A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIRETORIA DE ENSINO- NORTE 2 Replanejamento 2013 O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIRETORIA DE ENSINO- NORTE 2 Replanejamento 2013 O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o."— Transcrição da apresentação:

1

2 DIRETORIA DE ENSINO- NORTE 2 Replanejamento 2013 O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher. Cora Coralina

3 Pauta de Replanejamento 1.Leitura em voz alta Emília começa a escrever suas memórias - Monteiro Lobato 2. Objetivos Tornar observável as práticas significativas realizadas pelos professores nas escolas Avaliar o trabalho construído pela unidade escolar no 1º semestre Projetar ações prioritárias em relação às demandas do 2º semestre: SARESP/Prova Brasil Retomar as expectativas de aprendizagem em relação à produção escrita – 5º ano. Compreender a importância do trabalho de fluência leitora iniciando à partir da condição das crianças adquirirem a base alfabética do sistema de escrita. Dar continuidade ao trabalho de resolução de problemas como meio de desenvolver a competência leitora – capacidade de compreensão - dentro das especificidades dos textos e conteúdos matemáticos.

4 3. Conteúdos Reflexão sobre o sistema de escrita (socialização do trabalho pessoal) Avaliação das ações do PC Implementação das novas demandas - SARESP – Avaliação externa para o 2º ano - Produção de texto: Ajuste ao contexto de produção – Carta de Leitor - Fluência leitora – 3º, 4º e 5º ano Resolução de problemas 4. Encaminhamentos: 4.1. Retomada do trabalho pessoal do dia 05 e 12/06/ Avaliando, a quantas andamos: O conjunto de referências que faz da avaliação um procedimento necessário para definir prioridades e garantir a qualidade do ensino e segundo as novas demandas: Garantia do direito de aprender... Como, eu como PC avalio continuamente o trabalho de formação que tem sido proposto? Quais avanços quanto a ação formativa na minha unidade escolar já foram visualizados? Enumere: Pontos positivos e pontos negativos no trabalho desenvolvido na UE estabelecendo a correspondência um a um.

5 SOCIALIZAÇÃO PONTOS POSITIVOSPONTOS NEGATIVOS

6 4. 3. Ações que o Replanejamento deve contemplar: Retomar as ações desenvolvidas sob a perspectiva avaliativa. Dar expressão ao número de alunos abaixo do básico em Língua Portuguesa e Matemática. Desenvolver avaliação dos mapas de sondagem: sistema de escrita e produção textual identificando os pontos de estrangulamento em cada ano do ciclo, quantificando o número de alunos que não adquiriram a base alfabética do sistema de escrita, bem como os principais elementos que garantem uma boa produção de texto do ponto de vista metalinguístico: coesão e coerência – sequencia didática. Olhar para as EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM a serem desenvolvidas durante os ANOS INICIAIS em relação ao sistema de escrita e habilidades de fluência e competência leitora e escritora. Redimensionar o trabalho dos professores em relação aos conteúdos propostos dentro do EMAI – Pontuar o trabalho com situações problemas como ponto de partida para o ensino da matemática e por conseguinte o desenvolvimento do raciocínio lógico matemático proficiente. Tematizar junto aos professores conteúdos que os mesmos possam desenvolver com seus alunos nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

7 4.4. Ações da SEE no 2º semestre Avaliações Externas SARESP: As avaliações serão reorganizadas de acordo com as novas expectativas de aprendizagem. - 2º ano: Base alfabética do sistema de escrita; - 3º ano: Fluência e compreensão leitoras com especial atenção às matrizes da PROVA BRASIL - 5º ano: Fluência e compreensão leitoras – com progressão das habilidades e competências. PROVA BRASIL ANA: Avaliação Nacional da Alfabetização

8 5. Atividade 5.1. Leitura individual e silenciosa do texto: 5.2. Leitura compartilhada para estudo do texto Em grupo, levantamento dos principais pontos do texto: » Do que se trata? » O que ele defende? » Como ele defende? Socialização

9 5.3. Encaminhamento: Divisão dos PCs em dois grupos: Eleição de 1 PC observador em cada grupo » Um grupo defenderá posicionamento contrário » O que ele defenderá posicionamento afirmativo » Levantamento dos argumentos pelo grupo » Definição da liderança » Defesa do posicionamento

10 5.4. Atividade: D E B A T E

11 5.5. Registro coletivo dos argumentos: ContráriosFavoráveis

12 DEBATE É uma discussão entre duas ou mais pessoas que queiram apenas colocar suas ideias em questão ou discordar das demais, sempre tentando prevalecer a sua própria opinião ou sendo convencido pelas opiniões opostas. Geralmente são longos, e raramente se chega a alguma conclusão, porém é uma prática muito saudável onde uma pessoa pode ver vários lados de uma mesma questão, desta forma, as pessoas que participam, aprendem concomitantemente sobre algo que uma e a outra não sabiam.

