A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I Seminário Dengue: desafios para Políticas Integradas de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde 23 a 25 e novembro de 2009 ENSP – Rio de Janeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I Seminário Dengue: desafios para Políticas Integradas de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde 23 a 25 e novembro de 2009 ENSP – Rio de Janeiro."— Transcrição da apresentação:

1 I Seminário Dengue: desafios para Políticas Integradas de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde 23 a 25 e novembro de 2009 ENSP – Rio de Janeiro

2 PONTO DE PARTIDA Projeto PEA no Estado do Rio de Janeiro controle da dengue -final da década de 90 Características do projeto: Promoção da Saúde (ênfase na educação, interdisciplinaridade, intersetorialidade, parcerias, participação popular) Resultados da avaliação apresentados na XVII Conferência Mundial de Promoção da Saúde e Educação para a Saúde – Paris, 2001

3 Educação Popular NÃO é Mero trabalho com ou para a população Simples fato de utilizar certos recursos e técnicas: audiovisual, dinâmicas, cantorias Processo verticalizado de transmissão de conhecimentos Relação tradicional Educando x Educador = detentor e transmissor do conhecimento Conjunto de velhas práticas com um novo rótulo

4 Educação Popular: o que É Processo dialógico Construção coletiva de conhecimento – respeito pela sabedoria popular Reflexão crítica da realidade - Freire Aprofundamento do conhecimento sobre a prática, com vistas à transformação social. Valorização da cultura popular e a elevação dessa cultura a um patamar mais crítico, científico e filosófico – Gramsci - Papel do educador (cont)

5 Processo essencialmente político e intencional compromisso de classe Pedagogia do conflito e problematizadora: capital, trabalho, classes antagônicas Visão funcionalista de sociedade X visão histórica (lutas) Vincula-se à ação organizada do povo, das massas visa à libertação, à autonomia desses sujeitos sociais, e a construir uma sociedade de acordo com seus interesses – Hurtado. (cont)

6 (cont) Teoria a partir da prática e não sobre a prática – relação dialética. Consciência crítica ao lado da consciência solidária = solidariedade de classe, que se torna prática transformadora - Hurtado Ligação entre metodologia coerente (dialética) e objetivos de transformação social – ação-reflexão-ação - que permita compreender a realidade com novos olhos, a ter vontade política, a ser sujeito transformador

7 ANEPS Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular e Saúde Missão –Articulação –Visibilidade –Formação e pesquisa –Divulgação e fortalecimento da Educação Popular –Contribuição para políticas de Educação Popular – fortalecimento do SUS

8 ANEPS Movimento que expressa as diferentes forças sociais interessadas na transformação das políticas de atenção à saúde, da gestão e da educação em saúde, associadas a intervenções sobre as estruturas e os processos sociais determinantes das doenças do povo brasileiro

9 O papel histórico da ANEPS, criada em 2003, consiste em possibilitar, pela interação entre os diversos movimentos e práticas de educação popular e saúde, a emergência dos novos saberes sobre a saúde das populações

10 Movimentos Participantes Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais (CONTAG); Direção Nacional dos Estudantes de Medicina (DENEM); Projeto Saúde e Alegria/Grupo de Trabalho da Amazônia (GTA); Movimento das Mulheres Trabalhadoras Rurais (MMTR); Movimento de Reintegração de Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN); Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST- Coletivo de saúde); Movimento Popular de Saúde (MOPS); Rede de Educação Popular e Saúde; Movimentos de menor visibilidade.

11 Objetivos Objetivo: Reconhecer a amplitude e a diversidade de experiências organizadas em movimentos e práticas que, historicamente, não têm alcançado um grau de institucionalização e de legitimidade junto ao Sistema Único de Saúde

12 ANEPS-RJ Articulação Oficinas municipais e regionais – 2005, 2007, 2008, 2009 Encontros estaduais: divulgação e consolidação das questões discutidas nas oficinas locais. Participação em eventos Tenda Paulo Freire Avaliação/Sistematização

13 Atividades Oficinas regionais: Quissamã, Areal, Paracambi, Duque de Caxias, Rio de Janeiro (Palmeira da Serra/Mendes) Participação no Encontro Nacional da ANAPS Discussões para a Política de Educação Popular Oficinas com movimentos sociais

14 Educação Popular e controle da dengue Experiências do Estado, apenas: pouco resultado Educação Popular: novas perspectivas Exemplos: Recife, Aracaju (sujeitos às condições conjunturais)

15 Reflexões finais Existência de forma diferente de enfrentar o problema da dengue Importância da participação popular, da reflexão crítica, do comprometimento político, de repensar novas estratégias. Necessidade de avançar em algumas dimensões: Visibilidade, articulação e teorização sobre a prática, avaliação, sistematização das ações.

16 Pergunta que não quer calar Será que quando afirmamos estar fazendo Educação Popular, estamos realmente fazendo o que afirmamos?


Carregar ppt "I Seminário Dengue: desafios para Políticas Integradas de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde 23 a 25 e novembro de 2009 ENSP – Rio de Janeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google