A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Relação Treinador-Atleta: O Coaching e o desenvolvimento pessoal Sidónio Serpa Seminário Internacional de Psicologia do Desporto Florianóplolis, 1-3, Junho,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Relação Treinador-Atleta: O Coaching e o desenvolvimento pessoal Sidónio Serpa Seminário Internacional de Psicologia do Desporto Florianóplolis, 1-3, Junho,"— Transcrição da apresentação:

1 Relação Treinador-Atleta: O Coaching e o desenvolvimento pessoal Sidónio Serpa Seminário Internacional de Psicologia do Desporto Florianóplolis, 1-3, Junho, 2010

2 ESTRUTURA DA CONFERÊNCIA  Conceitos e modelos  A complexidade da relação treinador-atleta: variáveis dos atletas, treinadores & situationais  Coaching: uma abordagem desenvolvimental  Coaching: do desporto às empresas  Conclusões

3 ORIGEM DA INVESTIGAÇÃO SOBRE A RELAÇÃO TREINADOR-ATLETA Teoria do Grande Homem Teorias do Comportam. Ideal Liderança Organizacional Teorias Contingenciais LÍDER SUBORDINADOSSITUAÇÃO Chelladurai, 1978: MODELO MULTIDIMENSIONAL DE LIDERANÇA NO DESPORTO

4 MODELO MULTIDIMENSIONAL DE LIDERANÇA NO DESPORT0 Adaptado de Chelladurai, 2007 CARACTERÍSTICAS SITUACIONAIS CARACTERÍSTICAS DOS ATLETAS COMPORTAMENTO REQUERIDO COMPORTAMENTO REAL COMPORTAMENTO PREFERIDO CARACTERÍSTICAS DO TREINADOR SATISFAÇÃO DOS ATLETAS DESEMPENHO INDIVIDUAL & DA EQUIPA ANTECEDENTES COMPORTAM. DO LEADER CONSEQUÊNCIAS LIDERANÇATRANSFORMACIONALLIDERANÇATRANSFORMACIONAL

5 LEADERANÇA & CONCEITOS-CHAVE •Tem lugar a nível individual, grupal e organizacional •É um processo comportamental •É interpessoal (implica interacção humana) •Está relacionada com o desempenho Riemer, 2007

6 ESPECIFICIDADE DA RELAÇÃO TREINADOR-ATLETA OBJECTIVO DESPORTIVO COMUM A AMBOS OS ACTORES RESULTA DA COOPERAÇÃO ENTRE ELES ALCANÇADO PELO DESEMPENHO DOS ATLETAS

7 A COMPLEXIDADE DA RELAÇÃO TREINADOR-ATLETA

8 ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DOS ATLETAS CARACTERÍSTICAS DOS ATLETAS ANTECEDENTESCOMPORTAM. DO LEADER CONSEQUÊNCIAS

9 QUESTÃO •Como evolui a relação T-A durante a carreira, considerando as modificações dos atletas?

10 FASES DA CARREIRA INICIAÇÃO DESENVOLVIMENTO ESPECIALIZAÇÃO PRÉ-APOSENTAÇÃO

11 •NATAÇÃO –N = 157 (M:93;F:64) –Idade: –Fase: 2ª, 3ª, 4ª “aposentado”: 27% INVESTIGAÇÃO SOBRE RELAÇÃO T-A DURANTE A CARREIRA DOS ATLETAS •TRAMPOLIM – N= 322 (M:150;F:182) –Idade: –Fase : 2ª, 3ª, 4ª “aposentado”: 12%

12 - CONCLUSÕES GERAIS: •A relação é dinâmica ao longo da carreira do atleta •Características relacionais: –De orientação para o afecto até orientação para a tarefa –Poder: de centrada no treinador até equilíbrio entre ambos –Afecto: geralmente amigável –Baixo nível de conflitos (tipicamente problemas relacionais or exigências exageradas nas tarefas de treino) INVESTIGAÇÃO SOBRE RELAÇÃO T-A DURANTE A CARREIRA DOS ATLETAS

