A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Abordagem da criança com Doença Renal (CRM) O que se percebe diante de uma criança com doença renal ? O que se percebe diante de uma criança com doença.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Abordagem da criança com Doença Renal (CRM) O que se percebe diante de uma criança com doença renal ? O que se percebe diante de uma criança com doença."— Transcrição da apresentação:

1 Abordagem da criança com Doença Renal (CRM) O que se percebe diante de uma criança com doença renal ? O que se percebe diante de uma criança com doença renal ? Subdiagnóstico : SHU, Edema de pulmão, hipertensão, ITUs Subdiagnóstico : SHU, Edema de pulmão, hipertensão, ITUs Avaliações de anemia Avaliações de anemia Curvas de crescimento Curvas de crescimento Exames simples Exames simples

2 Idade e Doença Renal ( Feto) Hidronefrose Hidronefrose Agenesias Agenesias Obstruções Obstruções Oligoâmnios Oligoâmnios

3 Idade e Doença Renal (Rns) Dificilmente se detecta uma IR ao nascimento Dificilmente se detecta uma IR ao nascimento Síndrome nefrótica congênita : Rns edemaciados e alta relação placenta/peso corpóreo Síndrome nefrótica congênita : Rns edemaciados e alta relação placenta/peso corpóreo Rins policísticos Rins policísticos Alterações urológicas Alterações urológicas Imaturidade glomerular e tubular de pretermos e predisposições Imaturidade glomerular e tubular de pretermos e predisposições Trombose de veia renal Trombose de veia renal ITU ITU

4 Idade e Doença Renal (criança) Senso investigativo Senso investigativo Apresentação das ITUs Apresentação das ITUs Insuficiência renal crônica e Insuficiência respiratória Insuficiência renal crônica e Insuficiência respiratória Baixo crescimento Baixo crescimento Adolescente com dificuldade de seguir a terapêutica Adolescente com dificuldade de seguir a terapêutica

5 Circunstâncias Sociais e Econômicas Em países desenvolvidos há 1 a 2 nefrologistas pediátricos para cada milhão de pessoas Em países desenvolvidos há 1 a 2 nefrologistas pediátricos para cada milhão de pessoas Em países pobres : O PIB é baixo, o acesso é difícil, os serviços são escassos e os tratamentos são caros Em países pobres : O PIB é baixo, o acesso é difícil, os serviços são escassos e os tratamentos são caros As crianças competem com os adultos por recursos limitados As crianças competem com os adultos por recursos limitados Muitos morrem de diarréia e DPC Muitos morrem de diarréia e DPC A DPC facilita as infecções, as glomerulonefrites, piora as síndromes nefróticas e piora o crescimento dos renais crônicos A DPC facilita as infecções, as glomerulonefrites, piora as síndromes nefróticas e piora o crescimento dos renais crônicos

6 Como normalmente se apresenta uma criança com problema renal? Hematúrias Hematúrias Urinas turvas Urinas turvas Disúria Disúria Pedras Pedras Oligoanúria Oligoanúria Poliúria Poliúria Incontinência e enurese Incontinência e enurese Alterações de fluxo urinário Alterações de fluxo urinário Freqüência e disúria Freqüência e disúria

7 Cuidado com desidratação ! É motivo isolado de IRA É motivo isolado de IRA Sua abordagem inadequada leva a danos e confusão diagnóstica Sua abordagem inadequada leva a danos e confusão diagnóstica A dosagem eletrolítica é muito importante A dosagem eletrolítica é muito importante Cuidado com soluções hipotônicas Cuidado com soluções hipotônicas Surgimento de edema !! IRA ? SHU ? Surgimento de edema !! IRA ? SHU ?

8 Apresentações Assintomáticas USG antenatal USG antenatal Exame neonatal de rotina : palpação, ânus e genitália Exame neonatal de rotina : palpação, ânus e genitália Screening ? Screening ? Estudo familiar diante de problemas dominantes ou ligados ao X Estudo familiar diante de problemas dominantes ou ligados ao X Avaliação bioquímica de rotina Avaliação bioquímica de rotina

9 História familiar Os fatores genéticos são muito importantes Os fatores genéticos são muito importantes Fazer a árvore familiar Fazer a árvore familiar Pesquisar consangüinidade Pesquisar consangüinidade Alterações ligadas ao X, acometem homens. Mortes masculinas? Diabetes nefrogênico? Alport? Alterações ligadas ao X, acometem homens. Mortes masculinas? Diabetes nefrogênico? Alport? Etiologia do RVU Etiologia do RVU

10 História Obstétrica Dilatações Dilatações Oligoâmnios Oligoâmnios Placenta pesada em + de 25% do peso do RN Placenta pesada em + de 25% do peso do RN

11 Exame Físico Choque? Choque? Grau de ventilação Grau de ventilação Dor? Dor? Anemia? Anemia? Baixo crescimento ? Baixo crescimento ? Deformidade esquelética? Deformidade esquelética?

12 Exame Físico Pulso, PA Pulso, PA Precórdio : Cardiomegalia ? Precórdio : Cardiomegalia ? Respiratório : respiração acidótica? creptos ? Respiratório : respiração acidótica? creptos ? Pele : rash, manchas café com leite, dentição Pele : rash, manchas café com leite, dentição Abdome : ascite, massas, musculatura, hepatoesplenomegalia, bexigoma, genitália Abdome : ascite, massas, musculatura, hepatoesplenomegalia, bexigoma, genitália Sistema Nervoso: distúrbios metabólicos levam a convulsões, assim como hipertensão e uremia Sistema Nervoso: distúrbios metabólicos levam a convulsões, assim como hipertensão e uremia Olhos, ouvidos, ossos e articulações Olhos, ouvidos, ossos e articulações

13 Exame de Urina Dipstick : sangue, proteína, glicose, ph Dipstick : sangue, proteína, glicose, ph Urina tipo 1: ph, densidade, glicose, proteína + sedimentoscopia (leucócitos, hemáceas) Urina tipo 1: ph, densidade, glicose, proteína + sedimentoscopia (leucócitos, hemáceas)

14 Proteinúria Persistente ou intermitente ? Persistente ou intermitente ? Glomerular (albumina) ou tubular (RBP ou beta 2)? Glomerular (albumina) ou tubular (RBP ou beta 2)? USG normal ou alterada ? USG normal ou alterada ? Hematúria presente (fazer biópsia) ou ausente (obs) Hematúria presente (fazer biópsia) ou ausente (obs) Síndrome nefrótica presente (corticóide) ou ausente (obs) Síndrome nefrótica presente (corticóide) ou ausente (obs) Corticóide responsiva (LHM) ou não responsiva (biópsia) Corticóide responsiva (LHM) ou não responsiva (biópsia)

15 Urocultura Método de coleta Método de coleta Punção supra-púbica (qualquer crescimento) Punção supra-púbica (qualquer crescimento) Sondagem vesical (> de 1000 col) Sondagem vesical (> de 1000 col) Saco coletor ( > col) Saco coletor ( > col)


Carregar ppt "Abordagem da criança com Doença Renal (CRM) O que se percebe diante de uma criança com doença renal ? O que se percebe diante de uma criança com doença."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google