A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA HELTON COELHO 19-9744 4355.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA HELTON COELHO 19-9744 4355."— Transcrição da apresentação:

1 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA HELTON COELHO

2 GERENCIANDO A CADEIA O GERENCIAMENTO DA LOGÍSTICA É O PROCESSO DE ADMINISTRAR O MOVIMENTO DE MATÉRIAS-PRIMAS, PEÇAS, TRABALHO, PRODUTOS ACABADOS E INFORMAÇÕES RELACIONADAS AO LONGO DA CADEIA DE VALOR DE UMA FORMA EFICIENTE E COM UM BOM CUSTO PARA ATENDER ÀS EXIGÊNCIAS DO CONSUMIDOR. 09/08/11

3 DEMANDA DO CONSUMIDOR AS DEMANDAS DO CONSUMIDOR DIRIGEM TODO O PROCESSO. CADA ASPECTO DO GERENCIAMENTO DE LOGÍSTICA ESTÁ VOLTADO PARA A CONCLUSÃO DE UMA TROCA DE MARKETING QUE FORNECE AO CONSUMIDOR O PRODUTO CERTO NA HORA CERTA NO LOCAL CERTO, NAS CONDIÇÕES CERTAS E AO PREÇO CERTO. É CLARO QUE COMPREENDER O QUE OS CONSUMIDORES ESPERAM É UM PRÉ-REQUISITO PARA CRIAR UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE LOGÍSTICA.

4 NOVO DESAFIO O GERENCIAMENTO DE LOGÍSTICA É, PARA MUITAS EMPRESAS, O MAIOR DESAFIO EM TERMOS DE CONCORRÊNCIA. UM GRANDE PRODUTO, COM O PREÇO ESCOLHIDO DE FORMA CORRETA, NOS CANAIS DE MARKETING ADEQUADOS E COM UMA COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING DE ALTO NÍVEL NÃO É MAIS SUFICIENTE.

5 COMO VENCER Para construir de forma lucrativa relacionamentos de longo prazo com o consumidor - e vencer os concorrentes -, as empresas mais atentas estão formulando estratégias para movimentar os produtos e a informação de forma mais eficiente ao longo da cadeia de valor

6 A Vantagem Competitiva e a Cadeia de Valor Das muitas mudanças que ocorreram no pensamento gerencial nos últimos 10 anos, talvez a mais significativa tenha sido a ênfase dada à procura de estratégias que proporcionassem um valor superior aos olhos do cliente. Grande parte do mérito desta procura deve-se a Michael Porter, professor da Harvard Business School, que através de suas pesquisas alertou os gerentes e estrategistas para a importância central das forças competitivas para alcançar sucesso no mercado.

7 Um conceito particular que Michael Porter trouxe para este cenário foi a "cadeia de valor" 123 $$$$$$$

8 "A Vantagem Competitiva não pode ser compreendida olhando-se para uma firma como um todo

9 Ela deriva das muitas atividades discretas que uma empresa desempenha PROJETANDO, PRODUZINDO, COMERCIALIZANDO, ENTREGANDO E APOIANDO SEU PRODUTO.

10 A CADEIA DE VALOR DESDOBRA A empresa EM SUAS ATIVIDADES ESTRATEGICAMENTE RELEVANTES

11 PARA COMPREENDER O COMPORTAMENTO DOS CUSTOS E AS FONTES DE DIFERENCIAÇÃO EXISTENTES OU POTENCIAIS UMA FIRMA GANHA VANTAGEM COMPETITIVA EXECUTANDO ESTAS ATIVIDADES ESTRATEGICAMENTE IMPORTANTES DE MANEIRA MAIS BARATA OU MELHOR DO QUE SEUS CONCORRENTES

12 AS ATIVIDADES DA CADEIA DE VALOR PODEM SER CATEGORIZADAS EM DOIS TIPOS: ATIVIDADES PRIMÁRIAS ATIVIDADES DE APOIO (logística de entrada, operações, logística de saída, marketing e vendas e assistência técnica) (infra-estrutura, gerenciamento de recursos humanos, desenvolvimento de tecnologia e aquisição)

13 Estas atividades de suporte são funções integradoras que atravessam as várias atividades primárias dentro da empresa.

14 A vantagem competitiva surge da maneira como as empresas desempenham estas atividades dentro da cadeia de valor.

15 Pode-se afirmar que o gerenciamento logístico tem potencial para auxiliar a organização a alcançar tanto a vantagem em custo/produtividade como a vantagem em valor