13 ANTECEDENTES COMPORTAMENTO DO LÍDER CONSEQUÊNCIAS CARACTERÍSTICAS DO TREINADOR ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DOS TREINADORES

14 QUESTÃO •De que modo as características dos treinadores afectam as emoções dos atletas?

15 Investigação sobre os Comportamentos Ansiogénicos dos Treinadores INVENTÁRIO DE COMPORTAMENTOS ANSIOGÉNICOS DO TREINADOR – ICAT (Serpa, 1995 ) •27 itens •Escala Likert de 4 pontos •4 dimensões: ANTAGONISMOCOMUNICAÇÃODECISÃOTENSÃO

16 - RESULTADOS •Dimensões mais ansiogénicas : –comunicação –decisão •Género dos atletas: –Masculino: valores superiores •Nível de competição –Tendência para aumentar nos níveis superiores Investigação sobre os Comportamentos Ansiogénicos dos Treinadores

17 •Relação com as variáveis do treinador: –Correlação Positivo com as dimensões da ELD: •Autocrático –Correlação Negativa com as dimensões da ELD : •Instrução •Reforço Positivo •Suporte Social •Democrático - RESULTADOS Investigação sobre os Comportamentos Ansiogénicos dos Treinadores

18 Investigação sobre os Comportamentos Ansiogénicos dos Treinadores IMPACTO DOS COMPORTAMENTOS DOS TREINADORES NA ANSIEDADE DOS ATLETAS -CONCLUSÕES GERAIS •Alguns comportamentos dos treinadores perturbam emocionalmente os seus atletas •Os comportamentos ansiogénicos relacionam-se com os estilos de liderança

19 CARACTERÍSTICAS SITUACIONAIS ANTECEDENTES COMPORTAMENTOS DO LÍDER CONSEQUÊNCIAS ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS SITUACIONAIS

20 QUESTÃO •De que modo as variáveis sócio- culturais influenciam a relação T-A?

21 INVESTIGAÇÃO SOBRE A LIDERANÇA DOS TREINADORES em diferentes culturas •Escala de Liderança no Desporto – ELD (Chelladurai, 1978) –Dimensões: •Reforço Positivo; Treino-Instrução; Suporte Social; Autocrático; Democrático –Versões: •Percepção do atleta •Preferência do atleta •Auto-Percepção do treinador

22 LIDERANÇA EM DIFERENTES SOCIEDADES Ginástica Rítmica Desportiva •Países: –Euro-Latinos (Espanha, França, Portugal) –Ex-URSS (Bielorússia, Estónia, Eslovénia, Geórgia, Casaquistão, Lituania, Rússia) –Anglo-Saxónicos (Austrália, Canadá, Grã- Bretanha) –Asiáticos (China) –Outros (Bélgica, Brail, Cabo Verde, África do Sul) •Participantes: 47 treinadores, 172 ginastas

23 LIDERANÇA EM DIFERENTES SOCIEDADES Ginástica Rítmica Desportiva CONCLUSÕES –Diferentes Sociedades associam-se a diferentes estilos de liderança; –As discrepâncias entre auto- percepção dos treinadores e percepção dos atletas diferem segundo as Sociedades –As discrepâncias entre preferências e percepção dos atletas diferem segundo as Sociedades CARÁCTER SITUACIONAL DA LIDERANÇA

24 QUESTÃO •Percepções de treinadores e atletas em contexto Olímpico: Existe consonância?

25 Reacções dos atletas à participação Olímpica : Percepções de atletas e treinadores •Participantes Portugueses nos J.O. de Sydney –39 atletas –16 treinadores •Entrevistas •Questionários

26 Percepção dos Constrangimentos durante a participação olímpica •Percepções comuns a atletas e treinadores : –Focus social nos atletas –Factores de competição –Contexto e atmosfera olímpica –Expectativas –Tipo e nível da preparação específica

27 •Mencionado apenas pelos atletas: –Emoções dos atletas relacionadas com a participação olímpica –O significado dos Jogos Olímpicos Percepção dos Constrangimentos durante a participação olímpica

28 Estratégias de coping relativas à participação Olímpica •Percepções comuns a atletas e treinadores : –Suporte Social (família, amigos...) –Controlo de factores externos –Preparação psicológica específica (antecipação, skills de auto- regulação...)

