A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mensuração e diferenciação de fluxos de conhecimento e informação em APLs brasileiros Rio de Janeiro, 20 e 21 de Maio de 2004 Márcia Rapini (UFMG/UFRJ)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mensuração e diferenciação de fluxos de conhecimento e informação em APLs brasileiros Rio de Janeiro, 20 e 21 de Maio de 2004 Márcia Rapini (UFMG/UFRJ)"— Transcrição da apresentação:

1 Mensuração e diferenciação de fluxos de conhecimento e informação em APLs brasileiros Rio de Janeiro, 20 e 21 de Maio de 2004 Márcia Rapini (UFMG/UFRJ) José E Cassiolato (UFRJ) Renato Campos (UFSC) Jorge Britto (UFF) Seminário Mercosul Aprendizado, Capacitação e Cooperação em Arranjos Produtivos e Inovativos Locais de MPE´s: Implicações para políticas

2 Arranjos Produtivos Pesquisados: 1) Metal-mecânico no Espírito Santo 2) Coureiro-calçadista em Campina Grande (PB) 3) Coureiro-calçadista no Vale dos Sinos (RS) 4) Rochas ornamentais no Rio de Janeiro, região de Santo Antônio de Pádua. 5) Rochas ornamentais no Espírito Santo 6) Têxtil-vestuário no Vale do Itajaí (SC)

3 colas o Arranjos Produtivos Pesquisados: Localização

4 APLs Pesquisados Número total de empresas e número de empresas entrevistadas APL Empresas Entrevistadas (A) Total de Empresas (B) (A)/(B) % Têxtil/Vestuário/SC ,6 Metal-Mecânico/ES Rochas Ornamentais/ES ,4 Rochas Ornamentais/RJ ,5 Coureiro-Calçadista/RS215004,2 Coureiro-Calçadista/PB2140*52,5 Total Empresas ,9 Fonte: Notas Técnicas * Número de empresas formais

5 Caracterização Geral dos Arranjos - Tamanho das empresas predominantes (Fonte: RAIS e pesquisa de campo) - Mercados atendidos (Fonte: pesquisa de campo) - Disponibilidade de infra-estrutura tecnológica e de ensino treinamento (Fonte: pesquisa de campo)

6 Estrutura Empresarial nos APLs

7 Tamanho de Empresa Majoritariamente micro/pequenas empresas: Rochas Ornamentais/RJ e Coureiro-Calçadista/PB Majoritariamente pequenas e médias empresas: Metal-mecânico/ES e Rochas Ornamentais/ES Participação majoritária de médiase grandes empresas: Têxtil-vestuário/SC, Coureiro-calçadista/PB

8 Mercados Atendidos Local/ Regional: Metal-mecânico/ES: Estado do ES Coureiro–calçadista/PB : Regiões Norte e Nordeste Rochas Ornamentais/RJ: Estados de RJ, MG e SP Nacional/ Internacional: Têxtil-vestuário/SC (12% exportado) Coureiro–calçadista/RS (80% exportado) Rochas Ornamentais/ES (40% exportado)

9 Disponibilidade de Infra-estrutura tecnológica e de ensino/treinamento - No geral observa-se baixa interação dos agentes empresariais com estas dimensões no processo de aprendizado para inovações - Utilização da infra-estrutura se dá de forma diversa - Oferta de serviços tecnológicos e de qualificação e treinamento também é diversa

10 Características comuns aos Arranjos - Baixa escolaridade da mão-de-obra (máximo alcançado sendo o 1grau completo) - Condições de financiamento da produção e de ampliação da capacidade produtiva e inovativa. Recursos oriundos na maioria das vezes da própria empresa. - Baixa grau de articulação entre os elementos do arranjo, acarretando em baixa geração e apropriação de externalidade positivas - Dinâmicas próprias em cada arranjo provenientes de: empresa(s) âncora(s); ação conjunta de pequenas e médias empresas em maior grau; e em centros de pesquisa e/ou de formação profissional, com menor incidência

11 Inovação, Fluxos de Informação e Conhecimento nos APLs Pesquisados Dados disponíveis permitem o exame de 2 blocos de questões neste foco: A) Fontes de informação utilizadas na promoção de inovações tecnológicas -> importância relativa das fontes externas (I) informações provenientes de universidades e centro tecnológicos (II) troca direta de informação com fornecedores, clientes ou outras firmas do mesmo setor

12 Continuação: B. Formas de incorporação e de desenvolvimento de novas tecnologias (I) Induzidas pela aquisição de máquinas e equipamentos (II) através de cooperação com diferentes agentes, podendo ser com fornecedores, competidores, clientes e outras organizações (instituições de educação e pesquisa, entidades setoriais de apoio, etc.) Foi considerada a resposta das firmas que consideram estes quesitos importante ou muito importante nos referidos blocos do questionário

13 Inovações Tecnológicas introduzidas nos anos 90 nos APLs selecionados Inovações TecnológicasCalçado PB Calçado RS Metal ES Rochas ES Rochas RJ Têxtil SC Todas Inovações100 % Inovação de Produto33% 36%25%36%33% Alterações de Produto Alterações Técnicas Novo Produto Inovação de Processo67% 64%75%64%67% Novos equipamentos Nova configuração de planta Construção de nova planta Inovação org.: células produção Inovação org.:just-ini-time ext Inovação org.:CAD/CAM Novas matérias-prima

14 Comparação Calçado PB Calçado RS Metal ES Rochas ES Rochas RJ Têxtil SC Empresas potencialmente inovadoras Empresas Empregados (mil) 2,15,53,50,80,226,6 Taxa: Empresas potencialmente inovadoras/ Total de Empresas entrevistadas (%) Empresas Empregados Empresas Potencialmente Inovadoras proxy das que consideram muito importante inovações de produto ou processo nos anos 90muito importante inovações de produto ou processo nos anos 90