13 5.6. Contextualização: Levando-se em conta o movimento gerado pelo exercício da democracia nas ruas do País, e que a legitimidade de uma ação social se torna eficaz quando o registro além de expressivo socialmente é feito como registro escrito, propomos que deixemos nossa marca explicitada na sociedade escrevendo uma carta que será enviada para o respectivo jornal.

14 8. Resgatando as aprendizagens: Quais expectativas de aprendizagem foram mobilizadas: da leitura compartilhada ao término do debate? Quais contribuições didáticas esta atividade oferece para aprendizagem das crianças Linguagem oralLinguagem escrita

15 9. Quais condições didáticas precisamos garantir do 1º ao 5º ano?

16 Planificação da Carta de Leitor Estrutura que minimamente precisamos garantir dentro da Carta de Leitor Gênero Carta: lembrar a estrutura do gênero – saudação inicial, referência À quem se destina a carta 1º parágrafo Contextualização do leitor/escritor: quem é, onde estuda, referência ao assunto tratado na reportagem/notícia. 2º parágrafo Escolha de um elemento do texto que tenha causado forte impressão: contentamento, discordância e registro da opinião desse foco – escrever sobre uma parte do texto e dizer GOSTEI/NÃO GOSTEI/PORQUE 3º parágrafo Escolha de um segundo elemento/fato para que se possa registrar o fato e opinar – escrever CONCORDO/NÃO CONCORDO - É IMPORTANTE/NÃO É IMPORTANTE PORQUE 4º parágrafo Finalização da carta: parte do registro escrito que poderá conter sugestões/comentário final sobre a importância de estar ciente do assunto – relevância social Término/despedida

17 1º ano2º ano3º ano4º ano5º ano - participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar (como, por exemplo, rodas de conversa, rodas de leitura, rodas de estudo etc.), ouvindo com atenção, formulando perguntas e fazendo comentários sobre o tema tratado; - planejar sua fala, adequando-a a diferentes interlocutores em situações comunicativas do cotidiano escolar (como rodas de conversa, rodas de leitura, rodas de estudo, entre outras.); - participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar (como, por exemplo, situações de exposição oral e rodas em geral), ouvindo com atenção, formulando perguntas, comentando e dando sua opinião, sobre o tema tratado; - planejar sua fala, adequando-a a diferentes interlocutores em situações comunicativas do cotidiano escolar (como situações de exposição oral e rodas em geral) com maior e menor formalidade; - participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar (como, por exemplo, apresentações de trabalhos, participação em seminários, etc.), ouvindo com atenção, formulando e respondendo perguntas, explicando e compreendendo explicações, contribuindo com opiniões e novas informações sobre o assunto tratado; - planejar sua fala, individualmente ou em grupo, adequando-a a diferentes interlocutores em situações comunicativas do cotidiano e mais formais do âmbito escolar (como apresentações de trabalhos, participação em seminários, entre outras.), a partir de anotações feitas com a colaboração dos colegas; - participar de mesas- redondas com apoio do professor, adequando essa participação a diferentes interlocutores em situações comunicativas mais formais do âmbito escolar, planejando sua fala a partir de anotações realizadas coletivamente - participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar tanto menos formais quanto mais formais (como, por exemplo, seminários, mesas- redondas ou outros tipos de apresentação e/ou discussão oral de resultados de estudo etc.): ouvindo com atenção, intervindo sem sair do assunto tratado, formulando e respondendo perguntas, justificando suas respostas, explicando e compreendendo explicações, manifestando e acolhendo opiniões, fazendo colocações que considerem as falas anteriores e contribuam com novas informações sobre o assunto tratado; - planejar sua fala, individualmente ou em grupo, adequando-a a diferentes interlocutores em situações comunicativas mais formais no âmbito escolar tais como seminários, mesas-redondas ou outros tipos de apresentação e/ou discussão oral de resultados de estudo, a partir de anotações feitas com a colaboração dos colegas; - participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar, tanto as menos formais, quanto as mais formais (como seminários, mesas- redondas, apresentações orais de resultados de estudo, debates, entre outros): ouvindo com atenção, intervindo sem sair do assunto tratado, formulando e respondendo perguntas, justificando suas respostas, explicando e compreendendo explicações, manifestando e acolhendo opiniões, argumentando e contra-argumentando; - participar de debates sobre temas da atualidade alimentados por pesquisas próprias em jornais, revistas e outras fontes; - planejar e participar de situações mais formais de uso da linguagem oral no âmbito escolar (como seminários, mesas-redondas, apresentações orais de resultados de estudo, debates, entre outros), sabendo utilizar alguns procedimentos de escrita e recursos para organizar sua exposição; EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM EM RELAÇÃO A ORALIDADE

