A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LESÕES PEDIÁTRICAS NO ESPORTE JOÃO ANTONIO DA SILVA JÚNIOR DRA. ANA LÚCIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LESÕES PEDIÁTRICAS NO ESPORTE JOÃO ANTONIO DA SILVA JÚNIOR DRA. ANA LÚCIA."— Transcrição da apresentação:

1 LESÕES PEDIÁTRICAS NO ESPORTE JOÃO ANTONIO DA SILVA JÚNIOR DRA. ANA LÚCIA

2 INTRODUÇÃO 30 milhões de jovens esportistas nos EUA; Mais que um terço em algum momento terá lesão; Muitos não procuram atendimento;

3 INTRODUÇÃO Maior susceptibilidade a lesões: Maior superfície corpórea; Maiores forças cinéticas através de articulações; Falta de coordenação motora/aprendizado motor; Erros biomecânicos; Propriedade biomecânica da cartilagem e do osso; Diferente do adulto; Aumento da especialização no esporte cada vez mais jovem;

4 INTRODUÇÃO Três zonas anatômicas mais acometidas; Placa epifisária ou de crescimento; Mais comum em garotos, traumática; Superfície articular; Tornozelo, joelho e cotovelo; Inserções apofisárias; Tração repetitiva;

5 INTRODUÇÃO Traumáticas ou overuse; Mecanismo de lesão? Edema imediato ou progressivo ? Quando sente dor ? Fatores de alívio ou de exacerbação ? Regime de treino ? Equipamento de proteção ?

6 LESÕES DOS MEMBROS INFERIORES

7 ENTORSE DE TORNOZELO 85% resultam de um mecanismo por inversão; Lesão da fise fibular distal é comum Salter-Harris I; Tratamento diferenciado; Ligamentares: Talofibular anterior; calcaneofibular; talofibular posterior;

8

9 ENTORSE DE TORNOZELO Edema; Dor à sustentação do peso é comum; Radiografia Dor maleolar, quinto metatarso ou tálus; Critérios de Ottawa não se aplicam;

10 ENTORSE DE TORNOZELO Gaveta anterior; Talar tilt; Squeeze test; Fratura de Maisonneuve;

11 DOENÇA DE SEVER Apofisite do calcâneo; Tração / microtraumas; Tipicamente durante estirão de crescimento; Dor crônica no calcanhar que exacerba com a atividade; Radiografia, não-específica: Fragmentação, ossificação irregular, esclerose;

12

13 SÍNDROME DE DOR ANTERIOR NO JOELHO Causa mais comum de dor no joelho em adolescentes; Combinação de fatores biomecânicos, overuse e disfunção muscular; Dor crônica, relatada na face anterior, de localização difusa; Longos períodos sentado, descer escadas.

14 SÍNDROME DE DOR ANTERIOR NO JOELHO Examinar a estabilidade e o quadril; Inibição patelar; Dor à palpação na patela, geralmente súpero-lateral ou súpero-medial;

15 DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER Apofisite por tração; Desbalanço de forças na inserção do tendão patelar na tuberosidade da tíbia; Microtraumas, edema e dor; Mais comum em meninos, no estirão; Dor aumenta durante atividades como corrida e saltos ;

16 DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER Radiografia pode demonstrar fragmentação da tuberosidade da tíbia; Auto-limitada, mas pode persistir por até cerca de 2 anos; O aspecto mais difícil é lidar com o treinador e familiares;

17

18

19 DOENÇA DE SINDING-LARSEN- JOHANSSON Apofisite no pólo inferior da patela; Dor e edema relacionado à atividade; Auto-limitado; Radiografia pode mostrar fragmentação; Tratamento conservador;

20

21 OSTEOCONDRITE DISSECANTE Lesão que cursa com dissecção do osso subcondral e da cartilagem articular; Trauma; Fatores Genéticos; Isquemia óssea local; ¾ dos casos são no joelho; Cotovelo, Tálus;

22 OSTEOCONDRITE DISSECANTE Mais comum em meninos; Queixas vagas, que pioram com a atividade; Edema articular; Sintomas articulares mecânicos; Sinal de Wilson; Radiografia; RNM;

23

24

25

26

27 OSTEOCONDRITE DISSECANTE Tratamento difere do adulto; Maioria é conservador; Afastamento da atividade esportiva por no mínimo 6 a 8 semanas; Tratamento cirúrgico aos refratários e graus 3 e 4;

