A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BASES OPERACIONAIS, FUNDAMENTOS E CRITÉRIOS DO PROGRAMA Leitura Coletiva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BASES OPERACIONAIS, FUNDAMENTOS E CRITÉRIOS DO PROGRAMA Leitura Coletiva."— Transcrição da apresentação:

1 BASES OPERACIONAIS, FUNDAMENTOS E CRITÉRIOS DO PROGRAMA Leitura Coletiva

2 Quem pode enviar projeto? -Escolas públicas de ensino fundamental -Escolas que possuam CNPJ -Escolas que participaram da Oficina de Elaboração de Projetos Quem pode enviar projeto? -Escolas públicas de ensino fundamental -Escolas que possuam CNPJ -Escolas que participaram da Oficina de Elaboração de Projetos Período de desenvolvimento do projeto: 18 meses (fevereiro de 2015 a agosto de 2016) Valor de aporte do Instituto Arcor – Até R$ ,00 Período de desenvolvimento do projeto: 18 meses (fevereiro de 2015 a agosto de 2016) Valor de aporte do Instituto Arcor – Até R$ ,00

3 Elaboração de projetos

4 Céu

5 Identificação

6

7 Céu Identificação Contexto

8

9

10

11 PERGUNTAS ORIENTADORAS – SITUAÇÃO PROBLEMA a - especifique a faixa etária; b - onde brincam (sala de aula, recreio, pátio, quadra, entrada/saída, outros espaços); c - quando brincam; d - com o que brincam - brinquedos, objetos ou elementos da natureza? E – com quem brincam – amigos, pais, avós? meninos; meninas (especificando as diferentes idades).

12 PERGUNTAS ORIENTADORAS – SITUAÇÃO PROBLEMA a - o corpo, gestos, movimentos; b - o raciocínio; c - cooperação e/ou competição; d - artes, música e - outros (especifique). o que impede as crianças de brincarem na escola? propõem brincadeiras? Brinca com seus alunos? Em que situações?

13 PERGUNTAS ORIENTADORAS – SITUAÇÃO PROBLEMA para as crianças contarem, através de um desenho e uma breve narrativa, quais suas brincadeiras preferidas, os lugares onde preferem brincar e com quem; para as crianças desenharem e descreverem, em um breve relato, onde, quando e do quê gostariam de brincar dentro da escola.

14 Após o levantamento dos dados, para contextualizá-los, utilize as experiências prévias que foram desenvolvidas/vivenciadas pela equipe ou por outras pessoas e pesquisas sobre legislações, dados demográficos, conceitos abordados por especialistas no tema, entre outros. Essas informações estão disponíveis em sites, revistas e órgãos públicos. O diagnóstico de uma situação integrará um conjunto de conhecimentos e experiências precedentes que orientam a leitura do problema e as possíveis formas de abordá-lo. DIAGNÓSTICO As descrições que fazem parte de um diagnóstico sempre incluem um recorte do contexto no qual propomos a intervenção, por isso, selecione informações relevantes para explicar a situação problema que se deseja abordar. É importante não limitar o olhar a uma perspectiva particular, buscando caracterizar situações ou atitudes das pessoas, mais do que descrever diretamente as pessoas. Também é importante uma abordagem equilibrada, sem exageros, mostrando os fatos mais significativos, positivos e negativos.

15 DIAGNÓSTICO É importante responder às questões: Por que e para que executar o projeto? Estas respostas serão baseadas no diagnóstico realizado. Ressalte os seguintes aspectos: A situação problema a ser enfrentada, suas dimensões (causas e consequências) e públicos atingidos; A relevância do projeto: o impacto previsto (as transformações positivas esperadas); A área geográfica em que o projeto se insere; e As principais características da população local (demográficas, socioeconômicas, sociopolíticas, ambientais, culturais e comportamentais).

16 DIAGNÓSTICO Para apresentar claramente uma descrição das características das brincadeiras e das formas de brincar na escola, com seus alunos e com a comunidade, é útil que primeiro seja feita uma lista com os dados que observamos, pois isto evita esquecer alguma informação relevante. Depois de elaborada essa lista, pode-se redigir essas observações em forma de texto, como mostra o seguinte exemplo:

17 Lista de observações:Texto:  Algumas crianças do bairro jogam futebol em um terreno baldio.  Outras crianças se reúnem em uma casa em construção. Eles correm sobre o alicerce da obra.  Algumas meninas brincam de casinha com materiais descartáveis.  Há uma gincana no bairro que é realizada 1 vez ao ano.  A escola promove um passeio a um parque local 1 vez ao ano No Bairro das Flores, as crianças se reúnem em diferentes espaços para brincar de forma espontânea, se entretêm jogando futebol, subindo em árvores, correndo corridas com obstáculos. Algumas meninas constroem casinhas com materiais descartáveis, como caixas de comestíveis. Por outro lado, é realizada uma vez ao ano uma gincana no bairro e a escola promove um passeio ao parque local todo ano.