18 EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM EM RELAÇÃO A LEITURA 1º ano2º ano3º ano4º ano5º ano - Ler por si mesmo textos diversos como placas de identificação, listas, manchetes de jornal, legendas, histórias em quadrinhos, tirinhas, rótulos, entre outros, utilizando-se de índices linguísticos e contextuais para antecipar inferir e validar o que está escrito. - Ler textos – com apoio do professor – para estudar os temas tratados nas diferentes áreas do conhecimento (como, por exemplo, textos de enciclopédias, textos que circulam na internet, publicados em jornais impressos, revistas etc), utilizando procedimentos básicos de estudo. - No processo de leitura, utilizar recursos para compreender ou superar dificuldade de compreensão (como, por exemplo, pedir ajuda aos colegas e ao professor, reler o trecho que provoca dificuldades, continuar a leitura com intenção de que o próprio texto permita resolver as dúvidas ou consultar outras fontes. - Ler, por si mesmo, textos de diferentes gêneros (como, contos, fábulas, mitos, lendas, crônicas, poemas, textos teatrais, da esfera jornalística etc.), apoiando-se em conhecimentos sobre o tema do texto, as características de seu portador, da linguagem própria do gênero e do sistema de escrita. - No processo de leitura, utilizar recursos para compreende ou superar dificuldades de compreensão ( como por exemplo, pedir ajuda aos colegas e ao professor, reler o trecho que provoca dificuldades, continuar a leitura com intenção de que o próprio texto permita resolver as dúvidas ou consultar outras fontes, entre outros procedimentos). - Ler textos para estudar os temas tratados nas diferentes áreas do conhecimento (como por exemplo, textos de enciclopédias, textos que circulam na internet, publicados em jornais impressos, revistas, etc.), em parceria ou individualmente; - utilizar – no processo de ler para estudar ou de informar-se para produzir novos textos – procedimentos como: copiar a informação que interessa, grifar trechos, fazer anotações, organizar esquemas que sintetizem as ideias mais importantes do texto e as relações entre elas etc;

19 Expectativas de aprendizagem em relação à produção de texto: 1º ano2º ano3º ano4º ano5º ano - produzir textos de autoria coletivamente (bilhetes, cartas, verbetes de curiosidades) e completar histórias cujo final se desconhece, ditando para o professor ou colegas ou escrevendo de próprio punho; - produzir textos de autoria (bilhetes, cartas, textos instrucionais, verbetes de curiosidades) e completar histórias cujo final se desconhece, coletivamente ou de forma independente, ditando para o professor ou colegas ou escrevendo de próprio punho; - produzir textos de autoria, (cartas e postais; indicações literárias; relatos de experiência vivida ou ficcionalizada; folhetos de divulgação de temas transversais estudados em classe; diários pessoais, da classe, de leitura ou diários de viagem reais ou ficcionais) e completar histórias cujo final se desconhece, com apoio do professor, em parceria ou de forma independente, escrevendo de próprio punho e utilizando recursos da linguagem escrita; - produzir textos de autoria em parceria ou de forma independente (cartas de leitor; indicações literárias; relatos de experiência vivida ou ficcionalizada; textos expositivos sobre temas estudados em classe; diários pessoais, da classe, de leitura ou diários de viagem reais ou ficcionais), escrevendo de próprio punho, utilizando recursos da linguagem escrita e do registro adequado ao texto (jornalístico, acadêmico-escolar, literário, etc); - produzir textos de autoria em parceria ou de forma independente (cartas de leitor; indicações literárias; textos expositivos sobre temas estudados em classe; textos da esfera jornalística dentro de projetos de produção de jornais – murais ou impressos), utilizando recursos da linguagem escrita e o registro adequado ao texto (jornalístico, literário, acadêmico-escolar, etc);

20 1º Semestre 2º Semestre Ponto de partida Diagnóstico Avaliação Língua Portuguesa Currículo DESAFIO Matemática Acompanhamento Expectativas Planejamento

21 Para lidar com as crianças precisamos entrar em seu mundo!!!! Ensinar e aprender poderá ser uma grande Arte

22 Um professor, uma estrela e os sonhos...

23 Que no próximo semestre, possamos resgatar todas as estrelinhas perdidas, escondidas esperando por encontrar uma mão que as acolham!!!! Boas Férias!!!


Carregar ppt "DIRETORIA DE ENSINO- NORTE 2 Replanejamento 2013 O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google