A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes

2 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes CONCEITOS O esquema básico da Contabilidade de Custos pode ser exemplificado em três passos distintos: 1° passo: A separação entre custos e despesas; 2° passo: A apropriação dos custos diretos; 3° passo: A apropriação dos custos indiretos. A separação entre custos e despesas A apropriação dos custos diretos A apropriação dos custos indiretos 1° passo 2° passo3° passo

3 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes A separação entre custos e despesas 1° passo Vamos supor que estes sejam os gastos da Empresa NRM em determinado período. A primeira tarefa é separar os custos de produção

4 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes CUSTOS DE PRODUÇÃO DESPESAS DE VENDAS

5 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes DESPESAS ADMINISTRATIVAS DESPESAS FINANCEIRAS – R$ ,00 As despesas, que não entraram no custo de produção, as quais totalizam $ , vão ser descarregadas diretamente no Resultado do período, sem serem alocadas aos produtos.) R$ R$ R$

6 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos diretos 2° passo Vamos imaginar que a NRM elabore três produtos diferentes (A, B e C). O passo seguinte é distribuir custos diretos de produção aos três itens. Suponhamos ainda que na NRM, além da Matéria-prima, sejam também custos diretos parte da Mão-de-obra e parte da Energia Elétrica. O problema agora é saber quanto da Matéria-prima total utilizada, de $ , quanto de Mão-de-obra Direta e quanto da Energia Elétrica direta foi aplicado em A, em B e em C.

7 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos diretos 2° passo Para o consumo de MATÉRIA-PRIMA, a empresa mantém um sistema de requisições de tal forma a saber sempre para qual produto foi utilizado o material retirado do Almoxarifado. E, a partir desse dado, conhece-se a seguinte distribuição:.

8 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos diretos 2° passo Para a MÃO-DE-OBRA, a situação é um pouco mais complexa, já que é necessário verificar do total de $ quanto diz respeito à Mão-de-obra Direta e quanto é a parte pertencente à Mão-de-obra Indireta. A NRM, para poder conhecer bem esse detalhe, mantém um apontamento (verificação) de quais foram os operários que trabalharam em cada produto no mês e por quanto tempo. Conhecidos tais detalhes e calculados os valores, conclui:

9 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos diretos 2° passo A verificação da ENERGIA ELÉTRICA evidencia que, após anotado o consumo na fabricação dos produtos durante o mês, $ são diretamente atribuíveis e $ só alocáveis por critérios de rateio, já que existem medidores apenas em algumas máquinas.

10 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos diretos 2° passo Resumindo temos: Do total de Custos de Produção, $ são diretos e já estão alocados e $ precisam ainda ser apropriados.

11 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos indiretos 3° passo Vamos agora analisar a forma ou as formas de alocar os custos indiretos que totalizam, neste exemplo, $ Uma alternativa simplista seria a alocação aos produtos A, B e C proporcionalmente ao que cada um já recebeu de custos diretos. Esse critério é relativamente usado quando os custos diretos são a grande porção dos custos totais, e não há outra maneira mais objetiva de visualização de quanto dos indiretos poderia, de forma menos arbitrária, ser alocado a A, B e C. Teríamos então:

12 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Apropriação dos custos indiretos 3° passo Suponhamos, entretanto, que a empresa resolva fazer outro tipo de alocação. Conhecendo o tempo de produção de cada um, pretende fazer a distribuição dos custos indiretos proporcionalmente a ele, e faz uso dos próprios valores em reais da Mão-de-obra Direta, por ter sido esta calculada com base nesse mesmo tempo. Teríamos então:

13 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Os custos incorridos num período só irão integralmente para o Resultado desse mesmo período caso toda a produção elaborada seja vendida, não havendo, portanto, estoques finais. Já as despesas — de Administração, de Vendas, Financeiras etc. — sempre são debitadas ao Resultado do período em que são incorridas. ESQUEMA BÁSICO

14 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes RESUMO O esquema básico da Contabilidade de Custos consiste, dentro do visto até o momento, em: a) separação de Custos e Despesas; b) apropriação dos Custos Diretos aos produtos; e c) apropriação mediante rateio dos Custos Indiretos aos produtos. Esses rateios podem ser feitos por vários critérios diferentes, e seus méritos serão abordados nas próximas aulas.

15 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes CAPÍTULO 5 MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 9ª ed. São Paulo: Atlas, pag.:

16 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes EXERCÍCIOS

17 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes A indústria Aniel produz sabão em pó e sabão líquido, ambos específicos para lavagem de roupa à margem dos rios do nordeste brasileiro. Em determinado período, produziu caixas do sabão em pó e frascos do líquido, incorrendo nos seguintes custos EXERCICIO

18 Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes Os custos de matéria-prima, mão-de-obra direta e os Custos Indiretos de Produção são comuns aos dois produtos. A Aniel possui contrato de demanda da energia elétrica com a concessionária, pelo qual paga apenas uma quantia fixa por mês, e não mede o consumo por tipo de produto. Os CIP são apropriados aos produtos de acordo com o tempo de MOD empregado na produção de um e outro, sabendo-se que são necessários 18 minutos para produzir uma caixa de sabão em pó e 11,25 minutos para produzir um frasco de sabão líquido. A indústria utiliza em sua produção uma máquina que, devido à corrosão, tem sua vida útil física e econômica limitada pela quantidade de matéria-prima processada (a vida útil é estimada pelo fabricante do equipamento em kg de processamento de matéria-prima). Foi adquirida por $ e seu custo ainda não está incluído n relação acima. Pede-se: a) elaborar um quadro de apropriação de custos aos produtos; e b) calcular o custo unitário de cada produto.


Carregar ppt "Universidade Santa Cecília – Santos / SP Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS Prof. Ms. Nilton Rogério Marcondes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google