A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Lógica de Primeira Ordem -2 Lógica dos Quantificadores Múltiplos Quantificadores Tradução Referência: Language, Proof and Logic Jon Barwise e John Etchemendy,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Lógica de Primeira Ordem -2 Lógica dos Quantificadores Múltiplos Quantificadores Tradução Referência: Language, Proof and Logic Jon Barwise e John Etchemendy,"— Transcrição da apresentação:

1 1 Lógica de Primeira Ordem -2 Lógica dos Quantificadores Múltiplos Quantificadores Tradução Referência: Language, Proof and Logic Jon Barwise e John Etchemendy, 1999 Capítulos: 10, 11

2 Lógica de Primeira Ordem-2 Tautologias e quantificação n Tautologia, consequência tautológica e equivalência tautológica- rever noções para frases com quantificadores x (Cube(x) Small(x)) x Cube(x) x Small(x) x Cube(x) x Small(x) x (Cube(x) Small(x)) n Argumentos válidos n Validade independente dos quantificadores presentes?

3 Lógica de Primeira Ordem-3 Tautologias e quantificação x (Cube(x) Small(x)) x Cube(x) x Small(x) x Cube(x) x Small(x) x (Cube(x) Small(x)) n Validade dos argumentos depende dos quantificadores presentes x Cube(x) x Cube(x) é verdade lógica x Cube(x) x Cube(x) não é verdade lógica não são tautologias x Cube(x) x Cube(x) é tautologia

4 Lógica de Primeira Ordem-4 Tautologias e substituição n Tautologia- substituindo uma frase atómica por uma frase arbitrária, continua a ser uma tautologia n Exemplo (A B) ( B A) é tautologia ( y (P(y) R(y)) x (P(x) Q(x))) ( x (P(x) Q(x)) y (P(y) R(y))) é tautologia n A mesma frase poderia ter sido obtida por substituição em A B ou em ( A B) C que não são tautologias Como saber se uma frase arbitrária pode ser obtida por substituição a partir de uma tautologia?

5 Lógica de Primeira Ordem-5 Forma funcional e tautologia n Para frase arbitrária: pode determinar-se sistematicamente uma forma funcional, em que as partes quantificadas são substituídas por símbolos n Algoritmo - progredir da esquerda para a direita na frase - ao encontrar uma frase atómica, substituí-la por uma letra - ao encontrar um quantificador, identificar a frase a que se aplica e substituí-la por uma letra - nas substituições, usar a mesma letra para frases iguais n Frase de 1ª ordem é tautologia se a sua forma funcional o é Fitch : Taut Con usa a forma funcional para testar se frase é tautologia ou consequência tautológica de outras

6 Lógica de Primeira Ordem-6 Verdade, consequência e equivalência n Argumento válido: a conclusão é verdadeira em todas as circunstâncias possíveis em que as premissas o forem n Na lógica proposicional: tabelas de verdade capturam a noção de circunstâncias possíveis e significado das conectivas n Em 1ª ordem: necessário atender às conectivas, aos quantificadores e ao símbolo de igualdade Proposicional Tautologia Consequência Tautológica Equivalência tautológica 1ª Ordem Validade FO Consequência FO Equivalência FO Conceito geral Verdade lógica Consequência Lógica Equivalência Lógica

7 Lógica de Primeira Ordem-7 Verdade, consequência e equivalência n Validade FO, Consequência FO e Equivalência FO – Verdades lógicas, consequências lógicas e equivalências lógicas que se verificam devido ao significado das conectivas funcionais, dos quantificadores e do símbolo de identidade n Inclusão da identidade – quase todas as linguagens a incluem – é essencial na tradução de frases de linguagem natural n Validade FO – Verdade lógica que não depende do significado dos predicados, para além da identidade 1. x SameSize(x, x) 2. x Cube(x) Cube(b) 3. (Cube(b) b=c) Cube(c) 4. (Small(b) SameSize(b, c) Small(c) Todas são verdade lógicas Só 2 e 3 são válidas FO Como se reconhece: substituindo predicados por nomes sem significado

8 Lógica de Primeira Ordem-8 Consequência FO n Consequência FO – Consequência lógica que não depende do significado dos predicados, para além da identidade x (Tet(x) Large(x)) Large(b) Tet(b) x (P(x) Q(x)) Q(b) P(b) n Provar não consequência FO – Elaborar contra-exemplo de 1ª ordem x Larger(x,a) x Larger(b, x) Larger(c,d) Larger(a,b) x P(x,a) x P(b, x) P(c,d) P(a,b) Interpretação: P é Gosta c e d gostam um do outro a e b não gostam de ninguém e ninguém gosta deles