16 Em resumo, as organizações que serão líderes de mercado no futuro serão aquelas que procurarão e atingirão os picos gêmeos da excelência: LIDERANÇA DE CUSTOS LIDERANÇA DE SERVIÇOS

17 ENCURTAR O FLUXO LOGÍSTICO NOVO DESÁFIO DOS LIDERES DE LOGÍSTICA

18 PRODU ÇÃO OFERTA DEMANDA

19 O aumento da produtividade diminui o custo Como produtividade é igual a produção/recursos, uma maior produtividade significa que se produz mais, com os mesmos recursos, ou que uma mesma produção é feita com menos recursos. Portanto, em qualquer situação, o custo unitário do produto diminui. PRODUTIVIDADE E CUSTO

20 Demanda Dependente e Independente Demanda Dependente Demanda de pneus do fornecedor é ditada pelo número de carros a serem feitos A demanda de pneus é ditada por fatores aleatórios Concessionária Demanda Independente A demanda tem que ser prevista A demanda pode (e deve) ser calculada Montadora

21 Filosofia de Planejamento e Controle Empurrado versus Puxado Sistema de Planejamento e Controle Central DEMANDA Instruções sobre o que, quanto e quando fazer PREVISÃO ou Sistema Puxado Sistema Empurrado Pedido Entrega Pedido Entrega Pedido Entrega Pedido Entrega DEMANDA Puxado pela demanda Empurrado pela previsão

22 Contribuições do Planejamento e Controle para a competitividade Custo utilização de recursos redução de estoques cumprimento de prazos Custo utilização de recursos redução de estoques cumprimento de prazos Flexibilidade redução de incertezas reprogramação rápida estoques de segurança Flexibilidade redução de incertezas reprogramação rápida estoques de segurança Qualidade redução de estoques integridade de informação rastreabilidade Qualidade redução de estoques integridade de informação rastreabilidade Confiabilidade planejamento à frente controle dos recursos monitoramento Confiabilidade planejamento à frente controle dos recursos monitoramento Velocidade redução de filas redução de estoques sequenciação Velocidade redução de filas redução de estoques sequenciação Planejamento e controle

23 Por que surgem os estoques? Impossível ou inviável coordenar suprimento e demanda: capacidade informação custo de obtenção restrições tecnológicas Incerteza de previsões de suprimento e/ou demanda: ? ? estoques de segurança Preencher opipeline (processador) - canais de distribuição: Especular com os estoques: escassez oportunidade Conceitos básicos de estoque ramp up de produto (evolução)

24 Demanda Semanal semana Qtde = 172,1 livros/semana LIVRARIA Lead time= 2 semanas Consumidor

25 tempo Unidades em estoque Estoque médio Q PRESSUPOSTOS: Demanda; constante e conhecida. Custos e Lead Time: constantes e conhecidos Reposição Instantânea

26 QUANDO RESSUPRIR - PONTO DE REPOSIÇÃO tempo Lote de ressuprimento Lead time Lead time Lead time PR = D.LT + ES Exemplo: Demanda = 172,1 unidades por semana Lead time = 2 semanas Estoque de segurança = 15,8 unidades PR = 360 unidades LT = 2 Semanas Pedido Recebido Pedido colocado Conceito de Lead time: tempo decorrido desde a colocação de um pedido de ressuprimento até que o material esteja disponível para utilização. PR = 172,1 x ,8 = 360 unidades ou seja, quando o estoque atingir 360 unidades ou menos é hora de solicitar ressuprimento. PROBLEMA: CHECAR CONTINUAMENTE OS ESTOQUES GERA CUSTOS. Unidades em estoque ES Ponto de reposição Estoque médio Q

27 ESTUDO CASO- CURVA ABC

28 QUESTÕES ORGANIZE OS ITENS DE ACORDO COM AS MAIORES QUANTIDADES FALE QUAIS SÃO OS 10 ITENS QUE REPRESENTAM MAIOR CUSTO NO ESTOQUE E DE QUANTOS PORCENTO ELES SÃO DESCUBRA O ESTOQUE MÉDIO DE CADA ITEM


Carregar ppt "ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA HELTON COELHO 19-9744 4355."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google