18 Céu Identificação Contexto Público

19

20

21 Céu Identificação Contexto Público Como

22

23 Objetivo geral: Promover o desenvolvimento integral das crianças do Bairro das Flores por meio do resgate cultural das brincadeiras, bem como realização de gincanas comunitárias. Objetivos específicosAtividadesResultados Esperados Observar como os meninos e as meninas utilizam os espaços comunitários em suas brincadeiras. Entrevistar crianças e famílias para obter informação. Observar os momentos de brincadeiras que acontecem nos espaços comunitários. Desenhar um mapa que represente os espaços destinados para as brincadeiras e as atividades que as crianças realizam. - Entrevistas realizadas; - Registro das informações coletadas;

24 Objetivo geral: Promover o desenvolvimento integral das crianças do Bairro das Flores por meio do resgate cultural das brincadeiras, bem como gincanas comunitárias. Objetivos específicosAtividadesResultado Esperado Realizar uma pesquisa com os moradores do bairro para que descrevam uma brincadeira de sua época. -Realização de visitas às famílias do bairro, prioritariamente aquelas que possuam pessoas idosas; -Registrar as brincadeiras através de desenho, bem como a forma de brincar; -Apresentação das brincadeiras para a escola, convidando a pessoa que ensinou a brincadeira; - Registro de brincadeiras dos moradores do bairro das Flores, pelos alunos da escola local, em forma de apostila; - Comunidade fazendo parte do projeto. - Crianças do bairro com novas opções de brincadeiras.

25 Objetivo geral: Promover o desenvolvimento integral das crianças do Bairro das Flores por meio do resgate cultural das brincadeiras, bem como gincanas comunitárias. Objetivos específicosAtividades Resultado Promover um desenvolvimento diversificado de atividades que estimulem à vida ativa, por meio da realização de gincanas comunitárias planejadas de acordo com as idades e os interesses das crianças. -Planejar brincadeiras segundo as idades, que incluam a participação de meninas e meninos. -Organizar o papel dos adultos nas gincanas; -Realizar uma caminhada nas ruas do bairro, para que convidem outras pessoas para as gincanas. -Realizar uma visita ao Parque Ecológico Local -Realização de 2 gincanas durante o ano de Realização de 2 caminhadas pelo bairro. -Visita externa realizada.

26 Céu Identificação Contexto Público ComoExecuçã o

27

28 Céu Identificação Contexto Público ComoExecuçã o Articulação

29

30 Céu Identificação Contexto Públlico ComoExecuçã o Articulação Cronograma

31

32 Céu Identificação Contexto Público ComoExecuçã o Articulação Cronograma Orçamento

33 ORÇAMENTO L evantamento de todos os custos que envolvem o projeto no período proposto; Identificação de quais rubricas de despesas são aceitas pelo financiador, conforme o edital de seleção e o limite de recursos disponibilizados; O excedente ou rubricas não aceitas são contrapartidas, que podem ser recursos próprios (ex.: sala, equipamentos existentes, etc), recursos de terceiros – outros parceiros ou a própria comunidade (ex.: palestrante, máquinas, materiais etc). As despesas apresentadas no orçamento devem contemplar estritamente as ações descritas no projeto. Em casos que aporte financeiro seja feito em parcelas deve-se adequar o orçamento de acordo com os repasses previstos, de forma a não comprometer a realização das ações.

34 ORÇAMENTO Ao fazer a pesquisa de preços evite valores que estejam em oferta, pois a aprovação do projeto pode demorar e os preços retornarão ao valor original. Durante a execução do projeto, havendo economia de recursos, por conta descontos ou doações de terceiros, o recurso pode ser remanejado para outras despesas do projeto, com a autorização do Instituto Arcor Brasil. Cada financiador tem um formulário de orçamento de acordo com seus sistemas internos de controle, respeite o formulário proposto e preste o maior número possíveis de informações que possam auxiliar os avaliadores do projeto a perceberem a clareza e a lógica dos custos apresentados.

35 SUSTENTABILIDADE Faz-se necessária a adoção de estratégias para geração de recursos, não somente financeiros, mas também humanos, uma vez que os financiadores não apoiarão o projeto indefinidamente. É interessante que todo projeto tenha a perspectiva de atingir a auto sustentabilidade, até o fim do prazo do projeto. Neste sentido deve-se descrever com que meios e de que forma a organização e a comunidade envolvida planejam continuar as atividades após o término dos recursos.

36 Céu Identificação Contexto Público ComoExecuçã o Articulação Cronograma Orçamento Resumo

37

38 Céu Identificação Contexto Público ComoExecuçã o Cronograma Articulação Orçamento Resumo Enviar o projeto

39 Acesse o site 1)Baixar o formulário em Word 2)Preencher 3)Enviar Como enviar o projeto? PRAZO FINAL 31 de outubro de

40 Agenda Reunião com supervisoras/coordenadoras das secretarias da educação 12 de agosto de 2014 Inscrição para a Oficina de Elaboração de Projetos18 de agosto a 5 de setembro de 2014 Oficina de Elaboração de Projetos16, 17 e 18 de setembro Envio dos Projetos31 de outubro de 2014 Pré-seleção dos projetos1ª. Quinzena de novembro Comunicação oficial aos projetos selecionados (se necessário, ajuste aos projetos selecionados) 2ª. Quinzena de novembro Recepção da versão final dos projetos pré- selecionados. 1ª. Quinzena de dezembro Assinatura dos ConvêniosFevereiro de 2015 Desenvolvimento e Acompanhamento dos ProjetosFevereiro/2015 a Agosto/2016

41 Instituto Arcor Brasil Rua Olimpíadas, 205 – 16º andar – Vila Olímpia São Paulo – SP Luiz Otávio A. Machado Técnico Local Fone: (81) Milena Porrelli Drigo Azal Coordenadora de Programas Socioeducativos Contatos


Carregar ppt "BASES OPERACIONAIS, FUNDAMENTOS E CRITÉRIOS DO PROGRAMA Leitura Coletiva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google