na sua produção.

11 Preparação da Pauta Formativa

12 - Enviar antecipadamente aos professors: Da mesma forma que o PC estuda ao produzir a pauta, o professor também estuda de forma prévia ao receber a pauta. É importante que o professor leia os textos recomendados, veja os vídeos a serem analisados. Já mobilize seu cognitivo para as ações do ATPC. - Escolha cuidadosa do conteúdo: O conteúdo a ser estudado precisa ser contextualizado, ter significado ao meio escolar e atender as necessidades da escola. Pode derivar de apontamentos feitos em sala de aula, de reuniões anteriores, de indicadores previamente levantados como AAP.

13 - Clareza quanto ao objeto de ensino em questão: O objeto de ensino precisa ser claro, precisa estar bem definido para não tornar a formação muito abstrata. Não podem ser de difícil compreensão, precisa estar visível na descrição da pauta. - Antecipação das possíveis dúvidas e utilização de estratégias adequadas. É importante prever algumas possíveis dúvidas e questionamentos sobre o que será apresentado, o estudo da pauta viabiliza esse preparo, em alguns momentos essas dúvidas até podem fazer parte de provocações já previstas.

14 QUAIS SÃO OS SABERES QUE VOCÊ MOBILIZA AO COMEÇAR A ELABORAÇÃO DE UMA PAUTA FORMATIVA?

15 O FORMADOR DEVE: - Estudar o conteúdo e o foco a ser desenvolvido: Como dito antes a pauta não pode ser elaborada de um dia para o outro, o seu conteúdo precisa ser estudado, como planejar uma aula. Mesmo no consenso de que todos possuem suas formações, cabe ao Professor Coordenador ministrar a formação no ATPC, então o estudo da pauta dá mais segurança, garantia e fortalece a autoria do PC.

16 O FORMADOR DEVE: - Assumir o lugar de quem se questiona sobre o que será proposto nas atividades: Ao refletir sobre a pauta produzida, o PC deverá fazer um exercício de “intencionalidade”, testar as etapas da pauta para ver se atende realmente tudo o que se propõe. - Conhecer o que propõe e o grupo com o qual vai trabalhar: A compreensão da diversidade de profissionais é importante pois permite a produção de materiais que atendam as estas especificidades, assim como também prevê intervenções que podem vir a ser feitas.

17 O que considerar para elaborar uma Boa Pauta Formativa

18 Qual a duração prevista? Cada tema abordado pode durar tempos distintos, é a demanda e o planejamento que decidirão isso. O professor precisa saber que existe uma sequência de formação, receber um cronograma dessa formação, que como já foi dito, atenderá uma demanda. Imagina terminar o ATPC, não sistematizar o que foi produzido e na semana seguinte não retomar. Fica uma linha de ponta solta.

19 O que os professores terão que fazer? Propor atividades desafiadoras que os façam refletir sobre sua prática. (Ação-Reflexão-Ação) - Análise de uma S.A - Produção de um Plano de Aula - Estudo de caso Quais as estratégias utilizadas para ensinar o que se quer? - Aulas dialogadas - Leitura de textos - Reflexões a partir de vídeos ou charges - Estudo dirigido

20 Resumo Um bom planejamento de pauta compreende sua sua função formativa e também sua estrutura processual. É importante que ela tenha sequência, tenha objetivos e que estes sejam definidos com antecedência. Essa pergunta precisa estar clara pois os momentos de estudos contínuos deverão ao final do ano fazer parte de um portfólio formativo, que poderão ser revisados constantemente. É importante que esse conhecimento seja cumulativo, que o professor se lembre do que foi aprendido durante os ATPCs e não pense que cada dia é um momento isolado e sem sentido.

21 MODELO DE PAUTA FORMATIVA

22 Registro reflexivo da Professora Coordenadora DEPOIMENTO

23 Quais estratégias você utiliza nas ATPCs?

24

25 AULA EXPOSITIVA AULA EXPOSITIVA DIALOGADA AULA DIALÓGICA SEMINÁRIO ESTUDO DIRIGIDO RESOLUÇÃO DE SITUAÇÃO PROBLEMA ESTUDO DO MEIO PROJETO MODALIDADES DIDÁTICAS Transmissão verbal Interação verbal Permite construção do conhecimento Aprofundamento de tema específico Estudo de campo sobre um determinado objeto Situação contextualizada proposta pelo professor Leitura, compreensão e reprodução de conteúdos Confecção de um produto final

26 MODALIDADES DIDÁTICAS

27 Atividades em duplas ou grupos Escola Tradicional e Tecnicista Escola Nova Escola Construtivista Escola Sócio- Interacionista Memorização de conteúdos, intervenção do prof. para apontar erros. Compartilhamento de ideias e convicções, a intervenção do prof. aponta potencialidades. Fazer dupla produtiva, na qual o compartilhamento de hipóteses e convicções produz desequilibração, a intervenção do prof. objetiva a sistematização dos saberes, sendo que os erros são considerados produtivos. Em duplas heterogêneas o sujeito mais avançado age na ZDP do menos avançado criando a condição para a aprendizagem de ambos, a intervenção do professor objetiva a sistematização ou nivelamento esperado p o contexto.

28 ESCOLA: DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE SÃO VICENTE O QUE EU JÁ SABIAO QUE EU APRENDI O QUE EU AINDA PRECISO SABER POR ONDE/ O QUE/ PRETENDO COMEÇAR Sobre elaboração de Pautas Formativas Sobre ATPC AVALIAÇÃO

29 Bibliografia/Sites ●http://revistaescolapublica.uol.com.br/textos/13/artigo asp - acessada em 17/02/2014 às 11h30http://revistaescolapublica.uol.com.br/textos/13/artigo asp ●http://www.eestefanzweig.com/2012/12/espaco-atpc.html - acessada em 17/02/2014 às 11h20http://www.eestefanzweig.com/2012/12/espaco-atpc.html ●http://www.dersv.com/legislacao.htm - acessado em 17/02/2014 às 11hhttp://www.dersv.com/legislacao.htm ●http://educarparacrescer.abril.com.br/pensadores-da-educacao/ - acessado em 18/02/2014 às 14h40http://educarparacrescer.abril.com.br/pensadores-da-educacao/ ●http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/equipe-de-professores/ - acessado em 24/02/2014 às 11h42http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/equipe-de-professores/ Citações: ●BRUNER, J.S. Uma Nova Teoria da Aprendizagem. Rio de Janeiro: Ed. Bloch, ●ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Editora - Artes Médicas Sul Ltda., ●COLL, César et alii. Os conteúdos na reforma: ensino e aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda., ●São Paulo (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas tecnologias / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Paulo Miceli. – São Paulo : SEE, ●Hargreaves, Andy - O Ensino na Sociedade do Conhecimento: A educação na era da insegurança - (2004) Porto Alegre (RS): Artmed Editora. ●Tardif, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2010 ●ZABALA, Antoni e Arnau, Laia. Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Editora Artmed, 2010;


Carregar ppt "1ª Formação de Professores Coordenadores DER SVI – 2015."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google