9 Lógica de Primeira Ordem-9 Testar Validade e Consequência FO n Método de substituição 1. Substituir todos os símbolos de predicado para além da identidade, bem como todos os símbolos de função, por símbolos sem significado 2. Para testar validade FO da frase S descrever uma situação, com intrepretação dos nomes, predicados e funções, em que S seja falsa 3. Para verificar se S é uma consequência FO de P1, …, Pn tentar encontrar uma situação, com intrepretação dos nomes, predicados e funções, em que S seja falsa com P1, …, Pn verdadeiros; se não existe tal situação S é uma consequência FO de P1, …, Pn Fitch : FO Con testa se frase é consequência FO de outras

10 Lógica de Primeira Ordem-10 Tautologia, Validade FO e Verdade n Toda a tautologia é válida FO n Toda a frase válida FO é verdade lógica Tautologias Válidas FO Verdades lógicas Tet(a) x Cube(x) Cube(a) x LeftOf(x,x)

11 Lógica de Primeira Ordem-11 Equivalências FO n Equivalência lógica de wffs com variáveis livres – duas wffs são logicamente equivalentes se as frases resultantes da substituição das suas variáveis livres por nomes são logicamente equivalentes – útil para usar equivalências proposicionais dentro de frases de 1ª ordem n Generalizar princípio da substituição – P e Q são wffs e S(P) é frase que contém P como componente – Se P e Q são logicamente equivalentes, P Q também o são S(P) e S(Q): S(P) S(Q)

12 Lógica de Primeira Ordem-12 Equivalências FO n x (P(x) Q(x)) x P(x) x Q(x) Há casos em que o quantificador universal pode passar para dentro da disjunção ou o existencial para fora da conjunção: quantificação nula n Se x não é livre na wff P, tem-se – x P P n x (P Q(x)) P x Q(x) Se x não é livre em P

13 Lógica de Primeira Ordem-13 Frases com múltiplos quantificadores n Várias ocorrências do mesmo quantificador à cabeça y z (Cube(y) Tet(z) LeftOf(y,z)) x y ((Cube(x) Tet(y)) LeftOf(x,y)) n Quantificadores como prefixos de subfrases y (Cube(y) z (Tet(z) LeftOf(y,z))) x (Cube(x) y (Tet(y) LeftOf(x,y))) n Relação entre variáveis quantificadas Todo o cubo está ou à esquerda ou à direita de qualquer outro cubo x y ((Cube(x) Cube(y)) (LeftOf(x,y) RightOf(x,y))) é afirmação falsa em qualquer mundo com pelo menos 1 cubo: y ((Cube(b) Cube(y)) (LeftOf(b,y) RightOf(b,y))) (Cube(b) Cube(b)) (LeftOf(b,b) RightOf(b,b)) x y ((Cube(x) Cube(y) x y) (LeftOf(x,y) RightOf(x,y)))

14 Lógica de Primeira Ordem-14 Quantificadores misturados x (Cube(x) y (Tet(y) LeftOf(x,y))) Todo o cubo está à esquerda de um tetraedro n Outra forma (Prenex): x y (Cube(x) (Tet(y) LeftOf(x,y))) n Ordem entre quantificadores iguais: indiferente x y Gosta(x,y) y x Gosta(x,y) n Ordem entre quantificadores diferentes: é importante x y Gosta(x,y) y x Gosta(x,y)

15 Lógica de Primeira Ordem-15 Tradução passo a passo n Problema: frases em LN com várias frases nominais quantificadas n Solução: traduzir parcialmente Todo o cubo está à esquerda de um tetraedro – Todo o cubo verifica uma propriedade x (Cube(x) x está-à-esquerda-de-um-tetraedro) – x está-à-esquerda-de-um-tetraedro : usando x como um nome, dá a frase quantificada y (Tet(y) LeftOf(x,y)) – Compondo as duas x (Cube(x) y (Tet(y) LeftOf(x,y)))

16 Lógica de Primeira Ordem-16 Parafrasear LN n Tradução passo a passo, usando a estrutura da frase em LN – pode induzir traduções que não são frases em LPO Se uma pessoa pratica um desporto radical, então tem de ser corajosa x(Pessoa(x) y (Desporto(y) Radical(y) Pratica(x,y))) Corajosa(x) n Parafraseando: Toda a pessoa que pratica um desporto radical tem de ser corajosa x (Pessoa(x) y (Desporto(y) Radical(y) Pratica(x,y))) Corajosa(x)) Ao traduzir de LN para LPO: objectivo é obter frase com o significado da original pode ser necessário alterar a forma superficial da frase