15 Comparação comportamento inovativo das Firmas entrevistadas e das muito inovadoras nos anos 90 Inovações TecnológicasCalçado PB Calçado RS Metal ES Rochas ES Rochas RJ Têxtil SC Razão: Potencialmente inovadora/ Firmas entrevistadas (%) Todas Inovações Inovação de Produto Alterações de Produto Alterações Técnicas Novo Produto Inovação de Processo Novos equipamentos Nova configuração de planta Construção de nova planta Inovação org.: células produção Inovação org.:just-ini-time ext Inovação org.:CAD/CAM Novas matérias-prima

16 Fontes de Informação Calçado PB Calçado RS Metal ES Rochas ES Rochas RJ Têxtil SC Razão: Potencialmente inovadora/ Firmas entrevistadas (%) Fontes informação100 Universidades ou Centros Tecnológicos Na região Fora da região No exterior Troca de informação com: Clientes Fornecedores Concorrentes Na região Fora da região No exterior-7710-

17 Fontes de Informação: Empresas potencialmente inovadoras

18 Fontes de Incorporação de Tecnologia Fontes de InformaçãoCalçado PB Calçado RS Metal ES Rochas ES Rochas RJ Têxtil SC Razão: Potencialmente inovadora/ Firmas entrevistadas (%) Todas atividades100 Aquisição de máquinas e equip Mercado nacional Mercado internacional Cooperação com: Fornecedores equip Forn. matéria- prima Clientes Competidores Outras instituições P&D interno Troca pessoal matriz--38-1

19 Incorporação de inovação de produtos e processo: Empresas potencialmente inovadoras Formas de incorporação de inovação de produto e processo nos APLs selecionados - anos 90 - empresas potencialmente inovadoras

20 Correspondência: Fontes de informação relevantes vs Incorporação de tecnologia Fontes de Informação Formas utilizadas p/ introdução de novas tecnologias APLs Universidades e Centros de P&D Cooperação: instituiçõesRochas/ES; Metal/ES; Calçados/RS ClientesCooperação: clientesTodos APLs, exceto Rochas/ES; Calçados/RS Fornecedores Aquisição equi. mercado nacionalTodos APLs, exceto Confecções/SC Aquisição equi. mercado internacional Todos APLs, exceto Metal/ES Cooperação: fornecedor equip.Todos APLs, exceto Rochas/RJ Cooperação: fornecedor matéria- prima Todos APLs, exceto Rochas/RJ; Metal/ES ConcorrentesCooperação: concorrentesMetal/ES; Rochas/RJ Esforços de P&DConfecções/SC; Calçados/RS

21 Interações entre agentes, capacitação tecnológica e processo de aprendizagem tecnológica nos APLs: uma síntese Investigação dos processos de aprendizagem observando-se: Em relação aos produtos ofertados: tecnologia e forma de concorrência Amplitude da base produtiva: segmentos da cadeia produtiva no local do arranjo Elementos de estímulo a articulações entre os agentes para o desenvolvimento da capacidade inovativa Localização das fonte de informação para desenvolvimento da capacitação tecnológica e intensidade de interação dos agentes com as fontes Requerimentos internos do processo de capacitação tecnológica e a adequação dos agentes a estas fontes. identificação de características comuns, que possibilitem orientação para a definição de políticas

22 Interações entre agentes, capacitação tecnológica e processo de aprendizagem tecnológica nos APLs: uma síntese I) Arranjos com poucas externalidades dinâmicas e fortes interações (dentro do arranjo) em processo de aprendizagem: Metal/ES II) Arranjos com potencial externalidades dinâmicas e fortes interações (dentro do arranjo) em processo de aprendizagem: Calçados/RS e Confecções/SC III) Arranjos com potenciais externalidades dinâmicas e fracas interações (dentro do arranjo) em processo de aprendizagem: Rochas/ES IV) Arranjos sem externalidades dinâmicas e sem interações em processo de aprendizagem: Calçados/PB e Rochas/RJ

23 Conclusões Caráter exploratório da análise Limitações inerentes aos métodos e instrumentos utilizados na coleta dos dados, relacionados aos questionário original utilizado nos estudos empíricos. Apesar do questionário original não ter sido elaborado com o propósito específico de geração de informações qualitativas sistemáticas e detalhadas dos fluxos intangíveis dos APLs, os dados transferido para o Sinal mostraram-se de grande riqueza, enfatizando as diferenças entre os mecanismos de aprendizado informal nos arranjos. Esforços já realizados pela RedeSist para refinar e melhorar o questionário parecem particularmente úteis na construção de indicadores e ferramentas analíticas adaptadas para mensurar a complexidade dos fluxos de conhecimento e informação dos APLs.

24 Passos para análises futuras - identificação de outros aspectos relacionados aos fluxos de conhecimento e informação que possam ser incorporados em análises sistemáticas de APLs. - desenvolvimento de estudos futuros baseados em análises comparativas de APLs, particularmente os extraídos no novo questionário da RedeSist. - Análise intertemporal sendo fundamental na compreensão da trajetória dos fluxos intangíveis - confrontar a evolução da base de conhecimento dos APLs com mudanças na estrutura de governança, assim como de incentivos específicos de políticas públicas - Desenvolvimento de análises geográficas na avaliação de como instituições locais, relacionadas à infra-estrutura científica e tecnológica, ajudam na melhora da base de conhecimento dos APLs.


Carregar ppt "Mensuração e diferenciação de fluxos de conhecimento e informação em APLs brasileiros Rio de Janeiro, 20 e 21 de Maio de 2004 Márcia Rapini (UFMG/UFRJ)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google