29 •Mencionado apenas pelos atletas: –Rotinas de treino –Pensamentos racionais –Atitudes positivas Estratégias de coping relativas à participação Olímpica

30 •Atletas e treinadores realizam percepções comuns sobre a reacção dos atletas à participação Olímpica; •Importantes aspectos fenomenológicos e instrumentais apenas são mencionados pelos atletas; •Os treinadores devem dar importância ao que se refere ao “atleta interior” e às oportunidades de comunicação. Reacções dos atletas à participação Olímpica : Percepções de atletas e treinadores CONCLUSÕES

31 COACHING UMA ABORDAGEM DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL

32

33 PROCESSO RELACIONAL DO TREINO (concepção unidireccional) TREINADOR ATLETA Conhecimentos Análise Capacidades desportivas Concepção Execução Emissão Recepção Sidónio Serpa

34 PROCESSO RELACIONAL DO TREINO (concepção interactiva) TREINADORATLETA Sidónio Serpa Conhecimentos Experiência Análise Decisão Concepção Planeamento Execução Avaliação PROCESSO DESPORTIVO = SISTEMA COLECTIVO

35 COACHING Processo de optimização do potencial do sujeito, promovendo a tomada de consciência das suas características e da relação com as situações, bem como a auto-responsabilização (Stelter, 2004) COACH (desporto) MANAGER (business/ /empresas)

36 ATLETA & TRABALHADOR DE RECURSO HUMANO A SER HUMANO COM RECURSOS PESSOAIS PARA ESTIMULAR

37 PRINCÍPIOS ATENTO À REALIDADE •Focus nas capacidades dos subordinados •Identificar o objectivo de sonho •Identificação do focus atencional (awareness) •Promover a auto-estima e a auto-confiança •Team building •Promover a performance optimizando o desempenho individual/grupal •Fomentar a motivação intrínseca •Co-participação no estabelecimento de objectivos •Promover a autonomia •Trabalho em equipa RESPONSABILIDADE Adaptado de Whitmore, 2002 DO COACHING

38 Jornal“A Bola”, Julho/05 Inglaterra: “Mourinho sabe de gestão” - Votado o melhor especialista em Gestão de Pessoal - Seminário organizado em Stamford Bridge: 120 presidentes e chefes-executivos de grandes empresas - Outros professionais votados: - Richard Branson, Virgin Air Lines (Marketing) - Lord Hanson, dono de todo o grande Hampton (melhor negociador em fusão e aquisição de empresas)

39 TREINADORES DESPORTIVOS BUSINESS COACHING & LIVROS

40 Da Relação Treinador-atleta ao Business Coaching RELAÇÃO TREINADOR-ATLETA LIDERANÇA ORGANIZACIONAL TREINO DESPORTIVO (SPORTS COACHING) BUSINESS COACHING Em conclusão...

41 RELAÇÃO TREIN.-ATLETA Manager-Subordinado ENVOLVIMENTO TAREFA ATLETA Subordinado TREINADOR Manager Em conclusão... ESTIMULAR O POTENCIAL PELO DESENVOLVIMENTO PESSOAL

42 O POTENCIAL DE UM ATLETA

43 MUITO OBRIGADO PELA VOSSA AMÁVEL ATENÇÃO !


Carregar ppt "Relação Treinador-Atleta: O Coaching e o desenvolvimento pessoal Sidónio Serpa Seminário Internacional de Psicologia do Desporto Florianóplolis, 1-3, Junho,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google