17 Lógica de Primeira Ordem-17 Ambiguidade e sensibilidade ao contexto n Problemas com a tradução LN -LPO – poucos conceitos primitivos na LPO n algumas afirmações resultam pouco naturais n para resolver fazem-se circunlóquios – LN é ambígua e LPO não n necessário escolher entre diversas interpretações e usar o contexto De hora a hora uma pessoa é assaltada na cidade do Porto; vamos agora entrevistá-la... n Tradução da 1ª frase x Hora(x) y (Pessoa(y) AssaltadoDurante(y,x))) n Tradução revista atendendo à 2ª frase y Pessoa(y) x (Hora(x) AssaltadoDurante(y,x))) n Tradução mais natural não é determinada pela forma da frase: De hora a hora alguém da secretaria tem tentado ligar-te;

18 Lógica de Primeira Ordem-18 Tradução com símbolos de função n Funções: expressam relação entre objectos – Tudo o que se exprime com símbolos funcionais pode ser expresso com símbolos de relação mãe Símbolo de função unária mãe(Rui) = Fernanda MãeDe Predicado binário MãeDe(Fernanda, Rui) Com função: x MaisVelha(mãe(x),x) Com predicado: x y(MãeDe(y, x) MaisVelha(y,x)) só diz que cada pessoa tem pelo menos 1 mãe que é mais velha que o próprio x y(MãeDe(y, x) MaisVelha(y,x)) só diz que todas as mães de todas as pessoas são mais velhas que elas

19 Lógica de Primeira Ordem-19 Captar dependência funcional Captar que a relação MãeDe é funcional: – cada pessoa tem pelo menos 1mãe, e no máximo 1 mãe – x yMãeDe(y, x)pelo menos 1 mãe x y z((MãeDe(y, x) MãeDe(z, x)) y=z)no máximo 1 mãe n Frase que capta as duas afirmações x y(MãeDe(y, x) z(MãeDe(z, x) y=z)) Para exprimir x MaisVelha(mãe(x),x) x y(MãeDe(y, x) MaisVelha(y,x) z(MãeDe(z, x)) y=z)) Tudo o que se pode exprimir com um símbolo de função n-ário pode ser expresso com um predicado de aridade n+1 mais o predicado identidade, a expensas da complexidade da frase resultante

20 Lógica de Primeira Ordem-20 Forma Prenex Todo o cubo à esquerda de um tetraedro está atrás de um dodecaedro x[(Cube(x) y(Tet(y) LeftOf(x,y))) y(Dodec(y) BackOf(x,y))] n Tradução mais natural tem quantificações dentro de subexpressões Forma normal Prenex Q 1 v 1 Q 2 v 2... Q n v n P Q i : ou v i : variável P : wff sem quantificadores Uso da forma normal: Medida da complexidade da fórmula: número de alternâncias nos quantificadores Demonstração automática de teoremas

21 Lógica de Primeira Ordem-21 Conversão na forma Prenex x[(Cube(x) y(Tet(y) LeftOf(x,y))) y(Dodec(y) BackOf(x,y))] x y z[(Cube(x) Tet(y) LeftOf(x,y)) (Dodec(z) BackOf(x,z))] n Não basta puxar os quantificadores para o prefixo – y(Tet(y)… quantificador passa a universal porque está logicamente dentro de um – 2 quantificadores para a variável y : necessário renomear xP xQ x[P Q] xP Q x[P Q]se x não é livre em Q Q xQ se x não é livre em Q

22 Lógica de Primeira Ordem-22 Exemplo x[(C(x) y(T(y) L(x,y))) y(D(y) B(x,y))] x[ y(C(x) T(y) L(x,y)) y(D(y) B(x,y))] x[ y (C(x) T(y) L(x,y)) z(D(z) B(x,z))] x y[ (C(x) T(y) L(x,y)) z(D(z) B(x,z))] x y[ z (C(x) T(y) L(x,y)) z(D(z) B(x,z))] x y z[ (C(x) T(y) L(x,y)) (D(z) B(x,z))] Substituições inválidas! xP xQ x[P Q]

23 Lógica de Primeira Ordem-23 Usos dos quantificadores n Afirmações numéricas – um certo número de objectos verifica uma propriedade n Distinção entre objectos – Nomes distintos não têm de referir objectos distintos – Variáveis distintas não têm de ter domínios diferentes verdadeiras num mundo com 1 objecto Cube(a) Small(a) Cube(b) x y(Cube(x) Small(x) Cube(y)) Cube(a) Small(a) Cube(b) Large(b) x y(Cube(x) Small(x) Cube(y) LeftOf(x,y)) x y(Cube(x) Small(x) Cube(y) x y) há 2 objectos distintos


Carregar ppt "1 Lógica de Primeira Ordem -2 Lógica dos Quantificadores Múltiplos Quantificadores Tradução Referência: Language, Proof and Logic Jon Barwise e John Etchemendy,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google