28 EPIFISIÓLISE PROXIMAL DO FÊMUR Afecção do quadril mais comum em adolescentes; Deslocamento póstero-medial da epífise; Fatores Biomecânicos; Predisposição genética; Meninos obesos entre 8 e 15 anos estão mais suscetíveis; Em 30 a 50% dos casos é bilateral;

29 EPIFISIÓLISE PROXIMAL DO FÊMUR Dor crônica vaga no quadril; Dor medial no joelho (25%); Postura de flexão, abdução e rotação externa; Na suspeita, retirar totalmente a carga até confirmação/exclusão radiográfica; AP + perfil + posição de rã;

30

31

32 DOENÇA DE LEGG-CALVÉ-PERTHES Necrose avascular da epífise da cabeça femoral; Auto-limitada; Tipicamente em meninos de 4 a 10 anos; Incidência 4 meninos : 1 menina; 80% é unilateral; Dor intermitente na virilha ou na parte medial da coxa, que piora com a atividade;

33 DOENÇA DE LEGG-CALVÉ-PERTHES Podem apresentar limitação na ADM; Rotação interna ativa e abdução do quadril; Apresentação após os 8 anos tem pior prognóstico; OA a longo prazo;

34 Doenças da coluna

35 ESPONDILÓLISE Fratura por estresse da pars articularis; Causa comum de dor lombar em atleta jovem; Mecanismo verdadeiro de lesão ainda é pouco conhecido; Carga excessiva e repetitivas durante flexão e extensão da coluna; Hiperlordose; Hereditariedade;

36

37 ESPONDILOLISTESE Defeito bilateral na pars articularis; Sintomas similares ao da espondilólise; Sintomas radiculares mais comuns; Grau I (0-25%), Grau II (25-50%), Grau III (50-75%), Grau IV (75-100%), Grau V (> 100%);

38

39 ESPONDILOLISTESE RNM é útil para avaliar sinais de compressão nervosa nos pacientes com sintomas neurológicos; Grau I e II – Tratamento conservador; Grau III e acima – potencial tratamento cirúrgico;

40 ESCOLIOSE Infantil - <3 anos; Juvenil – 3 – 10 anos; Adolescente - >10 anos; Fisiopatologia não é bem conhecida, genética poderia ter papel central;

41 ESCOLIOSE Screening ? Teste de Adams; Radiografia pode determinar o grau de curvatura; < 20 graus, tratamento conservador, observação seriada; graus deve ser considerado o uso de órteses; > 30 graus devem ser avaliados para indicação de cirurgia;

42

43 Lesões dos Membros Superiores

44 APOFISITE DO EPICÔNDILO MEDIAL Little League Elbow; Dor no cotovelo em jovens arremessadores; Técnica inadequada + Força de Core insuficiente; Mais entusiasmo que técnica; Predisposição a lesões;

45 APOFISITE DO EPICÔNDILO MEDIAL Forças em valgo no cotovelo medial + compressão compensatória no cotovelo lateral; Mudança na apófise do epicôndilo medial; Pode surgir osteocondrite dissecante do capítulo e/ou fratura por avulsão no compartimento medial;

46

47 FRATURA SUPRACONDILIANA DO ÚMERO Atenção especial pela possibilidade de sequelas, devido lesão neurovascular; Mais comum em crianças em torno dos 7 anos de idade; 98% das vezes resulta de um trauma em extensão; Avaliar pulsos distais e função motora; Buscar por sinais de suspeita de abuso infantil;

48

49

50

51 IMPACTO ANTERIOR DO OMBRO Maior laxidão articular do ombro; Comum em adolescentes que praticam atividades com movimentos acima da cabeça; Dor noturna, ombro cansado. Dor vaga, anterior ou lateral, que exacerba com atividade; Tratamento conservador;

52 REFERÊNCIAS Mark B. Stephens. Chapter 31 – Pediatric and Adolescent Injuries. In:The Sports Medicine Resource Manual. Seindeberg, Peter H. (Ed.). Elesivir Science, Matthew F. Grady, MD, and Arlene Goodman, MD. Common Lower Extremity Injuries in the Skeletally Immature Athlete. Curr Probl Pediatr Adolesc Health Care, August Jennifer Lord, and Jennifer J. Winell. Overuse injuries in pediatric athletes. Curr Opin Pediatr 16:47– , Lippincott Williams & Wilkins.


Carregar ppt "LESÕES PEDIÁTRICAS NO ESPORTE JOÃO ANTONIO DA SILVA JÚNIOR DRA. ANA LÚCIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google